Announcing: BahaiPrayers.net


More Books by David Hofman

Deus e Seus Mensageiros
Free Interfaith Software

Web - Windows - iPhone








David Hofman : Deus e Seus Mensageiros
DEUS E SEUS MENSAGEIROS

Esta primeira edição em português é uma homenagem da Editora Bahá'í do Brasil ao autor,

que veio a falecer quando estávamos finalizando sua publicação.

Que as crianças de língua portuguesa possam inspirar-se e motivar-se com este livro.

Seguindo os passos do sr. Hofman, dedicando suas vidas em prol

da sociedade e da humanidade.
DEUS E SEUS MENSAGEIROS
David Hofman
Título original: God and His Messengers
Acrescidas três histórias:
A História do Sabeísmo:
Sabeísmo e a religião iorubana,

Comitê Nacional de Ensino dos Bahá'ís do Brasil, 1993;

Carta da Casa Universal de Justiça de 6/8/96 para sr. David García.

A História de Krishna e Zoroastro:

O Novo Jardim, Editora Bahá'í do Brasil, 6ª Ed., 2000.

1ª. EDIÇÃO: 2003
Tradução: Feizi Chahnazi
Revisão: Cyrus Eghrari
O Maior Mistério

Todas as crianças gostam de mistérios e vocês vão ouvir agora sobre o maior, maior mistério que vocês jamais poderiam imaginar. Vocês podem adivinhar qual é? Eu acho que alguns de vocês podem, e alguns de vocês não, então vou lhes dizer: O maior mistério de todos é Deus.

Nós todos sabemos que Ele está lá, mas onde exatamente ninguém sabe; e nós não sabemos como Ele é, porque nós não podemos vê-Lo. E isto é com certeza um mistério, não é? Mas nós sabemos que Ele nos ama muito, e que Ele é muito mais maravilhoso do que qualquer um que nós conhecemos.

Bem, agora eu vou lhes dizer como nós sabemos dEle, mesmo que nós nunca O tenhamos visto, e como nós sabemos, com certeza, o que Ele quer que nós façamos. Por Ele falar conosco de vez em quando, nem sempre temos certeza se é a voz de Deus ou só um engano. Então, Deus tem uma maneira de assegurar que nós O conheçamos e saibamos o que Ele quer. E Sua maneira é de nos enviar Mensageiros de tempos em tempos.

Esses Mensageiros são pessoas muito sagradas, e, apesar de se parecerem comigo e com vocês, Eles são verdadeiramente muito melhores e grandiosos. Deus manda-Os para esta terra para nos dizer o que Ele quer que nós saibamos, e para explicar sobre Ele mesmo. E é assim que nós O conhecemos - através de Seus Mensageiros.

Eu espero que vocês já saibam que Deus fez o mundo e o Sol, as estrelas e a Lua. Vocês sabem quão belas essas coisas são: pássaros e flores; lindos campos verdes; árvores e animais; gatos e cachorros e cavalos; e rios radiantes. Deus fez tudo isto há muito tempo atrás e arranjou as coisas para que continuassem a existir mais cachorros e gatos e pássaros, e todos os seres vivos. Ele arranjou isso fazendo com que eles tivessem filhos. Vocês já viram pequenos passarinhos, pequenas plantinhas, e pequenos gatinhos, não viram? Então, eles são todos filhos dos grandes pássaros e plantas e gatos, do mesmo modo que vocês são filhos dos adultos. E isto, é uma maneira muito maravilhosa de organizar as coisas.

Se vocês não conhecem aquela bela oração de 'Abdu'l-Bahá sobre Deus nos ajudando, eu espero que vocês aprendam rapidamente. Peçam a um adulto para lhes ensinar as palavras e quem sabe vocês poderão cantar enquanto as falam, desta forma estaremos entoando uma oração, bacana não é? Ela é assim:

"Ó Deus guia-me, protege-me, ilumina a lâmpada do meu coração e faze de mim uma estrela brilhante. Tu és o Forte e o Poderoso."

Agora, nós chegamos a uma parte triste da história, mas as coisas são assim, pois apesar de ser bom sentir-se feliz, devem existir algumas coisas difíceis de fazer e um pouco de tristeza, senão a vida seria muito chata.

Bem, a parte triste acontece porque as pessoas nem sempre fazem o que Deus diz a elas. Eu esqueci de dizer a vocês que Deus fez as pessoas também, por isso Ele é chamado de nosso Pai. Seus pais e mães cuidam de vocês, são amáveis e bondosos com vocês, e vocês os amam muito. Então, Deus é amável e bondoso para com todas as crianças do mundo, e com todos os adultos também, porque Ele é o Pai de todo mundo.

Então, quando vocês ouvirem alguém dizer coisas ruins sobre outra pessoa, lembrem-se de que todos eles são filhos de Deus, e assim, de certo modo, seus irmãos e irmãs. Na verdade, todas as pessoas no mundo são apenas uma enorme família; alguns têm olhos azuis, outros marrom, uns têm cabelos escuros, e outros claros, alguns são altos e outros são baixos, alguns são gordos e outros magros, mas Deus conhece todos eles.

Algumas pessoas dizem que não acreditam em Deus porque elas não podem vê-Lo. Mas isso não é verdade, porque Deus é um mistério, e é por isso que vocês não conseguem vê-Lo. Quem fez tudo se não foi Deus? Nenhum outro pode fazer um céu ou um pôr-do-sol, ou uma tempestade, ou a chuva ou a luz do sol. Deus faz tudo isso com a mesma facilidade com que vocês comem um pedaço de um delicioso bolo.

Bem, é pelo fato de algumas pessoas não acreditarem em Deus, que coisas tristes acontecem. As pessoas são rudes umas com as outras, dizem mentiras, e são muito egoístas, e no fim, brigam e matam umas às outras. E isto é muito mal e deixa todo mundo muito infeliz. Deus quer que todos, e, especialmente as crianças, sejam amáveis umas com as outras, pensem nas outras pessoas e nunca machuquem ninguém. É claro que não há problema em praticar lutas esportivas ou outros esportes similares, Deus deixa que vocês façam isso; mas ele não gosta que vocês odeiem pessoas e tentem machucá-las. Ele ama a todos, e Ele quer que vocês também O amem.

Isso é tudo por hoje. No restante do livro, eu vou lhes contar histórias dos grandes Mensageiros que Deus nos enviou.

Agora, aqui está outra pequena oração para vocês fazerem. Ela pode parecer difícil no começo, mas eu conheço um garotinho, de apenas quatro anos de idade, que a sabe de cor e a faz muito bem. Ela foi dada a nós por um dos Mensageiros de Deus, o Báb:

"Dize: Deus é suficiente para todas as coisas, acima de todas as coisas, e nada nos céus ou na terra, a não ser Deus é suficiente. Em verdade, Ele é em Si próprio o Conhecedor, o Sustentáculo, o Todo-Poderoso."

A História do Sabeísmo

Era uma vez, há muitos, mas muitos e muitos anos atrás, um Homem muito santo que fundou a Religião do Sabeísmo ou Sabeíta. Infelizmente, devido aos grandes terremotos e mudanças que a Terra sofreu desde aquele período, nunca vamos saber Seu nome, e isto nos fala o bisneto de Bahá'u'lláh - Shoghi Effendi.

Bahá'u'lláh nos conta que os sabeístas são seguidores de uma antiga religião, que adoravam ídolos, os quais eram chamados pelos nomes das estrelas e que diziam ter recebido sua religião através de Seth e Idrís.

'Abdu'l-Bahá, filho de Bahá'u'lláh, nos esclarece que Seth era filho de Adão e o próprio Bahá'u'lláh, também explica que Idrís foi um Homem da Verdade, um Profeta. Outro Profeta foi Abraão, que deu início à religião dos judeus.

Como podemos perceber, este Mensageiro de Deus deixou Sua mensagem para várias pessoas e entre elas, houveram alguns que se tornaram Profetas.

Também existe a lenda, entre os povos que viviam na África (aquele lindo continente, de onde vieram muitos dos nossos amiguinhos ou parentes), de um Homem santo chamado Nimrod, mas que não era aquele rei malvado que perseguiu Abraão. Então, Nimrod numa certa altura de sua vida se intitula Odudúwa, nome este, na língua ioruba, (este é o idioma que se fala no centro da África) que quer dizer: "recipiente do criador da existência" ou "fonte geradora de vida". É interessante ver que Odudúwa não se intitulou Deus, mas apenas um recipiente, um canal de Deus ou como nós, os bahá'ís chamamos: Mensageiro de Deus.

Diz a lenda que Odudúwa teve vários filhos e abençoou várias pessoas e após eles, seguiram-se vários outros, que hoje nossos amigos africanos chamam de Orixás (que quer dizer: Energia ou Guardião da Mente). São divindades que representam as forças da natureza: o mar, o sol, o raio, o rio, a mata e assim por diante. Esta era a forma dos homens naquela época, lembrem-se de que era muito, muito tempo atrás, de adorar a Deus.

O Odudúwa (ex-Nimrod) era descendente de Noé, que era descendente de Abraão, desta forma realizando uma promessa de Deus, de que Seus Mensageiros seriam descendentes de Abraão. Podemos citar Moisés, Jesus, Muhammad e o Báb. O próprio Bahá'u'lláh era descendente dEle, através de Katurah, que era a segunda esposa de Abraão.

Os cultos africanos nos ensinam que Olurum ou Oludumaré ou Olorumilá (todos querem dizer Deus em ioruba) é um só e que o culto aos reinos mineral, vegetal ou animal é uma forma de se amar a Deus.

Um dia se você for a um templo religioso deste povo poderá ver que as pessoas que seguem esta religião ficam dançando em roda ou ao redor de um mastro, que simboliza a ligação entre o céu e a terra - desta forma eles estão louvando ao Manifestante de Deus, o Único que consegue se comunicar diretamente com Deus.

Quando vários negros vieram para o Brasil, infelizmente como escravos, trouxeram com eles sua religião e através destes povos, pudemos aprender mais sobre esta maneira pura de se amar a Deus.

Há muito mais histórias sobre esta religião, mas você poderá aprender mais quando crescer e pesquisar sobre eles.

A História de Krishna

Krishna foi um Mensageiro de Deus que viveu na Índia há mais ou menos 5.000 anos. Sua Mensagem foi a Mensagem do Amor. Ele nasceu numa prisão, mas escapou milagrosamente dela.

Krishna, assim como todos os Manifestantes de Deus, teve de enfrentar as forças do mal. Ele lutou contra o mal e venceu. Não importa quão poderoso seja o mal, o poder da verdade sempre vence.

Tornou-se o Rei de Dwarka, que significa a Porta Pequena. Ele foi a porta do conhecimento do próprio Deus. Seus ensinamentos foram para o bem do homem.

Krishna estava triste porque o povo não o compreendia. Os homens tinham suas próprias idéias sobre Deus e Seus Manifestantes. Por isso, quando Krishna afirmava ser o Manifestante de Deus, o povo não O aceitava.

Ele deixou um Livro Sagrado chamado de "Gita".

Mesmo o Seu discípulo amado, Arjuna, não podia compreender Seu Poder Divino. Arjuna não acreditava que um humano pudesse tornar-se o templo do Ser Divino. Dizem que Krishna teve de se transformar numa forma divina para Arjuna perceber Seu poder e nEle acreditar. Isso significa que Krishna ajudou Arjuna a entender Sua majestade e grandeza espirituais.

Depois houve uma grande batalha entre o Bem e o Mal. Arjuna foi guiado por Krishna na luta contra o exército das trevas.

Quando reconhecemos o Manifestante de Deus e abraçamos a Sua Fé, devemos obedecer aos Seus mandamentos. É isso o que Krishna nos ensina no Gita:

"Entrega em pensamento todas as tuas ações para Mim, considerando-Me como o Supremo e, buscando firmeza em tua compreensão, fixa teu pensamento constantemente em Mim." Gita, XVIII: 57

Krishna, o Manifestante de Deus, trouxe uma nova civilização para o povo do Seu tempo. Libertou o homem do mal e salvou-o do sofrimento. Assegurou aos Seus seguidores que, no futuro, Deus novamente se manifestaria para repetir aquilo que Krishna havia feito, ou seja, guiar os povos do mundo diretamente ao caminho de Deus.

A História de Moisés
Os Filhos de Israel

Era uma vez, há muito tempo atrás, havia um povo conhecido como Filhos de Israel. Não eram todos crianças como vocês, muitos deles eram adultos, mas porque o ta-ta-ta-ta-ta-taravô deles se chamava Israel, e dava muito trabalho para dizer tudo isso toda a hora, eles eram simplesmente chamadas de Filhos de Israel. Eles viviam num país chamado Egito, que não era o lar deles. Eles não gostavam nem um pouco de lá, porque os egípcios eram muito cruéis com eles, e os obrigavam a trabalhar muito. Os egípcios os obrigaram a fazer esforços para realizar algo impossível. Os pobres Filhos de Israel não conseguiam fazer o que eram obrigados e então os egípcios batiam neles, até que eles se tornaram tão miseráveis a ponto de não agüentar mais.

Então, eles oraram para Deus, e pediram a Ele que os ajudasse. E Deus ajudou. Ele sempre ajuda as pessoas que verdadeiramente pedem que Ele os ajude. E Ele enviou Moisés, com uma mensagem especial.

Moisés disse aos Filhos de Israel que Deus O enviou para dizer que Ele ouviu as suas orações, e os levaria de volta à sua própria terra e os faria felizes de novo. Mas eles teriam de fazer tudo que Moisés dissesse para fazer, e serem bons, e não esquecerem de Deus como eles haviam feito antes. Os Filhos de Israel disseram que obedeceriam, e que estavam muito gratos a Deus por estar ajudando-os.

Moisés e o Faraó

Então, Moisés foi ver o rei do Egito. Ele era chamado de faraó, e era muito rico. Ele tinha centenas de escravos e, se as pessoas não fizessem o que ele mandasse, ele as matava. Ele era tão rico, e vivia em um palácio tão maravilhoso, e tinha tantas jóias e belas roupas, que ele achava que era tão grandioso quanto Deus. E isto mostra o quão bobo ele era, porque ninguém pode ser Tão Grandioso, ou mesmo chegar perto de Ser Grande assim, nem mesmo por um instante.

Moisés pediu ao faraó que deixasse que os Filhos de Israel parassem de trabalhar e voltassem para suas próprias terras. Mas, o faraó riu e disse que não deixaria. Então, Moisés disse que Ele veio de Deus, e que se o faraó não o obedecesse, todos os egípcios teriam tumores só para mostrar que Deus poderia fazer com que o faraó obedecesse. Mas, o faraó disse que não acreditava nEle, e então, todos os egípcios contraíram tumores, mas os Filhos de Israel não. Então, o faraó disse a Moisés: "Tudo bem, se você retirar os tumores, eu deixarei os Filhos de Israel irem."

Então, Moisés retirou os tumores, mas aí o faraó disse que não deixaria os Filhos de Israel irem. Aquele ato foi muito malvado, pois ele havia feito uma promessa. Então, Deus disse a Moisés para mandar uma praga de gafanhotos aos egípcios.

Gafanhotos são como grilos, mas não tão bonzinhos. Eles vêm em milhares e milhares, e voam pelo ar como uma nuvem negra. Quando eles descem na terra, comem tudo o que cresce, não deixando nada para as pessoas comerem.

Então, Moisés enviou gafanhotos às plantações e jardins dos egípcios, e assim que o faraó os viu, ele disse que deixaria os Filhos de Israel irem, se Moisés mandasse os gafanhotos embora. E Moisés os mandou embora, mas o faraó quebrou sua promessa novamente.

Então, vocês sabem, Moisés ficou muito furioso com o faraó, e Ele enviou outras coisas terríveis como granizos gigantes e milhões de sapos. Mas, cada vez que o faraó prometia deixar os Filhos de Israel irem embora, ele quebrava sua promessa.

Então, no final, Deus disse a Moisés: "Diga ao faraó que vou mandar um anjo através de toda a terra do Egito, e ele vai matar o primogênito (o filho mais velho) de toda as famílias." Assim, Moisés disse ao faraó, e mandou os Filhos de Israel ficarem dentro de casa, à noite, e fazerem uma marca na porta da frente, para que o anjo soubesse que não deveria entrar e passasse por elas. Tudo aconteceu como Moisés disse, e até hoje os descendentes dos Filhos de Israel se lembram daquele dia, e o chamam de "Páscoa" dos judeus.

Quando o faraó viu as coisas terríveis que aconteceriam com ele se não obedecesse a Deus, ele disse a Moisés que os Filhos de Israel poderiam ir. Então, eles iniciaram sua jornada, uma grande multidão de mães, pais e crianças partiram para a terra de Canaã.

Quando eles se foram, o faraó tentou quebrar sua promessa novamente, e enviou seus soldados para trazê-los de volta. Mas desta vez, Deus não o deixou fazer isto, como vocês verão.

Moisés e o Mar Vermelho

Os Filhos de Israel chegaram às margens do Mar Vermelho, e não sabiam como atravessá-lo, pois não tinham barcos, e nem tempo para construir nenhum, pois os soldados do faraó estavam a caminho. Então, eles foram a Moisés e perguntaram o que deveriam fazer.

Moisés disse que Deus os ajudaria, porque Ele nunca ajuda as pessoas um pouco e depois as desaponta; Ele as ajuda até o fim. Os Filhos de Israel se sentiram melhor quando ouviram isso, mas esperavam que Deus se apressasse, pois os soldados estavam bem próximos. Moisés disse-lhes para não terem medo, pois Deus nunca se atrasa e sempre faz tudo com perfeição.

Moisés carregava uma longa vara, a qual chamava de Seu bastão. Ele foi à margem do mar e o colocou sobre a água. Logo em seguida, uma estrada de terra se fez através do Mar Vermelho e todos os Filhos de Israel atravessaram em segurança para o outro lado, sem que qualquer um deles se molhasse.

Os soldados do faraó chegaram à praia e seguiram pela estrada que Moisés havia feito, mas quando eles chegaram no meio do caminho, a estrada desapareceu e todos eles se afogaram.

Desta forma, os Filhos de Israel estavam a salvo do faraó, e tudo porque Deus os havia ajudado. Moisés disse a eles que deveriam ser muito gratos a Deus, e lá mesmo às margens do Mar Vermelho, eles agradeceram a Deus e pediram a Ele que continuasse lhes ajudando, e nunca os deixasse sozinhos.

No Deserto

Bem, agora eles tinham de pensar em como chegar à Terra de Canaã. Era bem distante dali e a jornada os deixaria muito exaustos. Mas, eles partiram novamente, sentindo-se muito felizes, porque sabiam que Deus os estava ajudando. Eles continuaram andando durante dias e dias, semanas e semanas, meses e meses, e mesmo por anos, e ainda não haviam chegado à Terra de Canaã.

Durante este tempo, eles estavam ficando cada vez mais cansados, e alguns deles começaram a reclamar, e eles se esqueceram de ser gratos a Deus, e chegaram a dizer que não queriam mais a ajuda dEle, se este era o tipo de ajuda que Ele estava lhes dando. Lembrem-se que era muito quente e empoeirado, e não havia muita comida, e às vezes estavam no meio do deserto, e eles sentiam uma sede terrível e tinham seus pés feridos. Mesmo assim, eles não deviam ter reclamado, depois de tudo que Deus havia feito por eles. Eles queriam ser levados à Terra de Canaã, e para isso, tinham que atravessar os desertos para chegarem lá.

Durante todo esse tempo, Moisés estava com eles, animando-os e ajudando-os enquanto estavam muito cansados para continuar adiante. Mas mesmo assim, eram rudes com Moisés e reclamavam dEle, esquecendo-se de que Ele era um Mensageiro de Deus e os trouxe em segurança do Egito.

Uma noite, eles foram dormir, cansados e famintos, pois não haviam conseguido comida naquele dia. Moisés disse-lhes para irem dormir e que veriam o que Deus proveria para eles. Mas eles não O levaram muito a sério. Imaginem quão encantados eles estavam de manhã quando acordaram e encontraram deliciosos pães brancos. Eles os comeram com prazer, e partiram novamente.

Eles o chamaram de maná e Moisés lhes disse que este era o pão que Deus havia enviado, mostrando que Ele não se esqueceu deles.

Mas depois de um tempo eles começaram novamente a reclamar e pioraram o comportamento. Estavam num deserto seco e arenoso, sem nenhuma árvore ou plantação ou rio, só pedra e areia, e nada tinham para beber. Então, eles foram a Moisés e reclamaram. E Ele disse: "Deus vai ajudá-los se vocês pedirem a Ele." Mas eles pediram que Moisés pedisse a Deus por eles, pois se sentiam um pouco envergonhados para pedir ajuda depois de todas aquelas reclamações.

Então, Moisés pediu a Deus, e foi até o topo de uma grande rocha e bateu nela com Seu bastão. No mesmo instante, uma corrente de água fria e cristalina jorrou para fora da rocha, e os Filhos de Israel puderam beber e se lavar. Vocês vêem como Deus olhava por eles, mesmo no deserto.

Mas, com o passar do tempo, e sem ter chegado à Terra de Canaã, eles começaram a reclamar mais e mais, e a fazer coisas muito ruins. Alguns deles disseram que desejavam nunca ter deixado o Egito, o que mostrava muita ingratidão quando se pensa o quanto eles rezaram para serem libertados do faraó e, também, depois de todos os problemas que Moisés teve com eles. Alguns deles até mesmo disseram que não acreditavam mais em Deus. Pessoas tolas geralmente dizem isso, quando as coisas não acontecem do jeito que elas querem. Mas Deus não se importa, Ele continua olhando por elas do mesmo jeito, pois sempre estão tristes quando dizem que não acreditam nEle.

Bem, as coisas continuaram difíceis por um longo tempo, e Moisés teve um monte de problemas com eles, até que se passaram quarenta anos no deserto. Imaginem vocês, quanto tempo se passou e quão longa deve ter sido a jornada. Mas enfim, eles chegaram à Terra de Canaã e puderam se estabelecer e todos eram fazendeiros, pastores, pescadores ou caçadores, e a Terra de Canaã era perfeita para essas coisas, pois havia de tudo em grande quantidade. Ela era chamada de "a terra da fartura".

Assim, Deus manteve sua promessa, e os tirou do Egito para a sua própria terra, e eles se tornaram um povo muito grande.

Agora, quando você começar a fazer algo, e se cansar no meio do caminho, ou quando as coisas parecerem muito difíceis, apenas lembre-se dos Filhos de Israel andando pelo deserto por quarenta anos. Eles não desistiram, e no fim tudo acabou, só porque Deus olhou por eles. Se Ele não tivesse olhado por eles, talvez eles ainda estariam no Egito.

Moisés e os Dez Mandamentos

Quando Moisés trouxe os Filhos de Israel para a Terra de Canaã, Ele disse que Deus não queria que Ele fosse adiante, e eles teriam de cuidar de si mesmos no futuro. Mas, Ele lhes disse para sempre orar para Deus, e Ele prometeu que um dia, Deus lhes mandaria um outro Mensageiro para ajudá-los.

Ele deixou dez leis. Se eles obedecessem a essas leis tudo ficaria bem, mas se eles não as obedecessem, teriam muitos problemas e seriam muito infelizes.

São estas as dez leis :
1. Sempre amar a Deus;
2. Nunca amar nada mais a não ser Deus;
3. Sempre falar de Deus com reverência;

4. Sempre parar de trabalhar no Sabbath, e pensar em Deus especialmente neste dia. Ele queria que este fosse um dia especial para que todos pudessem descansar um pouco, falar sobre Ele, e cantar algumas canções juntos;

5. Amar seu pai e sua mãe e fazer o que eles dizem;

6. Não roubar;
7. Não machucar outras pessoas;
8. Sempre ser puro e limpo.

9. Nunca dizer mentiras, especialmente sobre outras pessoas;

10. Nunca querer as coisas das outras pessoas, não importa quão sem valor elas sejam.

Essas regras que Moisés deu aos Filhos de Israel são chamadas de Os Dez Mandamentos, e quando você for mais velho você poderá lê-las na Bíblia. Elas foram realmente dadas por Deus, porque Moisés foi um Mensageiro de Deus, e por isso são leis para você hoje, mesmo que elas tenham sido feitas há tanto tempo atrás.

A História de Zoroastro

Zoroastro, às vezes chamado com um nome mais difícil, Zaratustra, foi um Mensageiro de Deus que também nasceu na Pérsia, o mesmo país que nasceu Bahá'u'lláh, mais ou menos mil anos antes de Cristo. Foi Ele que fundou a religião chamada "Zoroastrismo".

Desde a idade que vocês tem hoje, muito criança, Zoroastro manifestava uma extraordinária sabedoria. Diversas vezes Sua vida foi salva dos inimigos que queriam matá-Lo a fim de que não chegasse à maturidade para cumprir Sua missão divina.

Aos 15 anos de idade, Zoroastro realizava valiosas obras religiosas e chegou a ser conhecido pela Sua grande bondade para com os pobres e os animais. Aos 20 anos, deixou o lar e passou sete anos de solidão em uma caverna numa montanha. Depois regressou a Seu povo e, com a idade de 30 anos recebeu a Revelação Divina, que teve início através de uma série de sete visões.

Zoroastro encontrou muita dificuldade para converter as pessoas à Sua nova religião. Em dez anos de pregação conseguiu somente um crente - seu primo. Durante este período o chamado de Zoroastro foi como uma voz no deserto. Ninguém O ouvia. Ninguém O atendia. Foi perseguido e atormentado pelos sacerdotes. Os príncipes recusaram dar-Lhe apoio e proteção e O prenderam, alegando que Sua nova Mensagem causava confusão nas mentes das pessoas. Mas Zoroastro permanecia firme e efetuava curas e milagres e continuamente ensinava Suas novas leis espirituais e científicas para a guia e instrução do povo.

Dois anos depois Zoroastro conseguiu exercer influência sobre o Rei Vishtaspa, que se tornou um fervoroso seguidor de Sua fé. Isto fez com que os ensinamentos de Zoroastro fossem aceitos e gerou uma grande reforma. Logo em seguida, a corte real seguiu os passos do Rei e mais tarde o Zoroastrismo tornou-se a religião da nação persa.

As Escrituras Sagradas do Zoroastrismo são denominadas Zend-Avesta, cujo significado é "Comentário sobre o Conhecimento".

Zoroastro fundou uma civilização essencialmente agrícola, destinada a educar os homens em uma crença nobre e de moral sublime. Zoroastro designou o esforço e o trabalho como atos santos. Ele disse: "O que mais vale num trabalho é a dedicação do trabalhador."

São muitos os ensinamentos de Zoroastro. Três de Seus principais mandamentos são:

- Falar a verdade
- Cumprir com o prometido
- Manter-se livre de dívidas

A Regra de Ouro do Zoroastrismo é: "Age como gostarias que agissem contigo"

Aos 77 anos de idade, Zoroastro foi martirizado por um homem, enquanto orava em frente ao fogo sagrado, no Templo.

As profecias da religião Zoroastriana anunciam o aparecimento de um Salvador ou Messias para mil anos depois. Entendemos que tal profecia se refere a Jesus Cristo.

Zoroastro também profetizou que em um futuro mais distante, de três mil anos, o Espírito de Deus se manifestaria outra vez em um Messias que surgiria na Pérsia, país em que o próprio Zoroastro havia nascido. Disse que chegaria o tempo em que da raça persa se ergueria o "Sháh Bahrám", o Senhor Prometido, o Salvador do Mundo, o Grande Mensageiro da Paz.

A História de Buda

Buda foi um príncipe na Índia. Tudo aconteceu há muito, muito tempo atrás, mas até hoje existem milhões de pessoas que se lembram dEle, porque Ele foi muito gentil e belo.

Ele nasceu num grande palácio, e Seu pai era o rei e era muito rico. Mas naquele tempo, as pessoas não eram muito boas e havia muita infelicidade e crueldade. Então, claro que Deus lhes enviou um Mensageiro para ajudá-los. Ele lhes enviou Buda.

Seu pai queria que Ele se tornasse um grande e poderoso rei, mas à medida que Buda crescia, Ele começava a pensar em outras coisas. Quando ia à escola, conseguia fazer todas as Suas lições sem tê-las aprendido, porque Deus Lhe havia ensinado.

Um dia, Ele soube que era Seu tempo de partir e dar a mensagem de Deus. Então, Ele se vestiu com roupas bem velhas e amarrotadas e deixou Seu belo palácio e começou a andar pela Índia, como um homem muito pobre. Ele fez isso para que não precisasse se preocupar com nada, e pudesse fazer qualquer coisa que Deus quisesse. Vocês vêem como Ele não se preocupava com conforto, ou em ser rico ou respeitado? Só queria fazer a vontade de Deus.

Primeiro, Ele chegou a uma grande floresta negra, cheia de animais selvagens, e muito perigosa. Mas, Ele não tinha medo, e logo chegou a uma clareira onde a luz do sol penetrava e lá havia um belo gramado. No meio da clareira, havia uma grande árvore, chamada figueira, e Buda sentou-Se sob ela. Figueiras não crescem na Inglaterra ou na América, mas na Índia elas são grandes e vivem por centenas de anos, e as pessoas gostam muito delas. Enquanto Buda estava sob a figueira, Deus disse-Lhe tudo o que Ele devia falar às pessoas, e Lhe deu força e conhecimento. Buda ficou naquele lugar por quarenta e nove dias e depois partiu para contar as boas novas.

Primeiro, Ele contou tudo a Seus discípulos, que O haviam seguido pela floresta, e todos acreditaram nEle. Depois, Ele lhes disse que deveriam ir e se espalhar por toda terra e levar esta mensagem às pessoas, e que se encontrassem qualquer dificuldade, pedissem a Deus que lhes ajudassem. Então, eles se foram para longe, e Buda continuou Sua jornada.

Multidões de pessoas vinham vê-Lo, e Ele costumava sentar-se na grama e ensiná-las. Reis e princesas, mercadores e mendigos, todos vinham ouvi-Lo, e muitos queriam segui-Lo.

Isto foi o que Buda lhes ensinou:

"As coisas que fazem as pessoas infelizes, e causam grandes problemas, são o mau humor, a ganância, e o egoísmo. Então, nós precisamos ser muito cuidadosos para nunca sermos deste jeito. Assim, nós vamos nos sentir muito melhor, todos vão gostar de nós, nós vamos gostar de todo o mundo."

Ele também disse:
• Sempre seja bondoso com os animais.
• Seja generoso com todos.
• Sempre diga a verdade.

• Quando as coisas estão difíceis, não reclame nem chore, mas sim tenha um sorriso estampado no rosto.

Buda ensinou essas e muitas outras coisas maravilhosas. Ele sabia que milhões e milhões de pessoas eram egoístas e cruéis, e isto O deixava muito triste, então Ele disse para pararem de ser desse jeito e ao invés disso serem generosos e felizes.

Algo que Ele costumava dizer era: "Pense nas coisas por você mesmo. Se você não sabe alguma coisa, pergunte sobre isto, e aí vá e pense sobre isto sozinho. Na verdade você pensa sobre tudo, como as flores são bonitas, como o sol é gostoso, e como uma praia é agradável no verão, e todo tipo de coisas como estas. Quanto mais você pensa sobre essas coisas, mais grato você será a Deus, que fez todas essas coisas. E então, você não poderá deixar de amar a Deus, e isso é normal, porque se você ama a Deus você tentará fazer o que Ele quer."

Buda viveu há muito tempo atrás, e Ele era muito belo e muito bondoso e fez do mundo um lugar melhor.

A História de Jesus
Os romanos e os judeus

Era uma vez, um povo chamado "os romanos". Eles eram muito fortes e muito inteligentes e governavam quase o mundo todo. Eles eram muito bons mesmo, como você ouvirá um dia, mas por pensarem que a vida era ser tão forte e muito rico, eles começaram a ser orgulhosos e egoístas e a esquecer das pessoas que governavam.

Bem, naquele tempo os Filhos de Israel estavam vivendo na Terra Santa. (Vocês se lembram da história de Moisés e os Filhos de Israel?) Só que agora eles eram chamados de judeus, porque muitos deles haviam se dispersado e se perderam, e aqueles que restaram foram chamados judeus. Você pode achar a Terra Santa no mapa; ela é chamada de Israel nos mapas, mas ela é realmente a Terra Santa porque muitos dos Mensageiros de Deus apareceram lá.

Agora, os romanos governavam a Terra Santa e os judeus, e apesar de serem um pouco orgulhosos, eles governavam muito bem. Mas os judeus eram ainda mais orgulhosos, e não gostavam de ser governados pelos romanos mesmo eles governando tão bem. Você não pode culpá-los, porque as pessoas gostam de dirigir sua própria vida.

Na verdade, o grande problema era porque os romanos não sabiam sobre Deus. Eles não haviam tido um Mensageiro como os judeus, e por isso não poderiam saber, poderiam? Mas mesmo assim, sendo tão inteligentes, eles sabiam que alguém devia ter feito tudo, e devia continuar mantendo tudo. Então, como eles não sabiam que esse alguém era Deus, eles achavam que deviam ser pessoas muito especiais que viviam no topo de uma montanha, e que podiam fazer tudo o que quisessem, como se tornar invisível, ou voar sem um avião. Eles diziam que essas pessoas tinham nomes como Júpiter, Vulcano e Minerva, e eles costumavam adorá-las.

E os judeus sabiam que isto estava errado, mas ao invés de tentar ajudar os romanos a entender sobre Deus, eles diziam que os romanos eram pagãos (ou gentios - aqueles que não acreditam em Deus) e não era permitido entrarem no templo. Bem, os romanos disseram que não entrariam, embora eles por serem os governantes poderiam entrar se quisessem, o que só mostra como eles devem ter sido pessoas bondosas de fato.

Vocês se lembram que Moisés prometeu aos Filhos de Israel que Deus mandaria outro Mensageiro um dia. Bem, havia passado um longo tempo desde então, e os judeus estavam sempre esperando que Ele chegasse. Mas eles não O queriam só porque amavam a Deus e estariam gratos por receber uma mensagem dEle, mas sim porque queriam que Ele fosse guerrear contra os romanos e os expulsasse da Terra Santa. Claro que isto era muito errado da parte deles, porque Deus amava aos romanos tanto quanto Ele amava aos judeus, e compreendia tudo aquilo sobre seus ídolos e perdoava-os, porque eles nunca tiveram um Mensageiro para lhes dizer sobre o verdadeiro Deus.

João Batista

Enquanto tudo isso acontecia, um homem muito santo apareceu, chamado João Batista. Ele era muito alto e vivia sozinho no campo. Ele costumava dormir ao ar livre sob as estrelas, e às vezes em cavernas, e tudo que tinha para comer eram frutas selvagens, e de vez em quando algum mel, quando encontrava uma colmeia. Ele usava sandálias e um longo manto, e tinha uma voz alta e forte.

Ele costumava andar pelo campo, chamando as pessoas com sua voz grandiosa: "Arrependam-se; arrependam-se; o Mensageiro de Deus está chegando." Os judeus estavam muito contentes em saber que o Mensageiro estava chegando, mas seus líderes não queriam se arrepender de jeito nenhum. Eles eram muito teimosos e maus naquele tempo, e só queriam conquistar os romanos. Muito freqüentemente as pessoas não pedem desculpas, nem para serem perdoadas, porque elas são muito teimosas. Mas no fim, elas têm que pedir por perdão porque se não o fizerem tornar-se-ão muito infelizes.

Bem, João Batista continuou alertando às pessoas, e algumas delas acreditaram nele, porém muitas não. De qualquer forma, todos esperavam a verdade. Um dia, perguntaram se ele era o Mensageiro, e ele disse que não era; o Mensageiro que estava por vir era tão maravilhoso e perfeito e belo, que mesmo ele, João Batista, não era digno de tirar os sapatos dEle.

No fim, João Batista foi colocado na prisão e sua cabeça foi cortada. Mas, ele não se importava porque sabia que iria para o céu e que Deus estava satisfeito com ele por dizer às pessoas para se prepararem para a vinda do novo Mensageiro.

Belém

Jesus nasceu na Terra Santa num vilarejo chamado Belém. Seus pais eram pobres, e somente tiveram o necessário para viver. E as pessoas riam dEle e eram cruéis com Ele e, pouco tempo depois O mataram, mas, hoje todos sabem sobre Ele; quão bom Ele foi; e como Ele sempre amou as pessoas mesmo quando elas O odiavam. Todas as belas catedrais e igrejas são construídas em memória de Jesus, porque apesar de saber que pessoas perversas O matariam, Ele nos deu a mensagem que Deus disse a Ele. E Ele realmente morreu por nós, o que é uma razão pela qual nós deveríamos amá-Lo muito.

Seus pais chamavam-se Maria e José. Uma noite, eles estavam viajando e desejaram descansar em uma hospedaria. Porém, a hospedaria estava cheia de gente rica, e o dono da hospedaria disse que poderiam dormir no estábulo. Não havia mais nada a fazer, então eles foram ao estábulo e lá Jesus nasceu, e Maria usou uma manjedoura como berço para Ele.

Apenas imagine isto, nascer num estábulo! Só mostra que para Deus não importa se você é rico ou pobre, porque alguns de Seus Mensageiros nasceram ricos, e outros pobres. Entretanto, nenhum foi tão pobre quanto Jesus.

Bem, Maria e José e o pequeno bebê Jesus ficaram no estábulo por alguns dias e muitas coisas maravilhosas aconteceram. Deus enviou um anjo aos pastores nas montanhas em torno de Belém e disse-lhes: "Boas novas! Boas novas! Jesus Cristo nasceu esta noite."

Ele era chamado Cristo porque isto significa ser especialmente escolhido por Deus. Vocês lembram que Mensageiros de Deus são muito melhores e grandiosos que qualquer pessoa, e Jesus Cristo significa Jesus, o Escolhido de Deus.

Outra coisa maravilhosa que aconteceu foi o aparecimento de uma estrela a mais no céu. Havia três sábios reis que viviam bem longe no Oriente, e ao ver a estrela, e por serem sábios, reconheceram seu significado. Então eles partiram para Belém, guiados pela estrela, para renderem tributos a Jesus. Isto mostra quão sábios eles eram, porque apesar de serem reis, eles sabiam que o Mensageiro de Deus era mais importante do que eles. Um deles era da raça negra, o outro da amarela e o último era da branca, e eles trouxeram presentes maravilhosos de ouro e perfumes e vários temperos. Eles vieram ao estábulo e se ajoelharam perante Jesus, e ofertaram seus presentes, e ficaram muito contentes quando Maria os aceitou, porque é claro, Jesus era só um bebê e não podia aceitar os presentes por Si próprio.

Jesus e os Apóstolos

José era um carpinteiro. Então, ao crescer, Jesus tornou- Se um carpinteiro também, e costumava ajudá-lo na marcenaria.

Ele continuou fazendo isso até se tornar um adulto, e era tão bom e tão gentil e sábio que todos sabiam que Ele deveria ser uma Pessoa muito especial.

Um dia Ele deixou de ser um carpinteiro e disse: "Eu devo agora cuidar dos negócios do meu Pai." Com isso, Ele queria dizer que o tempo havia chegado para Ele dizer a mensagem que Deus lhe havia dado. Ele sempre chamou Deus de Seu Pai, e dizia que tudo o que fazia era porque Deus falou para fazer.

Bem, antes de tudo, Jesus partiu sozinho por quarenta dias e quarenta noites para algum lugar além do Monte das Oliveiras. E durante este tempo, Ele se preparou para fazer o trabalho que Deus queria que Ele fizesse. Quando vocês têm algo a fazer que realmente tem que ser feito, e é muito difícil, vocês primeiro devem pensar sobre o trabalho e depois decidir o que fazer, e não se esqueçam de pedir a Deus para lhes ajudar. Então, devem ir e fazer o que decidiram. Isto foi o que Jesus fez, e no fim, apesar de todos estarem contra Ele, nunca parou de fazer o que Deus mandou.

Quando Ele desceu da montanha, uma das primeiras coisas que fez foi escolher doze apóstolos. Ele foi ao litoral e os escolheu. O mar era chamado de Galiléia e na costa havia muitos pescadores remendando suas redes. Jesus andou entre eles e disse para um: "Venha comigo", e para outro: "Siga-me"; até que Ele havia escolhido doze. E Ele era tão maravilhoso, e fez com que se sentissem tão felizes, que todos eles deixaram suas redes de pesca e O seguiram.

Jesus disse a eles quem Ele era e eles disseram, "Sim, Você é Jesus Cristo, nós vamos aprender a mensagem que Você tem para dar, e vamos fazer o que Você nos disser para fazer." Eles eram todos homens pobres, e não tinham tido muito estudo, mas Jesus os escolheu porque eram sinceros e amavam a Deus. E porque Ele era Cristo, o Escolhido de Deus, e O amavam tanto, que todos O serviam fielmente, exceto um, que foi um traidor; mas esta é outra história que vocês deverão escutar mais adiante.

Os apóstolos tinham nomes como Jaime e João, Simão e Bartolomeu e Judas, o traidor. Um deles era irmão de Jesus, que Ele amava em especial. E eles foram as primeiras pessoas a acreditar nEle.

A Mensagem de Jesus

Após conversar com os apóstolos, Jesus partiu passando por todos os vilarejos da Palestina e falou às pessoas o que Deus havia mandado dizer. Os apóstolos foram com Ele.

Multidões e multidões de pessoas costumavam vir para ouvi-Lo, e todos viram que Ele era uma pessoa muito santa. Eles costumavam trazer pessoas doentes para vê-Lo, e Ele colocava as Suas mãos sobre elas e elas melhoravam.

A mensagem de Jesus foi esta: "Deus ama a todos vocês porque vocês são Seus filhos, e Ele quer que vocês O amem para que vocês possam ser felizes e ir para o céu." Ele também disse: "O céu é um mistério, mas é onde Deus está. Então, estar no céu é na verdade estar com Deus. E vocês podem estar com Ele neste mundo, porque Ele está em todos os lugares."

Ele disse que deveriam obedecer às leis que Moisés havia dado, mas não precisavam ser tão rigorosos sobre não realizar nenhum trabalho no Sabbath. Algumas coisas precisavam ser feitas, como fazer as camas e alimentar as galinhas e cuidar dos animais, e que Deus não ficaria bravo de jeito nenhum. Ele só queria que descansássemos e que naquele dia as crianças não precisavam ir à escola ou os adultos irem trabalhar, e assim haveria tempo para pensar sobre Deus. Apenas para mostrar-lhes, Jesus costumava fazer algumas coisas no Sabbath, como ajudar as pessoas doentes, ou deixar os apóstolos pegarem frutas nas hortas.

Uma parte especial desta mensagem era esta: "Ame a seu próximo como a você mesmo." E isso significa tratar todo mundo do mesmo jeito que vocês gostariam que eles tratassem vocês. Amar a seu próximo realmente significa ser gentil e educado, manter sua promessa, fazer coisas pelas outras pessoas, e nunca contar mentiras sobre elas. Todas essas coisas são amor ao próximo, e Jesus quer que você tente fazer isso. Dizendo "seu próximo" Ele não queria dizer somente sobre as pessoas que moram perto de você, mas todos os seres humanos.

Mas a parte mais importante da Sua mensagem era essa. Ele disse: "Vocês tem de nascer novamente." Mas isso soa muito engraçado, não é? E as pessoas não conseguiam entender nada, então Jesus explicou para elas.

Ele não queria dizer que vocês devem nascer de novo com um pai e uma mãe novos, mas que vocês devem conhecer a Deus. Porque Ele disse que todos nós temos um espírito, o qual nós não podemos ver, mas é a nossa verdadeira parte. E quando nos tornamos velhos e morremos, nossa alma ainda vive. Então, nosso espírito deve nascer também, e aí viveremos para sempre, mesmo quando nossos corpos estiverem mortos.

E este é o significado de nascer de novo. Significa que nosso espírito reconhece a Deus através de Seus Mensageiros, e então, quando nosso corpo morre, continuamos vivendo em um outro mundo. Isto não é maravilhoso?

Por isso, é tão importante se esforçar bastante neste mundo. Porque se vocês se esforçarem bastante aqui, e forem amáveis e bons, vocês nascerão de novo e irão para o céu, onde vocês estarão mais perto de Deus, e quem sabe, poderão até estar com Seus belos Mensageiros!

Jesus amava muito às crianças. Ele sempre falava com elas, e uma vez quando alguém não estava deixando alguns meninos e meninas falarem com Ele, disse: "Vocês devem sempre deixar as criancinhas virem e falar comigo."

Viram? Ele realmente as amava. E ama a vocês também, porque onde Ele está, sabe tudo sobre vocês. Então, quando vocês acharem difícil fazer as coisas que Ele disse, pensem como Ele ficará satisfeito se vocês conseguirem.

As Parábolas

Jesus costumava contar histórias para os apóstolos e para as pessoas, mas por serem histórias especiais e terem um significado, elas eram chamadas de parábolas (que é só uma palavra grande para uma história com um significado).

Eu vou contar uma para vocês agora.

Era uma vez, um homem rico que tinha dois filhos. Um dia, o mais novo disse ao seu pai: "Pai, eu quero ir embora, então me dê a minha parte de tudo e deixe-me ir." Então, seu pai lhe deu a sua parte e ele foi embora.

Ele viajou para longe e gastou todo o seu dinheiro com seu próprio prazer, e nunca trabalhou, até o dia que não tinha mais nenhum dinheiro. Então, ele tentou arrumar um emprego; mas ninguém queria lhe dar, porque ele não havia aprendido a ser um carpinteiro ou um ferreiro, ou um artesão, ou qualquer coisa, não sabia fazer nada. No fim, ele estava tão faminto que costumava comer a comida dada aos porcos. E, finalmente, ele estava tão miserável que não sabia o que fazer.

Então, disse a si mesmo: "Eu vou ao meu pai e vou lhe dizer como estive mal, e que eu não sou bom o bastante para ser seu filho, e pedir a ele para que faça de mim um de seus servos." Ele se sentiu um pouco melhor e partiu.

Seu pai nunca o havia esquecido, e, freqüentemente, costumava olhar pela janela para ver se ele estava voltando, mas ele nunca voltava. E então um dia, seu pai o avistou a uma grande distância; ele estava aos trapos, faminto e sujo, mas seu pai o reconhecera. Então, ele se sentiu muito feliz e chamou seus servos para prepararem uma grande festa e trouxessem roupas novas. Ele correu pela estrada ao encontro do seu filho e estava tão feliz que chorou, e não ouviu nada do que seu filho estava dizendo. Ele o trouxe pela porta da frente e lhe deu um banho quente e roupas boas e chamou todos para uma festa, dizendo: "Regozijem-se comigo, meu filho que estava perdido foi encontrado de novo."

Porém, o irmão mais velho não gostou muito. Ele pensou: Eu fiquei em casa o tempo todo e cuidei das coisas e fiz o que meu pai queria, e agora, meu irmão mais novo, que esteve fora e se divertiu, volta desonrado e ganha toda essa atenção.

Bem, não podemos achar que ele era mau, pois logo ele se alegrou, porque apesar de seu irmão ter se divertido, ele esteve em condições miseráveis. E porque amava seu irmão, estava feliz por vê-lo novamente em casa, são e salvo.

Agora, esta é uma boa história, não é? E é isto que ela significa. Não importa quão mau você tenha sido, ou o que você tenha feito, se você admitir e aceitar que errou, Deus vai lhe perdoar e lhe dar um novo começo.

Ninguém podia contar uma história como Jesus. Existem muitas mais, as quais vocês vão ouvir um dia, e poderão ler todas elas por vocês mesmos quando tiverem idade suficiente, se é que já não tem.

Jesus e a Cruz

Havia muitas pessoas perversas vivendo quando Jesus estava na Terra. Elas eram tão más que não O escutavam e faziam tudo o que podiam para deixá-Lo infeliz.

Eles costumavam rir dEle e xingá-Lo e dizer aos outros para não escutá-Lo, e havia aqueles ignorantes que não queriam escuta-Lo, mesmo sabendo que era um Mensageiro de Deus que estava falando.

Eles tentaram colocá-Lo em problemas com os romanos fazendo-O falar algo de ruim sobre César, o imperador romano. Mas, como vocês sabem Jesus nunca disse coisas ruins sobre as pessoas pelas costas, e Ele disse-lhes para obedecerem a César. Bem, isto era justamente o que eles não queriam fazer, então eles fizeram um plano para pegar Jesus e matá-Lo.

Jesus sabia que eles iriam fazer isto, mas Ele não tinha medo. Então, as pessoas perversas foram a Judas e lhe deram trinta moedas de prata para ajudar a prender Jesus. E foi assim que Judas se tornou um traidor.

Eles levaram Jesus diante do governador romano e disseram que queriam matá-Lo, porque Ele havia quebrado a lei. O nome do governador era Pôncio Pilatos e sua esposa era chamada Claudia. Pôncio Pilatos disse a eles: "Eu não vejo nenhum mal neste homem." Mas, eles insistiram em dizer que Ele deveria ser morto. E então, Claudia disse a Pôncio Pilatos: "Você deve deixar Ele ir, porque Ele não fez nada de errado." Claudia podia ver que Jesus não era um homem normal, e por isso, ela falou em Seu favor. Mas, Pôncio Pilatos sabia que as pessoas perversas causariam um monte de problemas se ele deixasse Jesus ir; então, no fim, ele disse: "Levem Ele embora e façam o que quiserem."

Então, ele entregou Jesus aos soldados, que não eram homens maus, mas tinham de fazer o que lhes era mandado. Primeiro, eles bateram em Jesus e depois fizeram uma grande cruz e O obrigaram a carregá-la até o topo de uma montanha fora de Jerusalém. Quando eles chegaram lá, pregaram Jesus na cruz que Ele mesmo carregou, com Seus braços estendidos e Seus pés cruzados, e fincaram a cruz no chão para que ficasse de pé com Jesus pregado nela.

Esta parte da história é muito triste e terrível, mas foi isso que aconteceu. Depois de um tempo, um dos soldados dirigiu sua lança na direção de Jesus, para que Ele pudesse morrer mais rápido, porque é terrível morrer lentamente sentindo dores o tempo todo. Então, o soldado realmente fez isso por bondade.

Enquanto Jesus estava na cruz, Ele fez uma oração para todas as pessoas que estavam sendo tão perversas. E isto foi o que Ele disse: "Pai, perdoa-os; eles não sabem o que fazem."

Então Jesus, o belo Mensageiro de Deus, foi morto, mas Seu Espírito foi ao céu, e mais tarde, todo mundo no grande Império Romano acreditou nEle. O que só mostra que o que Ele falou era verdade, e quando as pessoas entenderam o que havia acontecido, elas sentiram muito, e tentaram fazer o que Jesus havia pedido, por um tempo.

Antes de partir, Jesus prometeu que um dia Deus enviaria Cristo de novo. Vocês se lembram que Cristo significa "o Escolhido de Deus", então, Jesus disse que um dia "o Escolhido de Deus" viria de novo, e até hoje, muitas pessoas O esperam.

Então, lembrem-se quão maravilhoso Jesus foi, e como irão agradá-Lo quando forem bons meninos e boas meninas.

A História de Muhammad
Muhammad e os Ídolos

Era uma vez, num país chamado Arábia, pessoas que não sabiam nada sobre Deus. Elas ouviram um pouco sobre Moisés e Jesus, mas não deram muita importância.

Elas adoravam ídolos, mas se você não sabe sobre Deus, você sempre fará coisas assim. Algumas pessoas costumavam adorar o sol, e o vento, e as montanhas; mas essas pessoas na Arábia costumavam criar formas diferentes com pedaços de madeira e adorá-las. E isso é chamado de fazer ídolos.

Por não saberem sobre o verdadeiro Deus, estavam sempre brigando, e eram muito cruéis e sujos, e quase não tinham tempo para trabalhar, de tanto que brigavam. Eles eram muito pobres também, porque se você não trabalhar sempre será pobre.

Eles viviam no deserto e comiam tâmaras e azeitonas, e cuidavam de bodes e camelos. Eles eram muito cruéis com as mulheres e mesmo com as meninas, e às vezes, as abandonavam no deserto.

Bem, é claro que Deus sabia tudo sobre eles, então, Ele mandou um Mensageiro para ajudá-los, para que pudessem parar de adorar ídolos e aprendessem a ser gentis e justos, e fossem trabalhar ao invés de brigar o tempo todo. O nome do Mensageiro que Deus enviou era Muhammad, que morava numa cidade chamada Meca.

Muhammad era um condutor de camelos, e costumava viajar através do deserto com Sua longa fileira de camelos, porque era assim que os árabes carregavam suas coisas, pois não havia trens ou carros naqueles dias. Ele era muito gentil e puro, e ficou triste ao ver quão cruel e sujo seu povo era.

Então, quando chegou o tempo, Deus contou a Muhammad o que dizer, e Ele foi às pessoas e disse isso: "Vocês devem acreditar em Moisés e devem acreditar em Jesus, porque Eles vieram de Deus. Só existe um Deus e vocês não podem vê-Lo, mas Ele pode ver vocês. Os ídolos que vocês fizeram são apenas pedaços de madeira, e Deus irá quebrar todos eles."

Quando ouviram isso, os Árabes ficaram muito zangados, porque as pessoas nunca gostam de ouvir ou fazer coisas contrárias aos seus desejos imediatos, mesmo que sejam melhores para elas. Algumas crianças não gostam muito de tomar banho, e outras não gostam de ir para a cama cedo, apesar de ser bom para elas. Bem, os árabes não queriam perder seus ídolos que havia sido feito por eles mesmos; eles achavam que os ídolos podiam ajudá-los, mas é claro que na verdade eles não podiam fazer nada, a não ser continuar sendo pedaços de madeira.

Então, levou um longo tempo para que Muhammad pudesse explicar sobre Deus. Disse que Ele era um Mensageiro de Deus, e foi chamado de Seu Profeta. Ele os ensinou a dizer: "Existe apenas um Deus e Muhammad é o Seu Profeta!" - e até hoje existem milhões de pessoas que ainda dizem isso. Mas naquele tempo, somente um ou dois deram ouvidos a Ele. Eles não queriam aprender a ser, por si mesmos, pessoas melhores e foram muito cruéis com Muhammad. Mas Ele não se incomodou com isso, porque Ele sabia que era um Mensageiro de Deus, e no fim as pessoas têm que fazer o que Deus quer.

Uma noite, Muhammad foi ao lugar onde eles guardavam os ídolos, e com um grande machado quebrou todos eles. Agora vocês devem ter pensado que isso mostrou a eles o quanto Deus era maior do que os ídolos, porém os deixou muito zangados, o que mostra o quão estúpidos eles eram, porque afinal, pedaços de madeira não servem para nada a não ser para serem transformados em lenha para a fogueira.

Muhammad em Medina

As pessoas eram tão más e cruéis que tentaram matar Muhammad. Então, Ele deixou o Seu lar e foi para uma cidade chamada Medina, aonde Seus discípulos estavam.

Porém, na saída da cidade de Meca, Ele entrou numa caverna e ficou lá por três dias. Seus inimigos saíram à Sua procura, querendo matá-Lo. Quando eles viram a caverna, foram até lá com a intenção de entrar e olhar. Mas havia uma aranha na entrada da caverna, e tão logo Muhammad havia entrado, a aranha teceu uma teia na entrada. Quando os homens maus, que queriam matá-Lo, viram a teia da aranha disseram: "Ele não pode estar aqui, porque a teia está intacta, e ninguém pode ter entrado sem tê-la rompida." Então, eles se foram e procuraram em outro lugar. E foi assim que Deus usou uma aranha para ajudar Muhammad.

Quando Muhammad chegou a Medina, disseram-Lhe que Seus inimigos estavam vindo para queimar a cidade e matar a todos, só porque aquele povo acreditava nEle. Havia um grande número de mulheres e crianças em Medina, então Muhammad disse aos homens: "Vocês devem cavar uma trincheira ao redor da cidade e lutar contra os inimigos quando eles vierem, desta forma impedindo que eles matem alguém." Mas, Ele lhes disse: "Vocês não podem atacá-los, somente defender-se e às suas esposas e filhos."

Então, eles cavaram a trincheira e ficaram prontos. Muhammad combinou com algumas pessoas numa cidade próxima para enviarem comida e bebida a Medina, e eles prometeram que enviariam, mesmo que os inimigos tentassem pará-los.

Bem, os inimigos vieram com suas espadas para tentar matar todos os amigos de Muhammad, mas eles não conseguiram passar da trincheira porque os homens eram muito valentes. Porém, as pessoas na cidade próxima quebraram sua promessa e não mandaram nenhuma comida para Medina. Então, Muhammad disse a Seus seguidores: "Nós estamos em difícil situação com o inimigo à nossa volta e sem nenhuma comida ou bebida. Mas não temam, Deus nos ajudará." Depois Ele disse: "Nós precisamos expulsar o inimigo." Então, eles saíram da trincheira, e apesar de não serem muitos, seguiram direto para cima dos inimigos, que eram muitos, e por fim conseguiram expulsá-los.

Então, Muhammad foi à cidade onde as pessoas haviam quebrado a sua promessa. Ele chamou os chefes da cidade e lhes disse que foi muita maldade quebrar a promessa e que deveriam ser punidos. Muhammad fez com que todos deixassem aquela cidade e fossem para outro país. Ele mandou destruir a cidade para que nenhum traço deles restasse, porque após a maldade que aqueles moradores fizeram, aquela cidade se tornou desgraçada.

Muhammad era muito rigoroso, como vocês vêem. Ele tinha que ser porque as pessoas eram muito ignorantes e cruéis e isso era para o bem delas. Se Ele não tivesse sido tão rigoroso, eles nunca teriam melhorado. Mas Ele era muito gentil e misericordioso também.

O primo de Muhammad chamava-se 'Alí. Ele era um grande homem e um grande guerreiro, e ele costumava liderar os muçulmanos nas batalhas. Eles tinham uma bandeira negra a qual chamavam de Estandarte Negro, e eles costumavam ir à batalha invocando o nome de Deus, o que na sua língua é "Alláh". E quando eles lutavam para manter a lei e a ordem, sempre ganhavam. Muitos anos depois, eles começaram a lutar por fins egoístas, e então, passaram a perder porque nestes casos Deus não está com eles.

Os Ensinamentos de Muhammad

Os ensinamentos de Muhammad foram colocados num Livro chamado Alcorão. É como a Bíblia e tem tudo sobre Moisés e os Filhos de Israel, e Jesus e João Batista. E até hoje, milhões de pessoas o lêem e aprendem sobre Deus através dele.

Muhammad ensinou muitas coisas, mas as mais importantes eram essas:

• Amar e adorar a Deus;
• Nunca pôr nada no lugar de Deus (como ídolos);

• Reverenciar Moisés e Jesus porque eles eram Mensageiros de Deus;

• Ser gentil e educado com as mulheres;

• Sempre dar as boas vindas aos convidados e dividir as coisas com eles;

• Sempre manter uma promessa;
• Sempre dizer a verdade;
• Ser obediente;
• Rezar para Deus todos os dias.

• Ele também falou aos Seus seguidores para serem especialmente gentis com os cristãos e judeus, ainda que eles não acreditassem nEle, porque Deus havia lhes mandado um Mensageiro e eles tinham um Livro. Vocês sabem que Livro os cristãos têm? É o Livro de Jesus e é chamado de Evangelho. O Livro dos judeus é o Velho Testamento e é chamado de Tora. O Livro dos muçulmanos é o Alcorão. Eles são todos livros sagrados e vêm de Deus.

Hoje, há milhões de pessoas que acreditam em Muhammad, e eles vivem nos mais diferentes países, como Egito, Turquia, Arábia, Marrocos, Irã, Índia, Iraque, Síria, Israel. Você pode achá-los, todos no mapa, se você procurar.

Antes de Muhammad partir deste mundo, Ele disse às pessoas que um dia Deus mandaria um outro Mensageiro que faria todos no mundo serem amigos uns dos outros, e que esse tempo seria o maior e melhor tempo de todos.

Então, todas aquelas pessoas que eram ignorantes e cruéis ficaram sabendo sobre Deus por causa de Muhammad, e eles cresceram melhores e se tornaram um grande povo, com escolas e universidades e bibliotecas, e casas lindas e belas mesquitas, que são os templos dos muçulmanos.

A História do Báb

Se você olhar no mapa da Ásia, você vai achar à esquerda da Índia, um grande país chamado Irã, antiga Pérsia. Ele é muito, muito antigo e tem uma história maravilhosa.

Quando D. Pedro II era o rei do Brasil, a Pérsia estava em péssimo estado. As pessoas eram preguiçosas e desonestas, e o rei, que era chamado de xá, só se importava com os seus prazeres e roupas finas e se divertir. Eles eram seguidores de Muhammad, mas haviam esquecido o que Ele havia ensinado, e não eram nem um pouco bons. O que mostra que não é o bastante dizer que acredita em Deus, vocês devem ser bons também.

Mas apesar das pessoas da Pérsia serem tão más, as outras pessoas do mundo, não eram muito melhores. Todo o mundo estava se afastando de Deus e pensando somente em ganhar dinheiro, e ninguém ligava para os pobres, que eram muitos.

Então vocês podem imaginar o que aconteceu, não podem? Deus viu tudo ficando pior e pior, e por isso enviou um Mensageiro para ajudá-los. Mas desta vez uma mensagem muito especial deveria ser dada.

O Mensageiro que Ele enviou foi chamado de O Báb, e Ele nasceu na Pérsia. Sua cidade natal era Shíráz, a qual é famosa por suas belas rosas. O Báb era um mercador de tecidos e trabalhava na loja do Seu tio. Ele tinha cabelos e olhos escuros, um rosto pálido e uma estatura mediana, e quando você olhava para Ele você sabia que era uma Pessoa muito santa. Ele usava um turbante verde em Sua cabeça para mostrar que Ele era descendente de Muhammad. Seu nome, o Báb, significa A Porta.

Ele era muito jovem quando falou às pessoas sobre a Mensagem que Deus havia dado a Ele. Mas as pessoas eram tão más que não acreditavam nEle, e O colocaram na prisão e mataram Seus seguidores. Mas o Báb continuou falando às pessoas o que Deus disse a Ele, e muitos acreditaram nEle e O seguiram.

E mesmo Seus inimigos admitiram que Ele era diferente das outras pessoas. Ele era muito bom para com todos, muito modesto e valente. Os soldados que foram mandados para levá-Lo à morte, não queriam fazê-lo, mas Ele lhes disse que era o dever deles. Ele era o tipo de pessoa, que assim que você O visse, você saberia que O amaria. E por causa disso, Ele era chamado de "O Encantador de Corações".

O Báb amava cavalos e era um cavaleiro muito bom. Quando foi levado como prisioneiro, Ele viajou através da Pérsia montado num cavalo, acampando à noite com os soldados. Em um lugar, havia um cavalo muito selvagem, árabe, que ninguém conseguia montar. Mas o Báb fazendo um carinho na sua cabeça e com Sua voz suave, o animal se acalmou na hora, e aí o Báb cavalgou belamente.

Durante esta jornada, as pessoas costumavam vir em silêncio à noite para o acampamento só para ouví-Lo abençoá-las com Sua linda voz.

Quando Ele estava na prisão de Máh-kú, não tinha nem uma vela para iluminar Sua cela à noite e é por isso que o local onde, hoje, está enterrado, o Seu Santuário em Haifa, fica todo iluminado à noite e sua cúpula dourada parece brilhar como ouro.

Há muitas coisas emocionantes que aconteceram, e vocês poderão ler sobre elas quando crescerem.

Em breve, o Báb teria tantos seguidores, que os sacerdotes malvados e aqueles que os seguiam, decidiram matá-Lo. Então, eles O trouxeram para Tabríz. Lá ele andou pelas ruas até o quartel, e milhares de pessoas se amontoavam em cima das casas para ver o que iria acontecer. Na Pérsia, o telhado das casas é plano, e as pessoas sobem lá todos os dias, da mesma forma que você vai ao jardim.

Vocês se lembram do que aconteceu com Jesus; como eles O entregaram aos romanos para ser crucificado. Bem, foi quase a mesma coisa com o Báb. Eles sabiam que Ele era bom e santo, mas por serem tão malvados, eles O entregaram aos soldados para ser executado.

Então, ali na praça do quartel, eles O amarraram numa corda presa por um prego na parede. Um jovem discípulo que não queria ser separado do Báb foi amarrado junto à Ele, e o Báb lhe prometeu que iriam para o céu juntos. Os soldados se alinharam, setecentos e cinqüenta deles, e abriram fogo com seus rifles. Quando a fumaça se dispersou, todos suspiraram pasmos. O Báb havia desaparecido.

Muitas pessoas estavam com medo quando viram o que aconteceu. As balas dos soldados tinham apenas cortado as cordas que haviam amarrado o Báb e Seu discípulo, e não os machucando de jeito nenhum. Eles acharam o Báb num quarto do quartel, terminando uma conversa com outro de Seus discípulos. Ele terminou de falar e então disse: "Agora estou pronto." Então, eles O levaram junto com Seu amigo (seu nome era Anís) para fora e mais uma vez foram amarrados. Mas os soldados não queriam atirar pela segunda vez, pois disseram que era um sinal de Deus o fato de suas balas terem apenas cortado as cordas. Então, outro regimento teve de ser encontrado, e desta vez eles atiraram no Báb e em Seu devotado discípulo até a morte.

Logo depois, uma grande tempestade de poeira se formou, e não se podia ver o sol, ou mesmo o outro lado da rua, de tão escuro que estava.

E o belo e doce Báb, que trouxe uma mensagem de Deus, foi morto pelos perversos homens. Mas a Sua Causa triunfou, como vocês verão.

A Mensagem do Báb

A mensagem do Báb era muito especial. Ele não somente chamou as pessoas para se voltarem para Deus, mas lhes disse que todas as promessas que os Mensageiros tinham feito no passado estavam próximas de acontecer. Ele disse que um novo e maravilhoso tempo estava prestes a começar.

Se você leu todas essas histórias, você sabe que todos os Mensageiros de Deus prometeram que, um dia, Deus enviaria um outro grande Mensageiro. Krishna, Zoroastro e Moisés prometeram isso; assim como Buda; e assim como Jesus e Muhammad. Bem, o Báb disse que o tempo era chegado, e esse Mensageiro especial viria logo após Ele. E porque todas as pessoas do mundo O esperavam, Ele seria "O Prometido de Todas as Eras". O Báb, O chamava de "Aquele que Deus tornará manifesto" ("tornar manifesto" significa fazer com que Ele apareça para que todos possam vê-Lo).

Era muito emocionante, e o Báb falou às pessoas para estarem prontas e esperar por Ele, pois Ele chegaria muito em breve. Seu nome era Bahá'u'lláh.

A História de Bahá'u'lláh
O Prometido

Bahá'u'lláh estava vivendo na Pérsia na mesma época em que o Báb estava ensinando as pessoas. Ele nasceu numa família nobre e era muito rico.

Quando era criança, foi mandado à escola, mas os professores diziam que Ele sabia mais que eles próprios. Isto foi muito antes dEle se tornar famoso por causa de Sua sabedoria e bondade. Ele sempre ajudava as pessoas que estavam com dificuldades, e tomou o partido dos fracos contra os fortes, e ninguém jamais Lhe pediu ajuda sem que a conseguisse.

Quando Ele era jovem, alguém veio a Ele e Lhe falou sobre o Báb, e no mesmo instante Ele disse: "Sim; isto é verdade, eu vou ajudar." E Ele ajudou.

Como vocês sabem, havia um grande número de pessoas perversas na Pérsia naquele tempo, e eles não queriam que as coisas melhorassem; as pessoas más nunca querem mudar suas atitudes, e foi por isso que eles mataram o Báb. Mas Bahá'u'lláh continuou ajudando Seus seguidores, tanto que as perversas pessoas decidiram tentar se livrar dEle também.

Então, eles O colocaram na prisão e O deixaram lá por quatro longos meses. Era um lugar horrível, muito úmido e sem ar fresco, sem camas ou cadeiras ou qualquer coisa assim. Não havia nem mesmo nenhuma água para se lavar. Era só uma grande cova, num subsolo, com muitos prisioneiros. Eles colocaram correntes em Bahá'u'lláh, ao redor dos Seus pés e ao redor do Seu pescoço. Alguns de Seus amigos foram colocados na prisão com Ele e, um por um, foram sendo sentenciados à morte. Então, vocês podem ver quão malvadas as pessoas eram, e quão valente Bahá'u'lláh foi.

Enquanto Ele estava na prisão, uma coisa muito importante aconteceu. Bahá'u'lláh escreveu sobre tudo isso, e quando vocês crescerem poderão saber mais, e só então, poderão entender quão maravilhoso foi, e quão grandioso e santo Bahá'u'lláh é. Eu vou lhes dizer algumas coisas que Ele escreveu. Agora, essa é a Palavra de Bahá'u'lláh, então, sentem-se direitinho e escutem com atenção:

"Certa noite, em um sonho, estas excelsas palavras fizeram-se ouvir: 'Em verdade, Nós Te faremos vitorioso por Ti mesmo e por Tua pena. Não Te lamentes por aquilo que Te sucedeu, nem tenhas medo, pois estais em segurança.'"

"Palavras excelsas" significa palavras muito sagradas, e elas foram realmente ditas por Deus, e elas significam que Deus estava fazendo de Bahá'u'lláh Seu Mensageiro, e dando-Lhe força e conhecimento.

Uma vez, Bahá'u'lláh viu uma bela donzela, como um anjo, voando acima dEle, e Ele escreveu: " Apontando com seu dedo para Minha cabeça, ela dirigiu-se a todos que estavam no céu e a todos que estavam sobre a Terra, dizendo: 'Por Deus! Este é o Mais Amado de todos os mundos... Ele representa a Formosura de Deus entre vós... Ele representa o Mistério de Deus e Seu Tesouro...'"

Então, Bahá'u'lláh soube que Ele era o Mensageiro de Deus, e também que nunca mais teria conforto ou riqueza, mas seria maltratado e açoitado e zombado, mas não se importava porque Deus estava com Ele. E Deus Lhe contou o que fazer e o que dizer.

Logo depois disso, Ele saiu daquela terrível prisão, e as pessoas malvadas decidiram mandá-Lo para longe. Então, eles tomaram todo o Seu dinheiro e bens e O mandaram para fora das terras da Pérsia, para um país vizinho, num lugar chamado Bagdá.

Apenas pensem que coisa mais cruel era. Supondo que vocês fossem mandados para fora de casa e proibidos de voltarem para sempre, vocês não iam gostar muito, iam? Bem, essa foi apenas uma das coisas que Bahá'u'lláh suportou com paciência, porque Ele nos ama e quer nos mostrar como fazer do mundo um lugar bom e alegre.

Outras coisas terríveis aconteceram com Ele; foi chicoteado com varas, e pessoas atiraram pedras nEle; foi envenenado e outros tentaram matá-Lo. E em quase toda a Sua vida, esteve na prisão e as marcas das correntes podiam ser vistas no Seu pescoço e tornozelos até o dia de Sua morte. Ele suportou tudo isso por nós porque Ele nos amava tanto que não Se importava com o que acontecia com Si próprio, contanto que nós pudéssemos saber da Mensagem que Deus havia dado a Ele para nos dizer.

No Deserto

Quando Bahá'u'lláh chegou a Bagdá, com Sua família e alguns amigos, Ele viu que alguns seguidores do Báb estavam lá também. E eles estavam muito alegres em vê-Lo. Após ter descansado da longa jornada, Ele começou a ensiná-los, e a melhorar suas maneiras e comportamento. Porque Ele sempre disse que é muito importante ser educado e ter um bom caráter.

Mas, então, um novo julgamento começou. Vocês se lembram na história de Jesus como um dos discípulos foi um traidor. Bem, a mesma coisa aconteceu a Bahá'u'lláh. Seu próprio irmão, um homem chamado Azal, foi o traidor, e fez de tudo para ferir Bahá'u'lláh.

Então, Bahá'u'lláh, não querendo ser a causa de problemas, partiu para as montanhas desertas do Curdistão, sem avisar ninguém, e viveu sozinho como um eremita (uma pessoa que vive isolada de todos). Ele esteve lá por dois anos, vivendo de frutas e do leite de uma pequena cabra que os homens da tribo haviam Lhe dado. Ele dormiu dentro de cavernas e às vezes, ao ar livre, somente com as estrelas sobre Ele. E durante esse tempo, Ele se preparou para Seu grande trabalho, e Deus Lhe deu forças o tempo todo.

As montanhas eram muito frias e acidentadas, e somente algumas pessoas viviam ali. Eles eram chamados de Curdos, e viviam da caça e cuidavam de bodes. Mas eles logo viram que Bahá'u'lláh era uma grande Pessoa, e passaram a amá-Lo em pouco tempo. Histórias sobre um sábio e maravilhoso Homem, que era gentil e muito digno, foram contadas em toda a região daquelas montanhas, e claro, elas eram todas sobre Bahá'u'lláh.

Um caçador voltando para casa, encontrou um pastor. Um disse ao outro: "Você ouviu sobre o Sábio?" E ou outro respondeu: "Não. Quem é Ele?" E o primeiro homem disse: "Ninguém sabe, mas Ele é muito sábio e responde às perguntas de todo mundo. Ele lê e escreve como um grande sábio. É maravilhoso olhar para Ele, pois mesmo usando as roupas de um eremita, Ele parece um rei, e é calmo, gentil e forte." E eles continuaram andando pensando nEle.

Um dia, um garotinho estava indo para a escola e estava chorando. De repente, ele viu um homem maravilhoso e amável parado à sua frente, que disse:

"Por que você chora, garotinho?"

O garoto respondeu: "Meu professor mandou eu fazer uma cópia da tarefa e eu a perdi, por isso vou estar encrencado."

Bahá'u'lláh, como vocês mesmos adivinharam ser Ele, disse: "Não chore, eu vou arrumar uma cópia para você." E Ele escreveu a cópia no caderno do garotinho, e secou suas lágrimas, e o mandou para a escola sorrindo e feliz de novo.

O garotinho mostrou a cópia para o professor, e o professor falou: "Onde você arranjou esta cópia?"

Quando ele ouviu a história do garotinho, ele disse: "Este não é um eremita normal. Esta caligrafia é de alguém da realeza."

Bagdá ficava a uma grande distância, mas as histórias sobre o maravilhoso eremita nas montanhas foram ouvidas lá. Agora, os amigos de Bahá'u'lláh estavam esperando ansiosamente para que Ele voltasse, para ajudá-los e ensiná-los de novo. Então, quando eles escutaram as histórias que vinham das montanhas, eles imaginaram que eram sobre Bahá'u'lláh, e alguns deles foram procurá-Lo e imploraram para que Ele voltasse.

Bem, eles O acharam, e Ele voltou, e por um tempo, todos estavam felizes. Logo, pessoas de diferentes países, alguns de perto e outros de muito longe, vieram a Bagdá para ver Bahá'u'lláh, e pedir a Ele para resolver seus problemas. E Ele respondia a todas as perguntas.

O Jardim de Ridván

Agora, as pessoas malvadas que haviam mandado Bahá'u'lláh para Bagdá, estavam esperando que Ele fosse morrer ali. Mas quando eles viram que a Sua fama estava crescendo, eles ficaram com inveja de novo, e fizeram com que Ele fosse mandado para outro lugar.

Antes de partir, Bahá'u'lláh e Seus amigos se juntaram em um lugar chamado Ridván, que era um lindo jardim, e eles ficaram lá por doze dias. Durante estes doze dias, coisas maravilhosas aconteceram. Apesar de saberem que eles perderiam Bahá'u'lláh em breve, foi tão maravilhoso estar perto dEle, ainda que fosse para vê-Lo de vez em quando e ouví-Lo falar. Eles ficavam muito felizes com estes poucos momentos. Alguns deles falaram que era como se eles estivessem vivendo no céu. Todos se amavam tanto que ninguém se importava em ganhar nada para si; só queriam ver Bahá'u'lláh. Eles costumavam ficar acordados toda a noite, no caso dEle querer alguma coisa ou dizer alguma coisa, e todos os dias, traziam centenas de lindas e perfumadas rosas e as empilhavam ao redor de Sua tenda para mostrar o quanto O amavam.

Bahá'u'lláh era assim. Assim que você O visse, você se sentia melhor, e ninguém conseguia ser egoísta ou mal-humorado ou zangado ou qualquer coisa a não ser maravilhosamente feliz quando perto dEle.

Bem, a hora chegou para Bahá'u'lláh partir, e aí eles começaram a se sentir tristes, e com medo do que aconteceria com eles quando Ele partisse. Mas antes de ir embora, Bahá'u'lláh falou com eles e lhes disse para não mais se sentirem tristes, porque a promessa do Báb, havia agora se tornado realidade, e Ele, Bahá'u'lláh, era o Prometido.

Quando eles ouviram isso, se sentiram muito felizes. Suas angústias haviam se transformado em júbilo e sabiam que tudo daria certo, porque Deus havia enviado o Seu Mensageiro, o glorioso Prometido, para fazer com que todos fossem bons e felizes, e trazer paz e amizade às nações.

Mas isso não aconteceria de uma vez; haveria um monte de problemas e dificuldades primeiro, porque as pessoas do mundo haviam se esquecido de Deus, e quando isto acontece com certeza haverá problemas, lembram-se das outras histórias? Mas sabendo disto, quando vocês se tornarem jovens, poderão enfrentar melhor os problemas e vocês devem ser muito gratos a Bahá'u'lláh por isso.

Como Ele veio à Terra Santa

Bem, Bahá'u'lláh e Sua família foram levados à Turquia, e enquanto Ele estava lá, Ele disse às pessoas importantes, os embaixadores e outros no mundo inteiro, quem Ele era, e que eles deviam dar ouvidos à mensagem de Deus. Mas eles não prestaram atenção, o que só mostra quão insensíveis e arrogantes deviam ter sido.

Depois de um tempo, o rei da Turquia, que era chamado de Sultão, decidiu mandar Bahá'u'lláh para outro lugar. E desta vez, era um lugar especial. Você pode adivinhar para onde? Para a Terra Santa, e isto é muito emocionante porque todas as promessas que os Mensageiros de Deus fizeram no passado sobre "O Prometido", diziam que Ele falaria na Terra Santa. E Bahá'u'lláh foi mandado para lá pelo malvado Sultão, o que só mostra que as promessas de Deus são sempre mantidas.

Bahá'u'lláh e Sua família, e alguns de Seus amigos, foram colocados na grande prisão de Akká, que fica perto do Monte Carmelo, no litoral. Existem muitas histórias verdadeiras e emocionantes sobre esta prisão que você irá ouvir quando aprender mais sobre a história bahá'í.

Havia uma grande fortaleza em Akká, que era usada como prisão, e Bahá'u'lláh foi mandado para lá. Um dia, quem sabe, vocês poderão ver o exato quarto no qual Ele viveu por dois longos anos - a cela que Ele ficou sem sair para tomar ar fresco ou ver árvores ou pisar na grama, ou andar pelas matas, ou subir no Monte Carmelo. Mas Ele suportou tudo isso só por nossa causa, para que nós pudéssemos ouvir a Mensagem de Deus.

E foi assim que Ele veio para a Terra Santa. Eles disseram às pessoas que Ele era um homem perverso e que Seus amigos eram ladrões e assaltantes. Mas depois de um tempo, as pessoas aprenderam a conhecê-Lo melhor, e hoje, se você for a Terra Santa, eles vão lhe dizer quão maravilhoso Ele foi, e vão lhe mostrar a Sua casa e jardim e o lugar onde Ele foi aprisionado.

No Monte Carmelo

Quando Bahá'u'lláh foi mandado à prisão, Ele disse aos Seus amigos: "Não tenham medo. Eu farei minha tenda no Monte Carmelo."

Agora, os amigos em Bagdá e na Pérsia e em outros lugares, sabiam que Bahá'u'lláh estava na prisão de Akká. Então, muitos deles saíam a pé para vê-Lo. Era uma jornada longa e muito perigosa. Eles tinham que cruzar o deserto, e não ousavam mencionar que estavam indo ver Bahá'u'lláh, ou os seus inimigos os matavam. Mas eles estavam prontos para arriscar qualquer coisa, contanto que pudessem vê-Lo novamente.

Quando eles chegavam à prisão, não podiam chegar muito perto por causa dos soldados, mas eles costumavam ficar em pé e olhar para a pequena janela do quarto de Bahá'u'lláh, que tinha barras de ferro na janela, e ficava muito longe, lá no alto da prisão. Bahá'u'lláh costumava ver os amigos olhando atentamente em direção à prisão, e Ele costumava acenar com as mãos para eles através das barras. E isto era tudo que eles conseguiam ver dEle, depois de andar durante um ano inteiro.

Mas isso os fazia sentirem-se tão felizes, que eles andavam de volta para casa de novo, através do deserto, agradecendo a Deus por terem visto Bahá'u'lláh acenar para eles. Vocês vêem o quanto eles amavam Ele. Bahá'u'lláh esteve na prisão por nove longos anos, e aí, um dia Ele simplesmente saiu, e ninguém O impediu. Ele foi ao Monte Carmelo e armou Sua tenda ali, e ficou por lá durante vários dias.

Depois daquilo, Ele foi viver numa grande casa próxima a Akká, num lugar chamado de Mansão de Bahjí; e um dia vocês poderão ir lá e ver esta mansão. Muitas pessoas vieram vê-Lo quando Ele estava lá, e mesmo sendo um Prisioneiro, todos O tratavam com grande respeito e reverência.

A Mensagem de Bahá'u'lláh

A mensagem de Bahá'u'lláh, aquela que Ele trouxe de Deus, é muito especial, e significa muito para vocês e para mim.

Ele disse que a hora havia chegado para que todos no mundo sejam amigos uns dos outros, para que não haja mais lutas e guerras. Você se lembra do que Jesus disse, "ame seu próximo", não se lembra? Bem, Bahá'u'lláh explicou que todo mundo é seu próximo hoje, porque com aviões e grandes navios nós podemos ir e ver uns aos outros com certa facilidade, mesmo em países muito distantes. Algumas pessoas pensam que por elas falarem muitos idiomas e suas peles serem brancas, elas devem ser melhores que o resto do mundo. Mas Bahá'u'lláh disse que isto não importa para Deus, e quer sejamos negros como os africanos, ou amarelos como os chineses, ou marrons como os malaios, ou vermelhos como os índios, nós somos todos filhos de Deus e realmente irmãos e irmãs, porque Deus é um só e nosso único Pai e Ele ama a todos; cada um de nós.

Ter um bom caráter é o mais importante de tudo. E isto significa aprender todas as lições que os Mensageiros de Deus nos ensinaram, as quais Bahá'u'lláh nos fala novamente. Você se lembra? Sempre diga a verdade; sempre mantenha uma promessa; seja gentil e amável com todos; e especialmente nunca, nunca tenha pensamentos ruins ou sentimentos maus sobre as pessoas. Às vezes é muito difícil, mas se nós pensarmos sobre todos os testes e sofrimentos que os Mensageiros de Deus suportaram por nós, e se nós fizermos nossas orações todos os dias, nós seremos capazes de conseguir.

Isto é outra coisa que Bahá'u'lláh ensinou. Ele disse que nós devemos fazer nossas orações todos os dias. Fazer orações, na verdade, é falar com Deus, e uma vez que nós tenhamos aprendido como fazê-lo, nós iremos adorá-Lo, porque Deus nos ama e sempre nos escuta quando nós realmente pedimos. A melhor maneira é aprender as orações que Bahá'u'lláh, o Báb e 'Abdu'l-Bahá nos deram. Algumas delas são especialmente para as crianças; algumas para cura - para fazer vocês se sentirem melhor quando estiverem doentes; algumas são para ajudá-lo a ter um bom caráter; outras são para proteção - ou seja, pedir a Deus que tome conta de você; e algumas são somente para dizer a Deus o quanto você O ama. Na verdade, existem orações para tudo.

Bahá'u'lláh amava muito as crianças. Quando Seus próprios netos sabiam que iriam para um piquenique com Ele no dia seguinte, eles ficavam tão emocionados que não conseguiam dormir a noite toda. Ele costumava lhes dar roupas muito bonitas, e às vezes, alguns doces, e Ele queria sempre que eles tivessem a melhor aparência, e que sempre estivessem limpos e arrumados.

Ele fez leis especiais para as crianças, o que só mostra o quanto Ele ama todos vocês. Uma dessas leis é que meninos e meninas têm de ir à escola, para que eles cresçam inteligentes e felizes. Porque vocês serão insensíveis e ignorantes se não souberem nada. E Ele disse que todos os meninos e meninas devem aprender uma língua mundial, além da sua própria língua. A língua mundial ainda não foi escolhida, mas será em breve, e aí, todos poderão aprendê-la.

Bahá'u'lláh disse aos pais que eles têm que cuidar bem das crianças, e ensiná-las sobre Deus, e como fazer Suas orações, e todas as coisas lindas que os Mensageiros de Deus têm nos dito. E por isso, vocês devem fazer tudo o que seus pais lhes pedem, e tentar aprender todas as coisas boas que eles podem lhes ensinar.

Antes de ir para o céu, Bahá'u'lláh nos fez uma promessa e nos disse o que fazer depois dEle. Sua promessa foi de que um dia, daqui a muito, muito tempo, Deus enviaria outro Mensageiro, porque Deus nos ama tanto que ele nunca irá nos deixar sem uma mensagem.

Mas isto será muito, muito longe e enquanto isto Ele disse que depois que Ele morresse, nós deveríamos nos voltar para 'Abdu'l-Bahá e o Guardião, e à Casa Universal de Justiça - que é quem devemos obedecer hoje. Bem, a história de 'Abdu'l-Bahá vai ficar para um outro livro, mas ela é maravilhosa. O Guardião viveu na casa de 'Abdu'l-Bahá, no Monte Carmelo, e construiu belos Santuários e jardins que todos podem ver. Todos os bahá'ís do mundo voltaram-se para ele e o amavam muito. Um dia, talvez, vocês poderão ir à Terra Santa e ver os adoráveis jardins e construções que ele fez. Isso não seria maravilhoso?

Bahá'u'lláh disse que Deus fez o mundo tão bonito porque Ele quer que nós o aproveitemos e sejamos felizes, e que o dia de hoje é maravilhoso para se viver, porque é o Dia Prometido. Que sortudos nós somos por termos nascido agora, quando Bahá'u'lláh veio para fazer do mundo inteiro um só grande país, e todos os povos amigos!

Aqui está uma mensagem que Deus nos enviou através de Bahá'u'lláh, e se vocês são espertos vocês vão aprendê-la:

"Sois os frutos de uma só árvore e as folhas de um mesmo ramo.

Relacionem-se com o máximo amor e harmonia, com amizade e solidariedade."

Eu espero que vocês tenham gostado destas histórias. Quando vocês forem mais velhos, irão aprender muito mais sobre os Mensageiros de Deus e Seus maravilhosos ensinamentos. Agora é hora de dizer adeus. Tchau!

Ó meu Senhor! Ó meu Senhor!

Sou uma criança de tenra idade. Nutre-me do seio de Tua misericórdia, treina-me no regaço de Teu amor, educa-me na escola de Tua direção, e desenvolve-me à sombra de Tua generosidade! Livra-me da escuridão; torna-me uma luz brilhante; liberta-me da infelicidade, faze de mim uma flor do Teu jardim de rosas; permite que eu seja um servo de Teu limiar e concede-me a índole e a natureza dos retos; faze de mim uma fonte de graça para o mundo humano e adorna minha cabeça com o diadema da vida eterna!

Tu, em verdade, és o Poderoso, o Forte, O que vê e ouve!

'Abdu'l-Bahá

ref: Minhas primeiras preces, Editora Bahá'í do Brasil, 2002, p.5.

O sr. David Hofman foi um distinto membro da comunidade internacional bahá'í, que veio a falecer aos 94 anos em Maio de 2003, na Inglaterra.

Foi um dos nove membros eleitos da Casa Universal de Justiça, em sua primeira eleição em 1963; nela serviu por 25 anos, até 1988. A Casa Universal de Justiça escreveu, quando do seu passamento, que "ele será lembrado por sua lealdade inquestionável para com a Causa... e por sua extraordinária contribuição para com a literatura bahá'í, tanto como autor quanto editor".

Fundou a Editora George Ronald, que se especializou em livros bahá'ís, publicando edições contendo os Escritos Sagrados Bahá'ís e trabalhos das Mãos da Causa Hasan Balyuzi, Ugo Giachery, William Sears, George Townshend e Adib Taherzadeh.

Era um autor prolífico e altamente recomendado em assuntos bahá'ís. Seus livros incluem um vislumbre da vida de Bahá'u'lláh. Renascimento da Civilização - uma introdução sobre a Fé Bahá'í, também publicado pela Editora Bahá'í do Brasil, foi traduzido para 6 idiomas. Outro livro de sucesso é este - Deus e Seus Mensageiros - e também, A commentary on the Will and Testament of 'Abdu'l-Bahá.

Cidadão britânico, estava ele em Montreal, Canadá, em 1933, na casa do proeminente bahá'í sr. Maxwell, quando veio a conhecer a Fé Bahá'í. Na época era um ateu que achava que suas idéias iam criar uma nova ordem mundial. Após ouvir e ler as palavras de Bahá'u'lláh, ele disse que era como se o tivessem partido no meio, e ter que fazer uma escolha - escolheu ser bahá'í.

Depois disto mudou para Los Angeles, EUA, onde queria ser ator de cinema e serviu na instituição bahá'í maior daquela cidade - a Assembléia Espiritual Local.

De volta à Inglaterra, em 1936, foi eleito membro da Assembléia Espiritual Nacional, onde serviu por 27 anos. Foi radialista da BBC de Londres; trabalhou no Corpo de Bombeiros durante a II Guerra Mundial e depois retornou ao teatro.

Morou em Birmingham, Oxford, Cardiff e Watford, todas as cidades na Inglaterra, onde ajudou a formar comunidades bahá'ís. Nos seus últimos anos de vida, o sr. Hofman ajudou a formar outras comunidades e viajou pelo mundo dando palestras e aprofundando os bahá'ís.

Ele teve dois filhos, May e Mark e após a morte de sua primeira esposa, sra. Marion, casou-se com a sra. Kathleen.


Table of Contents: Albanian :Arabic :Belarusian :Bulgarian :Chinese_Simplified :Chinese_Traditional :Danish :Dutch :English :French :German :Hungarian :Italian :Japanese :Korean :Latvian :Norwegian :Persian :Polish :Portuguese :Romanian :Russian :Spanish :Swedish :Turkish :Ukrainian :