Announcing: BahaiPrayers.net


More Books by Ceres Araújo

Kitáb-i-Aqdas - Um estudo
Free Interfaith Software

Web - Windows - iPhone








Ceres Araújo : Kitáb-i-Aqdas - Um estudo
Kitáb-i-Aqdas
O Livro Mais Sagrado de Bahá’u’lláh
Um estudo
Ceres Araújo
Natal, RN - 1993
Programa de estudo aprovado pela
ASSEMBLÉIA NACIONAL DOS BAHÁ’ÍS DO BRASIL
Agosto de 1993
INTRODUÇÃO

O anúncio feito pela Casa Universal de Justiça em 5 de março de 1993, sobre a publicação do Kitáb-i-Aqdas.

O Kitáb-i-Aqdas, o Livro descrito pelo Guardião da Causa de Deus em termos tão exaltados como "esse tesouro de valor inestimável que abrigará para sempre, as mais brilhantes emanações da mente de Bahá'u'lláh, a Carta Magna de Sua Ordem Mundial, o principal repositório de Suas leis, o Arauto de Seu Convênio, Sua Obra central, contendo algumas de Suas mais nobres exortações, poderosos pronunciamentos e portentosas profecias, e revelado durante o período mais forte de Suas tribulações, em um tempo em que os governantes da Terra tinham-No abandonado completamente" - este Mais Sagrado Livro, temos a honra de anunciar, será, em uma tradução inglesa fartamente rica de anotações, liberado para a Comunidade de Bahá no Naw-Rúz.

As próprias designações dadas por Bahá'u'lláh ao Livro - a "Balança Infalível", o "Caminho Reto" , o "Despertador da humanidade", a "a Fonte da verdadeira felicidade" indicam sua fenomenal importância, uma importância que assombra a mente ao ser vista à luz da compreensão de que este Livro é, nas palavras de Shoghi Effendi, o "principal repositório daquela Lei que o Profeta Isaías havia previsto, e que o escritor do Apocalipse descrevera como o "novo céu" e a “nova terra", como o “tabernáculo de Deus", a “Cidade Santa ", e a "Noiva", a “Nova Jerusalém descendo de Deus".

Tais metáforas de esperança têm sido recitadas das sagradas escrituras através dos séculos, têm incendiado a imaginação e feito crescer as expectativas de um sem número de geração, e que agora, finalmente, nesta nova Dispensação, recebeu forma tangível pelo Prometido de Todas as Eras neste Livro-Mater de Sua Revelação.

A publicação do Livro em inglês cumpre uma das principais metas do Plano de Seis Anos. Além disso, porém, dá início ao cumprimento de uma visão expressa por 'Abdu'l-Bahá, que previu sua publicação em vários idiomas; realiza uma intenção acalentada por Shoghi Effendi, tendo ele próprio traduzido partes substanciais do Livro em inglês, textos que difundiu através de suas cartas e em compilações dos Escritos de Bahá'u'lláh, e que iniciara, também ações em 1955, “como um prelúdio essencial para a preparação da Sinopse e Codificação das Leis do Kitáb-i-Aqdas. Esta foi uma tarefa que obteve considerável progresso e que foi completada pela Casa Universal de Justiça em 1973, no centésimo aniversário de revelação do Livro, que ocorrera, como confirmado por Shoghi Effendi, “logo após Bahá'u'lláh ter-se transferido para casa de ‘Udi Khammar (cerca de 1873), em uma época em que Ele ainda estava sob o influxo das atribulações que Lhe eram impostas, através de atos cometidos pelos inimigos e pelos seguidores professos de Sua Fé.

O acesso dos leitores ocidentais ao Kitáb-i-Aqdas em seu texto completo e autorizado, pela primeira vez em um de seus principais idiomas, amplia enormemente a esfera de uma influência, abrindo amplamente a porta para um vasto processo de desenvolvimento individual e comunitário que deverá certamente exercer um efeito cada vez mais poderoso e transformador, nas pessoas e nações, à medida que o Livro seja traduzido posteriormente em outras línguas. O fato da erudição inglesa deste trabalho altamente valioso e incalculadamente poderoso, surgir agora em meio ao tumulto de um mundo em conflito consigo mesmo, é uma demonstração de confiança no surgimento, finalmente de uma sociedade global, pacífica e civilizada. Que ele tenha sido publicado durante o período do centenário tanto da Ascensão de seu divino Autor, como da inauguração de Seu Convênio, amplia o impacto extraordinário, já sentido, do Ano Santo que marca tão importante aniversário.

Um Livro de tão indescritível santidade é em si mesmo um símbolo da incomparável grandeza da Revelação de Bahá'u'lláh e é, na verdade, uma poderosa lembrança do elevado respeito devido a tudo aquilo que fluiu de Sua Pena prodigiosa e veraz. Que os Amigos de Deus lembrem-se sempre de sua exaltada posição entre os textos sagrados da Fé; reconhecerem-no como o pão da vida; consideram sua posse como uma honra sagrada, como um legado precioso da Pena do Mais Elevado, como uma fonte da maior misericórdia de Deus às Suas criaturas; coloquem sua inteira confiança em suas exortações; e assim transformem suas vidas de conformidade com o padrão divino.

Regozigemo-nos! Que nos tornemos plenos de espírito de felicidade evocado no anúncio da própria Abençoada Beleza no Livro Mater de Sua Dispensação, quando disse:

“Anunciamos a todos as alegres boas-novas concernentes àquilo que revelamos em Nosso Livro Mais Sagrado - um Livro do alto de cujo horizonte a estrela matutina de Meus Mandamentos brilha sobre todo o observador e sobre todo aquele que é observado”

Sejamos de tal forma apoiadores de Suas leis e princípios que possamos merecer Sua bênção gloriosamente prometida: “Bem-aventurados os que lêem. Bem aventurados os que o assimilam. Bem-aventurados os que sobre ele meditam. Bem aventurados os que ponderam sobre o seu significado. Tão vasto é o seu alcance que abarcou todos os homens antes que disso eles se apercebessem. Dentro em breve, manifestar-se-ão sobre a face da terra e a sua força soberana, a sua influência penetrante e a grandeza do seu poder.

Verdadeiramente, teu Deus é o que Tudo-Conhece, o de Tudo-Informado.

A CASA UNIVERSAL DE JUSTIÇA
Capítulo 2
"IMERGIR-SE NO ESTUDO DOS ENSINAMENTOS.” (01)
“Ó tu que rendeste tua vontade a Deus!

Por rendição do eu e perpétua união com Deus se entende que os homens devem fundir a própria vontade inteiramente na Vontade de Deus e considerar os próprios desejos como simplesmente nada à face de Seu Desígnio. Qualquer coisa que o Criador mande que Suas criaturas observem elas devem-se levantar para cumprir, diligentemente e com o maior júbilo e fervor. De modo algum, devem permitir que a fantasia lhes obscureça o juízo, nem devem considerar as próprias imaginações como sendo a voz do Eterno." (02)

Uma oração: "Peço-te pela Suprema Infalibilidade, a qual escolheste para ser o alvorecer de Tua Revelação, e por Tua mais Sublime Palavra, mediante cuja potência chamaste à existência a criação e revelaste Tua Causa, e por este Nome que fez gemerem todos os demais nomes e tremerem os membros dos sábios - peço-te que me faças desprender de tudo, menos de Ti, d.e tal modo que não me mova, senão de acordo com o beneplácito de Tua Vontade, que eu não fale, senão a mando de Teu Desígnio, e nada ouça, salvo as palavras de Teu louvor e Tua glorificação.

Magnífico Teu Nome, ó meu Deus, e a Ti rendo graças, ó meu Desejo, desde que Tu me capacitaste a perceber claramente Teu Caminho reto, desvelaste ante meus olhos Teu Grande Anúncio e me ajudaste a dirigir a face ao Alvorecer de Tua Revelação e ao Manancial de Tua Causa, enquanto Teu povo de Ti se afastaram. Eu Te imploro, ó Senhor do Reino da eternidade - pela voz penetrante da Pena de Glória, e pelo Fogo Ardente que clama da Árvore verdejante e pela Arca que em especial escolheste para o povo de Bahá - que me concedas o poder de permanecer constante em meu amor a Ti, de me contentar plenamente com qualquer coisa que em Teu Livro, tenhas para mim prescrito, e de me manter firme em Teu serviço, e em servir aos bem-amados. Benevolamente, pois, ó meu Deus, ajuda Teus servos a fazerem o que sirva para exaltar :rua Causa e possibilita-lhes observarem tudo o que em Teu Livro revelaste.

Verdadeiramente Tu és o Senhor de Fortaleza, tens o poder de ordenar qualquer coisa que Te apraza e em Tuas mãos seguras as rédeas de todas as coisas criadas.

Nenhum Deus há, senão Tu, o Todo-Poderoso, o Onisciente, a Suma Sabedoria." (03)

Capítulo 3
HISTÓRICO

Bahá'u'lláh o escreveu, por volta do ano de 1873, após ter feito a Sua estupenda Proclamação aos Reis e governantes da terra. Proclamação esta que se iniciara no ano de 1867 - embora tenha sido única e estupenda, ela foi apenas um prelúdio de uma revelação ainda mais grandiosa do poder criador do Seu Autor, o que talvez seja tido na conta do ato mais importante de Seu Ministério - a promulgação do Kitáb-i-Aqdas.

Os acontecimentos históricos registrados neste Livro Mais Sagrado indicam que ele não foi revelado numa única sessão. A revelação continuou com intervalos entre os anos de 1871 e 1873. Mais tarde, Bahá'u'lláh deu as boas novas de sua conclusão com anúncios em várias de Suas Epístolas. Bahá'u'lláh o escreveu pouco depois que fora transferido para a casa de 'Udí Khammár - essa casa foi mais tarde ligada à casa adjacente de 'Abbúd, nome pelo qual ambas são atualmente conhecidas. Do quarto onde ele fora redigido podia se avistar uma praça poeirenta localizada no antigo porto do mar de 'Akká. Bahá'í 'lláh suportara por mais de um quarto de século tribulação sobre tribulação. O Báb, Seu Amado Precursor, havia sido martirizado no ano de 1850; Seu jovem Filho, Mírzá Mihdí, o Seu tesouro na terra, havia dado seu último sopro de vida no ano de 1870, e cerca de vinte mil crentes - homens, mulheres e crianças, haviam dado suas vidas jubilosos, para que a nova Revelação pudesse sobreviver. Ele Próprio fora torturado, aprisionado, despojado de Seus bens terrenos; traído por Seu meio-irmão, e havia sido submetido, com Sua família e um pequeno grupo de seguidores, a sucessivos exílios e, finalmente, a encarceramento na pestilenta cidade-prisão turca de 'Akká.

Em uma de Suas Epístolas Bahá'u'lláh diz: "Por vários anos, petições procedentes de diversas regiões alcançaram a Presença Mais Sagrada, implorando pelas leis de Deus, porém reprimimos a Pena até que o tempo determinado tivesse chegado, após o que o Sol das leis e determinações brilhou do alto do horizonte da Vontade de Deus, como um sinal de Sua graça para com os povos do mundo. Ele veramente, é o que Sempre-Perdoa, o Mais Generoso." (04) Foi somente vinte anos após receber a Revelação no Síyáh-Chál de Teerã, que Bahá'u'lláh revelou Seu "Livro Mater" e dez anos depois de Sua declaração pública em Bagdá, dezenove anos antes de Sua Ascensão, em 'Akká.

Os inimigos determinados a obliterar Sua Causa, haviam servido, inconscientes totalmente disso, para cumprir o antigo propósito de Deus, trazendo à Terra Santa, Aquele que era destinado a estabelecer o Reino de Deus na Terra. Com Sua chegada, viera o tempo para a revelação da Lei desse Reino.

Em outra Epístola, Ele indica que mesmo após ter revelado esse Seu Livro Sagrado, ele, o Aqdas foi retido por Ele por algum tempo antes de ser enviado aos amigos na Pérsia, com a recomendação enfática de se observar "muito tato e sabedoria... Desde que a maioria dos homens são fracos e muito afastados dos propósitos de Deus." (05)

Capítulo 4
INIGUALÁVEL

O Aqdas não é um Livro volumoso. Ele é composto por quase quatrocentos versículos. O seu conteúdo não é apenas de Leis. É composto de exortações, meditações, profecias, leis e faz referência ao Convênio. Isso quer dizer que o Kitáb-i-Aqdas não é um Livro como estamos acostumados a ver, com prefácio, capítulos, começo, meio e fim, etc... Ele possui um estilo próprio.

Este Livro, este tesouro que encerra as jóias inestimáveis de Sua Revelação, sobressai, em virtude dos princípios que inculca, das instituições administrativas que prescreve, e da função com que investe o nomeado Sucessor do seu Autor - um Livro único e incomparável entre as sagradas Escrituras do mundo.

Suas cláusulas devem permanecer invioladas por não menos de mil anos, e seu sistema o qual abrangerá todo o planeta, bem pode se considerado como a mais brilhante emanação da mente de Bahá'u'lláh, o Livro-Mater do Seu Ministério, e a Magna Carta de Sua Nova Ordem Mundial.

Diferentemente do Velho Testamento e dos Livros Sagrados que o precederam, nos quais não existem preceitos efetivamente emitidos pelo Próprio Profeta; diferente dos Evangelhos, nos quais os poucos ditos atribuídos a Jesus Cristo não fornecem um roteiro certo quanto à administração futura dos assuntos de Sua Fé;. diversamente mesmo do Alcorão - o qual embora explícito nas leis e preceitos formulados pelo Apóstolo de Deus, silencia sobre o assunto importantíssimo da sucessão o Kitáb-i-Aqdas, revelado desde o começo até o fim pelo próprio Autor da Revelação, não só preserva para a posteridade as leis e preceitos básicos sobre os quais deverá assentar a estrutura de Sua Ordem Mundial, mas também estabelece, além da função de interpretação que é conferida a Seu Sucessor, as instituições imprescindíveis à preservação da integridade e da unidade de Sua Fé.

Diz ainda o amado Guardião em seu livro "A Presença de Deus": "Os significativos apelos dirigidos aos Presidentes das Repúblicas do continente americano no sentido de aproveitarem a oportunidade oferecida pelo Dia de Deus para patrocinarem a causa da justiça; a exortação aos membros de parlamentos em todo o mundo, encarecendo a adoção de uma língua e de uma escrita universais; Suas admoestações a Guilherme I, o vencedor de Napoleão III; a reprimenda que dirige a Francisco José, o Imperador da Áustria; Sua referência "às lamentações de Berlim" na apóstrofe "às margens do Reno"; Sua condenação ao "trono da tirania" estabelecido em Constantinopla, Sua profecia da extinção do "esplendor exterior" dessa cidade e das tribulações destinadas a se abater sobre os habitantes; as palavras de incentivo e conforto que dirige à Sua cidade natal, assegurando-a de que Deus a havia escolhido para ser a "fonte da alegria de toda a humanidade"; Sua profecia de que "a voz dos heróis de Khurásán" será levantada em glorificação de seu Senhor; Sua asserção de que homens "dotados de Imenso valor" devem aparecer em Kirmán e fazer menção Dele; e finalmente, Sua magnânima afirmativa a um irmão pérfido que O afligira com angústia, nos termos de que um Deus "sempre demente e de toda bondade" lhe perdoaria as iniqüidades desde que ele tão somente se arrependesse - tudo isso enriquece ainda mais o conteúdo desse Livro."

"À medida que a Missão de Bahá'u'lláh se aproximava de seu fim, a formulação das leis fundamentais inclusas em Seu Kitáb-i-Aqdas, foi seguida pela enunciação de certos preceitos e princípios que se encerram no âmago de Sua Fé, pela reafirmação de verdades que Ele anteriormente proclamara, pela elaboração e elucidação adicionais e pela apresentação de mandamentos subsidiários designados a suplementar as provisões de Seu Livro Mais Sagrado. Incorporam-se em inúmeras Epístolas, as quais Ele continuou a revelar até os últimos dias de Sua vida terrena:

"Esplendores", "Boas Novas", "Adornos", "Fulgências", "Palavras do Paraíso", "Epístolas Mais Sagradas", "Epístola do Mundo", "Epístola de Maqsúd", "Epístola do Carmelo", "Epístola da Sabedoria", "Epístola ao Filho do Lobo" e outras mais. O "Kitáb-i-Ahdí" (Testamento de Bahá'u'lláh), o livro "Perguntas e Respostas", que contém as respostas às perguntas feitas por um de Seus discípulos sobre as leis reveladas no Aqdas. Os princípios da unidade e da integridade da raça humana, o qual bem pode ser considerado a característica distintiva da Revelação de Bahá'u'lláh e o eixo de Seus ensinamentos. Não obstante o volume de Seus escritos sobre Suas Leis e determinações, Bahá'u'lláh como Shoghi Effendi salientou, deixou deliberadamente lacunas a serem preenchidas subseqüentemente pela Casa Universal de Justiça." (06)

Capítulo 5
MENCIONADO NA BÍBLIA

Esse "Sacratíssimo Livro" é o principal repositório daquela Lei que o Profeta Isaías havia previsto e que o escritor do Apocalipse descrevera como "novo céu" e a "nova terra", como o "tabernáculo de Deus", a "Cidade Santa", a "Noiva", a "Nova Jerusalém descendo de Deus".

"NOVO CÉU"

No Kitáb-i-Iqán, o Livro da Certeza, Bahá'u'lláh dá o significado de "céu". Assim como Ele disse: "Por "céu" se quer dizer o céu da Revelação Divina, que se eleva com a vinda de cada Manifestante e se rompe ao aparecer o subseqüente. "Romper" significa que a Era anterior é substituída e anulada." Afirmo por testemunho de Deus! - continua Bahá'u'lláh, "Romper esse céu é, para quem possui discernimento, um ato mais poderoso do que romper a abóbada celeste! Pondera um pouco. Uma Revelação Divina que desde muitos anos se acha firmemente estabelecida - à sombra da qual se educaram e nutriram todos os que a abraçaram; à luz de cuja lei gerações de homens têm sido disciplinadas; a excelência de cuja palavra os homens têm ouvido ser elogiada por seus pais; de tal modo que olhos humanos nada percebem a não ser a influência predominante de sua graça e ouvidos mortais não escutam senão a majestade ressonante do seu mando - qual o ato maior do que "romper", pelo poder de Deus, uma Revelação como essa e aboli-la, com o aparecimento de uma só alma? Reflete: não é um ato maior que aquilo que esses homens desprezíveis, insensatos, imaginam ser o sentido de "romper o céu". (07)

O "novo céu" é uma dádiva de Deus, é uma nova Revelação Divina que vem rompendo, substituindo o velho, o anterior, por uma nova Revelação, nova Manifestação, nova Lei sendo implantada, substituindo a anterior.

"NOVA TERRA"

Ainda do Kitáb-i-Iqán, O Livro da Certeza, extraímos as seguintes Palavras como explicação deste termo: "Deves saber que, quando caem sobre quaisquer corações as copiosas chuvas da misericórdia, procedendo do "céu" da Revelação Divina, a terra desses corações se transforma, verdadeiramente, na terra da sabedoria e do conhecimento divinos." (08)

Nova Terra, novo conhecimento, nova sabedoria provinda do céu da Vontade Divina.

"TABERNÁCULO DE DEUS"

Como definição de tabernáculo extraída de dicionário temos que: Tabernáculo é o símbolo da convivência ou encontro entre Deus e o homem. Ou de forma mais popular tem o significado de: residência, habitação.

Bahá'u'lláh em As Palavras Ocultas diz:
"Ó Vós habitantes do mais alto paraíso!

Proclamai aos filhos da certeza que, dentro dos domínios da santidade, perto do paraíso celestial, apareceu um novo jardim, em volta do qual circulam os que residem no reino nas alturas e os habitantes imortais do excelso paraíso. Esforçai-vos, pois, para que possais atingir a essa condição, desvendar de suas anêmonas os mistérios do amor e aprender de seus frutos eternos o segredo da consumada sabedoria divina. Consolados são os olhos dos que aí entram e permanecem." (09)

O texto bíblico acima citado é o seguinte:

"E eu vi um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.

Então ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o Tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão Seu povo e Deus mesmo estará com eles.

E Aquele que está assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas." (10)

Todas essas predições foram, em um sentido, cumpridas com a revelação do Livro de Suas Leis, o Kitáb-i-Aqdas.

"A terra, em verdade, encheu-se do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar." (11)

Shoghi Effendi repetidamente salientava que os crentes deviam anelar ansiosamente pela realização das promessas de Deus conforme reveladas na Epístola do Carmelo: "Em breve fará Deus navegar sobre ti Sua Arca." (12)

Caminhando pelas montanhas, acenando a mão, Shoghi Effendi dizia que isso significava que "As Leis de Deus irão fluir de ti, ó Monte Carmelo, para o mundo e seus habitantes."

"A CIDADE SANTA"

"... Quando a alma humana se livrar de todos os laços obstrutores deste mundo, haverá de perceber infalivelmente o alento do Bem-Amado através de distâncias desmedidas e, guiado por seu perfume, alcançará a Cidade da Certeza e nela ingressará.

Ali serão discernidas, por aquele que busca, as maravilhas da antiga sabedoria de Deus e, no murmúrio das folhas da Árvore que cresce nessa Cidade, serão percebidos todos os preceitos ocultos. Com os ouvidos interiores, bem como os exteriores, ouvirá ele os hinos de glória e poder ascendendo de seu pó, ao Senhor dos Senhores, e com os olhos interiores descobrirá os mistérios do "regresso" e da "ressurreição".

Quão indivisivelmente gloriosos são os sinais, as Revelações e os esplendores destinados a essa Cidade por Aquele que é o Rei dos nomes e atributos. Quem alcança essa Cidade, satisfaz sua sede sem água, e sem fogo acende a chama do amor divino. Cada folha de grama contém os mistérios de uma sabedoria inescrutável, e sobre cada roseira miríades de rouxinóis, em êxtase jubiloso, emitem sua melodia. Suas tulipas admiráveis revelam o mistério da Sarça Ardente e suas doces fragrâncias de santidade transmitem o perfume do Espírito Messiânico. Nessa Cidade, a riqueza é conferida sem ouro, e a imortalidade sem morte. Em cada uma de suas folhas se acham entesouradas delícias inefáveis, e dentro de cada habitação se ocultam inúmeros mistérios.

Os que se empenham valorosamente na busca de Deus, uma vez que tenham renunciado a tudo salvo a Ele, afeiçoar-se-ão a essa Cidade, e tanto a ela se prenderão que lhes seria inconcebível uma separação por um momento sequer. Escutarão provas infalíveis do Jacinto dessa assembléia, e os mais seguros testemunhos receberão eles da beleza de sua Rosa e da melodia de seu Rouxinol. Uma vez em cerca de mil anos será essa Cidade renovada e novamente adornada...

Esta Cidade não é senão o Verbo de Deus revelado em cada era. No tempo de Moisés, foi o Pentateuco; no de Jesus, o Evangelho; no de Maomé, o Mensageiro de Deus, o Alcorão; nestes dias, o Bayán, e na era Daquele que Deus tornará manifesto, Seu próprio Livro - Livro este ao qual todos os Livros das eras anteriores se devem referir, o Livro que sobressai dentre todos eles, transcendente e supremo." (13)

"A NOIVA"

“A Noiva, mística e admirável outrora oculta atrás do véu das palavras, agora pela graça de Deus e através de Seu favor divino, tornou-se manifesta e esplendorosa comO a luz irradiada pela beleza do Bem-Amado." (14)

"Compara-se a Lei de Deus também a uma esposa ataviada, que aparece com os mais· belos adornos, como está escrito no capítulo 21 do Apocalipse de São João: "E eu, João, via a Cidade Santa, a Jerusalém nova, que da parte de Deus descia do céu, adornada como uma esposa ataviada para seu esposo". (15)

"A NOVA JERUSALÉM DESCENDO DE DEUS"

"A Lei de Deus é descrita também como a Cidade Santa, a Nova Jerusalém. Evidentemente, a Nova Jerusalém que desce do céu não é a cidade de pedra, argamassa, tijolos, terra e madeira. É a Lei de Deus que desce do céu e é chamada nova, pois é claro não ser a Jerusalém de pedra a que desce do céu e é renovada. O que se renova é a Lei de Deus." (16)

Capítulo 6
O CONTEÚDO DESTA CARTA MAGNA

Nesta Magna Carta da futura civilização mundial, o Seu Autor - simultaneamente é Juiz, Legislador e Redentor da Humanidade. Ela contém:

- ANÚNCIO AOS REIS E ECLESIÁSTICOS: Anuncia aos reis da terra a promulgação da "Lei Suprema"; declara serem eles seus vassalos e se proclama o "Rei dos Reis"; nega qualquer intenção de apoderar-se de seus reinos; reserva para Si Próprio o direito de "conquistar e possuir os corações dos homens";

previne as autoridades eclesiásticas do mundo que não julguem o "Livro de Deus" segundo as normas correntes entre eles; e afirma que o próprio Livro é a "Balança Infalível" estabeleci da entre os homens.

- ORDENA A INSTITUIÇÃO DA CASA UNIVERSAL DE JUSTIÇA: Nele ordena formalmente a instituição da "Casa de Justiça", define suas funções, fixa as suas rendas, designa-lhes os membros como sendo "Homens de Justiça", os "Deputados de Deus", os "Depositários da Confiança do Todo Misericordioso" .

- ALUDE AO FUTURO CENTRO DO CONVÊNIO: Faz alusão ao futuro Centro do Seu Convênio, e investe-O no direito de interpretar Sua Sagrada Escritura.

- PREVÊ A INSTITUIÇÃO DA GUARDIANIA

- SUA ORDEM MUNDIAL: Testemunha o seu efeito revolucionário.

- A SUPREMA INFALIBILIDADE DO MANIFESTANTE: Enuncia a doutrina da "Suprema Infalibilidade" do Manifestante de Deus; afirma que essa infalibilidade constitui direito inerente e exclusivo do Profeta.

- DATA DO APARECIMENTO DO PRÓXIMO MANIFESTANTE: Elimina a possibilidade do aparecimento de outro Manifestante antes que sejam decorridos pelo menos mil anos.

Prescreve também:
- As orações obrigatórias;
- designa o tempo e o período do jejum;

- proíbe preces congressionais exceto pelos mortos;

- fixa o Qiblih;
- institui o Huqúqu'lláh;
- formula a lei da herança;
- estabelece a Instituição do Mashriqu'l-Adhkár;
- funda as Festas dos Dezenove Dias;
- os Festivais Bahá'ís e os Dias Intercalares;
- abole a instituição do clero.
As proibições:
- escravatura;
- ascetismo;
- mendicância;
- monasticismo;
- penitência;
- o uso dos púlpitos;
- o beija-mão;
As prescrições/ condenações/ proibições:
- prescreve a monogamia;
- condena a crueldade para com os animais;
- a indolência e a ociosidade;
- a maledicência e a calúnia;
- censura o divórcio;
- proíbe o jogo;

- proíbe o uso do ópio, do vinho e de outras bebidas intoxicantes;

- especifica os castigos para homicídio, incêndio criminoso, adultério e roubo;

- acentua a importância do casamento e estabelece suas condições essenciais;

- impõe a obrigação de se dedicar a algum ofício ou profissão;

- realça a necessidade de se prepararem os meios para a educação das crianças;

- estabelece para todos a obrigação de escrever um testamento e de obedecer rigorosamente ao governo.

Fora dessas cláusulas, Bahá'u'lláh exorta os Seus Seguidores a associarem-se com amizade, concórdia e sem discriminação, aos adeptos de todas as religiões.

Conforme prescrito na Epístola de Tarázát, "o segundo Taráz - é que nos devemos associar aos membros das religiões com alegria e fragrância, devemos mostrar o que é declarado por Aquele que Fala na Montanha e agir com justiça em todos os assuntos." (17)

Prevenções:
- previne contra o fanatismo;
- contra a sedição;
- contra o orgulho;
- contra a disputa e a contenda.
Recomenda:
- limpeza;
- fidedignidade;
- hospitalidade;
- sinceridade;
- cortesia;
- tolerância;
- justiça -equidade.
Os conselhos:

- Aconselha-os a serem "unidos como os dedos da mão e os membros do corpo";

- concita-os a que se levantem e sirvam à Causa e assegura-os de Sua ajuda indubitável.

Ele, além disso, detém-se:
- sobre a instabilidade das coisas humanas;

- declara que a verdadeira liberdade consiste na submissão do homem aos Seus mandamentos;

- adverte-os de que não sejam indulgentes na aplicação de Seus estatutos;

- prescreve os dois deveres inseparáveis de reconhecer a "Aurora da Revelação de Deus" e de observar todos os preceitos por Ele revelados. nenhum dos quais. afirma Ele. é aceitável sem o outro.

Quem tiver cumprido este dever terá atingido todo o bem; e quem se privar disso, se terá desviado do caminho certo, ainda que seja autor de todos os atos retos." (18)

Capítulo 7
A SUPREMACIA DO KITÁB-I-AQDAS
Um Livro designado pelo Autor como:
"a fonte da verdadeira felicidade",
"a Balança Infalível",
"o Caminho Reto" e
"o princípio vivificado r da humanidade". (19)

As leis e princípios que constituem o principal tema deste Livro, Bahá'u'lláh caracterizou especificamente como:

"o sopro de vida para todas as coisas criadas",

"os frutos de Sua Árvore", "o mais elevado meio para a manutenção da ordem no mundo e para segurança de seus povos",

"as lâmpadas da Sua Sabedoria e terna providência" ,

"a doce fragrância de Sua roupagem",

"as chaves de Sua misericórdia para Suas criaturas.” (20)

Na verdade, diz Bahá'u'lláh:

"Este Livro é um céu que adornamos com as estrelas de Nossos mandamentos e proibições". (21)

“Ó amigo! O Mais Amado te chama de Sua, a Maior Prisão, e exorta-te a observar o que Minha Pena excelsa revelou em Meu Mais Sagrado Livro, a fim de que a isso te segures com tanta resolução e tamanho poder como sejam de Mim oriundos, e sou Eu, deveras, Quem ordena, a Suma Sabedoria." (22)

“Abençoado seja o homem que o ler e que meditar sobre os versículos nele vazados por Deus, o Senhor do poder, o Onipotente. Dizei, ó homens! Tomai-o com a mão da resignação... por minha vida! Foi enviado de uma maneira que espanta as mentes dos homens. Na verdade, é o Meu mais momentoso testemunho a todos os povos e a prova do Todo-Misericordioso para com todos que estão no céu e na terra." (23)

“De tal maneira foi o Kitáb-i-Aqdas revelado que atrai e abrange todas as Revelações de origem divina. Bem-aventurado os que o lêm! Bem-aventurados os que o assimilam! Bem-aventurados os que sobre ele meditam! Bem-aventurados os que ponderam sobre o seu significado! Tão vasto é o Seu alcance que abarcou todos os homens antes que disso eles se apercebessem. Dentro em breve manifestar-se-ão sobre a face da te"a a sua força soberana, a sua influência penetrante e a grandeza do seu poder." (24)

"Verdadeiramente, as Leis de Deus são como o oceano e os filhos dos homens como peixes, se apenas o soubessem. Entretanto ao observá-las, deve-se exercer tato e sabedoria... Desde que a maioria dos homens são fracos e muito afastados dos propósitos de Deus, deve-se, pois, observar tato e prudência sob todas as condições, de modo que nada possa acontecer que venha a causar distúrbio e dissensão ou levantar clamor entre os desatentos.

Verdadeiramente, Sua generosidade transcendeu o universo inteiro e Suas dádivas abarcaram a todos que habitam na terra. Deve-se guiar a humanidade ao oceano da verdadeira compreensão com espírito de amor e tolerância. O próprio Kitáb-i-Aqdas dá eloqüente testemunho da amorosa providência de Deus." (25)

"Por Minha vida, se soubésseis o que desejamos para vós ao revelar Nossas sagradas leis, ofereceríeis vossas almas por esta sagrada, poderosa e sublime Causa." (26) "Este Livro não é outro que a antiga Lâmpada de Deus para o mundo inteiro e Seu Caminho reto entre os homens. Dizei, é, verdadeiramente, a Aurora do conhecimento divino, se apenas o soubesses, e o Lugar da Alvorada dos mandamentos de Deus, se apenas o pudésseis compreender." (27)

"Dizei, este é o espírito das Escrituras insuflado na Pena da Glória, fazendo com que toda a criação esteja atônita, exceto aqueles que são animados pela fragrância vitalizadora da Minha terna mercê e pelos doces aromas de Minha generosidade que permeiam todas as coisas criadas.

Sempre que Minhas leis aparecem como o sol no céu de Minhas palavras, devem ser obedecidas fielmente por todos, ainda que Meu decreto seja de tal natureza que faça romper-se o céu de cada religião. Ele age de modo que seja de Seu agrado: escolhe, e ninguém pode questionar Sua escolha. Qualquer coisa que Ele, o Bem-Amado, ordene, isto mesmo é, em verdade, amado. Disto, Aquele que é o Senhor de toda a criação Me dá testemunho. Quem tiver inalado a doce fragrância do Todo-Misericordioso e reconhecido a Origem destas palavras, dará acolhida, com os próprios olhos, aos dardos do inimigo, a fim de que possa estabelecer a verdade das leis de Deus entre os homens. Feliz aquele que a isso se haja volvido e que tenha apreendido a significação de Seu decreto decisivo." (28)

"Não penseis que vos tenhamos revelado um mero código de leis. Não, mais exatamente, deslacramos o Vinho seleto, com os dedos da grandeza e poder. Disto, dá testemunho aquilo que a Pena da Revelação revelou.

Meditai nisto, ó homens de discernimento!" (29)

"Dizei: A doce fragrância de Meu manto pode ser inalada de Minhas leis, com o apoio das quais os estandartes da vitória serão implantados sobre os mais altos picos. Do céu de Minha glória onipotente, a Língua de Meu poder dirigiu à Minha criação estas palavras: "Observai Meus Mandamentos, por amor à Minha beleza". Feliz é o apaixonado que inalou destas palavras a fragrância divina de seu Mais Amado - dessas palavras imbuídas do perfume de uma graça que nenhuma língua pode descrever. Por Minha vida! Quem tiver sorvido o vinho seleto da equidade, oferecido pelas mãos de Meu generoso favor, circulará em volta de Meus mandamentos, os quais brilham acima do Alvorecer de Minha criação." (30)

"Aqueles que Deus dotou de percepção, reconhecerão prontamente que os preceitos por Ele estabelecidos constituem os mais altos meios para a manutenção da ordem no mundo e para a segurança de seus povos. Quem se desvia deles é contado entre os abjetos e insensatos. Nós, verdadeiramente, vos temos ordenado recusar os ditames de vossas más paixões e vossos desejos corruptos, e não transpor os limites que a Pena do Altíssimo fIXOU, pois estes são o alento da vida para todas as coisas criadas. Os mares da divina sabedoria e das palavras divinas encapelaram sob o soprar da brisa do Todo-Misericordioso. Apressai-vos a beber até vos saciardes, ó homens de compreensão!

Os que violaram o Convênio de Deus pela sua desobediência aos Seus mandamentos, e tergiversaram, estes têm errado lastimavelmente, aos olhos de Deus, o Possuidor de tudo, o Altíssimo." (31)

"O primeiro dever prescrito por Deus para Seus servos é o reconhecimento dAquele que é o Alvorecer de Sua Revelação e a Origem de Suas leis, que representa a Deidade, tanto no Reino de Sua Causa, como no mundo da criação. Quem tiver cumprido este dever terá atingido todo o bem; e quem se privar disso, se terá desviado do caminho certo, ainda que seja autor de todos os atos retos. Cumpre a cada um alcançar este mais sublime grau, este ápice de transcendente glória, observar todas as leis d'Aquele que é o Desejo do mundo. Estes deveres gêmeos são inseparáveis. Um não é aceitável sem o outro. Assim foi decretado por Aquele que é a Fonte da inspiração Divina." (32)

"Enquanto na prisão revelamos um Livro ao qual demos o título de "O Mais Sagrado Livro." Formulamos nele leis e o adornamos com os mandamentos de teu Senhor, Quem exerce autoridade sobre todos os que estão nos céus e na terra. Dizei: Segurai-o, ó povo, e observai o que nele se fez descer dos admiráveis preceitos de vosso Senhor, o Clemente, o Generoso. Isso, em verdade, vos tornarás prósperos, tanto neste mundo como no vindouro, e vos purificar de qualquer coisa que vos mal convenha. Ele é, deveras, Quem ordena, Quem esclarece, Quem dá, o Generoso, o Benévolo, o Todo-Louvado." (33)

"Ainda mais, a todos anunciamos as jubilosas novas sobre aquilo que temos revelado em Nosso Mais Sagrado Livro - um Livro de cima de cujo horizonte o Sol de Meus mandamentos brilha sobre cada observador e cada observado. A ele segurai-vos firmemente e cumpri o que nele se encontra revelado. Isto, em verdade, vos é melhor do que qualquer coisa que tenha sido criada no mundo - se apenas o soubésseis." (34)

"Neste dia, os versículos do Livro Mater estão resplandecestes e claros, assim como o sol." (35)

Capítulo 8
'ABDU'L-BAHÁ E O AQDAS

'Abdu'l-Bahá revelou interpretações que são de importância fundamental para a compreensão das leis do Aqdas, culminando com a redação de Sua Vontade e Testamento "aquela Carta Magna da Nova Ordem Mundial, o fruto que resultou do contato misterioso d' Aquele que é a Fonte da Lei de Deus com Aquele que é o veículo e o intérprete dessa Lei." (36)

O GUARDIÃO E O AQDAS

Durante os trinta e seis anos de Guardiania, Shoghi Effendi fixou o modelo e assentou os alicerces da Ordem Administrativa de Bahá'u'lláh.

Ele colocou em andamento a implementação do Plano Divino de 'Abdu'-Bahá para difusão da Fé em todas as partes do mundo e, à medida que estes processos gêmeos de consolidação administrativa e vasta expansão progrediam começou a aplicar e pôr em vigor, gradualmente e de acordo com o progresso da Causa, aquelas leis do Kitáb-i-Aqdas que em sua estimativa era oportuno e viável colocar em prática e que não estavam em conflito direto com a lei civil. O Guardião explicou que um prelúdio essencial à publicação do Aqdas era a preparação de uma sinopse e codificação de suas Leis e Determinações. Isto ocorreu como meta da Cruzada de 10 Anos e, ele mesmo trabalhou nisto, deixando um esboço em inglês e notas em persa.

Capítulo 9
EM NOSSAS VIDAS

Sabemos que o Kitáb-i-Aqdas é o "Livro Mater" da Nova Ordem Mundial de Bahá'u'lláh, porque através das Leis e das instituições reveladas e criadas nesse Livro, a humanidade deixará para trás todos os séculos de infância, selvageria e guerras. Temos é que começar a integrar as Leis do Aqdas em nossa vida diária. É difícil, pois as Leis do Aqdas não são de acordo com os nossos desejos, nosso gosto particular, nossa cultura e nem ao menos de acordo com os nossos hábitos. Não são leis para chineses, brasileiros, persas ou povos de qualquer outra nacionalidade, especificamente. Não, antes de tudo, são leis para uma civilização mundial a ser construída. Não existe no mundo nada parecido ou similar. Não temos capacidade para julgar essas sagradas Leis de Deus, porque Sua Lei é que é o padrão de julgamento e não a nossa fraca e limitada compreensão. Devemos incorporá-las tão somente "por amor à Deus". Sabemos que o propósito das nossas vidas é conhecer e amar a Deus. As ações do ser humano são louváveis quando realizadas somente pelo amor ao seu Criador, e não por outra razão. Diz Bahá'u'lláh:

"Observa; Meus Mandamentos por amor a Minha Beleza".

O verdadeiro amante, verdadeiro apaixonado, realiza as coisas para o objeto de seu amor deixando de lado os seus interesses, movido apenas pelo amor que nutre em seu peito por ele.

E Bahá'u'lláh enfaticamente diz: "A ninguém é concedido o direito de se desviar das leis e dos preceitos de Deus. Quem deles se desvia é incluído no número dos transgressores, segundo o Livro de Deus, o Senhor do Trono Poderoso." (37)

"Ao Sacratíssimo Livro devem todos se dirigir e tudo o que nele não esteja expressamente registrado deve ser referido à Casa Universal de Justiça. Aquilo que este Corpo decidir, quer por unanimidade, quer por maioria será, realmente, a Verdade e o Propósito do próprio Deus. Aquele que se desviar dessa resolução é, em verdade, dos que amam a discórdia, está demonstrando malícia e se afastando do Senhor do Convênio." (38)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

01. Bahá'u'lláh, Sinopse e Codificação das Leis e Determinações do Kitáb-i-Aqdas, p. 68.

02. Bahá'u'lláh, Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh, p. 209.

03. Bahá'u'lláh, Epístolas de Bahá'u'lláh, p. 128, 129; Ishráqát (Esplendores)

04. Bahá'u'lláh, Sinopse e Codificação das Leis e Determinações do Kitáb-i-Aqdas, p. 4 e 5

05. Determinações do Kitáb-i-Aqdas, p. 6

06. Shoghi Effendi, A Presença de Deus, p. 295 a 297

07. Bahá'u'lláh, Kitáb-i-Iqán, p.31
08. Bahá'u'lláh, Kitáb-i-Iqán, p.32

09. Bahá'u'lláh, As Palavras Ocultas, No. 18, do Persa

10. Livro do Apocalipse, 21:1, 3 e 5
11. Isaías, 11:9

12. Bahá'u'lláh, A Revelação Bahá'í, p. 127, Epístola do Carmelo

13. Bahá'u'lláh, A Revelação Bahá'í, p. 80, 81

14. Bahá'u'lláh, As Palavras Ocultas, p. 70 do Persa

15. 'Abdu'l-Bahá, O Esplendor da Verdade, p. 72
16. 'Abdu'l-Bahá, O Esplendor da Verdade, p. 72

17. Bahá'u'lláh, Epístolas de Bahá'u'lláh, p. 44, Tarázát - (Adornos)

18. Bahá'u'lláh, Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh, p. 205

19. Bahá'u'lláh, A Presença de Deus, p. 296
20. Bahá'u'lláh, A Presença de Deus, p. 296
21. Bahá'u'lláh; A Presença de Deus, p. 296
22. Bahá'u'lláh, Epístolas de Bahá'u'lláh, p. 290
23. Bahá'u'lláh. A Presença de Deus, p. 296/297

24. Bahá'u'lláh, Sinopse e Codificação das Leis e Determinações do Kitáb-i-Aqdas, p. 4

25. Bahá'u'lláh, Sinopse e Codificação das Leis e Determinações do Kitáb-i-Aqdas, p. 6

26. Determinações do Kitáb-i-Aqdas, p. 10
27. Determinações do Kitáb-i-Aqdas, p. 10
28. Determinações do Kitáb-i-Aqdas, p. 15/16
29. Determinações do Kitáb-i-Aqdas, p. 15
30. Determinações do Kitáb-i-Aqdas, p. 14/15
31. Determinações do Kitáb-i-Aqdas, p. 13/14
32. Determinações do Kitáb-i-Aqdas, p. 13
33. Bahá'u'lláh, Epístolas de Bahá'u'lláh, p. 288

34. Bahá'u'lláh, Epístolas de Bahá'u'lláh, p. 293/294

35. Bahá'u'lláh, Epístolas de Bahá'u'lláh, p. 86
36. Shoghi Effendi, A Presença de Deus, p. 21, 22
37. Bahá'u'lláh, A Presença de Deus, p. 121
38. 'Abdu'l-Bahá, Administração Bahá'í, p. 57
NOTA:

Textos selecionados por Shoghi Effendi, extraídos do Kitáb-i-Aqdas, que estão traduzidos e publicados em português, poderão ser encontrados nos seguintes livros da Editora Bahá'í do Brasil:

1 - Sinopse e Codificação das Leis e Determinações do Kitáb-i-Aqdas.

2 - Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh:

N° do Texto .................................. Página

XXXVII.................................................. 63

LVI .........................................................76

LXX ....................................................... 91

LXXI...................................................... 92

LXXII..................................................... 93

XCVIII ................................................. 128

CV ........................................................ 135

CLV...................................................... 205

CLIX .................................................... 208

CLXV .................................................. 214

Teste seus conhecimentos sobre o Kitáb-i-Aqdas

Responda a estas perguntas, cujas respostas estão no texto de cada capítulo cujo título é mencionado:

Capítulo 1 - Introdução - O anúncio da Casa Universal de Justiça.

a) - Quando foi lançada a edição em inglês do Kitáb-i-Aqdas, em tradução "fartamente rica de anotações"?

b) - Quem previu a tradução do Kitáb-i-Aqdas em vários idiomas?

c) - Em que ano Shoghi Effendi começou a preparar a "Sinopse e Codificação das Leis do Kitáb-i-Aqdas"?

d) - E em que ano a Casa Universal de Justiça completou tal trabalho?

e) - Que centenário comemorou-se nesse ano?

Capítulo 2 - Imergir-se no estudo dos Ensinamentos.

a) - O que se entende por: "... rendição do eu e perpétua união com Deus?

b) - Como devemos nos levantar para cumprir "qualquer coisa" que o Criador nos mande observar?

Capítulo 3 - Histórico

a) - Em que ano Bahá'u'lláh escreveu o Kitáb-i-Aqdas e em que casa?

b) - Em que cidade?

c) - Com que palavras Bahá'u'lláh menciona os pedidos que "por vários anos" Lhe foram feitos pelos seguidores, "implorando pelas leis de Deus?

d) - Que fato histórico ocorreu na vida de Bahá'u'lláh vinte anos antes de revelar o Kitáb-i-Aqdas?

e) - Ele divulgou imediatamente o conteúdo do Aqdas? Por que?

Capítulo 4 - Inigualável
a) - Quantos versículos o Aqdas contém?

b) - São apenas Leis o que Bahá'u'lláh revelou no Aqdas? Que outros textos integram o Livro Mais Sagrado?

c) - Por que é "único e inigualável entre as sagradas Escrituras do mundo?

d) - Por quanto tempo suas cláusulas ficarão invioláveis?

e) - Cite os nomes de 3 governantes famosos da época que Bahá'u'lláh menciona no Aqdas.

f) - Cite os nomes de pelo menos 5 Epístolas reveladas por Bahá'u'lláh depois do Aqdas, que representam "elucidação adicional" e mandamentos suplementares às provisões do Kitáb-i-Aqdas?

(Tais Epístolas estão inclusive publicadas em português)

Capítulo 5: Mencionado na Bíblia.

a) - No Velho Testamento, Isaías; e no Novo Testamento, João, no Apocalipse - descrevem o "Sacratíssimo Livro" com alguns expressões famosas: Quais são?

b) - o que significa "Novo Céu" - conforme esclarece Bahá'u'lláh no Kitáb-i-Íqán?

c) - E a expressão "Nova Terra"?
d) - E "Tabernáculo de Deus"?

e) - Qual o significado de "A Cidade Santa", cujo texto consta livro “A REVELAÇÃO BAHÁ’Í”, pgs. 80/81?

f) - O que se entende, em linguagem profética - conforme revelada no Apocalipse, pela expressão: “A Noiva”?

g) - E “A Nova Jerusalém descendo de Deus”?
Capítulo 6 - O Conteúdo desta Carta-Magna:

a) - O que Bahá'u'lláh anuncia “aos reis e eclesiásticos”?

b) - Que instituição famosa na Fé de Bahá'u'lláh ordena no Kitáb-i-Aqdas, cujos membros chama de “Homens de Justiça”, “Depositários da Confiança do Todo Misericordioso”?

c) - Que alusão faz a 'Abdu'l-Bahá e a Shoghi Effendi?

d) - O que fala da infabilidade do Manifestante de Deus?

e) - E para quando prevê o surgimento de novo Manifestante de Deus?

f) - Cite pelo menos 5 prescrições constantes do Aqdas:

g) - E proibições:

h) - O que determina sobre a maledicência e a calúnia?

i) - E sobre a indolência e ociosidade?
j) - E sobre a monogamia? E sobre o casamento?
k) - E sobre o jogo e bebidas intoxicantes?

l) - Contra o que Bahá'u'lláh nos previne? (São 4 itens)

m) - Cite 5 qualidades (pelo menos) que Ele recomenda firmemente no Aqdas:

Capítulo 7 - A supremacia do Kitáb-i-Aqdas

a) - Cite pelo menos 2 das 4 designações que Bahá'u'lláh dá ao Seu Livro de Leis:

b) - E pelo menos 2 das 6 citações com as quais Bahá'u'lláh caracteriza especificamente as Leis e princípios que constituem o tema principal do Aqdas:

c) - Em texto publicado no Sinopse e Codificação...

Bahá'u'lláh menciona a palavra "OCEANO" e "PEIXES": - O que quis significar com estas duas imagens simbólicas?

d) - Em outra Epístola, usa a palavra "SOL", falando de "resplandecentes e claros". O que "estão resplandecentes e claros, assim como o sol"?

Capítulo 8: 'Abdu'l-Babá e o Aqdas - O Guardião e o Aqdas:

a) - Que obra de 'Abdu'l-Bahá foi o ponto culminante das interpretações que revelou, de importância fundamental para a compreensão das leis do Aqdas?

b) - Com relação às leis do Kitáb-i-Aqdas, o que Shoghi Effendi determinou quando tais leis não "estão em conflito direto com a lei civil?

Capítulo 9: Em nossas vidas:
a) - Qual o propósito de nossas vidas?

b) - Em que espírito de aceitação devemos incorporar em nossas vidas as leis reveladas por Bahá'u'lláh?

c) - Que diz Bahá'u'lláh sobre o "direito de se desviar das leis e dos preceitos de Deus"?

d) - A quem os crentes devem se dirigir para os assuntos que não estiverem "expressamente registrados" no Sacratíssimo Livro?


Table of Contents: Albanian :Arabic :Belarusian :Bulgarian :Chinese_Simplified :Chinese_Traditional :Danish :Dutch :English :French :German :Hungarian :Italian :Japanese :Korean :Latvian :Norwegian :Persian :Polish :Portuguese :Romanian :Russian :Spanish :Swedish :Turkish :Ukrainian :