Announcing: BahaiPrayers.net


More Books by AEN USA

Importância e funcionamento da Assembléia Espiritual Local
O Plano Divino Criação
Free Interfaith Software

Web - Windows - iPhone








AEN USA : O Plano Divino Criação
O PLANO DIVINO DA CRIAÇÃO
GUIA DE ENSINO BAHÁ'Í PARA CRIANÇAS
Compilado pelo
Comitê Nacional de Ensino às Crianças da
Assembléia Espiritual Nacional dos Bahá'ís dos
Estados Unidos da América
Editora Bahá'í - Brasil
Título do original em inglês:
The Creative Plan of God
Bahá'í Publishing Trust
Wilmette, Illinois, USA
Ao Instrutor:

Este "Guia de Estudo" cobre uma grande área de instrução, começando com os reinos da criação, continuando com o estudo das religiões que as crianças do mundo ocidental estão mais familiarizadas, e concluindo com uma discussão sobre a Ordem Administrativa Bahá'í e a Ordem Mundial de Bahá'u'lláh. Serve, portanto, para crianças de todas as idades entre cinco e quinze anos e podendo, também, servir como um programa completo de instrução sobre os fundamentos da Fé Bahá'í para este período de dez anos.

O plano, porém, é um simples ponto de partida, um procedimento sugerido. Longe de pretender restringir o professor, o propósito é criar um incentivo ao ensino, apontando algumas obras de consulta fundamentais, incluindo perguntas, poemas, projetos, referências para leituras adicionais, para que o instrutor fique com material de fácil acesso que o ajudará a começar. Recomendamos, contudo, que o professor desenvolva seu próprio material tanto quanto possível, uma vez que tal esforço criativo muito contribuirá para tornar as aulas mais interessantes, tanto para os alunos como para o professor.

É sugerido que se permita as crianças progredirem em ritmo lento, demorando o tempo necessário em cada lição para aprendê-las bem. Devemos procurar ver nossos filhos assim como 'Abdu'l-Bahá os viu. Eles têm dentro de si grande capacidade de aprender. Não devemos só enchê-los com datas de acontecimentos históricos, porém, o que é mais importante, aprender como extrair deles o que tem dentro de si. Devemos procurar ajudá-los a desenvolver suas próprias idéias fazendo-lhes perguntas e ouvindo-os mui cuidadosamente e também deixando-os usar sua imaginação. Um dos dons que a maioria das crianças tem é imaginação viva. Deixe que façam representações. Um exemplo é a oração: "Ó Deus, guia-me, protege-me, ilumina a lâmpada de meu coração". O professor pode vendar os olhos duma criança e pedir a outra para guiá-la ao redor da sala. Então poderia perguntar à criança que estava vendada como se sentia ao ser levada e protegida. Pergunte-lhe como Deus nos guia e protege. O professor pode ajudar a criança a desenvolver suas capacidades dadas por Deus. Deve procurar evitar a maneira comum de educação que dá às crianças somente informações. Teremos mais sucesso usando exemplos da vida diária da criança.

O instrutor, do mesmo modo, deve sentir-se livre para desenvolver cada assunto além das limitações deste guia, adicionando-lhe materiais e métodos suplementares que a experiência ditar, mas antes de tudo deve pedir assistência e orientação a Deus e então começar a ensinar. Deve estar familiarizado com a lição. Bahá'u'lláh disse: "Se alguém educa seu filho, ou os filhos de outrem, é como se estivesse educado um dos Meus filhos. Sobre ele pousem Minha Glória, Minha providência e Minha misericórdia, as quais abrangeram todos no mundo!" A posição do professor Bahá'í é muito elevada. Talvez possamos lembrar isto: "O que és é a dádiva de Deus para ti, o que te tornares é a atua dádiva para Deus".

Sugestões adicionais são dadas a seguir:

1 - Encorajar a atitude devocional começando cada lição com uma oração.

2 - Estimular o raciocínio fazendo freqüentes perguntas e encorajando as crianças a se interrogarem mutuamente. Fazer o maior uso possível de debates abertos, mas sem permitir, todavia, que a conversa se afaste do assunto.

3 - Estimular o uso dum dicionário, quando necessário, e discutir o significado das palavras pouco conhecidas para lhes facilitar o entendimento.

4 - Incentivar a memorização das Palavras Sagradas, incluindo orações. Tarefas periódicas nesse sentido são recomendáveis.

5 - Resumos de livros pelas crianças devem receber um elogio especial.

6 - Testes ocasionais, tanto escritos como orais, são recomendados. As crianças os esperam e os associam com o aprendizado.

7 - Alguma forma de música deve ser parte de cada aula. Muitas canções seculares exprimindo princípios Bahá'ís podem ser encontradas em bilbiotecas, livrarias e casas de música.

8 - Usar filmes e outros materiais áudio-visuais para aumentar o interesse quando adequados ao assunto. Muitas bibliotecas e filmotecas alugam filmes a preço módico.

9 - O "Child's Way", publicado pelo "National Bahá'í Child Education Committee" contém muitas sugestões, métodos, histórias, etc, e pode ser útil para o professor Bahá'í.

COMITÊ NACIONAL DE LITERATURA E PUBLICAÇÕES
Campinas, março de 1975
PARTE I
A CRIAÇÃO
LIÇÃO I
O Propósito da Criação Material

Oração: "Enaltecido seja Teu Nome, ó Senhor meu Deus! És O venerado por todas as coisas e O que a nenhuma venera; és o Senhor de todas as coisas e de nenhuma o vassalo; és Quem conhece todas as coisas e de nenhuma é conhecido. Desejaste ser conhecido pelos homens e assim, por uma palavra de Teus lábios, trouxestes a criação à existência e esculpiste o universo. Não há outro Deus senão Tu, o Escultor, o Criador, o Onipotente, o Mais Poderoso." (OB, 1967, 39)

Lição: Contar ou ler algo sobre uma das maravilhas da natureza. Pedir às crianças que indiquem algumas belezas naturais que mais as atraiam. Falar das estrelas, do sol, do mar, das árvores, dos pássaros e das flores. Demonstrar que todas essas coisas nos foram dadas por Deus, o Criador.

Uma Leitura: DEUS, NOSSO CRIADOR por William R. Monk

Todas, todas as coisas boas e belas,
Todas as criaturas grandes e pequenas,
E as coisas sábias e maravilhosas,
Todas elas fez o Senhor, nosso Deus.
Cada pequenina flor que aqui se abre,
Cada passarinho que seu canto entoa,
A todos fez de cores mais variadas
E também suas asas bem pequenas.
As montanhas de púrpura coroadas.
As águas do rio mansas vão correndo,
O bonito por-do-sol e a alvorada
E todas as estrelas brilhantes do céu.
Deu-nos Deus olhos para contemplá-las
E lábios para que possamos falar:
"Quão grande é Deus, o Todo-Poderoso,
Que fez todas as coisas tão perfeitas."
Leituras:

"Se um homem quiser adornar-se com os ornamentos da terra, vestir as suas vestes ou partilhar dos benefícios que ela pode oferecer, nenhum mal lhe advirá, contanto que não deixe interpor-se nada entre ele e Deus, pois Deus destinou todas as boas coisas, quer criadas no céu, quer na terra aos Seus servos que sinceramente Nele acreditam. Consumi, pois, ó homens, das boas coisas que Deus vos concedeu e não vos priveis de Sua fabulosa liberalidade. Rendei graças e louvores a Ele e sede daqueles que verdadeiramente são gratos." (GWB, 276)

"Todas as coisas criadas são escravas da natureza e sujeitas às suas leis. Não podem fugir ao controle dessas leis em nenhum detalhe ou particular. Os infinitos mundos estelares e corpos celestes são súditos obedientes da natureza. A terra e a sua infinidade de organismos, todos os minerais, plantas e animais, estão sujeitos ao seu domínio. Os homens, porém, pelo exercício da sua faculdade científica e intelectual, podem fugir dessa condição, podem modificar, mudar e controlar a natureza de acordo com os seus próprios desejos e necessidades." (BWF, 242-243)

"Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra de Suas mãos." (Salmos, 19:11)

História: Logo que Bahá'u'lláh se tornou acessível aos Seus seguidores, de modo que um simples vislumbre de Sua radiante Face pudesse recompensar a penosa jornada até 'Akká, multidões de peregrinos demandaram a prisão da cidade, desejosos de levarem consigo uma lembrança da "Glória de Deus" e também desejosos de fazer algo para mostrar o ardor de sua Fé.

Logo souberam que Bahá'u'lláh não podia aceitar presentes de valor, mas que Ele amava a todas as flores e plantas raras. Por isso todos começaram a trazer consigo sementes, mudas e raízes da flora de sua própria localidade, especialmente as fragrantes, raras e belas. Diz a tradição que nem mesmo a menor partícula de uma planta delicada, protegida por uma camada de musgo e transportada através do deserto, jamais deixou de brotar e desenvolver-se quando plantada no solo da muito abençoada 'Akká. (De "The Garden of the Heart")

"Para colher gemas preciosas vim a este mundo. Se houver um grãozinho de uma jóia escondido numa pedra e, se esta pedra estiver além dos sete mares, até que tenha encontrado e segurado a jóia, minha mão não deixará de procurá-la." (BW VIII, 934)

Questões a discutir:

1 - Nomeie as coisas que nos reinos abaixo do nosso mais despertam sua gratidão.

2 - Para que foram criados os reinos inferiores?

3 - Por que motivo Bahá'u'lláh amaria tanto as plantas?

4 - Qual a criação que Bahá'u'lláh considera da maior importância?

Sugestões para estudo e observação durante toda a Primeira Parte

1 - Organizar um álbum de gravuras sobre os reinos criados.

2 - Um pequeno vaso onde sementes de fácil desenvolvimento possam ser plantadas, como, por exemplo, feijão ou ervilha.

3 - Um recipiente para um bulbo de gladíolo. Falar sobre a aspereza do bulbo e a beleza potencial que encerra.

Lição II
Reinos Mineral e Vegetal

Oração: "Eu sou, ó Deus, uma minúscula semente que plantaste no solo do Teu amor e fizeste brotar pela mão de Tua benevolência. Porta esta semente anseia, com todo o seu ser, pelas águas de Tua misericórdia e pela fonte viva de Tua Graça. Envia-lhe, do céu de Tua amorosa bondade, aquilo que lhe permitirá desabrochar à Tua sombra e dentro dos limites de Tua corte. Tu és Aquele que rega o coração de todos os que Te reconheceram, da fonte de Tuas águas vivas. Louvado seja Deus o Senhor dos mundos." (BPC, 27)

Lição: Esta lição pode ser precedida de um passeio no campo ou de uma visita a um viveiro de plantas. Convém trazer para a classe amostras de folhas, botões, frutas, pedras e terra. Também moedas e outros objetos feitos de minerais; meados de linha, pedaços de plano e etc, produzidos do reino vegetal. Falar nos reinos mineral e vegetal. Demonstrar as virtudes de cada um e fazer ver que a sua beleza provém da variedade e dos inúmeros serviços que prestam à humanidade.

Uma Leitura: No mineral morri e planta me tornei;

morta a planta, sentidos eu ganhei;
morta a besta, forma humana adquiri;
quando vier a morte não mais crescerei?
Dia virá em que este corpo deixarei
para com brancas asas o céu sobrevoar.
Mesmo entre anjos meu lugar perderei,
já que "tudo perecerá, salvo Ele, o Rei."
Nada sou. As cordas da harpa bem falam
que "para Ele outra vez voltamos, enfim!"

- Jalál ud-Din Runi (notável poeta sufi da Pérsia.

AD 1207-1273)
Leituras:

"Indubitavelmente os minerais são dotados de espírito e vida, de acordo com as necessidades daquele estágio... No mundo vegetal também há uma força de crescimento e essa força é o espírito..." (BWF, 338)

Palavras Ocultas (Persa no 3)

"Considerai o mundo das coisas criadas, quão variadas e diversas são elas nas suas espécies, embora partindo de uma origem comum. As diferenças aparentes se resumem na forma externa e cor. Esta diversidade de tipo manifesta-se em toda a Natureza. Observai um belo jardim cheio de flores, arbustos e árvores. Cada flor tem um encanto diferente, uma beleza peculiar, seu perfume delicioso e lindo colorido próprios. As árvores, também, quão variadas são no tamanho, no desenvolvimento, na folhagem - e que diferentes frutos dão! No entanto todas essas flores, arbustos e árvores provém da mesma terra, o mesmo sol brilha sobre todas elas e as mesmas nuvens lhes fornecem a chuva." (PT, 21-22)

"Considerai como crescem os lírios-do-campo; eles não trabalham nem fiam. E digo-vos todavia que nem Salomão, em toda sua glória, se vestiu jamais como um deles." (Mateus, 6:28-29)

História: AS FLORES E AS MOEDAS

"Esta manhã o Mestre quis ir à Missão de Bowery e começou a falar sobre isso dizendo-me:

- Desejo distribuir ali algum dinheiro, pois amo os pobres. Quantos pobres recorrem à Missão?

- Cerca de trezentos.

- Vá ao banco, Julieta, e troque esta nota em miúdos, disse-me Ele tirando do peito uma cédula de mil francos. Fique com o dinheiro e vá Me encontrar na Missão, levando-o numa bolsa. Em seguida deu as mesmas instruções a Edward Getsinger, com uma segunda nota de mil francos.

Ao sair da sala com alguns lírios-do-vale na mão, a bonita criadinha de quarto me fez parar.

- Foi Ele quem lhe deu isso?, perguntou.
- Sim.

- Ontem também me deu umas flores, umas rosas. Acho que é um santo!

Na noite seguinte encontramos o Mestre na Missão de Bowery. Em cada mão, que apertou nas suas, deixou duas, três ou quatro moedas - um mero símbolo - e o preço de uma cama. Nenhum homem ficou sem teto naquela noite! E muitos deles, bem o percebi, encontraram um abrigo espiritual, um lar no Seu coração. Era fácil vê-los nos rostos levantados para Ele - e na Sua face, baixada para os que O rodeavam." ('Abdu'l-Bahá'í First Days in América, 7, 8; 10)

O PRESENTE DE DESPEDIDA

"Fugeta apareceu no meu quarto e disse: - "O Mestre vem aí à sua procura". Não era a Sua hora habitual. Eu estava concluindo algumas notas e rapidamente abandonei o trabalho, levantando-me à entrada Dele. Parado à porta, avistei aquele Ser maravilhoso, o rosto a irradiar toda a bondade, todo o amor, toda beleza, grandeza e doçura que uma alma pode conceber! Trazia uma salva de prata coberta de alvos jasmins. Depois de me saudar, observou: "Vim lhe trazer um presente de despedida: estas flores perfumadas. Que suas ações encham o mundo de igual fragrância!" (My Pilgrimage to the Land of Desire, 20-21)

Questões a discutir:
1 - Nomeie dois reinos da criação.
2 - Enuncie um dos atributos de cada um deles.

3 - Quantas utilidades do reino mineral pode nomear?

4 - Quantas utilidades do reino vegetal pode nomear?

5 - Qual dos reinos é o maior? Porque?

6 - Como podemos utilizar as propriedades de tais reinos, sem egoísmo?

Lição III
O Reino Animal

Oração: "Senhor! Lastimáveis somos nós; concede-nos Teu favor. Somos pobres; dá-nos uma fração do oceano de Tua riqueza. Satisfaze as nossas necessidades e livra-nos da humilhação, através de Tua glória. Todas as aves, como os animais do campo, recebem de Ti seu sustento diário, e todos os seres são objetos de Teus cuidados e de Tua mercê.

Não prives este frágil ser humano de Tua graça maravilhosa e, através de Teu poder, favorece com Tua generosidade esta alma desfalecida.

Dá-nos o nosso pão de cada dia e concede Teu acréscimo nas coisas necessárias à vida, para que dependamos só de Ti, comunguemos inteiramente Contigo, prossigamos em Teu Caminho e declaremos Teus mistérios. És o Todo-Poderoso, o Deus de Amor; és Quem provê a toda a humanidade." (OB 1967, 117)

Lição: Mostrar gravuras de animais, falar sobre animais de estimação, animais de fazenda, vida selvagem, pássaros, etc., acentuando a necessidade de tratar com bondade os animais. Descrever seus instintos e sentidos altamente desenvolvidos e mostrar como, através de treinamento dado pelo homem, eles foram encaminhados para fins úteis.

Leitura: Canta o sabiá na galharia da mata,
salta de leve a corça brincalhona,
mal pisando no orvalho com candura.
As flores, em pendões, na mataria,
se entregam, dóceis, à abelha que as procura.
Quão alegres são todos estes seres,
felizes moradores da floresta!
Porque não hei-de ser como eles,
trazendo a alma eternamente em festa?
(adaptado de M. R. Mitford)
Leituras:

"Se alegamos ser tudo isto (as invenções e descobrimentos dos homens) o efeito de poderes possuídos pelo animal também - dos sentidos corpóreos - vemos claramente que os animais, no que diz respeito a estes poderes, é muito mais ao homem. A visão de certos animais, por exemplo, é muito mais aguda do que a do homem, como também suas faculdades olfativas e gustativas. Numa palavra, no tocante aos poderes comuns ao homem e ao animal, vemos ser o animal em muitos casos superior. Tomemos o poder da memória, por exemplo: se levarmos um pombo daqui a um país distante e lá o soltarmos, ele voltará porque se lembrará do caminho. Podemos levar um cachorro daqui ao centro da Ásia e soltá-lo, e ele regressará sem se desviar nenhuma vez. O mesmo sucede com as outras faculdades - o ouvido, a vista, o olfato, o gosto e o tato". (RAP, 160-161)

Evidentemente, pois, se não houvesse no homem um poder diferente de qualquer dos que existem no animal, este seria superior ao homem em invenções e na compreensão dos fatos. É claro que o homem possui um dom não possuído pelo animal. O animal percebe as coisas sensíveis, mas não as realidades intelectuais... O animal é prisioneiro dos sentidos, está restrito a eles e, portanto, tudo o que estiver além dos sentidos, todas as coisas fora de seu alcance, jamais as compreenderá, apesar de ser superior ao homem no que diz respeito aos sentidos exteriores. Está assim provado que existe no homem um poder de descoberta que o distingue do animal, isto é, o espírito do homem." (RAP, 161-162)

História: GAFANHOTOS NO RIDVÁN

"Voltamos ao jardim (Ridván) onde Abúl Kasim (jardineiro de Bahá'u'lláh) nos preparou o cá e nos contou a história dos gafanhotos. Num verão muito quente houve uma praga de gafanhotos que consumiu quase toda a folhagem da vizinhança. Certo dia Abúl Kasim avistou uma nuvem escura que avançava rapidamente para o jardim e, num abrir e fechar de olhos, milhares de gafanhotos cobriram as altas árvores à sombra das quais Bahá'u'lláh costumava sentar-se. Abúl Kasim correu para a casa do fundo do jardim e, apresentando-se diante do seu Senhor, implorou: "Meu Senhor, os gafanhotos chegaram e aí estão comendo a sombra que protege a Tua abençoada cabeça. Peço-Te que os faças desaparecer."

O Manifestante sorriu e replicou: - "Os gafanhotos têm de se alimentar; deixa-os lá". Muito mortificado Abúl Kasim voltou ao jardim e durante algum tempo ficou a observar em silêncio a obra destruidora. De repente, não suportando mais tal espetáculo, ousou voltar à presença de Bahá'u'lláh e humildemente Lhe rogou que mandasse os gafanhotos embora. A Bendita Perfeição levantou-Se e foi ao jardim, detendo-Se sob as árvores cobertas de insetos; então Ele disse: "Abúl Kasim não os quer aqui; que Deus os proteja". E, levantando a fímbria da túnica, sacudiu-a; imediatamente todos os gafanhotos alçaram vôo e fugiram em bando.

Quando Abúl Kasim terminou a sua história exclamou muito emocionado, tocando nos olhos: "Oh! Benditos estes olhos são por terem visto tais coisas; oh! Benditos são estes ouvidos por terem ouvido tais coisas". (De "An Early Pilgrimage" por May Maxwell)

MAOMÉ E OS ANIMAIS

"Certa vez um homem foi à presença de Maomé com um saco e disse: - "Ó Profeta, atravessei uma floresta e ouvi a voz duns passarinhos; apossei-me deles e os guardei, no meu tapete, e a mãe dos bichinhos se pôs a me rodear a cabeça".

Replicou Maomé: "Larga-os aí". Assim que o homem obedeceu, a mãe veio juntar-se aos filhotes. E disse, o Profeta: "Admiras-te do amor que a mãe consagra aos filhos? Juro por Aquele que Me enviou: Deus mais ama aos seus servos do que esta mãe aos seus filhotes. Devolve-os ao lugar de onde os tiraste e deixa que a mãe fique com eles. Teme a Deus no trato que dás aos animais. Monta-os quando estiverem em condições de ser montados, e desce quando estiverem cansados. Seremos recompensados pela bondade que dispensamos aos animais e pela água que lhes damos a beber". (Spirit of Islam, 157)

Lição IV
O Reino do Homem

Oração: "Dou testemunho, ó meu Deus, de que Tu me criaste para Te conhecer e adorar. Confesso, neste momento, minha incapacidade e Teu poder; minha indigência e Tua riqueza. Não há outro Deus além de Ti, o Amparo no Perigo, O que Subsiste por Si Próprio". (OB 1967, 84-85)

Lição: Discutir algumas das coisas que fazem o homem superior aos outros reinos criados. Comentar algumas coisas que ele conseguiu realizar graças à sua mente, ao uso da palavra, etc. Mostrar fotografias de cientistas, inventores, educadores, reformadores, artistas e músicos, e pedir à classe que mencione outros que tenham prestado grandes serviços à humanidade. Mostrar que servimos a Deus por estes dons e pelo nosso conhecimento Dele, pelo amor que Lhe devemos e, principalmente, por uma vida pura e iluminada.

Leitura: "Todos os homens foram criados para levar avante uma civilização em constante progresso. O Todo-Poderoso é minha testemunha: Proceder como os animais é indigno do homem. As virtudes que condizem com a sua dignidade são a inteligência, a clemência, a compaixão, a misericórdia para com todos os povos e raças da terra". (GWB, 215)

"Todo louvor e glória a Deus que, pela força de Seu poder, tirou a criação do vazio da não-existência, vestindo-a com o manto da vida. Dentre todas as coisas criadas Ele distinguiu com o Seu favor especial a pura e preciosa realidade do homem, investindo-o com a rara capacidade de conhecê-Lo e refletir a grandeza de Sua Glória. Esta dupla distinção que lhe foi conferida extirpou-lhe do coração a ferrugem de todo desejo vão, e o tornou digno das vestes que o seu Criador houve por bem conceder-lhe. Isso tem servido para arrancar-lhe a alma da miséria da ignorância. Este manto com que a alma e o corpo do homem se tem adornado é a própria base do seu bem-estar e do seu desenvolvimento". (GWB, 78)

"O princípio de todas as coisas é o conhecimento de Deus e o fim de todas as coisas é a estrita observância de tudo que foi mandado do empíreo da Vontade Divina, o qual predomina sobre tudo o que se acha nos céus e na terra". (RB, 65)

"O Deus Todo-Amor criou o homem para irradiar a Divina Luz e iluminar o mundo pelas suas palavras, suas ações e sua vida. Se seguirdes zelosamente os ensinamentos de Bahá'u'lláh vos tornareis na verdade a luz do mundo, a alma do corpo do mundo, conforto e socorro da humanidade e a fonte de salvação de todo o universo. Procurai, pois obedecer de corpo e alma os preceitos da Abençoada Perfeição, com a certeza de que se conseguirdes viver de acordo com aquilo que Ele determinou, a Vida Eterna e a imperecível alegria do Reino dos Céus será vossa, e amparo celeste vos será enviado para fortalecer-vos em todos os vossos dias". (PT, 113)

Palavras Ocultas: Árabe no 5; persa, no. 27)

"E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é este: Ouve, Israel, o Senhor teu Deus é um só Deus; e amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração e com toda a tua alma e com todo o teu entendimento e com todas as tuas forças". (Marcos, 12:29-30)

História: Certo dia, por ocasião de uma de Suas excursões a cavalo pelo campo, Bahá'u'lláh acompanhado pelos Seus amigos, viu, sentado à beira da estrada, um jovem solitário. Tinha o cabelo em desalinho e usava roupa de dervixe. À margem dum regato acendera um fogo e cozinhava o seu alimento e o comia.

Aproximando-se dele, Bahá'u'lláh indagou afetuosamente: - "Dize-me, Dervixe, que fazes aí?"

- "Estou comendo Deus", replicou ele logo. "Cozinho e queimo Deus".

A desafetada simplicidade das suas maneiras e o candor da resposta agradaram extremamente a Bahá'u'lláh. Sorriu ante aquelas palavras e pós-se a conversar com o jovem, cheio de ternura e intimidade. Dentro em pouco Bahá'u'lláh o modificou por completo. Tendo aprendido a verdadeira natureza de Deus e com a mente purificada das fantasias de sua gente, ele logo reconheceu a Luz que aquele amoroso Desconhecido tão inesperadamente lhe trouxera. O dervixe que se chamava Mustafá, enamorou-se de tal forma dos ensinamentos recebidos que, abandonando seus utensílios de cozinha, levantou-se e seguiu Bahá'u'lláh. Seguindo a pé o cavalo do Mestre e inflamado pelo fogo de Seu amor, cantou alegremente uma canção que compusera levado pela inspiração do momento, dedicada ao seu Amado.

"Tu és a Estrela Matutina que nos guia - dizia se jubiloso refrão - Tu és a Luz da Verdade. Revela-te aos homens, ó Portador da Verdade". (Dawn-Breakers, 117-118)

Questões a Discutir:
1 - Porque motivo Deus nos criou?
2 - Cite algumas de nossas capacidades especiais.

3 - Como podemos provar a nossa superioridade sobre os animais?

4 - Quais as promessas de 'Abdu'l-Bahá para aqueles que vivem a verdadeira vida?

5 - Conte a história do dervixe. Qual a sua estranha crença? Como Bahá'u'lláh o ajudou?

6 - Como podemos alcançar a presença de Deus?
Lição V
O Espelho do Coração

Oração: "Ó Tu, Deus Compassivo! Dá-me um coração, que como um espelho, possa ser iluminado pela luz de Teu amor e concede-me um pensamento que possa transformar este mundo num jardim de rosas pela graça espiritual, Tu és o Compassivo, o Misericordioso! Tu és o Poderoso, o Munificente." (BPC, 21)

Lição: Reunir alguns espelhos, limpos, sujos e trincados, metais e pedras que possam refletir imagens e vidro límpido. Compare tudo isso com os diversos tipos de caráter e faça ver às crianças que o espelho só reflete os raios solares quando voltado para o sol. Por meio de perguntas e respostas leve as crianças a ver que o sol que brilha no espelho é como o Sol da Verdade a brilhar no coração. A oração é um dos meios de manter os espelhos brilhando. Exponha algumas das qualidades do coração iluminado.

Leituras: "As almas se assemelham aos espelhos como Deus se assemelha ao sol. Quando os espelhos se libertam de toda mancha e alcançam a pureza e o polimento necessários, ao se defrontarem com o sol refletirão perfeitamente a sua luz e glória. Em tais condições, não se deve levar em conta o espelho e sim o poder da luz do sol que o penetrou, fazendo dele um refletor da glória celestial." (BWF, 367)

"Ó Meu irmão! Um coração puro é como um espelho; purifica-o com o amor e o afastamento de tudo menos de Deus, para que o verdadeiro sol passa ali refletir e a aurora eterna nele raiar". (SV, 21)

"Limpai o coração dos desejos mundanos e fazei das virtudes angélicas os vossos adornos". (DB, 93)

"... o homem deve conhecer a si próprio e saber quais são as coisas que conduzem à elevação ou à baixeza, à vergonha ou à honra, à abundância ou à pobreza." (RB, 16)

"Sabe pois, ó alma virtuosa, que assim que te separares de tudo menos de Deus, afastando-te das coisas mundanas, teu coração brilhará com as luzes da divindade e com a refulgência do Sol da Verdade no horizonte do Reino do Poder, e encher-te-ás, então, do espírito do poder de Deus e poderás fazer tudo que desejas. Esta é a verdade confirmada." (BWF, 16)

"Peço a Deus que diariamente todos vós possais progredir espiritualmente, que o amor de Deus possa cada vez mais se manifestar em vós, que os pensamentos de vossos corações possam ser purificados e que vossas faces possam estar sempre voltadas para Ele. Que todos vós vos aproximeis do Umbral da Unidade, entretanto no Reino. Que cada um de vós se transforme em tocha ardente, iluminada e alimentada com o fogo do Amor Divino." (PT, 74)

"Asseguro-te agora, ó servo de Deus, que se tua mente ficar vazia e pura de qualquer palavra ou pensamento e teu coração, atraído inteiramente para o Reino de Deus, esquecer tudo mais salvo Deus e entrar em comunicação com o Espírito de Deus, então o Espírito Santo assistir-te-á com tal poder que te permitirá penetrar todas as coisas, e uma Centelha Ofuscante que tudo ilumina, uma Chama Brilhante no zênite dos céus, ensinar-te-á tudo que ignoras dos fatos do universo e da doutrina divina." (BWF, 369)

História: Tahereh nunca vira o Báb e desejava ardentemente ir a Máh-Kú para encontrá-Lo. Bahá'u'lláh explicou-lhe quão irrealizável era este plano. Os crentes tinham recebido permissão do Báb para visitar Khurúsán, se possível, a fim de aprender com Bábu'l-Báb (Mulá Hossein) e honrá-lo. Tahereh resolveu fazer isso, mas nos dias que esteve em Teerã logo percebeu a grandeza espiritual de Bahá'u'lláh, consultando-o em todos os assuntos. Evidentemente, com a sua profunda percepção reconheceu a parte de Bahá'u'lláh nesta grande religião universal e todos os atos de sua vida, após esta visita, o provaram.

Foi muito dedicada a 'Abdu'l-Bahá, nesta época um menino de três ou quatro anos. Um dia Siyyid YáHyay-i-Dárábi, conhecido como Vahíd, foi visitá-la. Era um dos primeiros crentes e, mais tarde, foi martirizado em Nayríz. Tendo o visitante esperado muito tempo, alguns amigos disseram a Tahereh: "Não devias deixar esta criança, sair e falar com eles?"

Conta-se que ela replicou, apertando contra si o pequenino: "Deverei então deixar-te, Protetor da Causa, para ir e atender um dos seguidores da Causa?"

Todos que a ouviram ficaram assombrados, porque nessa época nem o próprio Pai do menino havia anunciado a Sua Missão. (Tahereh the Purê, por Martha Root)

Questões a Discutir:
1 - Quais as qualidades de um bom espelho?
2 - Como podem vocês alcançá-las?
3 - Porque as almas se assemelham aos espelhos?
4 - Como podemos purificar nossas almas?

5 - Como soube Tahereh a posição de Bahá'u'lláh e 'Abdu'l-Bahá?

Lição VI
Adoração a Deus

Oração: "Ó Tu que és o Senhor de todos os Nomes e o Criador dos céus! Imploro-Te por Aqueles que são as Auroras da Tua Essência Invisível, a Excelsa, a Toda-Poderosa, que faças de minha prece um fogo para queimar os véus que me excluíram de Tua beleza, e uma luz que me possa guiar ao oceano de Tua Presença." (OB 1967, 86)

Uma Leitura:
Quanta mudança faz dentro de nós, ó Senhor,
Um momento breve gasto em Tua santa presença!
Que messes celestiais nossos corações recebem
Quais terras tostadas pela chuva refrescadas.
Prostamo-nos, ao redor tudo é ameaçador,
Levantamos, um quadro alegre, tão lindo e claro!
Porque devemos nós cometer este pecado
E outros, porque não estamos sempre fortes
Para não sermos oprimidos com humilhação,
Para sermos sempre mais fracos e temerosos,
Aflitos ou agitados - quando temos a oração,
E a alegria, a coragem e o poder estão Contigo.

Lição: Ilustrar com as preces do Báb, de Bahá'u'lláh e de 'Abdu'l-Bahá, que precisamos louvar a Deus e ser gratos em todas as circunstâncias; fazer ver que a gratidão pode ser demonstrada por atos. Ilustrar a necessidade da prece com a história de Washington rezando em Valley Forge e Lincoln orando ns reuniões ministeriais. Falar sobre as preces Bahá'ís e ler histórias tiradas de "The Dawn Breakers" as quais reproduzimos abaixo. Acentuar a necessidade de cultivar o hábito de orar.

Leituras: "Um servo é atraído à Minha presença pela prece até que Eu lhe responda; e ao lhe responder as orações transformo-Me no ouvido com o qual ele ouve." (SV, 21)

"Esse buscador... deveria comunicar-se com Deus e prosseguir com toda sua alma na procura de seu Amado. Deveria consumir todos os pensamentos vãos na chama de Sua amorosa menção." (GWB, 265)

"Incumbe a ti voltares-te para o Reino de Deus e orar, suplicar e invocar em todas as horas. Este é o meio pelo qual tua alma ascenderá ao ápice da dádiva de Deus." (TAB, 694)

"Entoa, ó Meu servo, os versículos de Deus a ti enviados, assim como entoam os seres que Dele se aproximaram, a fim de ascender tua própria alma com a doçura de sua melodia e atrair os corações de todos os homens. Se alguém, recluso em seus aposentos, recitar os versículos por Deus inspirados, os anjos do Todo-Poderoso difundirão a fragrância das palavras emanadas de seus lábios, o que fará vibrar o íntimo de todo o homem justo." (OB 1967, 5).

"Asseguro-te agora, ó servo de Deus, que se tua mente ficar vazia e pura de qualquer palavra ou pensamento e teu coração, atraído inteiramente para o Reino de Deus, esquecer tudo mais salvo Deus e entrar em comunicação com o Espírito de Deus, então o Espírito Santo assistir-te-á com tal poder que te permitirá penetrar todas as coisas..." (BWF, 369)

Histórias: O opressivo calor do verão não impedia o Báb de contínua adoração, no terraço de Sua casa. Embora exposto aos violentos raios do sol do meio-dia, e voltando o coração para o Seu Amado, continuava a comunicar-se com Ele, sem dar atenção à intensidade do calor e esquecido do mundo que O rodeava. Desde as primeiras horas da madrugada até o nascer do sol, e do meio-dia até o entardecer, dedicava o Seu tempo à meditação e à piedosa adoração." (DB, 77-78)

Vou relatar agora o que foi feito dos restantes companheiros do Báb... "Estávamos todos amontoados numa cela, os pés no cepo, e em volta do pescoço as mais torturantes cadeias. O ar que respirávamos se achava carregado de toda sorte de impurezas e o chão em que nos sentávamos estava coberto de sujeira e infestado de bichos. Nenhum raio de luz se permitia a penetrar naquela pestilenta masmorra para iluminá-la ou aquecer a sua gélida frieza. Fomos colocados face a face, em duas fileiras. Nós os ensinamos a repetir certos versículos que, todas as noites, eles cantavam com extremo fervor: "Deus é suficiente para mim; na verdade, é o Todo-Suficiente!" entoava um grupo enquanto o outro respondia: "Que Nele confiem todos!" O coro destas alegres vozes se prolongava noite adentro até as primeiras horas da manhã. Seu eco enchia a masmorra e atravessando suas grossas paredes, alcançava os ouvidos de Násiri'd-Dín Sháh, cujo palácio não ficava muito distante do local em que nos achávamos aprisionados."

"Que significa isso?", dizem tê-lo ouvido perguntar.

"É o cântico de alegria que os Bábís estão entoando na prisão", responderam-lhe. (DB, 631-632)

Questões a Responder:
1 - Que significa a prece para você?

2 - Descreva uma prece de súplica e uma prece de louvor.

3 - Que incitava os prisioneiros Bábís a rezar?
Lição VII
O Trabalho é Adoração

Oração: "Dá-nos o nosso pão de cada dia e concede Teu acréscimo nas coisas necessárias à vida, para que dependamos só de Ti, comunguemos inteiramente Contigo, prossigamos em Teu caminho e declaremos Teus mistérios. És o Todo-Poderoso, o Deus de Amor; és Quem provê a toda a humanidade." (OB 1967, 117)

Lição: Comentar as diversas espécies de trabalho, acentuando o espírito de bem servir. Incluir os deveres escolares, bem como ofícios e profissões. Mencionar alguns grandes cientistas, artistas e estadistas e acentuar que são de raças e nacionalidades diversas. Contar a história de uma vida exemplar, como a do Dr. George Washington Carver, Booker T. Washington e Thomas Edison.

Leituras: Na Fé Bahá'í as artes, ciências e todos os ofícios são encarados como formas de adoração. O homem que faz uma folha de papel para cartas, pondo nisso o melhor de sua habilidade e, conscienciosamente, empenha todas suas forças para aperfeiçoá-la, rende seu louvor a Deus. Em resumo, todo esforço e diligência feitos pelo homem com a plenitude de seu coração, é adoração, quando impulsionado pelos mais altos motivos e o desejo de servir a humanidade. Isto é adoração: servir a humanidade e suprir às necessidades do próximo. Servir é adorar. (PT, 176)

É dever de cada um de vós ocupar-se com alguma ocupação, arte ou comércio ou semelhante. Fizemos dela, vossa ocupação, igual a um ato de adoração a Deus, o Verdadeiro. (BWF, 195)

O povo de Bahá não se deve recusar a conceder a devida recompensa a qualquer um, e deve respeitar os possuidores de talento... (RB, 137)

"... o homem deve conhecer a si próprio e saber quais são as coisas que conduzem à elevação ou à baixeza, à vergonha ou à honra, à abundância ou à pobreza. Depois de haver o homem compreendido seu próprio ser e se tornado maduro, então, a riqueza é-lhe necessária. Se ele adquire essa riqueza mediante um ofício ou uma profissão. Isso é digno de aprovação e louvor, diante dos homens de sabedoria..." (RB, 134)

Palavras Ocultas (Persa, no 80, 81, 82)

História: Finalmente Seu tio resolveu tirá-Lo da escola de Shaykh Abid e trazê-Lo para seu próprio negócio. Também aí revelou Ele sinais de um poder e grandeza que poucos poderiam rivalizar e ninguém igualar... Os dias que o Báb dedicou ao comércio foram passados em Bushihr... Seus olhos meigos, Sua extrema cortesia, a serena expressão de Seu rosto causavam uma indelével impressão... os que conviveram com ele atestam a Sua pureza de caráter, o encanto das Suas maneiras, Sua modéstia, Sua alta integridade e Sua extrema devoção a Deus.

Certo homem entregou a Seu cuidado mercadorias, pedindo-Lhe que vendesse a um determinado preço. Quando o Báb lhe enviou a quantia da venda daqueles artigos, o homem verificou que a quantia que lhe ofereciam excedia em muito o limite que fizera. Escreveu imediatamente ao Báb, pedindo-Lhe que explicasse as razões desse fato. O Báb respondeu:

"Enviei-lhe exatamente o que lhe cabe, nem um tostão a mais daquilo a que tem direito. Em certa ocasião a mercadoria que me confiou atingiu esse valor. Deixando de vendê-la por tal preço, vejo-Me na obrigação de lhe mandar a quantia integral."

E por mais que o cliente do Báb insistisse em devolver-lhe a quantia excedente, o Báb continuou recusando. (DB, 76, 77, 79, 80)

Enquanto diversas pessoas conversavam com 'Abdu'l-Bahá, uma voz se fez ouvir à porta do vestíbulo... O homem entrou e sentou-se na sala de jantar. Por sua aparência poderia ser um vagabundo comum, mas assim que falou, algo mais pareceu transparecer no meio de toda aquela miséria e sofrimento. Ao cabo de um instante começou a sua triste história:

- "Nem sempre fui como me vêem agora, uma criatura desonrada e desesperada. Meu pai é um cura na região... Tinha resolvido acabar com a minha vida fútil e odiosa, sem serventia para Deus ou para os homens! Numa cidadezinha do interior, ontem, ao dar o que supunha ser o meu último passeio, vi um rosto na vidraça da redação de um jornal. Fiquei olhando aquele rosto depois de ler a notícia de que Ele se encontra nesta casa. Disse, então, a mim mesmo: "Se houver na terra uma pessoa assim, tornarei a carregar nos ombros novamente o fardo da vida".

- "Rejubila-te! Rejubila-te!", exclamou 'Abdu'l-Bahá. "A generosidade e o poder de Deus são ilimitados para com toda e qualquer alma neste mundo!"

Quando o estranho visitante levantou-se para deixar a presença Daquele a Quem viera procurar e encontrara, levava uma nova expressão no rosto, um novo vigor no porte, um propósito mais firme no modo de caminhar.

- "Vou trabalhar no campo. Poderei ganhar o suficiente para as minhas parcas necessidades. Assim que juntar o bastante comprarei um pedacinho de terra e construirei uma minúscula cabana... depois plantarei violetas para vender no mercado. Como disse Ele, a pobreza não importa; trabalhar é adorar. Não preciso agradecer, não é mesmo? Adeus". E o homem foi embora. (BW IV, 381-382)

Questões a Discutir:

1 - Procure descrever o mundo se ninguém tivesse o que fazer.

2 - Porque cessaria todo progresso se não pudéssemos trabalhar?

3 - Qual o traço dominante do trabalho do Báb como mercador?

4 - Nomeie os outros Profetas de Deus que tiveram um ofício ou profissão.

5 - Como reformou o Mestre uma vida?

6 - Que poderá você fazer agora para garantir a vitória na sua vida?

Lição VIII
Imortalidade

Oração: "No jardim de Tua imortalidade, ante a Tua face, permite que eu eternamente permaneça, ó Tu que me mostrar clemência, e sobre o assento de Tua glória estabelece-me, Tu que és meu Possuidor!" (OB, 42)

Lição: Comparemos a morte com a mudança operada no bulbo plantado muitas semanas atrás, hoje flor a desabrochar no vaso. Ou com o nascimento de um pássaro. Como teria o pássaro conhecimento do ninho, da árvore ou da campina? Da mesma forma, não podemos conhecer o mundo do além, a não ser por aquilo que o Profeta de Deus nos revelou. Fazer ver assim que como o físico dá vida à planta, o Sol da Verdade nos dá vida para a nossa jornada espiritual.

Leitura:

Não temei a morte, ó Amado! É só um portal que se passa

Para um jardim tão lindo que jamais vimos por aqui.

Onde as flores do espírito toda beleza mostram.
Nossas pequenas gentilezas,
Nossos atos atenciosos,
Nossas palavras de aplauso,
Todas, todas as coisas lindas
Que fizemos ou que dissemos,
Ali, certamente, estão plantadas.
Não temei a morte, ó Amado! Transpõe
De cabeça erguida o portal;
Tão lindo será vosso jardim.
Leitura: Palavras Ocultas (Árabe, no. 31, 32)

"Bem-aventurado o homem que tiver volvido sua Face para Deus e permanecido fiel no caminho de Seu amor, até que sua alma se haja elevado para Deus, o Senhor soberano de todos..." (RB, 49-50)

"A morte oferece a cada crente confiante a taça que é, na verdade, vida. Dá prazer e é portadora da alegria. Ela confere a dádiva da vida eterna." (GWB, 345)

"Ó Meus servos! Não vos entristeçais se, nestes dias e neste plano terrestre, Deus ordena e manifesta coisas contrárias aos vossos desejos, pois dias de contentamento extático, de deleite celestial, seguramente, vos esperam. Mundos santos e espiritualmente gloriosos, desvendar-se-ão ante vossos olhos. Sois destinados por Ele, neste mundo e no além, a participar de seus benefícios, ter um quinhão em suas alegrias e obter uma parte de sua graça sustentadora..." (RB, 85)

"Bem-aventurada a alma que estiver - na hora de sua separação do corpo - purificada das vãs fantasias dos povos do mundo. Esta alma vive e atua segundo a Vontade de Seu Criador e entra no Paraíso Supremo. As Donzelas do Céu, habitantes das mais elevadas mansões, circundá-la-ão e os Profetas de Deus e Seus eleitos procurarão sua companhia. Com eles essa alma conversará livremente, relatando-lhes o que teve de sofrer no caminho de Deus, o Senhor de todos os mundos." (RB, 47-48)

"Quanto à pergunta se as almas se reconhecerão mutuamente no mundo espiritual: Este fato é certo, pois o Reino é o mundo da visão onde todas as realidades ocultas serão reveladas. Quanto mais as almas conhecidas tornar-se-ão manifestas. Os mistérios que o homem não compreende neste mundo terreno, descobrir-los-á no mundo celestial, onde se revelará o segredo da verdade: mais ainda, ele reconhecerá ou descobrirá as pessoas com quem esteve associada. Indubitavelmente, as almas santas dotadas de olhar puro e favorecidas com visão interior, no reino das Luzes, terão a revelação de todos os mistérios e perceberão a graça de testemunhar a realidade de toda grande alma. Elas próprias, manifestamente, contemplarão a Beleza de Deus nesse mundo. De igual modo, encontrarão todos os amigos de Deus, tanto dos tempos primitivos como dos recentes, presentes na assembléia celestial." (BWF, 167)

"Em casa de meu Pai há muitas moradas; se assim não fosse eu vos teria dito. Vou preparar um lugar para vós." (João, 14:12)

História: Embora o Mestre já tivesse repousado no Museu, sentou-se outra vez ao ar livre, numa suave curva do terreno, embaixo de uma árvore nova. E ali ficou durante algum tempo, enquanto permanecemos de pé nas lajes do caminho. Estaria Ele esperando por alguém? Pouco depois o velho judeu se aproximou furtivamente de nós. (... o zelador da propriedade... um judeu pequeno, de rosto bondoso.")

- "Está Ele cansado?", sussurrou baixinho para mim. "Quem é? Parece um grande homem."

Aí lhe contei algo sobre os sofrimentos do Mestre. - "Gostaria de falar-Lhe", disse o judeu e, então, o conduzi à presença do Mestre. Este levantou a cabeça, os olhos brilhantes e cheios de doçura.

- "Vinde e sentai-vos ao Meu lado", disse Ele.

- "Não, não devo fazer isso", respondeu o zelador. "Não vistes todo o Museu. Não quereis voltar lá depois de ter descansado? Há ainda os fósseis e os pássaros".

- "Não", respondeu o Mestre sorrindo. "Estou cansado de andar por aí vendo as coisas deste mundo. Quero ir para cima, viajar e ver os mundos espirituais. Que achais disso?", perguntou de repente, com um sorriso luminoso. O velho zelador pareceu perplexo e coçou a cabeça.

- "Qual preferíeis possuir?", continuou o Mestre. "O mundo espiritual ou o material?"

- "Creio que o material", respondeu o zelador muito sério. "Este, pelo menos, sabemos que existe".

- "Mas não o perdeis quando alcançais o espiritual. Quando vais ao andar superior de uma casa, não abandonais a casa. O andar térreo está debaixo de vós."

- "Oh, sim!" Repentinamente o rosto do velho se iluminou. Aí o Mestre levantou-se e, parado à sombra da árvore, com o sol a luzir-Lhe nas roupas, ensinou ao velho judeu... a concordância espiritual entre Cristo e Moisés.

(De " 'Abdu'l-Bahá'í First Days in América", por J. Thompson)

Questões a Discutir:
1 - Porque não devemos temer a morte?

2 - Porque se assemelha ela ao desabrochar de uma flor?

3 - Encontraremos e reconheceremos os nossos amigos e nossos entes queridos no mundo do além?

Lição IX
O Homem Necessita de um Educador

Oração: "Louvores a Ti, ó nosso Deus, por nos teres enviado o que nos faça aproximarmos de Ti, e concedido todo o bem que ordenaste em Teus Livros e Tuas Escrituras. Nós Te suplicamos, ó meu Senhor, que nos protejas das hostes das vãs fantasias e das idéias fúteis. És, em verdade, o Poderoso, o Onisciente." (OB 1967, 90)

Lição: Pedir às crianças que mencionem alguns dos grandes Mestres Espirituais ou Profetas. Ensinar-lhes o termo "Manifestação", ou Àquele que Manifesta, o Espírito de Deus. Comparar o Manifestante a um Jardineiro, fazendo ver que um jardim só se pode conservar belo se o jardineiro o trata com carinho. As árvores frutíferas, quando não cultivadas, voltam a ser pequenas árvores nodosas da mata, e, da mesma forma, os seres humanos precisam de cuidados espirituais. Contar a história da mulher de Samaria ou de Maria Madalena para mostrar o poder que tem o Manifestante de transformar os corações humanos. Depois narrar a história de um grande apóstolo, para mostrar a rápida transformação de uma vida tocada por Ele, elevando-se a grandes alturas, mesmo quando faltam educação ou riquezas. Discutir as condições do mundo de hoje, envolvido em guerras e disputas. Demonstrar que um grande Instrutor Mundial se faz necessário para transformar novamente os corações.

Leituras: "A origem de toda erudição é o conhecimento de Deus - exaltada seja Sua Glória - e este não pode ser atingido a não ser através do conhecimento de Seu Manifestante Divino." (RB, 125)

"Os fruticultores do mundo humano são os Profetas de Deus." (RAP, 166)

"Cada palavra vinda da boca de Deus é dotada de tamanha potência que pode insuflar vida nova em cada ser humano..." (GWB, 141)

"Atestamos que quando Ele veio ao mundo, espalhou o esplendor de Sua Glória sobre todas as coisas criadas. Graças a Ele, o leproso curou-se da lepra da perversidade e da ignorância. Graças a Ele, o impuro e o obstinado foram redimidos. Pelo seu Poder, nascido do Deus Onipotente, os olhos do cego se abriram e a alma do pecador santificou-se." (GWB, 89)

"O Médico Onisciente tem o dedo no pulso da humanidade. Percebe a doença, e na Sua infalível sabedoria prescreve o remédio." (GWB, 212)

"Os Educadores da Humanidade" (todo o trecho). (BWF, 251)

Histórias: Certo dia o Báb encarregou meu irmão de informar Shaykh Hasan de que Ele próprio pediria a Ali Khán para modificar sua atitude em relação aos crentes que visitavam Mah-Kú, afrouxando a sua severidade. - "Dizei-lhe", acrescentou, "que amanhã darei instruções ao carcereiro para que o conduzam até aqui". Fiquei grandemente surpreendido com tal recado. Como convencer o dominador e voluntarioso Ali Khán a abrandar a dureza de sua disciplina? Bem cedo, na manhã seguinte, estando os portões do castelo ainda fechados, fomos surpreendidos por uma repentina batida na porta... Reconhecemos a voz de Ali Khán. Sua arrogância e orgulho pareciam ter desaparecido por completo. Humildemente e com extrema cortesia respondeu à minha saudação e me suplicou que o deixasse ir à presença do Báb. Conduzi-o ao aposento que meu Mestre ocupava.

Com uma mesura reverente, Ali Khán aproximou-se e jogou-se a Seus pés. - "Livrai-me de minha perplexidade", suplicou ele. "Cavalgava pelo deserto e me aproximava dos portões da cidade quando... de repente Vos avistei junto ao rio, concentrado em Vossas orações... Resolvi deixar-Vos onde estáveis, voltar e reprovar aos guardas a sua negligência. Mas, para meu espanto, constatei que tanto os portões exteriores como os interiores estavam ainda fechados. Foram abertos a meu pedido, conduziram-me à Vossa presença e, para surpresa minha, aí estais sentado, diante de meus olhos."

Respondeu o Báb: - "O que presenciastes é verdadeiro e inegável. Deus, o Todo-Misericordioso... instilou no vosso coração o amor do Seu Escolhido, fazendo com que reconheçais o indestrutível poder de Sua Fé."

Esta maravilhosa experiência modificou completamente o coração de Ali Khán. Tais palavras acalmaram a sua agitação e diminuíram o furor de sua animosidade. Dispôs-se (ele) a fornecer, dentro dos limites de sua autoridade, tudo que pudesse aliviar o rigor do cativeiro do Báb... Todos aqueles a quem o Báb desejava ver tiveram licença para ir à Sua presença, conversar com Ele e receber as Suas instruções. (DB, 246-248)

Levando-me pela mão, 'Abdu'l-Bahá atravessou o aposento em direção a uma janela onde duas cadeiras nos esperavam. A majestade de Seu caminhar impressionou-me e senti-me como uma criança conduzida por seu pai, mais que um pai terreno. Sua mão segurava a minha, apertando-a e mantendo-me perto de Si. Foi então que falou pela primeira vez em minha língua. Afirmou em tom suave que eu era o Seu filho muito querido. Ali, afinal, estava o meu Pai. Que paternidade terrena poderia igualar-se a esta? Uma nova e esquisita emoção tomou conta de mim. Senti um nó na garganta. Meus olhos marejaram-se... Segui como uma criancinha aqueles passos senhoris... O coração dentro de mim se derreteu e as lágrimas jorraram dos olhos. Não era um choro no sentido ordinário do termo. Minhas feições não se decompuseram. Era como se uma torrente, por longo tempo represada, tivesse por fim rompido as comportas. Ignoradas enquanto eu olhava para Ele, as lágrimas continuavam a correr. Ele pôs os dois polegares nos meus olhos para enxugá-los e, enquanto isso, advertia-me para que não chorasse, pois devíamos estar sempre contentes... Desde então a vida nunca mais foi a mesma.

(Portals to Freedom, por Howard Ives, 32-33)

(Ler também a história de Nu'man, o rei árabe, contada por 'Abdu'l-Bahá no "The Secret of Divine Civilization", 46-51. É uma das mais bonitas ilustrações do poder da palavra para mudar a vida.)

Questões a Discutir:
1 - Porque o homem precisa de um Educador?

2 - Como o Manifestante modifica os corações dos homens?

PARTE II
REVELAÇÃO PROGRESSIVA
LIÇÃO I
O Dia de Adão

Oração: "Imploro-Te, ó Tu que és meu Companheiro na minha humildade, faze chover sobre Teus amados, das nuvens de Tua mercê, aquilo que os tornará satisfeitos com o Teu desejo e lhe permitirá voltarem-se para Ti e desprenderem-se de tudo mais, salvo de Ti." (P&M, 17)

Lição: Contar ou ler a história de Adão e Eva no jardim do Éden. Descrever o simbolismo apresentado por 'Abdu'l-Bahá no capítulo XXX de "Repostas a Algumas Perguntas". Comentar o espírito e a alma do homem diante da serpente da tentação. Tirar uma analogia das próprias vidas das crianças. Deixar claro que a árvore do bem e do mal representa a vontade do homem; a Árvore da Vida, a Vontade do Manifestante Divino. Fazer compreender a importância das escolhas, feitas na nossa vida cotidiana que coincidam com a Vontade Divina.

Referências para o Professor:
Gênesis: capítulos 2 e 3
Alcorão: Surata VII, versículos 18 a 26
Surata II, versículos 29 a 36
Surata XX, versículos 114 a 121
Respostas a Algumas Perguntas: Capítulo XXX

Leituras: "Os Manifestantes Divinos, desde o dia de Adão, têm procurado unir a humanidade para que todos possam ser considerados como uma só alma." (FWU, 14)

"Estes começando com Adão e terminando com o Báb, preparam o caminho e anunciaram com veemência cada vez maior o advento do Dia dos Dias, no qual o Prometido de todos os tempos se manifestará." (DB, 11)

Palavras Ocultas: (Árabe) nos 4, 21, 22, 23; (Persa) no. 12.

Questões a Discutir:

1 - Aponte algumas formas assumidas hoje em dia pela serpente da tentação.

2 - Como nos ajuda o Profeta de Deus a fazer grandes escolhas?

3 - Cite algumas das mais importantes escolhas que se podem fazer hoje.

4 - Quem é a Árvore da Vida em nossos dias?

5 - Cite um dos significados de Adão e Eva, dados por 'Abdu'l-Bahá.

Testes: (C = Certo; E = Errado)

1 - A vontade humana está sempre de acordo com a Vontade Divina. (C - E ?)

2 - A Vontade Divina é a fonte da felicidade. (C - E ?)

3 - Adão e Eva comeram da Árvore da Vida. (C - E ?)

4 - A Árvore do Bem e do Mal existe hoje em dia. (C - E ?)

5 - A escolha do homem pode ser boa ou má. (C - E ?)

6 - A serpente simboliza o amor. (C - E ?)

7 - A Árvore da Vida é o Manifestante de Deus. (C - E ?)

Lição II
A Arca de Noé
Sua Salvação
O Convênio com Deus

Oração: "Glorificado sejas Tu, então, ó meu Deus! Suplico-Te pelo Teu Nome Máximo que reúnas aqueles que Te amam em torno da Lei que emana de Tua Vontade e derrames sobre eles aquilo que lhes fortalecerá os corações." (P&M, 14)

Lição: Contar a história de Noé tal como se encontra nas referências. Mostrar que as santas Manifestações surgem nas épocas em que os povos do mundo estão corrompidos e necessitam da verdade espiritual. Realçar a obediência de Noé, sua coragem e integridade. Sugerir que a arca simbolizava a Palavra de Deus, que é a verdadeira origem de salvação.

Referências: Gênesis, capítulo 6: A Arca de Noé
Gênesis, capítulo 8: Seu Salvamento

Gênesis, capítulo 9: versículos 8-19: Convênio de Deus com Noé

Alcorão: surata VII, versículos 57 a 62
Alcorão: surata XI, versículos 27 a 50
Alcorão: surata LXXI, versículos 1 a 29
Livro da Certeza, pág. 10
Leituras:
Palavras Ocultas (do árabe): nos 9, 35

"Na verdade, colherás o que semeaste e obterás os frutos daquilo que plantaste." (TAB, vol. 1, 12)

"Observa como toda vez que a Estrela Matutina da Divina Munificência lançou a luz de Sua Revelação sobre o mundo, os homens do Seu Dia se levantaram contra Ele e repudiaram a Sua Verdade." (GWB, 56)

Questões a discutir:
1 - Porque os homens se opuseram a Noé?

2 - Porque Sua advertência pareceu incrível numa região de deserto?

3 - Com que se ocupavam as pessoas?
4 - Como fez Deus o Convênio com Noé?
5 - Quem é a Arca de Salvação hoje em dia?
LIÇÃO III
O Convênio de Abraão com Deus
O Sacrifício de Isac

Oração: "Sou aquele, ó Senhor, que se agarrou à corda de Tua amorosa bondade e à fímbria de Teus favores e misericórdia. Ordena para mim e para os meus amados os bens deste mundo e do outro." (P&M, 10)

Lição: Ler ou relatar brevemente a história do Convênio de Deus com Abraão, e uma das tradições segundo as quais foi ele experimentado pelo fogo (a horrível fornalha de Nemrod). A história do sacrifício de Isac é uma forte demonstração de fidelidade e completo sacrifício. Peça à classe exemplos de constância e integridade que as crianças possam ter testemunhado na vida diária. Falar dos Bábís. Comparar os alunos com estes grandes heróis e encorajá-los a grandes feitos na época em que vivem. Explicar o cumprimento da promessa de Deus a Abraão.

Referências:
Gênesis: 17:1-8, Convênio de Deus com Abraão;
Gênesis: 22:1-18, Sacrifício de Isac
Livro da Certeza: págs. 12, 48
Bahá'í World Faith, p. 271

Alcorão: surata VI, versículos 74 a 83; surata XXXVII, 81-109

Leitura:

"A essência do amor é para o homem voltar o seu coração para o Amado e desprender-se de tudo, menos de Deus, nada desejando, exceto aquilo que for a vontade do Senhor." (BWF, 140)

"... uma bênção especial é conferida a certas famílias e certas gerações. Assim foi por uma bênção especial que dentre os descendentes de Abraão surgissem todos os Profetas dos Filhos de Israel. Esta foi a bênção que Deus concedeu a essa descendência; a Moisés, por parte de pai e mãe; a Cristo, pela linhagem materna; do mesmo modo, a Maomé, o Báb e a todos os Profetas e Manifestantes Divinos de Israel." (BWF, 319)

Projeto: Encorajar todos os alunos a escolher uma história de Abraão para escrever ou contar e permitir que a classe selecione a melhor história para apresentação aos grupos de crianças menores.

Questões a discutir:

1 - Qual a parte da vida de Abraão que mais lhe agradou? Porque?

2 - Qual das suas qualidades mais admira?

3 - De que maneira podemos nos sacrificar por Deus hoje em dia?

4 - Que Convênio Deus fez conosco hoje em dia?
LIÇÃO IV
A Fuga de Moisés
A Sarça Ardente
Sinais e Portentos
Jornada no Deserto
Os Mandamentos

Oração: "Este é o Teu servo, ó meu Senhor, que com todo o seu ser voltou-se para o horizonte de Tua generosidade, o oceano de Tua Graça e o céu de Tuas Dádivas. Faze comigo o que for compatível com a Tua majestade, Tua glória, Tua bondade e Tua graça."

(P&M, 60)

Lição: É necessário contar às crianças como os israelitas se tornaram escravos no Egito e algo das condições em que viviam. Usando as passagens da Bíblia citadas abaixo, relatar a história de Moisés. Explique a Sarça Ardente do ponto de vista do Espírito Santo, os sinais e portentos como coisas indispensáveis para um povo descrente, a jornada com seu poder e proteção e os mandamentos como a bondade de Deus e o ponto central de uma nova civilização. A lição poderá ser dividia em lições, quantas forem julgadas necessárias.

Referências:
Êxodo: 2:11-21 - A Fuga de Moisés
Êxodo: 3:1-7 - A Sarça Ardente
Êxodo: 4:1-9; 29-31 - Sinais e Portentos

Êxodo: 14:13-16; 22-23; 27-31 - Jornada no Deserto

Êxodo: 20:1-17 - Os Mandamentos
Respostas a Algumas Perguntas, cap. V
Livro da Certeza, págs. 12-14, 42-43, 48-49
Bahá'í World Faith, pp. 271-279

The Promulgation of Universal Peace, Vol. II, p. 339

Alcorão, surata XIV, versículos 5 a 9
Alcorão, surata XXVIII, versículos 1 a 45

Leituras: "Outrora enviamos Moisés com os nossos sinais, dizendo-lhe: Traga o teu povo das trevas para a luz e recorda-lhes os dias de Deus." (Alcorão, p. 226)

"Os Profetas de Deus são os primeiros instrutores. Dão ao homem uma educação universal e fazem-no subir dos mais baixos níveis de selvageria aos mais altos pináculos do desenvolvimento espiritual." (BWF, 249)

"... mas amarás o teu próximo como a ti mesmo." (Levítico: 19-18)

"Sabei com certeza que Meus mandamentos são as lâmpadas da Minha amorosa providência entre os Meus servos, e as chaves da Minha misericórdia para com as Minhas criaturas." (GWB, 332)

"Esforça-te para que alegremente possas guiar teu vizinho para a lei de Deus, o Mais Misericordioso." (GWB, 339)

Palavras Ocultas: (do árabe) nos 38 e 39.

Projeto: Dar mapas às crianças, tirados da Bíblia, para que marquem, com linhas pontilhadas, as caminhadas do povo de Moisés para a terra prometida. Pedir a cada criança que decore um dos dez mandamentos, e fazê-las recitar, um a um, diante de outro grupo.

Teste: (C = Certo; E = Errado)

1 - A Voz na Sarça Ardente era a Voz de Deus. (C - E?)

2 - Ela mandou Moisés voltar a Jetro. (C - E?)

3 - Depois concedeu grandes poderes a Faraó, o rei. (C - E?)

4 - Faraó acreditou em Moisés e o ajudou. (C - E?)

5 - Os Filhos de Israel chegaram sãos e salvos ao deserto. (C - E?)

6 - Os egípcios atravessaram o mar sem molhar os sapatos. (C - E?)

7 - Os mandamentos de Moisés criaram uma civilização. (C - E?)

Questões a discutir:

1 - Quais as características de Moisés para ensinar os Filhos de Israel?

2 - Por que motivo Deus usou sinais e portentos naquela época?

3 - Precisamos de sinais físicos como prova hoje em dia? Por que?

4 - Como mostrou Deus Seu amor pelos crentes?

5 - Por que eram importantes para o povo os mandamentos de Moisés?

6 - Por que pensa que o mundo de hoje precisa de lei espiritual?

7 - Diga porque a lei da unidade é importante nesta época?

8 - Pode citar outras leis de Bahá'u'lláh para a nossa época?

LIÇÃO V
Nascimento de Jesus Jesus Cura os Enfermos
Batismo de Jesus A Vinda do Senhor Profetizada
As Bem-Aventuranças A Crucificação

Oração: "Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu reino. Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia nos dá hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; e não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória para sempre." (Mateus, 6:9-13)

Lição: Rever as razões pelas quais a humanidade necessita de um novo Instrutor de tempos em tempos, e mencionar as lamentáveis condições da Judéia na época de Cristo. Mostrar que assim como a Justiça foi o tema precedente, Jesus deu ênfase especial à lei do Amor. Podem ser contadas uma ou duas parábolas de Jesus, principalmente ligadas às Bem-Aventuranças. A do Bom Samaritano, por exemplo, é um quadro perfeito da vida que Jesus ensinou. Ressaltar o Convênio de Deus e a idéia da Revelação Progressiva como pontos principais. Salientar que assim como o arco-íris e a sarça ardente simbolizam a promessa de Deus e o Espírito Santo no passado, a pomba os representa na história de Jesus.

Referências:
Mateus 2: - Nascimento e Infância
Mateus 3:13-17 - O Batismo
Mateus 5:1-10 - As Bem-Aventuranças
Mateus 9:1-7 - Jesus cura os enfermos
João 4:46-53 - Jesus cura os enfermos
João 5:2-9 - Jesus cura os enfermos
Marcos 1:40-45 - Jesus cura os enfermos
Mateus 24:32-44 - A vinda do Senhor profetizada
Lucas 23: - A crucificação
Respostas a Algumas Perguntas, cap. VI
Foundation of World Unity, chap. VI
God and His Messengers, p. 31
Livro da Certeza, pgs. 17-18, 44, 49-50, 97-99

Leituras: "Falhou-lhes pois Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida." (João, 8:12)

"Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que crê em mim, nunca morrerá." (João, 11:25-26)

"O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei." (João, 15-12)

"Ó amigo! Incendeia-te com o fogo do amor de Deus, para que o coração dos outros se iluminem com a luz do teu amor." (BWF, 359)

"O advento dos profetas e a revelação dos Livros Sagrados têm por fim estabelecer o amor entre as almas e a amizade entre os habitantes da terra. O verdadeiro amor é impossível, a menos que voltemos a face para Deus e sejamos atraídos pela Sua Beleza." (TAB, 505)

"O Espírito Santo dará ao homem grandes poderes... se ele se dedicar às coisas do Espírito e procurar harmonizar o seu coração com o Amor Divino Infinito... Difundi a luz de um amor ilimitado a todo o ser humano que encontrardes, seja ele ou não do vosso país, de vossa raça, do vosso partido político, ou de qualquer outra nação, cor, ou matiz de opinião política. O céu vos dará forças enquanto trabalhardes pela união das pessoas espalhadas no mundo à sombra da Toda-Poderosa Tenda da Unidade." (PT, 38)

"Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não podeis suportar agora. Mas, quando vier aquele Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade..." (João, 16:12-13)

Palavras Ocultas (do árabe) no. 5

Projeto: Para finalizar, pedir a cada criança que se prepare para contar uma história sobre Jesus, ou uma de suas parábolas na aula seguinte. Uma edição de bolso do Novo Testamento será um prêmio adequado para a melhor história.

Questões a discutir:
1 - Onde nasceu Jesus?
2 - A que religião pertencia Ele?

3 - Por que motivo Herodes desejava matar esta Criança Divina?

4 - Por que Jesus se deixou batizar?
5 - Que proclamou a Voz vinda do céu?
6 - Qual a Bem-Aventurança que mais lhe agradou?

7 - Conhece alguém que o faça pensar nas Bem-Aventuranças?

8 - Que é o Espírito da Verdade hoje em dia?

9 - Em que se parecem muitas das pessoas da nossa época com as do tempo de Noé?

10 - Que significa "redenção"? Foi Jesus um redentor?

11 - O que disse Bahá'u'lláh sobre o significado disso para os cientistas, artistas e reis do mundo? (Ver GWB, 85)

12 - Como poderá o mundo de hoje livrar-se da "lepra" da descrença?

LIÇÃO VI
Maomé
Nascimento e Infância Aspectos de Sua Revelação
Passagens de Sua Vida Os Princípios Que Ensinou
Sua Revelação e a Fuga de Meca
(Hégira)

Oração: "Glorificado sejas Tu, ó Senhor meu Deus! Suplico-Te pelos Teus Escolhidos e pelos Portadores de Tua Confiança, e por Aquele que Tu ordenaste ser o Selo dos Teus Profetas e dos Teus Mensageiros, que deixes Tua lembrança ser minha companheira, Teu amor meu alvo, Tua face meu objetivo, Teu nome minha lâmpada. Tua vontade o meu desejo, e Teu prazer o meu deleite." (P&M, 29)

Lição: Relatar de maneira simples a história de Maomé: sua infância na orfandade e seus dias de condutor de camelos. O casamento com sua patroa, que veio a ser sua primeira seguidora; sua inspiração vinda de Deus e a coragem com que Ele proclamou a sua mensagem, a perseguição que sofreu, o triunfo final e seu efeito sobre o mundo. Como ainda prevalece, no ocidente, o preconceito contra o Islã; seria interessante contar histórias e fatos que acentuem pontos simpáticos. Se necessário, prolongar o assunto por mais de uma lição. As crianças poderão tomar nota dos princípios que Ele ensinou; a Unidade de Deus; a oração; o jejum; a esmola; a bondade para com os animais; a firmeza na Causa de Deus e a peregrinação à Cidade Santa. Falar sobre a baixa condição das pessoas a quem Ele se manifestou e a subseqüente ascensão desta gente. Mostrar que as bases da astronomia, medicina, matemática, tecelagem, tinturaria, irrigação, floricultura e muitas outras coisas excelentes, que possuímos hoje em dia, vieram do Islã. Mostrar gravuras de mesquitas, tapetes e arte persa.

Referências:

Six Lessons on Islam, de Marzieh Gail (Bahá'í Publishing Trust)

Livro da Certeza, 80-83
Respostas a Algumas Perguntas, cap.VII
God and His Messengers, 41

Promulgation of Universal Peace, Vol I, 196-197; II, 340-341; 395-396, 404

The Dawn-Breakers, Intr. II

Bahá'í World, Vol. VII - Dawn Over Mount Hira, de M. N. Carpenter

Bahá'í World, Vol. II - A Modern Interpretation of Muhammadanism, por Henrietta

G. Wagner

Bahá'í World, Vol. VIII - Scriptures of Different Faiths, por P. Singh, p. 896

Bahá'í World, Vol. IX - Islam and the Scientific Spirit, por R. Culick

Leitura: "Não adores a ninguém, exceto Deus." (Alcorão, surata XI, versículo 2)

"Deus é o Senhor dos crentes: Ele os tirará das trevas para luz." (Surata II, 258)

"Celebra o louvor de teu Deus antes do nascer do sol e antes do seu ocaso; e, às vezes, à noite, louva-O também, assim como nas últimas horas do dia, a fim de agradá-Lo. Aprende a orar em família e persevera nisso." (Surata XX, 130-132)

"O princípio de todas as coisas é o conhecimento de Deus, e o fim de todas as coisas é a estrita observância de tudo o que foi mandado do empíreo da Vontade Divina, o qual predomina sobre tudo o que se acha nos céus e na terra." (RB, 65)

"Os profetas divinos se unem no perfeito estado de amor". (PUP, Vol. I, 217)

"O Sol da Realidade é um Sol único, mas tem nascimento em lugares diferentes, assim como o sol material é um só, embora apareça em vários pontos do horizonte." (PUP, Vol. I, 91)

"Louvado seja Deus, Senhor dos mundos! O Compassivo, o Misericordioso! Rei do dia do juízo! Só a Ti adoramos e a Ti clamamos por socorro. Guia-nos no caminho reto, o caminho daqueles a quem Tu deste graças." (Alcorão, Surata I, 1-6)

Projeto: Um caderno de figuras religiosas, retratando o desenvolvimento da religião, com realce especial da cultura islâmica.

Questões a discutir:

1 - Cite algumas práticas condenáveis que Maomé teve de extinguir.

2 - O Calendário do Islã é igual ao nosso?
3 - Pode indicar os países de fé muçulmana?

4 - Cite algumas das contribuições do Islã para o mundo.

5 - Se tivesse nascido como uma criança árabe, qual seria a sua religião mais provável?

6 - Quais seriam as suas obrigações diárias?
7 - Como seria o seu país?

8 - Por que seriam você e seus companheiros árabes tão reverentes?

9 - Na sua opinião, quais dos ensinamentos de Maomé que maior proveito traria aos povos do Ocidente?

10 - Aponte cinco dos Seus principais ensinamentos.

11 - Que ensinou Maomé a respeito de Abraão, Moisés e Jesus?

LIÇÃO VII
A Juventude do Báb Seu Exílio e Martírio
A Declaração O Seu Santuário no Monte Carmelo

Oração: "Há quem remova as dificuldades, a não ser Deus? Dize: Louvado seja Deus! Ele é Deus! Todos são Seus servos e todos aquiescem a Seu Mandamento!" (O Báb) (OB 1967, 114)

Lição: Ler algumas das citações enumeradas abaixo e contar a história do Báb com palavras simples. Salientar Sua sabedoria inata, Sua alta integridade, Sua adoração por Aquele que viria; Seu grande sacrifício. Discutir os Seus dois aspectos: como precursor e como Profeta independente. Fazer ver que Seu corpo está sepultado no Monte Carmelo e mostrar às crianças fotografias do Seu Santuário. Falar sobre o estado de decadência da Pérsia, descrito na Introdução do "The Dawn-Breakers", mas relembrar tanto a antiga glória desse país como o heroísmo atual dos discípulos persas do Báb. Ao contar a história do Báb é preciso ter cuidado para não confundir as crianças com excesso de nomes.

Referências:
The Dawn-Breakers: Introdução
The Dawn-Breakers: pp. 72-80, A Juventude do Báb
The Dawn-Breakers: pp. 51-65, A Declaração

The Dawn-Breakers: pp. 194-198, 217-222, 236-241. 243-248, 309-316, 507-517:

Seu Exílio e Martírio
Presença de Deus: cap. I a IV
Bahá'u'lláh e a Nova Era, cap. II
Respostas a Algumas Perguntas, cap. VIII
God and His Messengers, pág. 47

Bahá'í World, Vol. V, p. 595: "The Reflorescense of Historical Romance in Nabil",

por Mary Maxwell.

Leitura: "Jamais afastarei Minha face dos decretos de Deus. Só Ele é Minha Fortaleza segura, Meu Esteio e Meu Refúgio." (DB, 149)

"Todas as coisas estão subjugadas a Seu poder. Nada é impossível para Ele. Deus remove toda dificuldade e vence todo obstáculo." (DB, 219)

"Ó Meus queridos amigos! Sois os portadores do Nome de Deus neste Dia. Fostes escolhidos como repositórios de Seu mistério. Cumpre a cada um de vós manifestar os atributos de Deus e exemplificar por suas ações e palavras os sinais de Sua integridade, do Seu poder e glória." (DB, 92)

"Acordai, acordai! Eis que o Portão de Deus está aberto e a Luz da manhã está espalhando sua radiância sobre toda a humanidade." (DB, 85)

"Terminaram os dias em que a simples adoração era considerada suficiente. Chegou o momento em que nada, a não ser os mais puros motivos, apoiados em ações irrepreensíveis, poderão ascender ao trono do Altíssimo e ser aceitos por Ele." (DB, 93)

"Purificai o vosso coração de desejos mundanos e deixai as virtudes angélicas serem vosso adorno." (DB, 93)

Algumas impressões registradas sobre o Báb

O Dr. Cormick, médico inglês, ao que se sabe, o único ocidental que O viu, escreveu:

"Era um homem delicado de físico e de maneiras, de estatura um tanto baixa, pele muito clara para um persa, com uma voz melodiosa e suave que muito me impressionou. Sendo um Siyyid, trajava-se de acordo com essa seita, assim como os Seus dois companheiros. De fato, toda Sua aparência e Seus modos muito predispunham a gente a Seu favor... Foi visto por uns carpinteiros armênios, que foram enviados para fazer reparos na Sua prisão, lendo a Bíblia e Ele não se deu ao trabalho de ocultá-la, bem ao contrário, falou-lhes sobre o que lia. Sem dúvida nenhuma o fanatismo muçulmano não existe na Sua religião, quando se refere aos cristãos." (DB, notas, 321-322)

Uma descrição de Sua voz é dada por Nabíl:

"A voz do Báb, quando ditava os ensinamentos e princípios de Sua Fé, era ouvida perfeitamente por aqueles que se encontravam no sopé da montanha. A melodia de Seu canto, o rítmico fluir dos versículos que brotavam de Seus lábios nos chegavam ao ouvido e nos penetravam até a alma. Montanhas e vales ecoavam a majestade de Sua voz. As mais recônditas fibras de nosso coração vibraram ao encanto da Sua palavra." (DB, 249)

Alguém que O visitou em Sua juventude, atesta:

"Toda vez que O encontrava, via-O num estado de humildade e recolhimento que me faltam palavras para descrever. Seus olhos baixos, Sua extrema cortesia, a serena expressão do Seu rosto causaram uma indelével impressão na minha alma. Muitas vezes ouvi daqueles que conviviam com Ele, testemunhos à pureza de Seu caráter, ao encanto de Suas maneiras, à Sua modéstia, à Sua alta integridade e à Sua extrema devoção para com Deus." (DB, 79)

Poema: O resplendor de tua face reluziu adiante
E os raios de teu rosto para o alto se elevaram;
Quando falou o verbo: "Não sou Eu vosso Senhor?"
E, "Tu és! Tu és!" todos nós logo responderemos.

O toque de clarim: "Não sou Eu?", a nos conclamar,

Como soam os tambores de aflição e de dor!
Nas portas de meu coração calcam os pés,
E se acampam as hostes da calamidade.

(De um poema sobre o Báb, escrito por Qurratu'l-'Ayn)

Projeto: Pedir a cada criança que conte uma história a respeito do Báb ou recite um versículo Seu. Premiar o esforço de cada criança com um prêmio que julgar conveniente e ao alcance da comunidade.

Um mapa da Arábia, Pérsia e Terra Santa poderá ser encontrado no Bahá'í World, Vol. IV, p. 240, mostrando a perseguição e exílio do Báb.

Esse mapa poderá ser decalcado num esboço simples, colocando-se-lhe os nomes de Shiráz, Máh-Kú e Tabríz. Uma linha pontilhada, como se vê no livro, marcará a jornada. As crianças, naturalmente, desejarão guardar o mapa para acrescentar a jornada de Bahá'u'lláh numa lição posterior.

Questões a discutir:

1 - O que na vida do Báb lhe faz lembrar a vida de Jesus?

2 - Acham que também Ele foi um redentor?

3 - Por que os poderosos se levantaram contra Ele?

4 - Quais os dois aspectos da posição do Báb?
5 - Quais as Suas características mais divinas?

6 - Qual delas, no seu entender, é mais necessária no mundo atual?

LIÇÃO VIII
Sua Santidade Bahá'u'lláh
A Infância de Bahá'u'lláh
Sua Juventude
Bahá'u'lláh em Bahjí
Os Santuários Atuais

Oração: "Glorificado sejas Tu, ó Deus de todos os nomes e Criador dos céus! Rendo-te graças por teres dado a conhecer a Teus servos este Dia em que o rio que é vida na verdade fluiu dos dedos de Tua prodigalidade e a primavera de Tua revelação e da Tua presença apareceram através do Teu Manifestante a todos aqueles que estão no Teu céu e na Tua terra." (P&M, 272-273)

Lição: Falar sobre a vida de Bahá'u'lláh; Sua juventude, posição, sabedoria inata, aprisionamento no calabouço de Teerã por amor ao Báb, Sua declaração, exílio e vida em 'Akká e Bahjí. Usar uma ou duas das histórias abaixo para mostrar o efeito que causava às pessoas. Mencionar Suas Epístolas aos reis, nas quais lhes ordena que reduzam seus esbanjamentos egoístas e a opressão de seu povo, deponham suas armas, consultem-se mutuamente e reconheçam Seu Senhor. Descrever o Santuário de Bahá'u'lláh como um lugar de peregrinação e mostrar às crianças fotografias do Santuário e da Mansão de Bahjí. Mencionar o cumprimento da profecia através de Bahá'u'lláh.

Referências:
Respostas a Algumas Perguntas, cap. IX
Bahá'í World Faith, 220-224
Paris Talks, 75-79
Bahá'u'lláh e a Nova Era, cap. III
The Dawn-Breakers, cap. V, XXV, XXVI
Presença de Deus, caps. VI a XIII

Bahá'í World, Vol. VIII, 778, "Bahá'u'lláh", por H. M. Balyuzi

Bahá'u'lláh, por H. M. Balyuzi
Um Poema: CUMPRIMENTO por E. T. Hall
Foi Ele a Quem o mundo todo exilou e difamou.
Em Haifa chegou, o Hermon distante alegre sorriu.
"Este é Aquele", a brisa do mar seu canto elevou,
"Que veio para reinar e triunfar do mal;
"Este é o Dia em que os céus ficaram enternecidos
"E a terra achará cumpridas todas as profecias...
"É Bahá, a Glória de Deus, cujo coração
"De ouro, repleto está de dádivas celestiais!"

Leituras: "Sua Santidade, Bahá'u'lláh, é o centro coletivo de unidade para a humanidade inteira." (PUP, Vol. I, 159)

"O advento dos profetas e a revelação dos Livros Sagrados têm por fim criar amor entre as almas e amizade entre os habitantes da terra." (BWF, 264)

"A missão dos profetas, a revelação dos livros sagrados, a manifestação dos instrutores divinos e o propósito da filosofia divina, tudo se concentra no adestramento das realidades humanas, para que se tornem claras e puras como espelhos capazes de refletirem as luzes e o amor do Sol da Realidade." (BWF, 262)

"O Pai chegou. Aquilo que vos foi prometido no Reino de Deus se cumpriu. Esta é a palavra que o Filho ocultou quando Ele disse àqueles ao redor Dele que ainda não estavam preparados para recebê-la." (WOB, 104)

"Verdadeiramente o Espírito da Verdade veio guiar-nos para toda a verdade... O Consolador cujo advento todas as escrituras prometeram já chegou, para que Ele vos revele todo conhecimento e toda sabedoria." (WOB, 104-105)

"A Ele, Isaías, o maior profeta judeu, aludiu como a "Glória de Deus", o "Pai Eterno", o "Príncipe da Paz"... (GPB, 94)

História: BAHÁ'U'LLÁH, A CRIANÇA

Quando Bahá'u'lláh era ainda criança, o Vizir, seu pai, teve um sonho. Bahá'u'lláh lhe apareceu a nadar num vasto e iluminado oceano. Seu corpo brilhava sobre as águas com uma radiância que iluminava o mar. Em volta da Sua cabeça, perfeitamente visível acima d´água, se estendiam, em todas as direções, Suas longas e negras madeixas, flutuando em grande profusão sobre as ondas. Ainda no sonho, uma multidão de peixes o rodeavam, cada um agarrando-se firmemente à extremidade de uma das mechas de cabelo. Fascinados pelo resplendor do Seu rosto, seguiam-No para onde quer que nadasse. A despeito do grande número de peixes e da firmeza com que a Ele se agarravam, nenhum fio de cabelo parecia ter-se desprendido da Sua cabeça, nem o Seu corpo ter sofrido o menor dano. Livre e desembaraçado, Ele se movia na água e todos os peixes O seguiam. O Vizir, grandemente impressionado com este sonho, procurou um adivinho, que conquistara fama na região, e pediu-lhe que o interpretasse. O homem como que inspirado por uma premonição da futura glória de Bahá'u'lláh, declarou: "O oceano ilimitado que vistes no vosso sonho, ó Vizir, não é outra coisa mais que o mundo do ser. Sem ajuda e só, vosso filho alcançará a suprema ascendência sobre ele... A multidão de peixes significa o tumulto que Ele levantará entre os povos e famílias da terra. Em volta Dele ajuntar-se-ão e a Ele agarrar-se-ão." (DB, 119-120)

História: BAHÁ'U'LLÁH, O JOVEM

Quando contava apenas treze ou catorze anos de idade, tornou-se célebre pelos Seus conhecimentos. Discorria sobre qualquer assunto e resolvia qualquer problema que Lhe era apresentado. Em grandes reuniões Ele discutia com os ulemás (os mulás mais eminentes) e explicava intrincadas questões religiosas. Todos os ouviam com o maior interesse." (BNE, 29)

Quando contava vinte e dois anos de idade, Bahá'u'lláh perdeu o pai, e, como era comum no Irã, o governo quis que ocupasse o cargo do Seu progenitor no ministério. Bahá'u'lláh, entretanto, a isso se recusou. O Primeiro Ministro então disse: "Deixai-o. Tal posição não lhe é digna. Ele tem em vista um ideal mais elevado. Não o posso entender, mas estou convencido de que está destinado a alguma carreira elevada. Seus pensamentos não são iguais aos nossos. Deixai-o." (BNE, 29-30)

História: A ENTREVISTA DO PROFESSOR BROWNE COM
BAHÁ'U'LLÁH EM BAHJÍ

"Embora suspeitasse vagamente para onde ia e com quem havia de estar... passaram-se dois ou três segundos antes que eu, palpitante de admiração e reverência, me certificasse de que a sala não estava deserta. No canto onde o divã tocava na parede, estava sentada uma maravilhosa e venerável figura... Jamais me esquecerei da fisionomia daquele para quem olhava, embora não possa descrevê-la. Aqueles olhos penetrantes pareciam ler-nos a própria alma; poder e autoridade residiam naquela testa larga, enquanto as linhas profundas do rosto indicavam uma idade que os cabelos pretos de azeviche e a barba fechada que quase tocava na cintura, pareciam desmentir. Não me foi preciso perguntar em cuja presença estava, enquanto me curvei diante daquele que é objeto de uma devoção e um amor que os reis bem poderiam invejar e os imperadores almejar em vão!"

"Uma voz cheia de dignidade e doçura convidou-me a sentar e prosseguiu: "Louvado seja Deus por teres chegado... Vieste ver um prisioneiro e exilado... Só desejamos o bem do mundo e a felicidade das nações; não obstante, consideram-nos provocadores de luta e sedição, dignos de cativeiro e exílio... Que todas as nações se unam numa mesma fé, e todos os homens se tornem irmãos; que os laços de unidade e afeição entre os filhos dos homens sejam fortalecidos; que cesse a diversidade de religião, e as diferenças de raça sejam anuladas - que mal há nisso?... E assim há de ser: essas lutas infrutíferas, essas guerras arruinadoras, hão de passar e a "Paz Máxima" há de vir... Que o homem não se vanglorie pelo amor à pátria e sim pelo amor à sua espécie..." Se não me falha a memória, foram estas as palavras que ouvi de Bahá. Que aqueles que as lêem julguem por si mesmos e o propagador de tal doutrina merece morte ou encarceramento, e se é mais provável que o mundo ganhe ou perca com sua difusão." (BNE, 40-41)

História: O SANTUÁRIO DE BAHÁ'U'LLÁH

"Mais quinze minutos, e penetramos no jardim Bahá'í onde jazem os restos mortais de Bahá'u'lláh. Enormes ciprestes e palmeiras se espalhavam em volta; os mesmos caminhos de mosaico vermelho corriam entre a grama luxuriante e as flores. Uma paz estranha, que emanava daquela atmosfera de beleza, mais uma vez nos envolveu. Com ansiosa reverência, tornamos a retirar os sapatos e nos encaminhamos para o túmulo da sagrada presença do Profeta. Seria o fato de repousar ali sozinho aquele grande homem que me comoveu tão profundamente? Ou seria que subitamente percebi a grandeza deste homem? Bahá'u'lláh não foi apenas o gênio supremo do movimento Bahá'í; foi, indiscutivelmente, um dos supremos gênios espirituais da história. Poucos, em qualquer época, se podem comparar com ele no discernimento, na visão, na sublimidade de pensamento e na nobreza de palavra."

"Senti tudo isso ao deter-me naquele lugar tranqüilo. Se me fosse possível estar ao pé do túmulo de Jesus, provavelmente sentiria a mesma emoção. Ali, muito apropriadamente, não havia treva, e, sim luz; nem tristeza, mas glória. Estes Santuários dos Profetas estão, na verdade, entre os lugares sagrados da terra." (BW, Vol. II, 342)

Questões a discutir:

1 - Qual era a Fonte dos grandes poderes de Bahá'u'lláh?

2 - Onde esteve Ele aprisionado pela primeira vez?

3 - Onde passou os Seus últimos dias?
4 - Qual o tema dos Seus ensinamentos?
III PARTE
O MUNDO BAHÁ'Í
LIÇÃO I
'Abdu'l-Bahá

Oração: "Ó Senhor, meu Deus! Concede-me a Tua graça, para que eu possa servir Teus bem-amados; fortalece-me em Teu serviço. Que minha fronte se ilumine com a luz de adoração em Tua Santa Corte e de oração a Teu Reino de grandeza." (OB 1967, 149-150)

Lição: Mostrar que o estudo da revelação progressiva termina com a vida de Bahá'u'lláh e que o estudo de Sua Ordem Mundial deve começar com o Centro de Seu Convênio, 'Abdu'l-Bahá. Contar a história de Seu exílio com Seu Pai, como serviu constantemente a Bahá'u'lláh, as peregrinações nos Seus últimos anos, Sua libertação, a visita que fez ao Ocidente, e Seu falecimento em 1921. Acentuar alguns dos importantes ensinamentos de 'Abdu'l-Bahá e seu efeito enquanto Ele viveu entre nós.

Referências:
World Order of Bahá'u'lláh, 131-139
Bahá'u'lláh e a Nova Era, cap. IV
Paris Talks, 39-41
Bahá'í World Faith, 204-207

Bahá'í World, Vol. I, 19-31, "The Passing of 'Abdu'l-Bahá, por Lady Blomfield e

Shoghi Effendi

Bahá'í World, Vol. IV, 337-343 - "The Way of the Master", por G. Townshend

Bahá'í World, Vol. VI, 625-627 - "Impressions of 'Abdu'l-Bahá", por Mrs. L. R.

Waite
Portals to Freedom, por Howard Colby Ives

Leituras: "Quando o oceano de Minha Presença tiver terminado, e o Livro de Minha Revelação estiver concluído", proclama o Kitáb-i-Aqdas, "volvei vossas faces para Aquele que Deus propôs, Aquele que procede desta Raiz Antiga." (WOB, 134)

"Minha posição é a posição de servir." (WOB, 133)

"Estamos todos unidos num propósito divino... Trabalhamos e oramos pela união da humanidade, a fim de que todas as raças da terra se tornem uma única raça, todos os países um único país, e que todos os corações possam bater como um coração, trabalhando juntos para uma perfeita unidade e fraternidade." (PT, 99-100)

"são todos iguais na cor e beleza do serviço à Ele." (ADJ, 58)

"Meu nome é 'Abdu'l-Bahá. Minha qualificação é 'Abdu'l-Bahá. Minha realidade é 'Abdu'l-Bahá. Meu louvor é 'Abdu'l-Bahá. Servidão à Bendita Perfeição é Meu glorioso e refulgente diadema, e servidão à toda raça humana minha perpétua religião." (WOB, 139)

Nota: O nome 'Abdu'l-Bahá significa "Servo da Glória". (Bahá'í Glossary, 4)

História: O LAR DE 'ABDU'L-BAHÁ

Moram na casa do Mestre mais de cem pessoas de Sua família, não contando os filhos dos crentes e Seus próprios netos. Que maravilhoso exemplo para o mundo é essa amorosa presteza em servir, dado por cada membro da família! Existe tamanha harmonia e unidade neste lar, onde toda rotina de cada dia se processa sem uma falha... Nem uma queixa, nem um atrito entre aqueles temperamentos tão variados em indivíduos de tão diversa condição. É um jardim de variadas flores a desabrochar na mais extrema amabilidade! O contraste com a vida familiar no mundo externo é tão grande que o observador se maravilha e se convence de que este é o milagre dos milagres que só o amor espiritual, torna possível. Que modelos para o mundo são estas santas mulheres, só o podem saber aqueles que observaram suas vidas de sacrifício e serviço - inferiores apenas à vida do Exemplar, seu Instrutor e Educador, 'Abdu'l-Bahá, o Mestre, o Possuidor de todas as perfeições, a incorporação de todas as virtudes, protetor dos pobres e necessitados, Conselheiro dos aflitos e sofredores - Ele, que é o Convênio de Deus entre Deus e o povo do mundo! (De "My Pilgrimage to the Land of Desire, por Marie Watson)

História: 'ABDU'L-BAHÁ, O SERVO DE DEUS

"Quando Seu Pai vivia fora de 'Akká, nas montanhas, Abbás Effendi costuma visitá-Lo com freqüência, e, embora a distância fosse grande, ia habitualmente a pé. Seus amigos Lhe perguntaram porque Ele não poupava tempo e fadiga, indo a cavalo. "Nestas montanhas Jesus andou a pé", disse Ele, "e quem sou Eu para cavalgar onde Jesus Cristo caminhou?" Certa vez, já em Seus últimos dias, tendo de percorrer uma distância considerável para regressar à casa, tomou assento na diligência comum. O cocheiro estranhou tal atitude num homem de Sua posição e O censurou por não alugar uma carruagem particular; mas Abbás Effendi ('Abdu'l-Bahá) insistiu em viajar na diligência. No fim da jornada, ao desembarcar, foi detido por um mendigo a cujas súplicas deu ouvidos, entregando-lhe uma moeda de ouro. Depois voltou-se para o cocheiro e disse: "Porque hei-de viajar numa carruagem, quando homens como este necessitam de dinheiro?" (BW, Vol. I, 340)

História: 'ABDU'L-BAHÁ EM PARIS

"Quem é Aquele que, com um ramo de rosas na mão, desce a escada?" Um pitoresco grupo de amigos (alguns persas... e alguns europeus) que O estavam seguindo, vê umas criancinhas aproximarem-se Dele. Seguram em Seu manto, confiantes e sem temor. Ele lhes dá as rosas, erguendo-as carinhosamente, uma após outra, em Seus braços com aquele sorriso glorioso que conquista todos os corações.

Outra vez vimos um cocheiro parar seu fiacre, tirar o boné e conservá-lo na mão, olhando espantado e com um ar reverente, enquanto a majestosa figura, respondendo cortesmente à sua saudação, avança com aquele caminhar que um amigo descreveu como "o de um rei ou pastor". (De "The Chosen Highway", por Lady Blomfield)

História: QUEREMOS VER NOSSO PAI

"Um oficial turco que morava em Haifa perdeu seu posto quando se deu a ocupação inglesa desse lugar. E ficou muito pobre, tanto ele como sua mulher e filhos estavam em grande necessidade. Foram então pedir auxílio a Abbás Effendi, que tudo fez para lhes mitigar as dificuldades.

Um belo dia o pobre homem adoeceu; o Mestre lhe mandou um médico, remédios e muita ajuda. Às portas da morte, o homem mandou chamar Abbás Effendi e reuniu os filhos. "Aqui está", disse ele, "vosso pai, que tomará conta de vós quando eu me for".

Certa manhã as quatro crianças foram à casa de Abbás Effendi e disseram: "Queremos ver nosso pai". O Mestre ouviu suas vozes e as reconheceu.

"Ó, viemos procurar-vos porque nosso pai morreu, e agora, cuidareis de nós e sereis nosso pai".

O Mestre as fez entrar e lhes ofereceu chá, bolos e doces. Depois levou os pequeninos de volta para casa. O pai não estava realmente morto, mas apenas desmaiado. As crianças é que pensaram que ele tivesse falecido. Contudo, morreu no dia seguinte.

O Mestre responsabilizou-se por todas as despesas com o médico, a enfermeira e o funeral. Depois forneceu à família enlutada comida, roupas, passagens e dinheiro para outras despesas até a Turquia.

Este é um dos tantos exemplos do cuidado dispensado pelo Mestre a todos que O procuraram aflitos e na miséria. De toda a parte ouvimos histórias dos Seus desvelos para com o povo.

Os cristãos disseram: "Ele viveu a vida de Cristo antes nós durante quarenta anos".

Os muçulmanos clamaram: "Ele era o nosso Consolador, nosso Pai, Irmão e Amigo. Jamais deixaremos de pranteá-Lo".

Os amigos judeus contam que se sentiam, quando em Sua Presença, envolvidos em tal atmosfera de amor que sentiam ter encontrado o verdadeiro lar do coração e da alma.

E que diremos nós Dele? (Do "The Chosen Highway" por Lady Blomfield.)

Questões a discutir:

1 - Quem nomeou 'Abdu'l-Bahá como o Centro do Convênio de Bahá'u'lláh?

2 - Aponte alguns aspectos de Sua vida em que provou ter Ele também atingido por completo a condição de servidão?

3 - Conhece algum meio de alcançar a condição de servidão?

4 - Quais os países que 'Abdu'l-Bahá visitou?
5 - Em que ano se deu isso?
6 - Qual a raça que 'Abdu'l-Bahá ama? Que nação?

7 - Na sua opinião, qual o maior bem que Ele desejava para o mundo?

8 - Como podemos ajudar o nosso mundo a alcançá-lo?

LIÇÃO II
A Guardiania
e
As Mãos da Causa

Oração: "Ó Deus, meu Deus! Eu Te suplico, a Teus Profetas e a Teus Mensageiros, a Teus Santos e a Teus Santificados para testemunharem que eu declarei concludentemente Tuas Provas a Teus amados de demonstrei-lhes claramente todas as coisas para que possam velar a Tua Fé, guardar Teu caminho reto e proteger Tua resplandecente lei, Tu és, na verdade, o Onisciente, o Sapientíssimo!" (Última Vontade e Testamento de 'Abdu'l-Bahá)

Lição: Discuta a Guardiania como um dos Pilares Gêmeos da Causa e a indicação de Shoghi Effendi por 'Abdu'l-Bahá. Explique às crianças porque Shoghi Effendi foi incapaz de indicar um sucessor e que provisão fez para a direção da Causa após seu falecimento. Mostrar que a Fé Bahá'í foi abençoada por sessenta e cinco anos de ininterrupta orientação Divina e infalível interpretação depois da ascensão de Bahá'u'lláh, e que os escritos de 'Abdu'l-Bahá e Shoghi Effendi continuarão a prover esta orientação e interpretação no futuro. Revise brevemente as realizações de Shoghi Effendi, e alguns escritos que nos deixou. Discuta também a instituição das Mãos da Causa, os "auxiliares principais da embrionária comunidade mundial de Bahá'u'lláh".

Referências:
A Última Vontade e Testamento de 'Abdu'l-Bahá
The World Order of Bahá'u'lláh
Bahá'í World, Vol. XII, 223-226
Bahá'í News, no. 323 (jan. 1958) pgs. 1-3, 4-5
Bahá'í News, no. 318 (ago. 1957) pgs. 1-2

Twenty-Five Years of the Guardianship, por Rúhíyyih Khánum

Success in Teachings, por Rúhíyyih Khánum, pgs. 3-4

Glossário:

Árvores Sagradas - As Manifestações de Deus, o Báb e Bahá'u'lláh

Convênio - Promessa ou confiança

Mãos e Pilares - Auxiliares em quem grande confiança é colocada

Aghsán e Afnán - Descendentes de Bahá'u'lláh e parentes do Báb,

Respectivamente
Expositor - Intérprete e comentador
Inexpugnável - Capaz de resistir ataque

Leituras: (Todas tiradas de "A Última Vontade e Testamento de 'Abdu'l-Bahá, exceto quando indicado.)

"... ele é o ramo abençoado e sagrado que brotou das Duas Sagradas Árvores. Bem-aventurado é aquele que procura o abrigo de sua sombra, que protege toda a humanidade."

"Ó Meus amados amigos! Depois do falecimento deste injuriado, incumbe aos Aghsán (Ramos), aos Afnán (Rebentos) das Sagradas Árvores Gêmeas, às Mãos (Pilares) da Causa de Deus, e aos amados da Beleza de Abhá, voltarem-se para Shoghi Effendi..."

"Ele é o expositor das palavras de Deus... O ramo sagrado e jovem, o guardião da Causa de Deus, bem como a Casa Universal de Justiça, a ser universalmente eleita e estabelecida, estão ambas sob o cuidado e proteção da Beleza de Abhá, sob o abrigo e orientação infalível de Sua Santidade, o Exaltado... O que quer que elas decidam é de Deus."

"A mais poderosa fortaleza permanecerá inexpugnável e segura pela obediência a ele que é o guardião da Causa de Deus".

"Aquele que a ele se opõe, opõe-se ao Verdadeiro".

"Ó Amigos! As Mãos da Causa de Deus devem ser nomeadas e indicadas pelo guardião da Causa de Deus".

"Este corpo das Mãos da Causa de Deus está sob a orientação do guardião da Causa de Deus".

"As Mãos da Causa de Deus devem eleger entre seus membros nove pessoas que estarão sempre ocupadas em serviços importantes no trabalho do guardião da Causa de Deus".

"As obrigações das Mãos da Causa de Deus são difundir as Fragrâncias Divinas, edificar as almas dos homens, promover o ensino, melhorar o caráter de todos os homens e ser, em todas as ocasiões e sob todas as condições, santificados e desprendidos das coisas terrenas. Devem manifestar o temor de Deus por sua conduta, suas maneiras, suas ações e suas palavras".

"A Instituição das Mãos da Causa, divinamente ordenada, investida, em virtude da autoridade conferida pelo Testamento do Centro do Convênio, com a dupla função de proteger e propagar a Fé de Bahá'u'lláh, está agora entrando em nova fase no processo do desdobramento de sua missão sagrada. Para sua responsabilidade, recentemente confiada, de auxiliar as Assembléias Espirituais Nacionais do mundo Bahá'í, no propósito específico de prosseguir efetivamente com a Cruzada Espiritual Mundial, a obrigação principal de vigiar e assegurar proteção à comunidade mundial Bahá'í, em colaboração estreita com essas mesmas Assembléias Nacionais, é agora adicionada." (De "Messages to the Bahá'í World", pg. 122, por Shoghi Effendi)

"Esta Última adição ao grupo de destacadas personagens duma Ordem Administrativa Mundial, em rápido desenvolvimento, envolvendo uma expansão adicional da augusta Instituição das Mãos da Causa de Deus, exige, que em vista da recente investidura de sua sagrada responsabilidade como protetora da Fé, a nomeação por estas mesmas Mãos, em cada continente separadamente, de um Corpo Auxiliar adicional, com número de membros igual ao existente, e encarregado com o dever específico da segurança da Fé, assim complementando a função do Corpo original, cuja obrigação será doravante exclusivamente de auxiliar na execução do Plano de Dez Anos". (MBW, 127-128)

"Em nossa capacidade de Auxiliares Principais da Embrionária Comunidade Mundial de Bahá'u'lláh, nós, as Mãos da Causa de Deus, constituímos um corpo de nove Mãos para servir no Centro Mundial Bahá'í. Este corpo de nove Mãos cuidará energicamente da proteção da Fé sempre que ataques, quer de dentro ou de fora da comunidade Bahá'í, forem relatados pelas Mãos em suas áreas ou pelas Assembléias Regionais ou Nacionais, ou se surgirem na Terra Santa. Correspondência será também mantida com as Mãos da Causa trabalhando nos diversos continentes. Este mesmo corpo corresponder-se-á com as Assembléias Nacionais em assuntos ligados com o prosseguimento dos objetivos do Plano de Dez Anos. Em assuntos envolvendo questões administrativas, este mesmo corpo assistirá as Assembléias Nacionais citando aquelas passagens da Literatura Sagrada Bahá'í que conduzirá a Assembléia a uma solução acertada." (BN, no 322, jan. 1958, p. 2)

Questões a discutir:

1 - Quem nomeou Shoghi Effendi para o cargo de Guardião?

2 - Qual é a função do Guardião?
3 - Que corpo de auxiliares escolheu ele em vida?

4 - Por que os denominou "Administradores" da Embrionária Comunidade Mundial de Bahá'u'lláh?

5 - Quais as funções destes administradores?
6 - Quem eras as Árvores Sagradas?

7 - Por que é necessária a obediência ao Guardião?

LIÇÃO III
A Casa Universal de Justiça

Oração: "Ó Senhor, nosso Deus! Faze de nós sinais de Tua orientação divina, estandartes de Tua Fé sublime entre os homens, servos de Teu poderoso Convênio..." (OB 1967, 139)

Lição: Recapitular a função administrativa do Guardião. Ler em voz alta e discutir as leituras, salientando os seguintes pontos: proteção e infabilidade da Guardiania e da Casa Universal de Justiça; a necessidade da obediência a ambas; distinção entre as suas funções; obediência aos governos do mundo. Discuta a necessidade das leis e o por que elas devem ser obedecidas, exemplificando com leis conhecidas pelas crianças, tais como os regulamentos de trânsito, os escolares, as regras domésticas, o respeito à propriedade, etc.

Referências:
Última Vontade e Testamento de 'Abdu'l-Bahá
The World Order of Bahá'u'lláh
Bahá'í World Faith, 166-203
Bahá'í Administration, 35-43
Glossário: Universal Abrangendo tudo
Beleza de Abhá Bahá'u'lláh
Intérprete Expositor
Investido Dotado ou dado ordem ou poder
Legislar Fazer leis
Decretar Fazer um decreto ou lei
Por em vigor Levar adiante

Leituras: "O ramo sagrado e jovem, o guardião da Causa de Deus, bem como a Casa Universal de Justiça... estão ambos sob o cuidado e proteção da Beleza de Abhá, sob o abrigo e proteção infalível de Sua Santidade, o Exaltado..." (WTA, 13)

"O que quer que eles decidam é de Deus". (WTA, 13)

"Aquele que se voltar contra eles se voltou contra Deus". (WTA, 13)

"Todo aquele que se desvia dela é, na verdade, daqueles que amam a discórdia..." (WTA, 19)

"A Casa Universal de Justiça foi investida com a função de legislar sobre assuntos não revelados expressamente nos ensinamentos." (WOB, 150)

"É incumbente aos Fideicomissários da Casa de Justiça deliberarem juntos em relação às leis que não foram expressamente reveladas no Livro." (BWF, 182)

"Exortamos aos homens da Casa de Justiça, e lhes ordenamos guardar e proteger os servos, servas e crianças. Devem, sob todas as circunstâncias, ter consideração pelos interesses dos servos." (BWF, 183)

"Os assuntos do povo estão todos a cargo da Casa de Justiça de Deus. Eles são os fideicomissários de Deus entre os Seus servos e as auroras da autoridade em seus países." (BWF, 195)

"Os assuntos administrativos estão todos a cargo da Casa de Justiça, e os atos devocionais devem ser observados conforme forem revelados no Livro." (BWF, 200)

"Com referência à Casa de Justiça que Deus estabeleceu como a fonte de todo bem e isenta de todo erro, ela deve ser eleita por sufrágio universal, isto é, pelos crentes... Por esta Casa referimo-nos à Casa Universal de Justiça, isto é, em todos os países deve ser instituída uma Casa de Justiça secundária e essas Casas de Justiça secundárias devem eleger os membros da Universal." (WTA, 16)

"Para o Mais Sagrado Livro cada um deve voltar-se, e tudo que não está expressamente registrado nele deve ser enviado à Casa Universal de Justiça. Aquilo que este corpo, quer por unanimidade quer por maioria resolver é a verdade e o Propósito de Deus." (WTA, 17)

Testes: (C = Certo; E = Errado)

As Mãos da Causa são a Casa Universal de Justiça (C? - E?)

A Casa Universal de Justiça fará as leis para o mundo (C? - E?)

As Mãos da Causa são nomeadas pela Casa de Justiça (C? - E?)

A Casa Universal de Justiça tem orientação infalível (C? - E?)

O Guardião, Shoghi Effendi, foi nomeado por 'Abdu'l-Bahá (C? - E?)

Todos os membros da Casa Universal de Justiça serão homens (C? - E?)

A Casa Universal de Justiça executará as leis, assim como as legislará (C? - E?)

Discutir os seguintes fatores na unidade mundial, que Shoghi Effendi catalogou em "The Unfoldment of World Civilization" (último capítulo do "The World Order of Bahá'u'lláh", por Shoghi Effendi):

1 - As leis serão feitas por uma legislatura mundial.

2 - As disputas entre nações serão decididas por um tribunal mundial.

3 - Haverá uma força policial internacional para impedir as guerras.

4 - Uma metrópole mundial (capital) será estabelecida.

5 - Uma linguagem mundial será escolhida e ensinada em todas as escolas.

6 - Uma única espécie de escrita será usada em todo o mundo.

7 - Uma só moeda será usada em todo o mundo.

8 - Um sistema de pesos e medidas uniforme será usado por todos os povos.

9 - Uma literatura mundial será desenvolvida.

10 - O comércio entre países será aumentado e protegido.

11 - Não haverá gente excessivamente rica nem excessivamente pobre.

12 - As matérias primas da terra serão descobertas e utilizadas.

13 - Os cientistas descobrirão como eliminar as doenças.

14 - Raças e nações viverão juntas como uma família.

15 - Uma religião unirá todos os povos do mundo no "Reino de Deus", como foi prometido na oração de Jesus.

LIÇÃO IV
A Comunidade Bahá'í

Oração: "Faze firmes nossos passos em Teu caminho, ó Senhor, e fortalece nossos corações em obediência a Ti. Que nossas faces se volvam para a beleza e Tua unidade e o íntimo de nossas almas se alegrem com os sinais de Tua Unicidade Divina." (OB 1967, 132)

Lição: Recapitular os Pilares Gêmeos da Causa: a Guardiania e a Casa Universal de Justiça; sua infalível orientação, sua proteção para o mundo inteiro. Sugerir que também nós precisamos de Casas de Justiça locais e nacionais, e que estas foram estabelecidas no Livro de Leis de Bahá'u'lláh e nos ensinamentos de 'Abdu'l-Bahá, e são denominadas Assembléias Espirituais. Descrever como o Guardião guiou fielmente estas assembléias em outros países assim como em nosso próprio, e fazendo com que se tornassem mais eficazes. Embora não tenham a infabilidade como os Pilares Gêmeos, são, apesar disso, os centros de unidade e progresso, e obediência a elas em nossos assuntos Bahá'ís é ordenada a todos. As leituras desenvolverão certos pontos sobre cada um para que as crianças leiam e debatam.

Referências: Bahá'í Administration, 20-24, 32-36, 74-75, 78-79

The World Order of Bahá'u'lláh, 143-154
Última Vontade e Testamento de 'Abdu'l-Bahá
Leituras: Ordem para formar Assembléias

"Neste dia, a reunião de um corpo consultivo é da maior importância e uma grande necessidade." (BWF, 406)

"O Senhor ordenou que em cada cidade seja estabelecida uma Casa de Justiça onde se reunirão conselheiros no número de Bahá." (BA, 21)

"Em todos os países, uma Casa de Justiça secundária deve ser instituída, e estas Casas de Justiça secundárias devem eleger os membros da Universal." (WTA, 16)

Obediência às Assembléias Espirituais

"Que ninguém dê um passo sem consultar a Assembléia Espiritual, obedecendo de todo coração suas ordens e submetendo-se a elas, a fim de que tudo marche devidamente. Do contrário cada um agirá como entender e de acordo com os seus desejos, prejudicando a Causa." (AB, 21)

"A Obediência às Assembléias é essencial e obrigatória." (AB, 21)

Eleições de Assembléias

"Todas as Assembléias Locais terão de ser re-eleitas uma vez cada ano, durante o primeiro dia do Ridván." (21 de abril) (BA, 36)

"É evidente que os membros das Assembléias Espirituais Nacionais terão de ser eleitos indiretamente pelo corpo de crentes... em cada país serão eleitos um certo número de delegados, que por sua vez, elegerão seus próprios representantes nacionais." (BA, 75)

Qualificações para Consulta

"Os principais requisitos daqueles que se reúnem em assembléia são a pureza de motivos, espírito radiante, o desprendimento de tudo menos de Deus, atração para Sua Divina Fragrância, humildade entre os Seus amados, paciência e resignação nas dificuldades e presteza em servir no Seu exaltado Limiar." (BA, 21)

"Os membros devem consultar entre si de tal maneira que não surja motivo para ressentimentos ou discórdia. Isto pode ser obtido quando cada membro expressar com absoluta liberdade sua própria opinião e expor seu argumento." (BA, 21)

"A primeira condição é amor e harmonia absolutos entre os membros da Assembléia." (BA, 22)

"A segunda condição: ao se reunirem devem voltar a face para o Altíssimo e pedir ajuda do Reino da Glória." (BA, 22)

"Portanto compete aos delegados escolhidos considerar... somente os nomes daqueles que possam melhor reunir as qualidades necessárias de lealdade inquestionável, de devoção altruística, de uma mente bem treinada, de reconhecida habilidade e experiência madura." (BA, 78-79)

"Quando em assembléia, deveis refletir as luzes do reino celestial. Que vossos corações sejam como espelhos em que se possa ver a radiância do Sol da Realidade." (PUP, 178)

"Cada coração deve ser uma estação telegráfica; um terminal do fio ligado na alma, o outro fixado no Concurso Supremo, para que a inspiração possa descer." (PUP, 178)

"Nas discussões, buscar a realidade sem se prender à sua própria opinião." (PUP, 178)

"Que ninguém afirme e insista só na sua mera opinião: não, ao contrário, deixai cada um investigar a realidade com o maior amor e camaradagem." (PUP, 178)

Projeto: Se a classe for bastante grande, dramatizar uma eleição de delegados à Convenção, discutir seus deveres de modo simples. Eleger uma assembléia local e, enquanto os escrutinadores contam os votos, obter da classe sua idéia sobre alguns dos deveres de uma assembléia. Se a classe for bastante adiantada, debater alguns dos deveres, segundo a descrição feita no "Bahá'í Administration", pg. 33.

Teste:

As Assembléias Espirituais Locais têm ________ membros.

As Assembléias Espirituais Nacionais têm _________ membros.

As Assembléias Espirituais Locais são eleitas em ____________ (data) todos os anos.

As Assembléias Espirituais Nacionais são eleitas por _________ numa Convenção Nacional.

Os delegados à Convenção Nacional são ________ cada ano pelos membros da comunidade Bahá'í que têm a idade de votar.

Alguns dos requisitos para consulta são: ________________________________________

_________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________

As Assembléias Espirituais Nacionais elegem a ___________________________________

_________________________________________________________________________

Aos Bahá'ís é ordenado ser ______________________ às Assembléias Espirituais Locais e Nacionais.

Projeto Suplementar:

Faça a classe ler ou representar a peça "A Spiritual Assembly's Growing Pains", por Rúhíyyih Khánum. (Pode ser apresentada à comunidade.)

LIÇÃO V
A Casa de Adoração Bahá'í

Oração: "Ó Senhor, dá Tua bênção a quem quer que trabalhe neste edifício e ajude no erguimento deste templo para a união de todas as seitas e religiões. Confirma-o em toda boa ação entre os homens; abre-lhe as portas da riqueza e da abundância e faze-o um herdeiro dos tesouros do Reino que não perece; que ele se torne um exemplo de liberalidade entre o povo. Sustenta-o sobre o mar de Tua generosidade, onde fluem eternamente as ondas de Tua graça e favor. Na verdade Tu és o Generoso, o Magnânimo, o Todo-Poderoso." (BN, no 126, pg. 2)

Lição: Mostrar que todas as religiões têm os seus santuários e lugares sagrados. Falar das fés antigas e dos seus locais de adoração; utilizar todas as fotografias disponíveis. Perguntar porque motivo, na opinião das crianças, os antigos Templos da Grécia e de Roma eram belos. Discutir as aspirações que deram origem aos templos. Falar-lhes dos tabernáculos e sinagogas, mencionando os longos séculos de adoração que os judeus renderam ao Deus único. Mostrar fotografias das agulhas e arcos góticos de igrejas e catedrais cristãs. Mostrar a fotografia de uma mesquita com sua cúpula e explicar as grandes coisas que o Islã aprendeu através da adoração. Exibir, então, uma fotografia do Templo Bahá'í de Wilmette e até introduzir uma palavra nova que hoje em dia caracteriza a adoração: Mashriqu'l-Adhkár - o Lugar do Amanhecer dos Louvores a Deus. Faça-as compreender o grande símbolo de unidade deste edifício, e algumas coisas novas em sua arquitetura. Sugerir que tais Casas de Adoração serão o coração de cada comunidade no futuro. Enumerar brevemente algumas das construções dedicadas ao homem que rodearão o Templo, tais como hospital, escola, lares para a infância e velhos, etc. Sublinhar o que se conclui de tudo isso: que depois da adoração e louvor a Deus, a melhor forma de adoração deve ser o serviço aos nossos semelhantes. Mostrar o supremo privilégio de contribuir para tal edifício e falar sobre o anseio de 'Abdu'l-Bahá, do Guardião e da Folha Mais Sagrada, para o seu término. Falar-lhes sobre os Templos construídos na África, Austrália, Alemanha e Panamá e o a ser construído no Monte Carmelo, em Israel.

Referências: Bahá'u'lláh e a Nova Era, pp. 226-229

Bahá'í World Faith, 414, 419
Bahá'í World, Vol. V, 265-321
Bahá'í World, Vol. VI, 392-416
Bahá'í World, Vol. VIII, 503-535
Bahá'í World, Vol. X, 401-423
The Spell of the Temple, por Allen B. McDaniel
One God, the Ways We Worship Him, por F. M. Fitch
The Arts, por Hendrik Willen Van Loon

Leituras: "Em cada cidade se deve fundar um grande Mashriqu'l-Adhkár." (BNE, 151)

"Seus portões abrir-se-ão a todo o gênero humano; preconceitos para com ninguém; amor a todos." (BNE, 151)

"O Templo é o maior alicerce do mundo da humanidade e tem muitos ramos. Embora seja um local de adoração, com ele estão ligados um hospital, uma farmácia, casa para peregrinos, escola para órfãos e uma universidade para o estudo das ciências superiores. Cada Templo está ligado a estas cinco coisas... O Templo não é somente um local de adoração; não, é perfeito em todos os sentidos." (BWF, 416)

"Quem quer que se levante para servir a este edifício, será assistido por uma grande força emanada do Seu Supremo Reino, e sobre ele descerão bênçãos espirituais e celestiais que encherão seu coração de maravilhoso consolo e lhe iluminarão os olhos com a contemplação de Deus eterno e glorioso." (BWF, 416)

"Milhares de Mashriqu'l-Adhkárs, lugares do alvorecer do louvor e menção de Deus para todos os crentes, serão construídos no Oriente e no Ocidente, mas sendo este o primeiro a ser erigido no Ocidente, tem grande importância. No futuro haverão muitos outros aqui e em toda a parte; na Ásia, Europa, mesmo na África, Nova Zelândia e Austrália; mas este edifício de Chicago tem uma significação especial." (PUP, 68)

"O centro em volta do qual suas (a Ordem Administrativa) atividades espirituais, humanitárias e administrativas se reunirão, são os Mashriqu'l-Adhkárs e suas dependências." (WOB, 156-157)

História: UM GRANDE RABINO VISITA A CATEDRAL

"A necessidade de religião é a mesma - percebi isso quando visitei a Catedral de Notre Dame em Montreal. Fiquei assombrado com a sua beleza e majestade e fui tomado por um sentimento de exaltação religiosa. Entrei na Catedral e vi alguns devotos ajoelhados diante da imagem de um santo... Torci o nariz a esta adoração de imagens e, cheio de arrogância religiosa, senti a superioridade de minha fé, porque proíbe a adoração de ídolos. Avancei pela Catedral e diante da imagem de outro santo vi um rapaz franzino ajoelhado a rezar. Era aleijado. Parei a observar o rapazinho que rezava ajoelhado. Pareceu-me sentir que, através daquele santo, ele alcançava o seu Deus em busca de coragem para enfrentar a vida com bravura, a despeito de seu infortúnio. As lágrimas lhe rolavam pelas faces e reparei que também tinha as minhas úmidas. Orei e chorei com aquele rapaz... Aquele jovem representava para mim, judeus e cristãos, maometanos e budistas, curvados e humildes diante de Deus, em busca de Seu apoio." (De "Rebels and Saints", por F. Issermen)

Projetos:

1 - Fazer um álbum de recortes mostrando fotografias de todos os diferentes tipos de Casas de Adoração, culminando na Casa Universal de Adoração da Fé Bahá'í.

2 - Ler no "Bahá'í News" referências ao desenvolvimento na construção das diversas Casas de Adoração Bahá'ís ao redor do mundo e relatar à classe o que souber sobre elas.

3 - Mostrar à classe fotografias dos Templos e pedir que falem livremente e façam perguntas sobre eles.

Testes:

1 - A Casa de Adoração dos judeus é chamada __________________________________.

2 - A Casa de Adoração dos maometanos é chamada _____________________________.

3 - Um dos nomes da Casa de Adoração dos cristãos é ____________________________.

4 - Mashriqu'l-Adhkár significa o _____________________________________________

_________________________________________________________________ de Deus.

5 - Dentro do Mashriqu'l-Adhkár nós _____________________ juntos.

6 - Em volta dele levantar-se-ão casas de ________________________________________

_______________________________________________________ à humanidade.

7 - ___________________________________________________________ são bem-vindos ao Mashriqu'l-Adhkár.

LIÇÃO VI
O Indivíduo Bahá'í
(Parte I)

Oração: "Suplico-Te, ó meu Senhor, por Tua misericórdia que ultrapassou a criação inteira, e Tua generosidade que cingiu todas as coisas criadas, faze-me voltar a face inteiramente para Ti, procurar o Teu abrigo e ser constante no meu amor a Ti. Escreve, pois, para mim aquilo que ordenaste para aqueles que Te amam. Poderoso és para fazer o que Te apraz. Não existe outro Deus além de Ti, o Que Sempre Perdoa, o Sempre Generoso. Louvado seja Deus, o Senhor de todos os mundos!" (P&M, 24-25)

Lição: Mostrar que a devoção a Deus e a obediência a Ele são as primeiras obrigações mencionadas por Bahá'u'lláh para os Bahá'ís, e o sinal da devoção está em nossas ações. Explique que a palavra Bahá'í é derivada de Bahá, que significa Glória. Um Bahá'í é um seguidor de Bahá'u'lláh, a Glória de Deus. Explique as leis que Bahá'u'lláh nos deu para observar: oração diária; jejum; completa abstinência do álcool e opiatos; consentimento dos pais antes do casamento; sepultamento; e outras responsabilidades da Fé Bahá'í, tais como o ensino e a contribuição para o Fundo Bahá'í.

Referências: Bahá'í World Faith, 166-203
The Bahá'í Community
O Advento da Justiça Divina, 33-53
As Palavras Ocultas de Bahá'u'lláh
Leituras: Devoção e Obediência a Deus

"Na verdade, Deus ama aquele que se volta para Ele." (GWB, 291)

"É a desobediência do coração que o afasta de Deus e o condena ao afastamento Dele. Aqueles corações, contudo, que estão cientes da Sua presença estão próximos Dele e devem ser olhados como tendo se aproximado de Seu Trono." (GWB, 186)

"Uma dupla obrigação recai sobre aquele que reconheceu a Aurora da Unidade de Deus... A primeira é a constância no Seu amor... A segunda, a estrita observância das leis que Ele prescreveu..." (GWB, 289-290)

"Aquele que observar os mandamentos de Deus obterá a felicidade eterna." (GWB, 289)

"Concentrai vossos pensamentos no Bem-Amado, antes que no vosso próprio eu." (GWB, 168)

"O que quer que o Criador ordene às suas criaturas observarem, o mesmo devem eles, diligentemente e com a maior alegria e ânsia, erguerem-se e cumprir." (GWB, 337)

Ações

"Abandona os retiros escuros dos vossos vis e corruptos desejos e entra na vasta imensidão do Reino de Deus; permaneça nos prados da santidade e do desprendimento, para que a fragrância dos vossos atos possa levar toda a humanidade ao oceano da inextinguível glória de Deus." (GWB, 241)

"Sede justos com vós mesmos e com os outros para que as evidências da justiça possam ser reveladas através de vossos atos entre Nossos servos fiéis." (GWB, 278)

"... e será chamado a responder por teus atos." (PO, do árabe, 31)

"Os mais ignóbeis dos homens são os que nenhum fruto produzem na terra." (PO, do persa, 81)

"A orientação sempre tem sido dada através de palavras, mas agora é dada por ações. Cada um deve manifestar ações que sejam puras e santas, pois palavras pertencem a todos, igualmente, mas ações como estas são próprias só de Nossos bem-amados. Esforçai-vos, então, de coração e alma, a fim de vos distinguirdes por vossos atos. Assim Nós vos aconselhamos nesta Epístola santa e resplandecente." (PO, do persa, 76)

História: A Devoção de 'Abdu'l-Bahá

Certo dia recebi uma carta inquietadora. "Convém prevenir 'Abdu'l-Bahá de que possa ser-Lhe perigoso visitar um certo país, para onde eu acho que Ele pretende ir dentro de um futuro próximo." Acreditando na sincera amizade do remetente e sabendo que suas fontes de informação era dignas de confiança, não me pareceu que tal advertência pudesse ser ignorada. Portanto, como solicitado, comuniquei o caso para o Mestre. Para meu espanto, Ele sorriu e disse: "Minha filha, não percebeu ainda que nunca em minha vida tive um dia sem perigo e que muito me alegraria deixar este mundo e ir para junto de Meu Pai?..." "Ó Mestre! Não desejamos que Vos afasteis de nós desta maneira." Eu estava profundamente aflita e aterrada. "Não vos inquieteis", disse 'Abdu'l-Bahá. "Estes inimigos não têm nenhum poder sobre a Minha vida, exceto aquele que lhes é concedido pelo Alto, e se Meu querido Deus quiser que o Meu sangue seja sacrificado em Seu caminho, será um dia glorioso e sinceramente desejado."

(De "Some Memories of the Sojourn of 'Abdu'l-Bahá", por Lady Blomfield)

História: "Que as Ações, Não as Palavras, Sejam Vosso Adorno"

"Em Sipapajet, um povoado das ilhas Mentawei, uma escola Bahá'í foi criada, recebendo o nome de "Tarbíyyat" em homenagem da Escola Bahá'í de Teerã, que foi fechada pelo governo em 1933. O Sr. Samsury, um dos Bahá'ís nativos e pessoa muito instruída, se demitiu do seu cargo de professor das escolas do governo e veio ensinar aos nativos Bahá'ís na escola Bahá'í. As crianças e os aldeões estão todos muito felizes e por isso ele também. Os Bahá'ís de outras povoações queixam-se que o Sr. Samsury não foi enviado para eles. Estes mesmos nativos, que tanto valor dão à instrução, procuram persuadir um professor a ir para a sua aldeia, onde, antes de abraçar a Fé Bahá'í, ninguém queria escolas e todos diziam: "Deus nos deu a copra e as galinhas; para que precisamos de instrução? Nossas crianças comem isto e se desenvolvem." Agora, esta mesma gente construiu uma casa para o professor. Estamos procurando criar escolas Bahá'ís em todas as povoações, embora com apenas um ou dois anos primários." (Bahá'í News, no 322, dez. 1957)

História: "Acreditas em Mim?"

Uma moça procurou 'Abdu'l-Bahá e disse: "Vim suplicar o Teu auxílio. Ordena o que quiseres. Para que servirei e em que me posso ocupar?" O Mestre respondeu: "Acreditas em Mim?" Ela replicou: "Sim." Disse então o Mestre: "Sê uma perfeita Bahá'í. Associa-te com os Bahá'ís. Aprende os ensinamentos de Bahá'u'lláh. Então serás auxiliada no que quer que resolvas fazer... Volta-te para Bahá'u'lláh e obterás paz e tranqüilidade, ouvirás a melodia do Reino e levarás vida às almas." Ela ficou de tal modo impressionada que se lançou a Seus pés e chorou." (Story Supplement for God Passes By, 68)

Questões a discutir:

1 - Pode citar atos de coragem que alguns dos seguidores do Báb tenham praticado por amor a Deus?

2 - Como mostraram os seguidores de Bahá'u'lláh o seu amor a Deus?

3 - Acha que as leis de Bahá'u'lláh, como as que agora conhecemos, são muito difíceis de obedecer?

4 - Aponte as diversas maneiras pelas quais os Bahá'ís de hoje podem demonstrar sua devoção a Bahá'u'lláh e à Causa de Deus.

5 - Cite alguns modos em que os Manifestantes de Deus mostram Sua suprema devoção a Ele.

LIÇÃO VII
O Indivíduo Bahá'í
(Parte II)

Oração: "Vês, ó meu Senhor, como Teus servos se mantém cativos por seus próprios egos e desejos. Redime-os de sua servidão, ó meu Deus, pela força de Tua soberania e poder..." (P&M, 52)

Lição: Leve as crianças a discutir as qualidades de um verdadeiro crente, lembrando-lhes o que 'Abdu'l-Bahá disse: "Um homem pode chamar-se Bahá'í durante cinqüenta anos, mas se não viver a vida ele não é um Bahá'í." Dê-lhes a oportunidade de encontrar em suas próprias vidas aplicações das qualidades mencionadas nas leituras.

Leituras: Justiça

"Com ninguém sejas injusto; mostra humildade diante de todos os homens." (RB, 66)

"Os possuidores da justiça e da equidade ocupam a mais digna e alta posição; a luz da integridade e da piedade se irradia e brilha de tais almas." (BWF, 169)

"Aquele que se apega à justiça não pode, em circunstância alguma, transgredir os limites da moderação." (GWB, 342)

Integridade

"Sê digno da confiança de teu próximo... Que a integridade e a retidão distingam todos os teus atos." (RB, 66)

"Ó povo de Bahá! A integridade é o melhor adorno de vossas frontes e a mais esplêndida coroa para vossas cabeças." (BWF, 170)

Veracidade

"Não deveis encarar nenhum assunto com leviandade, mas falar com exatidão e sinceridade. O povo de Bahá não deve recusar a pagar o prêmio devido a quem o merece; deve respeitar os possuidores de talento; não deve macular sua língua com calúnias.." (BWF, 170)

"A veracidade é o fundamento de todas as virtudes humanas. Sem a veracidade, o progresso e o êxito em todos os mundos de Deus são impossíveis para qualquer alma." (ADJ, 42)

Humildade

"Os amados de Deus, onde quer se reúnam e sejam quais forem as pessoas que encontrarem, devem demonstrar, em sua atitude em relação a Deus e na celebração de seu louvor e Sua glória, tamanha humildade e submissão que o próprio átomo do pó que calcam sob os pés testemunhe a profundeza de sua devoção." (GWB, 7)

Pureza

"Sê puro, ó povo de Deus, sê puro; sê reto, sê reto..." (GWB, 186)

"Se percebermos delas (vossas ações) os suaves aromas da pureza e santidade, Nós, com toda a certeza, vos abençoaremos. Então as línguas dos habitantes do Paraíso louvar-se-ão e glorificarão vossos nomes entre aqueles que se aproximarem de Deus." (ADJ, 51)

Desprendimento

"Esquece-te de tudo menos de Mim, e comunga com Meu Espírito." (PO, do árabe, no 16)

"Liberta-te dos grilhões deste mundo e desprende tua alma da prisão do ego." (PO, do persa, no. 40)

Alegria

"Sê causa de júbilo para o entristecido." (RB, 66; GWB, 284)

"Toda a tristeza e todo sofrimento que existem vêm do mundo da matéria... o mundo espiritual nos dá apenas alegria!" (PT, 110)

Universalidade

"A terra é um só país e a humanidade seus cidadãos." (GWB, 250)

"Os seguidores da sinceridade e da fidelidade devem confraternizar com todos os povos da terra, em alegria e fragrância." (BWF, 168)

"Afasta os olhos do que te parecer estranho e fixa-os na unidade, prendendo-te àquilo que conduz à tranqüilidade e segurança dos povos do mundo inteiro." (BWF, 182)

"Que todos se associem, pois, neste grande jardim humano, assim como as flores crescem e se harmonizam, lado a lado, sem discórdia ou dissensão entre elas." (AJD, 62)

História: 'ABDU'L-BAHÁ EM LONDRES

"Nossos corações ficaram tristes quando nos lembramos dos anos sombrios passados dentro daquela pavorosa fortaleza onde a única luz era o espírito indomável do Mestre que ao nos ouvir dizer: "Estamos alegres e tão cheios de júbilo porque estais livre!", respondeu:

"A liberdade não é uma questão de lugar mas sim de condição. Eu estava feliz naquela prisão porque aqueles dias foram passados a servir. Para mim a prisão era a liberdade. As dificuldades são o meu descanso. A morte é vida. Ser desprezado, uma honra. Por isso me sentia cheio de felicidade durante este tempo de prisão. Quando alguém é libertado da prisão do ego, esta, sim, é deveras a liberdade! Pois o ego é a maior das prisões. Quando esta liberdade tem lugar, ninguém jamais poderá voltar a ser aprisionado. A menos que alguém aceite as mais duras vicissitudes, não com embotada resignação, mas com aquiescência radiante, não se atingirá essa liberdade."

LIÇÃO VIII
A Unidade do Gênero Humano

Oração: "Ó Senhor, Deus! Sejamos como ondas do mar, ou flores de um jardim, unidos, em harmonia, através das graças de Teu amor, Ó Deus! Enleva os corações diante das evidências de Tua Unidade e faze com que todos os homens se assemelhem a estrelas brilhando da mesma altura de glória, a frutos perfeitos crescendo em Tua Árvore de Vida. Em verdade, és o Onipotente, O que subsiste por Si Próprio, o Generoso, o Misericordioso, o Supremo Perdão, a Absoluta Sabedoria, o Criador Único!" (OB 1967, 138)

Lição: Compare o mundo de hoje com o mundo de Abraão ou Moisés. Convide cada criança a citar uma invenção moderna que ajuda a unir o mundo. Peça-lhes que apontem algumas das mercadorias que são permutadas entre os países, e discuta a atual interdependência das nações. Considere os preconceitos que causam separação. Compare as nações e as raças a uma vizinhança ou família, e Sua Santidade, Bahá'u'lláh, a um Pai amoroso, Cujas leis são necessárias à nova unidade.

Poema: A Menos Que Estas Lágrimas
O ritmo deste mundo tão mudado está.
O homem selvagem agora está perdido.
Na bigorna de nosso bom Deus celestial,
Criador de todo este universo e de todo homem,
Estamos sendo forjados e modelados
Para o nascimento duma raça esmerada,
Uma raça de homens que fará desta terra
Moradia para um homem muito mais humano,
Que proclamará, por continentes e mares,
A unidade de todo o gênero humano,
A união de toda raça humana enfim madura.

- por William Kenneth Christian, do Bahá'í World, Vol. X. -

Referências: Promulgation of Universal Peace, 260-262, 291-292

Foundations of World Unity, 79-82, 92, 99

The World Order of Bahá'u'lláh, 42-47, 163-165, 203-204

Paris Talks, 99-101, 138-140
Bahá'u'lláh e a Nova Era, caps. VIII, IX, X

Leituras: "É conveniente a todos os homens, neste Dia, apegar-se com firmeza ao Nome Máximo e estabelecer a união da raça humana." (GWB, 203)

"O propósito fundamental que anima a Fé de Deus e Sua Religião é salvaguardar os interesses e promover a união da raça humana." (GWB, 215)

"Tão poderosa é a luz da unidade que pode iluminar a terra inteira." (GWB, 288)

"Vós que habitais um só mundo e fostes criados pela ação de uma só Vontade. Abençoado é aquele que se mistura com todos os homens num espírito de completa bondade e amor." (GWB, 334)

"Os que amam a humanidade, estes são os homens superiores, qualquer que seja a sua nação, o seu credo, ou a sua cor." (PT, 148-149)

"O amor é maior que a paz, pois a paz é edificada sobre o amor... Enquanto o amor não for alcançado, a paz não poderá existir." (PUP, 164)

"Vós sois os frutos de uma só árvore e as folhas de um só ramo. Tratai uns aos outros com o maior amor e harmonia, com amizade e fraternidade." (GWB, 228)

"Não sabeis por que Nós vos criamos a todos do mesmo pó? A fim de que ninguém se enaltecesse acima dos outros. Ponderai no coração, em todos os tempos, de que modo fostes criados. Desde que vos tenhamos criados a todos da mesma substância, deveis ser como uma só alma, andando com os mesmos pés, alimentando-vos com a mesma boca e habitando a mesma terra..." (PO, do árabe, no 68)

História: A ROSA NEGRA

"Alguns dias antes, 'Abdu'l-Bahá tinha ido à Missão de Bowery falar a algumas centenas de pobres de Nova Iorque. Como de costume, acompanhava-O um grande grupo de amigos persas e americanos, formando um curioso espetáculo aquele bando de orientais com suas amplas túnicas e estranhos turbantes a percorrer o East Side... Não é de admirar, pois, que um punhado de meninos se aglomerasse em volta deles, passando dentro em pouco a dar voz aos seus pensamentos. - "Não poderíamos ir também?" perguntou um deles, que parecia chefiar o bando. - "Acho que não", respondeu a Sra. Kinney, "mas se quiserem aparecer na minha casa no próximo domingo... Darei um jeito para que falem com Ele..."

"'Abdu'l-Bahá se achava parado à porta, saudando cada menino que se aproximava. Por vezes passava o braço em volta dos ombros de um deles, mas sempre com tais sorrisos e risadas que se diria um menino entre meninos. Um dos últimos a entrar na sala foi um negrinho de cerca de treze anos. Como era muito escuro e o único de sua raça no bando, evidentemente temia não ser bem recebido. Mas, ao vê-lo, o rosto de 'Abdu'l-Bahá se iluminou, com um sorriso celestial. Levantou a mão num gesto de franca acolhida e exclamou, numa voz que todos pudera ouvir, que ali estava uma rosa negra. Fez-se na sala um momentâneo silêncio. O rosto negro espelhou uma felicidade e um amor difíceis de encontrar neste mundo. Os outros meninos o encararam com novos olhos." (De Portals to Freedom, por Howard G. Ives)

Projeto: Usar fotografia e artigos de jornal para discutir acontecimentos atuais, ajudando as crianças a compreender a necessidade de um mundo unido. No álbum de recortes, colar fotografias e artigos mostrando a gradual unificação da humanidade.

Questões a discutir:

1 - Aponte três espécies de preconceitos que observamos hoje.

2 - Qual é o mais comum no seu país?

3 - Qual é o mais comum na Europa? Nos Estados Unidos?

4 - Que espécie de preconceito você acha que é o mais comum na Terra Santa?

5 - A "união do gênero humano" significa que todos devem ser exatamente iguais?

6 - A raça, credo ou nacionalidade fazem um indivíduo superior?

LIÇÃO IX
A Ordem Mundial de Bahá'u'lláh

Oração: "As trevas cobriram toda a terra, ó meu Deus, fazendo tremer a maioria de Teus servos. Suplico-Te pelo Teu Nome Máximo, que levantes em cada cidade uma nova criação que se volverá para Ti e que Te recordará entre os Teus servos, e desfraldará, por virtude dos pronunciamentos e sabedoria de Teus servos, as insígnias de Tua vitória e se desprenderá de todas as coisas criadas." (P&M, 171)

Lição: Usando mapas do Mundo Bahá'í, mostre às crianças que a religião de Bahá'u'lláh já penetrou praticamente em todas as partes do mundo e que isso foi conseguido através das instituições criadas por Shoghi Effendi, sob a orientação do Plano Divino de 'Abdu'l-Bahá. Ajude-as a captar a visão da civilização Bahá'í, assinalando os passos que levarão ao seu estabelecimento final. Peça a cada aluno da classe que prepare um trabalho escrito ou oral descrevendo essa civilização, tal como a entende, e o que espera fazer para ajudar a convertê-la numa realidade.

Referências: The World Order of Bahá'u'lláh, 38-48, 202-206

O Dia Prometido Chegou, 149-151
O Advento da Justiça Divina, 24, 25, 111-138

The Bahá'í Faith (Statical Information, 1844-1952)

The Bahá'í World, Vol. XII
Mapas do Mundo Bahá'í

Leituras: (Muito extensas para serem citadas aqui, mas devem ser lidas em classe e seguidas de discussão.)

Bahá´í News, nov. 1957, anexo, parágrafo intitulado "Phenomenal Advance Achieved in World Crusade", em folheto intitulado "The Guardian Announces Series of Five Intercontinental Conferences and Appointment of Eight Additional Hands of the Cause."

O Advento da Justiça Divina, 24-26, parágrafos intitulados "As Possibilidades do Futuro".

The World Order of Bahá'u'lláh, pp. 203-204

Projeto: Correspondência com crianças de outros países a fim de encorajar a compreensão e o sentimento de unidade com elas. Consultar o "Child's Way" em busca de histórias de jovens Bahá'ís em outras terras.

Questões a discutir:
1 - Que significa "Ordem Mundial"?
2 - Que significa "Civilização Mundial"?
3 - Nomear algumas civilizações do passado.

4 - É a paz mundial o mesmo que "Civilização Mundial" ou "Ordem Mundial"?

5 - Como poderemos ajudar a Fé Bahá'í, agora e no futuro?

CHAVE DE REFERÊNCIAS
AJD - O Advento da Justiça Divina
BA - Bahá'í Administration
BNE - Bahá'u'lláh e a Nova Era, 1962
BPC - Bahá'í Prayers for Children
BW - Bahá'í World Volumes
BWF - Bahá'í World Faith
DB - The Dawn-Breakers
FWU - Foundations of World Unity
GWB - Gleanings from the Writings of Bahá'u'lláh
MBW - Messages to the Bahá'í World
OB - Orações Bahá'ís, 1967
P&M - Prayers and Meditations
PD - Presença de Deus
PT - Paris Talks
PUP - The Promulgation of Universal Peace
RAP - Respostas a Algumas Perguntas
RB - Revelação Bahá'í
SV - The Seven Valleys
TAB - The Tablets of 'Abdu'l-Bahá
UTA - Última Vontade e Testamento de 'Abdu'l-Bahá
WOB - The World Order of Bahá'u'lláh

Table of Contents: Albanian :Arabic :Belarusian :Bulgarian :Chinese_Simplified :Chinese_Traditional :Danish :Dutch :English :French :German :Hungarian :Italian :Japanese :Korean :Latvian :Norwegian :Persian :Polish :Portuguese :Romanian :Russian :Spanish :Swedish :Turkish :Ukrainian :