Announcing: BahaiPrayers.net


More Books by Shoghi Effendi

A Dispensação de Bahá'u'lláh
A Ordem Mundial de Bahá'u'lláh
A Presença de Deus - God Passes by
Administração Bahá'í
Chamado às Nações
Diretrizes do Guardião - Directives of the Guardian
Esta Hora Decisiva
Fortaleza de Fé
Mensagens de Shoghi Effendi ao Mundo Bahá'í 1950-1957
O Advento da Justiça Divina
O Dia Prometido Chegou
Free Interfaith Software

Web - Windows - iPhone








Shoghi Effendi : Diretrizes do Guardião - Directives of the Guardian
DIRETRIZES DO GUARDIÃO
COMPILADO POR: GERTRUDE GARRIDA
Título original: Directives of the Guardian
Editora Bahá'í do Brasil

Tradução: Bijan Ardjomand (salvo textos publicados anteriormente)

CONTEÚDO
Prefácio

Lista das Principais Obras e Traduções de Shoghi Effendi

'Abdu'l-Bahá
1.Dirigir orações a 'Abdu'l-Bahá
2.Fotografias de 'Abdu'l-Bahá e o Máximo Nome
3.Histórias Sobre 'Abdu'l-Bahá
4.Ministério de 'Abdu'l-Bahá
Administração Bahá'í
5.Atitude em Relação à Administração
6.Estudo e Aplicação
7.Mecanismo Administrativo
8.Preceitos e Regulamentos
África
9.Estudantes e Visitantes Africanos
Alcorão
10.Estudo do Alcorão
11.Ressurreição
12.Suras do Alcorão
13.Tradução Recomendada
Amor
14.Amor entre Bahá'ís

15.Guardiões do Amor num Mundo Excessivamente Sombrio

Ano Nove
16.O Ano Nove
Arquivos Internacionais Bahá'ís
17.A Importância dos Arquivos
18.Objetos ou Pertences de Bahá'u'lláh
Assembléias Espirituais
19.Amor e Unidade
20.Consulta Com a Assembléia
21.Endereço de Residência
22.Evitar Disputas em Tribunais Civis
23.Formação de Novas Assembléias
24.Grupo Bahá'í
25.Promessa de Bahá'u'lláh

26.Relatório para a Assembléia de Casamentos e Funerais Bahá'ís

27.Responsabilidades de Ser Membro da Assembléia
28.Reuniões de Assembléia
29.Unidade nas Assembléias
30.Vaga na Assembléia
Assembléia Espiritual Nacional

31.Apelações Contra a Decisão da Assembléia Nacional

32.Autoridade das Assembléias Nacionais
33.Convenção Anual
34.Jurisdição Sobre Comitês
Associações Não-Bahá'ís
5.Associar-se à Franco-Maçonaria
36.Seitas Religiosas - Associação com Todas

37.Ser Membro de Associações Religiosas Não-Bahá'ís

Aspectos Sociais da Fé
38.Um Único Sistema Divino e de Âmbito Mundial
Báb, O
39.Declaração do Báb
40.Fotografia do Báb
Bahá'ís
41.Destino dos Bahá'ís
42.Dois Tipos de Bahá'ís
43.Modo de Vida Bahá'í
Bahá'u'lláh
44.Casamentos de Bahá'u'lláh
Bíblia
45.A Profecia de Daniel
46.Autenticidade da Bíblia
47.Nascimento Imaculado de Jesus - 1
48.Nascimento Imaculado de Jesus - 2
Calendário Bahá'í
49.Calendário Bahá'í
Califado e Imanato
50.Califado e Imanato
Casa Universal de Justiça

51.Qualidade de Membro da Casa Universal de Justiça

52.Proibição de Mulheres na Casa Universal de Justiça

Casamento Bahá'í
53.Casamento Bahá'í
54.Casamento com Não-Bahá'í
55.Consentimento de Pais Biológicos

56.Consentimento dos Pais - Dever da Assembléia Averiguar a Validade

57.Consentimento dos Pais - Nubentes Não-Bahá'ís
Catástrofe
58.A Insurreição Apocalíptica
Comitês Bahá'ís
59.Nomeação de Membros da Assembléia para Comitês
60.Nomeação de Membros de Comitês Associados
61.Responsabilidades dos Comitês
Convênio
62.Dois Tipos de Convênio
63.Significado do Convênio Bahá'í
Crítica
64.A Respeito de Crítica
65.Crítica
Dias Sagrados
66.Dias Sagrados Bahá'ís
67.Dias Sagrados de Outras Religiões
68.Naw-Rúz: Tempo de Celebração
69.Observância da Data da Festa de Naw-Rúz
70.Reconhecimento em Firmas e Órgãos Públicos
Dispensação Bahá'í
71.Ciclo Bahá'í
72.Duração da Dispensação Bahá'í
73.Definição de Idades e Épocas
74.Plano Divino de 'Abdu'l-Bahá
Economia Bahá'í
75.Economia - 1
76.Economia - 2
77.Economia - 3
78.Ensinamentos Econômicos
79.Ensinamentos Econômicos
Educação

80.Sobre a Inabilidade da Educação Moderna de Produzir uma Mente Madura

Eleição Bahá'í
81.Aceitação do Resultado da Eleição

82.Condição do Indivíduo Privado do Direito de Voto

83.Direito de Voto, O
84.Eleição de Assembléias Nacionais
85.Eleições Bahá'ís para Cargos Administrativos
86.Não Influenciar a Opinião dos Outros
87.O Caráter das Eleições Bahá'ís
88.Votação da Assembléia
Enfermidade
89.Câncer
90.Enfermidade
91.Enfermidade Mental
Ensino Bahá'í
92.A Assembléia Suprema
93.A Única Panacéia da Ordem Mundial Divina
94.Amor e Unidade
95.Amor por Bahá'u'lláh

96.Concentração no Ensino - Fonte de Júbilo e Consolo

97.Dar a Mensagem
98.Descriminação ao Ensinar
99.Dever de Todo Crente

100.Ensinando A Fé Bahá'í é o que a Causa Precisa Agora

101.Ensinar a Todos sem Distinção
102.Ensino Direto

103.Estudar a História dos Primórdios e os Princípios da Fé

104.Expansão da Fé
105.Informar a Assembléia Espiritual Local
106.Instrutores Bahá'ís
107.Instrutores com Lealdade Incondicional

108.Instrutores e Administradores Podem Servir em Ambas as Frentes

109.Maior Unidade entre os Amigos
110.Métodos de Ensino
111.O Máximo Esforço ao Ensino
Escolas Bahá'ís de Verão
112.Atmosfera Bahá'í nas Escolas de Verão
113.Currículo das Escolas Bahá'ís de Verão
114.Importância das Escolas Bahá'ís de Verão
115.Propósito das Escolas Bahá'ís de Verão
Escritos Sagrados Bahá'ís
116.A Expressão "Sua Santidade"
117.As Hostes de Seu Testamento
118.As Palavras Ocultas (Em Árabe)
119.Notas de Peregrinos
120.Orações e Meditações de Bahá'u'lláh
121.Oração de Bahá'u'lláh
122.O Livro Carmesim
123.Sete Velas da Unidade
124.Significado de Corda
125.Sua Alteza Emanuel

126.Tablets of 'Abdu'l-Bahá - 3 volumes (Epístolas de 'Abdu'l-Bahá)

127.Transliteração de Termos Bahá'ís
Evolução do Homem
128.Evolução do Homem
Família
129.Laços de Família versus Laços Espirituais
Festa de Dezenove Dias

130.Data de Celebração das Festas de Dezenove Dias

131.Data da Comemoração das Festas de Dezenove Dias, Eleições e Dias Sagrados

132.Natureza da Festa
133.Participação nas Festas de Dezenove Dias
Fundos Bahá'ís
134.A Obrigação Sagrada
135.Contribuição
136.Contribuições são Voluntárias

137.Como Todo Crente Pode Testar a Medida de Sua Fé

138.Devemos Ser Como a Fonte
139.O Sangue Vital destas Instituições Nascentes
140.Obrigação Principal ao Fundo Nacional
141.Removendo o Peso da Miséria do Gênero Humano
Funeral Bahá'í
142.Doação de Corpos à Ciência Médica
143.Estrela de Nove Pontas Para Pedra Tumular

144.Lápide, Símbolo Bahá'í na Estrela de Nove Pontas para Pedra Tumular

145.Leitura da Oração de Finados
146.Pedras de Anéis e Lápides para Túmulos

147.Simplicidade e Flexibilidade no Funeral Bahá'í

Guardião
148.Guia Divina do Guardião
149.Infalibilidade do Guardião
Herança
150.Divisão da Herança
Heroísmo
151.Heroísmo é Necessário
Idioma Internacional
152.Esperanto
153.Língua Internacional
Islã
154.Islã
Jejum
155.O Jejum
156.O Mandamento do Jejum
157.Permissão Necessária para Jejum
Juventude
158.Educação
159.Juventude - 1
160.Juventude - 2
161.Juventude Bahá'í na Escola
162.Pioneirismo
163.Servir em Comitês
164.Sobre a Idade de Quinze Anos
Kitáb-i-Aqdas, O
165.Leis do Aqdas
Letras da Vida
166.Os Vinte e Quatro Anciãos
Manifestantes

167.A Importância dos Restos Mortais dos Profetas - 1

168.A Importância dos Restos Mortais dos Profetas - 2

169.Manifestante - Em 1000 Anos
170.Muitos Profetas Aparecerão
171.Posição dos Manifestantes
172.Retorno das Qualidades dos Manifestantes
Mãos da Causa
173.Posição e Função das Mãos da Causa
Medicina
174.Curandeirismo
175.Psiquiatria
176.Vacinação
Meditação
177.Guia Individual
178.Meditação
179.Questão da Orientação
Munírih Khánum
180.Munírih Khánum
Música
181.Música
Não-Bahá'ís
182.Almas Puras
Número Nove
183.Número Nove - 1
184.Número Nove - 2
Oposição à Fé
185.Ataques de Missionários de Igrejas
Oração
186.Citação de Orações
187.Entoar Orações no Templo
188.Cinco Passos da Oração
189.Orações
190.Orações de Cura
191.Orações Devem Ser Lidas Conforme Reveladas
192.Orações Diárias
193.Orações Obrigatórias Diárias
194.Rosários de Oração
Orientais
195.Associação com Orientais
196.Orientais
Pacifismo
197.Ponto de Vista Bahá'í Sobre Pacifismo
Paranormalidade
198.Fenômenos Psíquicos
199.Profecias das Pirâmides
200.Visões

Participação Bahá'í em Conferências Internacionais

201.Sobre a Participação Bahá'í em Conferências Internacionais

Paz
202.Paz
Perda dos Direitos Administrativos
203.Destituição de Crentes
Pioneirismo
204.Pioneirismo
205.Pioneirismo
Política
206.A Respeito de Eleições
207.Cartas aos Chefes Governamentais
208.Evitar Política como a Peste
209.Lealdade à Ordem Mundial de Bahá'u'lláh
210.Não-Interferência em Política
211.O Caráter Apolítico da Fé Bahá'í
212.Permanecer Afastado de Assuntos Políticos
213.Votação Civil
214.Votação em Eleições Civis - 1
215.Votação em Eleições Civis - 2
Preconceitos Raciais
216.Preconceitos Raciais
Pré-Jovens
217.Pré-Jovens Realizam Grandes Obras - 1
218.Pré-Jovens Realizam Grandes Obras - 2
Recém-Declarados
219.Aceitar a Causa Sem Restrições
220.Ao Aceitar Bahá'u'lláh
221.Os "Dois Extremos" em Aceitar Novos Bahá'ís

222.Sobre a Apresentação do Testamento do Mestre a Novos Crentes

223.Sobre Aceitação de Novos Crentes
224.Qualificações de um Novo Crente
Reuniões Públicas
225.Mudança da Data de Festas e Reuniões Públicas
226.Reuniões Bahá'ís
Rompedores do Convênio
227.Evitar os Rompedores do Convênio - 1
228.Evitar os Rompedores do Convênio - 2

229.Expulsão e Reintegração dos Rompedores do Convênio

Santuário Sagrado
230.Crentes se Volvem ao Santuário Sagrado
Saudação Bahá'í
231.Alláh'u'Abhá
Sede Bahá'í Local
232.Funções do Hazíratu'l-Quds
Serviço à Causa
233.Serviço à Causa
Serviço à Humanidade
234.Serviço à Humanidade
Serviço Militar

235.Posição de um Bahá'í em Relação à Obrigação Militar

236.Serviço Militar
Sofrimento
237.Os Sofrimentos da Passagem por este Mundo
238.Testes e Problemas
Supremo Tribunal
239.Supremo Tribunal
Teatro
240.Dramatização da Fé
241.Proibição da Dramatização dos Manifestantes
Teocracia
242.Teocracia
Trabalho

243.Mandamento de Bahá'u'lláh sobre Trabalho Diário

Vida Após a Morte
244.Oferendas em Memória
245.Vida Após a Morte
Yá-Bahá'u'l-Abhá
246.Tradução do Nome Supremo
Referências
PREFÁCIO

Shoghi Effendi, o Guardião da Fé Bahá'í, designação recebida por seu Avô, 'Abdu'l-Bahá, em Sua Última Vontade e Testamento, é o único intérprete autorizado e único tradutor autorizadamente inspirado dos Escritos Bahá'ís.

Durante todo seu ministério como Guardião (1922-57), que somente terminou por ocasião de sua prematura morte, Shoghi Effendi escreveu somente um livro - A Presença de Deus. A maioria de seu trabalho foi como tradutor dos Escritos Sagrados de Bahá'u'lláh, o Báb e 'Abdu'l-Bahá e trechos do famoso trabalho de Nabíl-i-A'zam, Os Rompedores da Alvorada.

Porém, colossal foi sua correspondência com o mundo bahá'í, e é desta monumental obra de mais de 17.000 escritos que o Centro Mundial Bahá'í retira suas guias, orientações, admoestações e interpretações dos Escritos Sagrados de nossa amada Fé, lançando vários livros, dos quais algumas destas obras, que são suas cartas na íntegra, já encontram-se publicadas em português.

Esta obra do Guardião é um guia aos bahá'ís e às instituições da Fé, aprovada pela Casa Universal de Justiça. São 246 textos abordando 82 diversos assuntos, muitos dos quais vão além do tema sugerido.

Estas declarações e excertos foram retirados das comunicações do Guardião, escritos diretamente por ele ou por seu secretário, em resposta às Assembléias Espirituais Nacionais, bahá'ís, Comunidades e Escolas de Verão. Estes excertos de suas mensagens, previamente aprovadas por ele que se publicassem no jornal internacional bahá'í - Bahá'í News, cobrem um período de 22 anos, de 1935 a 1957.

Sugerimos a leitura do livro A Pérola Inestimável que é sua biografia relatada pela pena de sua esposa, Rúhíyyih Khánum, para que tenham um pequeno vislumbre de quem foi este ilustre homem, sem paralelo na história da humanidade.

Editora Bahá'í do Brasil

LISTA DAS PRINCIPAIS OBRAS* E TRADUÇÕES DE SHOGHI EFFENDI

*Os livros com título em inglês, ainda não foram traduzidos e publicados em português, todos os outros citados foram publicados pela Editora Bahá'í do Brasil. Existem outras publicações em persa e pequenas obras em inglês que não foram listadas, além de inúmeros relatórios e materiais estatísticos, e mapas históricos.

Livro:
A PRESENÇA DE DEUS
Cartas:
A ORDEM MUNDIAL DE BAHÁ'U'LLÁH
A DISPENSAÇÃO DE BAHÁ'U'LLÁH
CHAMADO ÀS NAÇÕES
O ADVENTO DA JUSTIÇA DIVINA
O DIA PROMETIDO CHEGOU
YOUR TRUE BROTHER
CHALLANGE TO THE YOUTH
Compilações de suas cartas e mensagens:
Aos Estados Unidos da América:

BAHÁ'Í ADMINISTRATION; Messages to América (1922-37)

MESSAGES TO AMÉRICA (1937-47)
CITADEL OF FAITH; Messages to América (1947-57)
À Nova Zelândia:
AHOHANI
À Índia e Burma:
DAWN OF A NEW DAY
Ao Alasca:
HIGH ENDEAVORS
À Austrália e Nova Zelândia:

LETTERS FROM THE GUARDIAN TO AUSTRALIA AND NEW ZEALAND

À Antípodes:
MESSAGES TO THE ANTIPODES
Ao Canadá:
MESSAGES TO CANADA
Às Ilhas Britânicas:
UNFOLDING DESTINY
À Alemanha e Áustria:
THE LIGHT OF DIVINE GUIDANCE (2 volumes)
Aos bahá'ís em geral:

PRINCIPLES OF BAHÁ'Í ADMINISTRATION (comp. pela Comunidade Bahá'í do Reino Unido)

DIRETRIZES DO GUARDIÃO (comp. por Gertrude Garrida)

GUIDANCE FOR TODAY AND TOMORROW (comp. pela Comunidade Bahá'í dos E.U.A.)

MESSAGES TO THE BAHÁ'Í WORLD - 1950-57
Traduções:
EPÍSTOLA AO FILHO DO LOBO; Bahá'u'lláh
As Palavras Ocultas; Bahá'u'lláh
O KITÁB-I-IQÁN - O Livro da Certeza, Bahá'u'lláh
OS ROMPEDORES DA ALVORADA; Nabíl-i-A'zam

Compilações feitas por ele (e tradução do persa para o inglês):

SELEÇÃO DOS ESCRITOS DE BAHÁ'U'LLÁH
ORAÇÕES E MEDITAÇÕES DE BAHÁ'U'LLÁH

SINOPSE E CODIFICAÇÃO DO KITÁB-I-AQDAS; Bahá'u'lláh

ORAÇÕES BAHÁ'ÍS*; Bahá'u'lláh, o Báb e 'Abdu'l-Bahá

*A versão original sofreu acréscimos ao longo dos anos pela Casa Universal de Justiça e pelas Editoras Bahá'ís.

* * * * * * *
'Abdu'l-Bahá
1. DIRIGIR ORAÇÕES A 'ABDU'L-BAHÁ

"Em relação a... a Dispensação de Bahá'u'lláh, ele deseja que eu explique que, embora a posição de 'Abdu'l-Bahá não seja a de um Manifestante de Deus, ainda assim súplicas podem ser dirigidas a Ele. É essencial, no entanto, que todo crente perceba que ao assim fazer está dirigindo seus pensamentos através do Mestre como um intermediário entre Ele e o Manifestante, e não como a Fonte da Revelação Divina e Guia Espiritual. Desde que esta distinção seja estabelecida, não pode haver qualquer mal ou objeção em dirigir orações a 'Abdu'l-Bahá."

2. FOTOGRAFIAS DE 'ABDU'L-BAHÁ E O MÁXIMO NOME

"É muito importante que o Máximo Nome ou um retrato de 'Abdu'l-Bahá sejam colocados numa posição de dignidade. Eles não devem ser colocados no chão, nem por outro lado devem ser mantidos acima das cabeças das pessoas na fotografia. Parece que a posição adequada é que sejam mantidos na altura do peito."

3. HISTÓRIAS SOBRE 'ABDU'L-BAHÁ

"Ele os urgiria também a não darem qualquer importância às histórias contadas a respeito de 'Abdu'l-Bahá ou atribuídas a Ele pelos amigos. Estas coisas devem ser consideradas à mesma luz das notas e impressões de peregrinos visitantes. Elas não precisam ser eliminadas, mas também não lhes deve ser dado reconhecimento notório ou oficial."

4. MINISTÉRIO DE 'ABDU'L-BAHÁ

"Quanto aos três objetivos a que Shoghi Effendi se referiu em seu América e a Paz Máxima* como tendo sido os principais objetivos do ministério de 'Abdu'l-Bahá, deve-se salientar que o primeiro foi: o estabelecimento da Causa na América; sendo os dois restantes a construção do Templo Bahá'í em 'Ishqábád e a construção, no Monte Carmelo, de um mausoléu que marca o local de repouso do Báb."

* A Ordem Mundial de Bahá'u'lláh, 1ª edição, 2003, p. 91. n.e.

Administração Bahá'í
5. ATITUDE EM RELAÇÃO À ADMINISTRAÇÃO

"Ele deseja também que eu expresse seu apoio à sua declaração na edição de novembro do Bahá'í News sobre o efeito de criar nas Assembléias e nos crentes uma atitude mais positiva e ativa em relação à Administração. A necessidade de uma ação positiva parece ser de fato uma das necessidades mais urgentes da Causa atualmente."

6. ESTUDO E APLICAÇÃO

"Sem o estudo e aplicação da administração, os ensinamentos da Causa se tornam não somente sem sentido, mas perdem em efetividade e alcance."

7. MECANISMO ADMINISTRATIVO

"Agora que eles (os crentes americanos) erigiram o mecanismo administrativo da Causa, devem colocá-lo na sua verdadeira utilização - servir apenas como um instrumento para facilitar o fluxo do espírito da Fé no mundo. Tal como os músculos capacitam o corpo a realizar a vontade do indivíduo, todas as Assembléias e comitês devem capacitar os crentes a levarem avante a Mensagem de Deus ao público à espera, o amor de Bahá'u'lláh e as leis e princípios curadores da Fé a todos os homens."

8. PRECEITOS E REGULAMENTOS

"Ele sente que os preceitos e regulamentos registrados no Bahá'í Administration, e as declarações suplementares já emitidas pela Assembléia Nacional, são, para o momento atual, suficientemente detalhados para guiar os amigos nas suas atividades hodiernas... Os crentes americanos, bem como seus representantes nacionais, devem doravante dirigir sua atenção a resultados mais grandiosos e vitais que uma Administração já estabelecida é incumbida a enfrentar e controlar ao invés de deixar que suas energias sejam despendidas na consideração de assuntos administrativos meramente secundários."

África
9. ESTUDANTES E VISITANTES AFRICANOS

"Ele espera que, onde quer que seja possível, os crentes farão todo esforço em contatar estudantes e visitantes africanos e lhes mostrar bondade e hospitalidade. Isto não somente levará à conversão de alguns enquanto na América, mas também fará amigos para a Fé na África."

Alcorão
10. ESTUDO DO ALCORÃO

"Com relação ao programa de escola (Louhelen) para o próximo verão, o Guardião certamente aconselharia, e até mesmo urgiria os amigos, a fazerem um estudo minucioso do Alcorão, pois o conhecimento desta sagrada Escritura é absolutamente indispensável a todo crente que deseja entender adequadamente e interpretar inteligentemente os escritos de Bahá'u'lláh. Embora haja muito poucas pessoas entre os bahá'ís ocidentais que sejam capazes de ministrar tal curso com sabedoria, a mera falta de professores competentes deve encorajar e estimular os crentes a conhecerem melhor as Sagradas Escrituras do Islã. Deste modo, gradualmente aparecerão alguns bahá'ís destacados que estarão tão bem versados nos ensinamentos do Islã que serão capazes de orientar os crentes em seu estudo dessa religião."

11. RESSURREIÇÃO (Explica a passagem da p. 175 do Seleção*)

" 'Dela (da terra) Nós vos criamos...', é um versículo do Alcorão e as aspas foram erroneamente omitidas do texto e devem ser acrescentadas depois de 'vez'. Ao citar esta passagem, Bahá'u'lláh procura refutar o argumento dos muçulmanos, os quais atribuem um significado puramente literal a este versículo do Alcorão, e por isso o consideram como sendo ressurreição corporal. A estes muçulmanos, Ele diz que vós que credes literalmente que o corpo humano retornará ao pó e dele novamente se erguerá, e por isso atribuís tanta importância a este mundo mortal, como podeis então arrogar-vos e jactar-vos de coisas que são meramente perecíveis e conseqüentemente destituídas de qualquer valor verdadeiro e perene."

*Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh, 2ª ed., 2001.

12. SURAS DO ALCORÃO

"É certamente muito difícil compreender perfeitamente todas as suras do Alcorão, pois isto requer um conhecimento detalhado do contexto social, religioso e histórico da Arábia na época do surgimento do Profeta. Portanto, os crentes não podem esperar compreender as suras após a primeira, ou mesmo segunda ou terceira leituras. Eles devem estudá-las muitas vezes, ponderar sobre seu significado, com a ajuda de certos comentários e notas explicativas que são encontrados, por exemplo, na admirável tradução feita por SALE, esforçar-se por adquirir a mais clara e correta compreensão possível de seu significado e importância. Isto é naturalmente um processo lento, mas futuras gerações de crentes certamente o entenderão. Para o momento atual, o Guardião concorda que seria mais fácil e mais útil estudar o Livro de acordo com assuntos, e observar versículo por versículo e também à luz das interpretações do Báb, Bahá'u'lláh e 'Abdu'l-Bahá, que lançam tamanha torrente de luz sobre todo o Alcorão."

13. TRADUÇÃO RECOMENDADA

"Quanto à questão levantada pela Assembléia Espiritual de Los Angeles concernente à melhor tradução inglesa do Alcorão, o Guardião recomendaria a tradução de 'Sale' que é a mais acurada tradução disponível, e a mais difundida."

Amor
14. AMOR ENTRE BAHÁ'ÍS

"Volva-se aos seus irmãos e irmãs bahá'ís que estão vivendo com você no reino. De fato, os crentes ainda não aprenderam plenamente a atrair o amor uns dos outros para apoio e consolo em tempo de necessidade. A Causa de Deus é dotada de tremendos poderes e a razão de os crentes não se beneficiarem mais dela é porque não aprenderam a atrair devidamente estas poderosas forças de amor, energia e harmonia geradas pela Fé."

15. GUARDIÕES DO AMOR NUM MUNDO EXCESSIVAMENTE SOMBRIO

"Os amigos devem sempre ter em mente que, de certo modo, eles são como soldados sob ataque. No momento atual o mundo se encontra numa condição espiritual excessivamente sombria; ódio e preconceito de toda sorte o estão despedaçando literalmente. Nós, por outro lado, somos os guardiões das forças opostas, as forças do amor, da unidade, da paz e da integração, e devemos estar continuamente atentos, seja como indivíduos ou como uma Assembléia ou comunidade, para impedir que através de nós estas forças destrutivas e negativas entrem em nosso meio. Em outras palavras, devemos nos acautelar para que acaso a escuridão da sociedade não se reflita inconscientemente em nossos atos e atitudes. Amor uns pelos outros, o profundo senso de que nós somos um novo organismo, os rompedores da alvorada de uma nova Ordem Mundial, devem constantemente animar nossas vidas bahá'ís, e devemos orar para sermos protegidos da contaminação da sociedade que tanto sofre com preconceitos."

Ano Nove
16. O ANO NOVE

"O 'Ano Nove' é uma abreviação de 1269 d.h.. O início do Ano Nove ocorreu cerca de dois meses após Seu (de Bahá'u'lláh) aprisionamento naquela masmorra. Não sabemos o momento exato em que Ele recebeu esta primeira intimação... Por isso, consideramos todo o Ano Nove como um Ano Sagrado, e a ênfase deve ser dada... ao ano todo, que começou em outubro de 1852. Isto significa que nosso Centenário de Celebração será desde outubro de 1952 até outubro de 1953."

Arquivos Internacionais Bahá'ís
17. A IMPORTÂNCIA DOS ARQUIVOS

"A importância da instituição dos Arquivos Bahá'ís não é devida somente às muitas facilidades de ensino que proporciona, mas se encontra principalmente na vasta quantidade de dados históricos que oferece tanto para os atuais administradores da Causa como para os historiadores bahá'ís do futuro. A instituição dos Arquivos Bahá'ís é de fato uma mina muitíssimo valiosa de informação relacionada a todos os aspectos da Fé, administrativos bem como doutrinários. Futuras gerações de crentes certamente estarão numa melhor posição do que nós para apreciar verdadeira e adequadamente as muitas vantagens e facilidades que a instituição dos Arquivos oferece a cada crente e também à comunidade como um todo. Agora que a Causa está rapidamente passando por tantas diferentes fases de sua evolução, é tempo de os amigos se esforçarem ao máximo para preservarem o mais que puderem as sagradas relíquias e vários outros objetos preciosos associados às vidas dos Fundadores da Fé, e particularmente as Epístolas por Eles reveladas. Todo crente deve perceber que tem uma responsabilidade decisiva para ombrear a este respeito, e ajudar, o quanto puder, a retribuir o bem sucedido e valioso trabalho que tão devotadamente os comitês de Arquivos Bahá'ís nacionais e locais estão realizando para a Fé na América."

18. OBJETOS OU PERTENCES DE BAHÁ'U'LLÁH

"O princípio geral deve ser que qualquer objeto usado por Ele pessoalmente deve ser preservado para a posteridade, seja em Arquivos locais ou nacionais. É dever e responsabilidade de Assembléias Bahá'ís averiguarem cautelosamente se tais objetos são genuínos ou não, e terem o máximo cuidado nisso."

Assembléias Espirituais
19. AMOR E UNIDADE

"A maior necessidade que parece haver em toda parte dentro da Causa é a de gravar nos amigos a necessidade de amor entre eles. Há uma tendência de confundir as funções administrativas e tentar aplicá-las aos relacionamentos individuais, o que é malsucedido, pois a Assembléia é uma nascente Casa de Justiça e espera-se que administre os assuntos da comunidade de acordo com os Ensinamentos. Mas os indivíduos, uns em relação aos outros, são governados por amor, unidade, perdão e olhos que ocultam pecados. Uma vez que os amigos entendam isto conviverão melhor, sem continuar a brincar de Assembléia Espiritual uns com os outros e esperar que a Assembléia aja como um indivíduo."

20. CONSULTA COM A ASSEMBLÉIA

"Em relação à consulta: Toda pessoa pode apresentar um assunto à Assembléia para consulta, quer a outra pessoa queira ou não. Em questões que afetam a Causa, a Assembléia deve, se julgar necessário, intervir até mesmo se ambas as partes não o quiserem, pois todo o propósito da Assembléia é proteger a Fé, as comunidades bem como os indivíduos bahá'ís."

21. ENDEREÇO DE RESIDÊNCIA

"Com relação à formação de novas Assembléias e a manutenção de sua posição de Assembléia, o Guardião deseja reafirmar o princípio geral de que somente aqueles que residem dentro dos limites municipais de uma dada localidade têm o direito tanto de votar como de serem eleitos como membros da Assembléia, mesmo que isto acarrete em freqüente dissolução da Assembléia devida ao número insuficiente de membros. Por outro lado, isto servirá de estímulo àqueles que se encontram fora desses limites para estabelecerem um grupo e finalmente sua própria Assembléia. Este princípio deve ser estritamente apoiado, pois senão conduzirá a confusão e sobreposição."

22. EVITAR DISPUTAS EM TRIBUNAIS CIVIS

"O Guardião deseja enfatizar a importância de se evitar (recorrer a tribunais civis) em casos de disputa entre crentes, mesmo em questões não-bahá'ís. É função da Assembléia empenhar-se em apaziguar amigavelmente tais disputas, tanto para salvaguardar o bom nome e o prestígio da Causa como para adquirir a experiência necessária para a ampliação de suas funções no futuro."

23. FORMAÇÃO DE NOVAS ASSEMBLÉIAS

"Em relação à formação de Assembléias Locais, o Guardião não aconselha qualquer afastamento do princípio de que toda comunidade civil deve ter sua própria Assembléia independente."

24. GRUPO BAHÁ'Í

"... depois de um crente isolado, qualquer número de bahá'ís confirmados abaixo de nove pessoas deve ser considerado como constituindo automaticamente um grupo bahá'í..."

25. PROMESSA DE BAHÁ'U'LLÁH

"Bahá'u'lláh fez a promessa de que em toda Assembléia em que prevalecer unidade e harmonia, Seu glorioso espírito não somente estará presente, mas haverá de animar, sustentar e guiar todos os amigos em todas as suas deliberações."

26. RELATÓRIO PARA A ASSEMBLÉIA DE CASAMENTOS E FUNERAIS BAHÁ'ÍS

"Ao relatar casamentos bahá'ís é muito melhor mencionar que a cerimônia foi celebrada pela Assembléia, pois é o que deve ser feito, e um indivíduo apenas representa a Assembléia nessa ocasião. Como o funeral não é uma cerimônia legal, permite-se maior liberdade de ação, especialmente quando a família do falecido deseja que algum amigo bahá'í em particular a celebre."

27. RESPONSABILIDADES DE SER MEMBRO DA ASSEMBLÉIA

"... é bastante óbvio que, a menos que um membro possa participar regularmente das reuniões de sua Assembléia Local, ser-lhe-á impossível desincumbir-se de seus deveres e cumprir suas responsabilidades como representante da comunidade. Ser membro de uma Assembléia Espiritual Local implica, de fato, uma obrigação e capacidade de se manter em contato direto com as atividades bahá'ís locais, e habilidade de assistir regularmente às sessões da Assembléia."

28. REUNIÕES DE ASSEMBLÉIA

"A Assembléia Espiritual deve decidir com que freqüência deve se reunir a fim de tratar adequadamente dos assuntos da Causa sob sua jurisdição. Duas vezes por semana ou duas vezes por mês não é a questão, a questão é que ela deve estar vigilante e levar avante seu trabalho satisfatoriamente."

29. UNIDADE NAS ASSEMBLÉIAS

"É para a unidade que o Guardião continuamente tem convocado os amigos: Pois onde houver uma resolução unida, nada pode efetivamente se opor e impedir as forças de desenvolvimento construtivo."

30. VAGA NA ASSEMBLÉIA

"... Permitir que as Assembléias determinem um prazo limite para o não-comparecimento de seus membros às reuniões da Assembléia Espiritual, além do qual a referida pessoa é automaticamente afastada da Assembléia e uma vaga é declarada, é estabelecer um precedente perigoso... não deve haver limite de prazo fixado pelas Assembléias além do qual uma pessoa é afastada. Cada caso de ausência prolongada das sessões da Assembléia deve ser considerado separadamente por aquela Assembléia, e se for considerado que a pessoa não deseja comparecer às reuniões ou quer se manter definitivamente afastado delas devido a enfermidade ou viagem, então uma vaga pode ser legitimamente declarada aberta e um novo membro, eleito."

Assembléia Espiritual Nacional

31. APELAÇÕES CONTRA A DECISÃO DA ASSEMBLÉIA NACIONAL

"Qualquer coisa que afete os interesses da Causa e na qual a Assembléia Nacional, como um corpo, esteja envolvida, se considerada como insatisfatória por Assembléias Locais ou crentes, deve ser imediatamente referida à própria Assembléia Nacional. Nem o corpo geral de crentes, nem qualquer Assembléia Local, nem mesmo os delegados à Convenção anual, devem ser considerados como possuidores de qualquer autoridade para acolher apelações contra a decisão da Assembléia Nacional. Caso a questão seja referida ao Guardião, é seu dever ponderá-la com o máximo cuidado e decidir se a referida questão deve ser considerada por ele pessoalmente ou ser deixada inteiramente ao critério da Assembléia Nacional.

Este princípio administrativo que ora o Guardião está reafirmando e enfatizando é tão claro, tão abrangente e simples, que ele acha que nenhum mal-entendido pode surgir quanto à sua aplicação. Não há qualquer exceção a esta regra, e o Guardião desaprovaria qualquer tentativa de elaborar ou se estender mais sobre este princípio fundamental e claramente enunciado."

32. AUTORIDADE DAS ASSEMBLÉIAS NACIONAIS

"Desejo reafirmar, em linguagem clara e categórica, o princípio já enunciado de manter a suprema autoridade da Assembléia Nacional em todos os assuntos que afetam os interesses da Fé naquele país. Não pode haver nenhum conflito de autoridade, nenhuma dualidade, sob qualquer condição ou circunstância, em qualquer campo de jurisdição bahá'í, seja local, nacional ou internacional. A Assembléia Nacional, no entanto, embora a única intérprete de sua Declaração de Estatutos e Registros, é direta e moralmente responsável caso permita que qualquer corpo ou instituição sob sua jurisdição abuse de seus privilégios ou decline do exercício de seus direitos e prerrogativas. É o protetor de confiança e a mola-mestra das diversas atividades e interesses de toda comunidade nacional no mundo bahá'í. Ela constitui a única conexão e liga estas comunidades à Casa Universal de Justiça, o supremo corpo administrativo da Dispensação de Bahá'u'lláh."

33. CONVENÇÃO ANUAL

"Estou profundamente convencido de que, se a Convenção Anual dos amigos na América, bem como a Assembléia Espiritual Nacional, desejarem se tornar poderosos instrumentos para a rápida realização das mais acariciadas esperanças do Bem-Amado para o futuro daquele país, eles devem se esforçar, em primeiro lugar e principalmente, em exemplificar de um modo crescente, a todos os bahá'ís e ao mundo todo, os elevados ideais de solidariedade e serviço que Bahá'u'lláh e o bem-amado Mestre repetidamente colocaram diante deles."

34. JURISDIÇÃO SOBRE COMITÊS

"A jurisdição final da Assembléia Espiritual Nacional sobre o Comitê Nacional de Ensino, bem como sobre os Comitês Regionais de Ensino, é certamente incontestável, e é da mesma natureza e caráter da autoridade que ela exerce sobre todos os outros comitês nacionais."

Associações Não-Bahá'ís
35. ASSOCIAR-SE À FRANCO-MAÇONARIA
"Desaprova associação (à) Franco-maçonaria.

Qualquer bahá'í determinado a manter associação (na) Franco-maçonaria perde direito de voto.

A diretriz referente a associação à Franco-maçonaria deve ser cumprida pela sua Assembléia em todas as áreas sob a jurisdição de sua Assembléia."

36. SEITAS RELIGIOSAS - ASSOCIAÇÃO COM TODAS

"Os bahá'ís devem, entretanto, relacionar-se com membros de todas as seitas religiosas com a maior tolerância e cordialidade, e tentar lhes mostrar a importância da Revelação de Bahá'u'lláh ao mundo neste Grande Dia. O Guardião o aconselharia a ensinar a Fé aos mórmons, como a qualquer outro, quando os achar receptivos. Eles têm muitos grandes princípios e seus ensinamentos relativos a caridade, não beber ou fumar, etc., são muito semelhantes aos nossos e podem formar um ponto de interesse comum."

37. SER MEMBRO DE ASSOCIAÇÕES RELIGIOSAS NÃO-BAHÁ'ÍS

"Com relação a ser membro de associações religiosas não-bahá'ís, o Guardião deseja enfatizar novamente o princípio geral, já afirmado em suas comunicações à sua Assembléia e também a crentes, de que nenhum bahá'í que deseje ser um sério e sincero apoiador dos distintivos princípios da Causa pode aceitar plena associação a qualquer organização eclesiástica não-bahá'í. Pois tal ato implicaria necessariamente na aceitação apenas parcial dos Ensinamentos e Leis da Fé, e num reconhecimento incompleto de seu status independente, e assim seria equivalente a um ato de deslealdade às verdades que ela entesoura. Pois é simplesmente óbvio demais que, na maioria de suas implicações fundamentais, a Causa de Bahá'u'lláh difere completamente dos antiquados credos, cerimônias e instituições. Ser bahá'í e ao mesmo tempo aceitar ser membro em outro corpo religioso é simplesmente um ato de contradição que nenhuma pessoa sincera e racional pode aceitar. Seguir Bahá'u'lláh não significa aceitar alguns de Seus ensinamentos e rejeitar o resto. A dedicação à Sua Causa deve ser firme e sincera. Na época do Mestre, a Causa estava ainda num estágio em que fazer uma distinção aberta e nítida entre ela e outras organizações religiosas, e particularmente a Fé Islâmica, não só era desaconselhável, mas praticamente impossível. Mas desde Seu passamento, em todo o mundo bahá'í, e particularmente no Egito, onde as cortes religiosas islâmicas formalmente atestaram o caráter independente da Fé, desenvolveram-se eventos que tornaram essa declaração da independência da Causa não apenas altamente desejável, mas absolutamente essencial."

Aspectos Sociais da Fé
38. UM ÚNICO SISTEMA DIVINO E DE ÂMBITO MUNDIAL

"Com relação à idéia da Ordem Mundial Bahá'í e a adequada ênfase que deve ser dada ao aspecto social da Fé; o Guardião acha necessário a todos os instrutores enfatizarem o fato de que em hipótese alguma a Ordem Mundial de Bahá'u'lláh pode ser separada dos princípios espirituais e ensinamentos da Causa; que as leis sociais e instituições da Fé são inseparavelmente ligadas e intimamente entretecidas com os princípios morais e espirituais enunciados por Bahá'u'lláh, Aquele que de fato repetidamente enfatizou a unicidade subjacente e a identidade de propósito de todos os Seus ensinamentos espirituais, doutrinários e sociais. Os amigos, enquanto enfatizam ambos os aspectos, devem particularmente mostrar que eles constituem partes de um único e mesmo plano, e elementos de um sistema único, divino e de âmbito mundial."

Báb, O
39. DECLARAÇÃO DO BÁB

"Quanto à questão submetida à sua Assembléia pelo grupo bahá'í de Maui, Havaí, relativa à passagem da página 88 do livro Bahá'í Administration:

'... O Guardião deseja que eu lhes informe que os festivais da Declaração do Báb e o aniversário de 'Abdu'l-Bahá, referidos naquela passagem como sendo celebrados em 22 de novembro de 1925 pelos bahá'ís do Oriente, baseiam-se no calendário lunar. Por isso, a data da celebração não é fixa, mas muda a cada ano. Ao final, conforme o Mestre afirmou explicitamente, um sistema uniforme haverá de ser estabelecido pela Casa Universal de Justiça.' "

40. FOTOGRAFIA DO BÁB

"Permitam-me chamar sua atenção para o fato de que a fotografia do Báb que há muitos anos apareceu no livro de Nicolas, Siyyid 'Alí Muhammad dit le Báb, não é autêntica*, embora apresente grande semelhança aos desenhos originais do retrato do Báb."

*A foto em questão é a de Hájí Siyyid Kázím-i-Rashtí. n.e.

Bahá'ís
41. DESTINO DOS BAHÁ'ÍS

"Eu, de minha parte, estou determinado a reforçar o impulso que impele seus membros avante para ao encontro de seu destino. Os Fundadores de sua Fé avaliam desde o Reino no alto o grau de suas realizações, elogiam seu progresso e estão sempre prontos para apressar seu triunfo final."

42. DOIS TIPOS DE BAHÁ'ÍS

"Pode-se dizer que há dois tipos de bahá'ís: aqueles cuja religião é Bahá'í e aqueles que vivem para a Fé. Desnecessário dizer que se pudermos pertencer à última categoria, se pudermos estar à frente de heróis, mártires e santos, é mais louvável perante Deus."

43. MODO DE VIDA BAHÁ'Í

"É bom que os bahá'ís saibam que ser bahá'í é essencialmente um estado interior, ou modo de vida, e não subordinado a padrões estabelecidos. Por importantes que sejam as nossas instituições organizadas, elas não são a própria Fé. O poder da Fé cresce não importa quão dispersas possam estar temporariamente as suas atividades. Repetidas vezes observamos isto em terras onde a Fé foi temporariamente banida; em épocas em que os crentes são perseguidos e até mesmo mortos; onde estão servindo completamente sozinhos ou dispersos e isolados. Assim, foi uma experiência mais estimulante do que deprimente para os bahá'ís americanos ficarem sem suas escolas durante alguns anos."

Bahá'u'lláh
44. CASAMENTOS DE BAHÁ'U'LLÁH

"Entretanto, seria muito útil aos amigos saberem que a questão que o missionário acima mencionado levantou em relação ao casamento de Bahá'u'lláh e as provisões do Aqdas relacionadas à instituição do casamento foram explicadas por 'Abdu'l-Bahá numa Epístola que o Guardião espera ter traduzida e publicada juntamente com o Aqdas. Além do mais, no que se refere ao casamento de Bahá'u'lláh, deve-se notar que Seus três casamentos foram todos contraídos antes de Ele revelar Seu Livro de Leis e até mesmo antes de Sua declaração em Bagdá, numa época em que as leis do casamento bahá'í ainda não haviam sido divulgadas e a Revelação ainda não havia sido desvelada."

Bíblia
45. A PROFECIA DE DANIEL

"Em relação à Profecia de Daniel: a passagem em Esslemont* deveria ser modificada para a afirmação de que esta profecia se refere ao centésimo aniversário da Declaração de Bahá'u'lláh, no Jardim do Ridván, em Bagdá - referência a isto pode ser encontrada em The Passing of 'Abdu'l-Bahá, em citações de duas de Suas Epístolas."

*No Livro Bahá'u'lláh e a Nova Era, p. 239, 9ª ed., 2001. n.r.

46. AUTENTICIDADE DA BÍBLIA

"Quanto à questão levantada pela Assembléia de Racine em relação à afirmação de Bahá'u'lláh no Seleção (dos Escritos de Bahá'u'lláh) a respeito do sacrifício de Ismael; embora Sua afirmação não esteja de acordo com a que consta da Bíblia, Gênesis 12:9, os amigos devem, sem hesitação, e por razões que são simplesmente óbvias demais, dar primazia àquilo que disse Bahá'u'lláh, o qual, deve-se observar, é integralmente corroborado pelo Alcorão, livro que é mais autêntico do que a Bíblia, incluindo tanto o Novo como o Velho Testamentos. A Bíblia não é totalmente autêntica e neste sentido não pode ser comparada ao Alcorão, devendo ser completamente subordinada às autênticas Elocuções de Bahá'u'lláh."

47. NASCIMENTO IMACULADO DE JESUS - 1

"Com relação à sua pergunta a respeito do nascimento imaculado de Jesus: sobre este ponto, assim como vários outros, os ensinamentos bahá'ís estão em pleno acordo com as doutrinas da Igreja Católica. No Kitáb-i-Íqán (O Livro da Certeza), p. 38*,e em algumas outras Epístolas ainda não publicadas, Bahá'u'lláh confirma, ainda que indiretamente, a concepção católica do nascimento imaculado. 'Abdu'l-Bahá também, em Respostas a Algumas Perguntas, capítulo XII, p. 69†, afirma explicitamente que Cristo veio à existência através do espírito de Deus, afirmativa esta que, vista à luz do texto, implica necessariamente que Jesus não era filho de José.

*2ª Ed., 1977. n.e.
†5ª Ed., 2001. n.e.
48. NASCIMENTO IMACULADO DE JESUS - 2

"Nós cremos que somente Cristo foi concebido de modo imaculado. Seus irmãos e irmãs teriam nascido de modo natural e concebidos naturalmente."

Calendário Bahá'í
49. CALENDÁRIO BAHÁ'Í

"É aconselhável usar as datas bahá'ís tanto de acordo com o calendário bahá'í como com o calendário usual gregoriano. Atualmente os amigos estão livres para fazerem como lhes aprouver."

Califado e Imanato
50. CALIFADO E IMANATO

"Tanto califado como imanato significam sucessão. Qualquer um dos termos pode ser usado."

Casa Universal de Justiça

51. QUALIDADE DE MEMBRO DA CASA UNIVERSAL DE JUSTIÇA

"Quanto à sua pergunta concernente à qualidade de membro da Casa Universal de Justiça, há uma Epístola de 'Abdu'l-Bahá na qual Ele afirma definitivamente que ser membro da Casa Universal é reservado exclusivamente a homens e que a sabedoria disso será plenamente revelada no futuro. Nas Casas de Justiça locais e nacionais, no entanto, as mulheres têm todo direito de serem membros. Portanto, somente para a Casa Universal é que elas não podem ser eleitas. Os bahá'ís devem aceitar esta instrução do Mestre num espírito de profunda fé, confiantes de que há uma orientação e sabedoria divinas por trás disso, as quais serão gradativamente desveladas aos olhos do mundo."

52. PROIBIÇÃO DE MULHERES NA CASA UNIVERSAL DE JUSTIÇA

"Quanto à sua pergunta, o Mestre disse que a sabedoria de não haver mulheres na Casa Universal de Justiça se tornará manifesta no futuro. Não temos qualquer outra indicação além dessa.

No momento presente, há mulheres no Conselho Internacional, e isto continuará enquanto ele existir, mas quando a Casa Universal de Justiça for eleita, somente homens estarão nela, pois esta é a lei do Aqdas."

Casamento Bahá'í
53. CASAMENTO BAHÁ'Í

"A respeito de sua pergunta sobre a natureza e o caráter do casamento bahá'í. Como você acertadamente afirmou, tal casamento é condicionado à completa aprovação de todos os quatro pais. Sua afirmativa no sentido de que o princípio da unicidade do gênero humano previne qualquer bahá'í verdadeiro de considerar a raça em si como um impedimento à união, também está em completa harmonia com os Ensinamentos da Fé. Pois tanto Bahá'u'lláh como 'Abdu'l-Bahá nunca desaprovaram a idéia de casamento inter-racial, nem a desencorajaram. De fato, os Ensinamentos Bahá'ís, pela sua própria natureza, transcendem todas as limitações impostas por raça, e como tais jamais podem nem devem se identificar com qualquer escola particular de filosofia racial."

54. CASAMENTO COM NÃO-BAHÁ'Í

"O princípio geral em relação ao casamento de um bahá'í com um não-bahá'í é o seguinte: 'Se um bahá'í casa com uma não-bahá'í que deseja ter a cerimônia religiosa de sua própria seita, deve ficar bem claro que, primeiro, o parceiro bahá'í deve ser entendido como sendo bahá'í por religião e não obrigado a aceitar a religião do outro parceiro por causa de sua cerimônia religiosa; e segundo, a cerimônia deve ser de tal natureza que não comprometa o bahá'í a qualquer declaração de fé em outra religião que não a sua própria. Nestas circunstâncias o bahá'í pode participar da cerimônia religiosa de seu parceiro não-bahá'í.

O bahá'í deve insistir em celebrar a cerimônia bahá'í antes ou depois da não-bahá'í, no mesmo dia."

55. CONSENTIMENTO DE PAIS BIOLÓGICOS

"Nosso amado Guardião deixou claro que é responsabilidade do organismo bahá'í que celebra a cerimônia de casamento certificar-se, sem questionar, de que os pais biológicos vivos de ambos os indivíduos que estão sendo casados tenham dado seu consentimento para o casamento. É preferível que este consentimento seja dado por escrito, mas se por algum motivo isto for impossível ou desaconselhável, o consentimento verbal na presença de testemunhas é suficiente."... "Quanto à sua questão de aplicar a sanção da suspensão do direito de voto a pessoas que se casam sem o consentimento dos pais, isto deve ser feito doravante. As leis do Kitáb-i-Aqdas são explícitas e absolutamente não sujeitas a qualquer ambigüidade. Enquanto os pais estiverem vivos, o consentimento deve ser obtido; isto não é condicionado ao seu relacionamento com seus filhos. Se o paradeiro dos pais não for legalmente conhecido, em outras palavras, se eles estiverem legalmente mortos, então, obviamente, não é necessário aos filhos obterem seu consentimento. Não é uma questão de os filhos não saberem o atual paradeiro dos pais, é uma questão legal - se os pais estiverem vivos, devem ser indagados."

56. CONSENTIMENTO DOS PAIS - DEVER DA ASSEMBLÉIA AVERIGUAR A VALIDADE

"Com relação ao assunto do consentimento dos pais ao casamento bahá'í: Por ser um requisito obrigatório vital, é dever das Assembléias averiguarem, antes de darem sua autorização, de que o consentimento obtido foi dado livremente pelos próprios pais."

57. CONSENTIMENTO DOS PAIS - NUBENTES NÃO-BAHÁ'ÍS

"Com respeito à questão de se é necessário obter o consentimento dos pais de um nubente não-bahá'í no casamento com um bahá'í; uma vez que Bahá'u'lláh afirmou que o consentimento dos pais de ambas as partes é exigido a fim de promover unidade e evitar atrito, e como o Aqdas não especifica qualquer exceção a esta regra, o Guardião considera que em todas as circunstâncias o consentimento dos pais de ambas as partes é necessário."

Catástrofe
58. A INSURREIÇÃO APOCALÍPTICA

"Não temos qualquer indicação do que exatamente será a natureza da insurreição apocalíptica; pode ser outra guerra... mas como estudiosos das nossas Escrituras Bahá'ís, fica claro que, quanto mais o 'Médico Divino' (i.e. Bahá'u'lláh) for impedido de curar as enfermidades do mundo, mais severa será a crise, e mais terríveis os sofrimentos do paciente."

Comitês Bahá'ís

59. NOMEAÇÃO DE MEMBROS DA ASSEMBLÉIA PARA COMITÊS

"Quanto à não nomeação de membros de Assembléias como membros de Comitês Nacionais, o Guardião crê firmemente que não há princípio algum que possa ser assim identificado. Aqueles que melhor se adequarem ao específico trabalho delegado aos Comitês devem ser escolhidos independentemente de serem membros de Assembléias locais ou nacionais. Quanto maior a pressão sobre aqueles que ombreiam as responsabilidades tanto de Comitês como de Assembléias, maior a recompensa e mais abundantes as bênçãos conferidas àqueles que de boa vontade e de bom grado sustentam esta dupla carga."

60. NOMEAÇÃO DE MEMBROS DE COMITÊS ASSOCIADOS

"O Guardião deseja que sua Assembléia abandone a prática de nomear membros associados a alguns comitês... Tal prática, sente ele, tende a criar confusão e desentendimento."

61. RESPONSABILIDADES DOS COMITÊS

"Seu parecer é que Comitês devem assumir mais responsabilidades e ter liberdade de escolha e de julgamento na eleição de seus oficiais, e funcionar como um corpo unido e um espírito unido. Mais especificamente agora que a Causa está crescendo em números e suas responsabilidades estão se multiplicando, os comitês nacionais adquirem importância adicional e devem procurar cada vez mais seguir o padrão de Bahá'u'lláh e assumir a responsabilidade pela eleição de seus oficiais. Estes comitês devem se desenvolver, tornar-se maduros, e avançar constante e corajosamente, confiando mais no esforço conjunto e menos na liderança individual, como está ocorrendo agora com as Assembléias Locais e Nacionais."

Convênio
62. DOIS TIPOS DE CONVÊNIO

"O Convênio Supremo é diferente do Convênio Eterno."

63. SIGNIFICADO DO CONVÊNIO BAHÁ'Í

"No que se refere ao significado do Convênio Bahá'í: O Guardião considera a existência de duas formas de Convênio, ambas as quais são explicitamente mencionadas na literatura da Causa. A primeira é o Convênio que todo Profeta faz com a humanidade ou, mais precisamente, com Seu povo, de que ele aceitará e seguirá o Manifestante vindouro, O qual será o ressurgimento de Sua realidade. A segunda forma de Convênio é como aquele que Bahá'u'lláh firmou com Seu povo, de que ele aceitará o Mestre. Isto é meramente para estabelecer e fortalecer as sucessivas séries de Luzes que surgem depois de cada Manifestante. Da mesma categoria é o Convênio do Mestre com os bahá'ís, de que eles aceitarão Sua administração depois dEle.

Crítica
64. A RESPEITO DE CRÍTICA

"... Crítica malévola é realmente uma calamidade. Mas sua raiz é a falta de fé no sistema de Bahá'u'lláh, isto é, a Ordem Administrativa - e falta de obediência a Ele - pois Ele proibiu-a! Se os bahá'ís seguissem as leis bahá'ís na votação, na eleição, no serviço e no apoio às decisões da Assembléia, todo este desperdício de energia através da crítica aos outros poderia ser convertido em cooperação e realização do Plano..."

65. CRÍTICA

"Quando crítica e palavras ásperas surgem dentro da comunidade Bahá'í, não há remédio senão deixar o passado para trás e persuadir todos os envolvidos a virarem a página e, por amor a Deus e Sua Fé, deixarem de mencionar os assuntos que levaram a mal-entendidos e desarmonia. Quanto mais os amigos argumentarem a favor e contra, e cada lado sustentar que seu ponto de vista é o correto, pior se tornará a situação toda.

Quando contemplamos a situação em que o mundo se encontra hoje, devemos certamente esquecer destes transtornos internos completamente insignificantes e nos apressar, unidos, para o resgate da humanidade. Deveis urgir vossos companheiros bahá'ís a vos apoiarem num poderoso esforço para eliminar todo pensamento crítico e toda palavra áspera, a fim de deixar o espírito de Bahá'u'lláh manar para o seio de toda a comunidade e uni-la em Seu amor e Seu serviço."

Dias Sagrados
66. DIAS SAGRADOS BAHÁ'ÍS

"Ele deseja que os bahá'ís demandem o reconhecimento de seu direito de observar seus próprios Dias Sagrados, e sempre que possível observá-los estritamente de acordo com nossos ensinamentos.

Ele deseja também enfatizar o fato de que, de acordo com as leis bahá'ís, o trabalho é proibido nos nossos nove Dias Sagrados. Crentes que possuem seus próprios negócios ou lojas devem se abster de trabalhar nesses dias. Aqueles que estão em serviços governamentais devem, por motivos religiosos, fazer um esforço para serem dispensados do trabalho; todos os crentes, quem quer que sejam seus patrões, devem fazer o mesmo. Se o governo ou outros empregadores se recusarem a lhes dispensar do trabalho, eles não precisam perder seus empregos, mas devem fazer todo esforço para obterem o reconhecimento do status independente da Fé e de seu direito de guardarem seus próprios Dias Sagrados reconhecidos."

67. DIAS SAGRADOS DE OUTRAS RELIGIÕES

"No que se refere à celebração de Dias Sagrados cristãos pelos crentes, é certamente preferível e até mesmo altamente aconselhável que, em seus relacionamentos uns com os outros, os amigos deixem de observar feriados como o Natal e o Ano Novo, e ao invés disso tenham suas reuniões festivas desta natureza durante os Dias Intercalares e Naw-Rúz..."

68. NAW-RÚZ: TEMPO DE CELEBRAÇÃO

"Com relação ao Naw-Rúz: se o equinócio vernal cair em 21 de março antes do pôr-do-sol, ele será celebrado nesse dia. Se cair em qualquer hora após o pôr-do-sol, o Naw-Rúz, conforme determinado por Bahá'u'lláh, cairá no dia 22. Quanto ao lugar que deve ser considerado como referência, esta é uma questão que deverá ser decidida pela Casa Universal de Justiça. A Assembléia Espiritual Nacional americana não precisa, portanto, tomar qualquer ação em relação a isto no presente."

69. OBSERVÂNCIA DA DATA DA FESTA DE NAW-RÚZ

"A Festa de Naw-Rúz deve ser celebrada em 21 de março antes do pôr-do-sol e nada tem a ver com a Festa de Dezenove Dias. A Festa de Dezenove Dias possui função administrativa, ao passo que o Naw-Rúz é nosso Ano Novo, uma Festa de hospitalidade e alegria."

70. RECONHECIMENTO EM FIRMAS E ÓRGÃOS PÚBLICOS

"Ele deseja que os bahá'ís exijam o reconhecimento do direito de guardar nossos Dias Sagrados e sempre que possível, fazê-lo em estrito acordo com os nossos ensinamentos."

Dispensação Bahá'í
71. CICLO BAHÁ'Í

"O ciclo bahá'í é de fato incomparável em sua grandeza. Ele inclui não somente os Profetas que surgirão depois de Bahá'u'lláh, mas todos aqueles que O precederam desde Adão. Estes realmente devem ser considerados como simplesmente os estágios preliminares que gradualmente conduzirão ao surgimento desta suprema Manifestação de Deus."

72. DURAÇÃO DA DISPENSAÇÃO BAHÁ'Í

"Acerca de sua pergunta sobre a duração da Dispensação Bahá'í. Não há qualquer contradição entre a afirmação de Bahá'u'lláh no Iraque a respeito da renovação da Cidade de Deus uma vez a cada mil anos e a do Guardião, em A Dispensação de Bahá'u'lláh, sobre o desígnio de que o ciclo bahá'í se estenderá a um período de pelo menos 500.000 anos. A aparente contradição é devida à confusão dos termos ciclo e dispensação. Pois enquanto a Dispensação de Bahá'u'lláh durará pelo menos mil anos, Seu Ciclo se estenderá mais ainda, a pelo menos 500.000 anos.

73. DEFINIÇÃO DE IDADES E ÉPOCAS

"A Fé é dividida em três Idades: a Heróica, a Formativa e a Idade Áurea, conforme foi delineado em Seus Escritos. A Idade Heróica chegou ao término com a ascensão de 'Abdu'l-Bahá. A Idade Formativa é dividida em épocas. A primeira época durou 25 anos. Atualmente estamos na segunda época da Idade Formativa. Não se sabe quanto a Idade Formativa durará, e nela provavelmente haverá diversas épocas."

74. PLANO DIVINO DE 'ABDU'L-BAHÁ

"O Plano Divino de 'Abdu'l-Bahá é dividido em épocas. O primeiro Plano de Sete Anos constituiu o primeiro estágio da primeira época; o segundo Plano de Sete Anos constitui o segundo estágio; enquanto a Cruzada de Dez Anos constituirá o terceiro estágio da primeira época do Plano Divino. A primeira época do Plano Divino terminará com a conclusão da Cruzada de Dez Anos."

Economia Bahá'í
75. ECONOMIA - 1

"Como tu dizes, as Escrituras não são tão ricas sobre este assunto e muitas questões que atualmente frustram as mentes do mundo nem sequer são mencionadas. A consideração primária é o espírito que deve permear nossa vida econômica, e isto há de se cristalizar gradativamente em instituições e princípios definidos que ajudarão a realizar as condições ideais preditas por Bahá'u'lláh."

76. ECONOMIA - 2

"Não, Bahá'u'lláh não trouxe um sistema econômico completo para o mundo. Compartilhar lucros é recomendado como solução para um tipo de problemas econômicos. Não há nada nos ensinamentos que seja contrário a alguma forma de capitalismo; ainda que, na sua forma atual, requeira que ajustes sejam feitos."

77. ECONOMIA - 3

"Na Causa, praticamente não há ensinamentos técnicos sobre economia, tais como sistema bancário, sistema de preços e outros. A Causa não é um sistema econômico, nem seus Fundadores devem ser considerados como técnicos em economia. A contribuição da Fé a este assunto é essencialmente indireta, pois consiste na aplicação de princípios espirituais ao nosso sistema econômico atual. Bahá'u'lláh nos deu uns poucos princípios básicos que guiarão futuros economistas bahá'ís no estabelecimento de tais instituições, as quais ajustarão as relações econômicas do mundo...

Desigualdade social é o resultado inevitável da desigualdade natural do homem. Os seres humanos são diferentes em habilidades e por isso devem ser diferentes em suas posições sociais e econômicas. Extremos de riqueza e pobreza, no entanto, devem ser abolidos...

O Mestre afirmou definitivamente que honorários devem ser desiguais simplesmente porque os homens são desiguais em suas habilidades e por isso devem receber honorários que correspondam às suas diferentes capacidades e faculdades."

78. ENSINAMENTOS ECONÔMICOS

"Com relação ao seu desejo de reorganizar seu negócio de acordo com os padrões bahá'ís, Shoghi Effendi aprecia profundamente o espírito que lhe permitiu fazer tal sugestão. No entanto, ele sente que ainda não chegou a hora de qualquer crente realizar uma mudança tão fundamental na estrutura econômica de nossa sociedade, por mais restrito que seja o campo de tal experiência. Os ensinamentos econômicos da Causa, embora sejam bem conhecidos em suas linhas gerais, ainda não foram suficientemente elaborados e sistematizados para permitirem que alguém os aplique precisa e integralmente, mesmo numa escala restrita.

79. ENSINAMENTOS ECONÔMICOS

"Quanto às atividades do comitê econômico da Assembléia Nacional, Shoghi Effendi simpatiza plenamente com o desejo de alguns dos membros de verem o comitê encontrar caminhos e meios para colocar em prática os ensinamentos econômicos da Causa, conforme explicados em alguns Escritos e Pronunciamentos registrados de Bahá'u'lláh e do Mestre. Mas crê que o tempo ainda não é oportuno para tais atividades. Primeiro devemos estudar mais completamente os ensinamentos econômicos à luz dos problemas modernos, de modo que possamos defender aquilo que os Fundadores da Causa dizem e não aquilo que nós conjeturamos de Seus Escritos. Há grande diferença entre enunciar um grande princípio geral e encontrar suas aplicações às condições atualmente prevalecentes. Segundo, atualmente a Causa não está em condições financeiras para se lançar em tais empreendimentos. Tais planos precisam de grande apoio financeiro para serem executados de forma permanente. Shoghi Effendi espera que todas estas coisas virão a acontecer no devido tempo. Para o presente, temos que consolidar nossas instituições básicas e difundir os ensinamentos e o espírito da Fé entre o público."

Educação

80. SOBRE A INABILIDADE DA EDUCAÇÃO MODERNA DE PRODUZIR UMA MENTE MADURA

"Hoje as pessoas de fato tendem a ser muito superficiais em seus pensamentos, e é como se os sistemas educacionais em uso estivessem lamentavelmente destituídos da habilidade de produzir uma mente madura numa pessoa que supostamente atingiu a idade adulta! Todas as influências externas que cercam o indivíduo parecem ter um efeito intensamente dispersivo, e é uma empreitada difícil motivar uma pessoa média a qualquer pensamento profundo ou mesmo uma pequena reflexão sobre os problemas que se apresentam diante dele e do mundo como um todo.

Vezes sem conta, Bahá'u'lláh levantou Seu brado contra a negligência da humanidade e advertiu sobre o destino a que tal atitude há de conduzir. Se não soubéssemos o que Deus planeja e há de fazer com o mundo no futuro, certamente seríamos tão desesperançados quanto se tornaram muitos dos melhores pensadores de nossa geração."

Eleição Bahá'í
81. ACEITAÇÃO DO RESULTADO DA ELEIÇÃO

"Em relação à questão de recusa por parte de certos crentes de aceitarem a eleição para um cargo administrativo: o Guardião sente firmemente que crítica, oposição ou confusão não constituem base suficiente, seja para recusa ou renúncia. Somente casos de incapacidade física ou mental, os quais, pela própria natureza, são extremamente raras, constituem motivo válido para tal procedimento. As dificuldades e testes envolvidos na aceitação de cargos administrativos, longe de induzir os crentes a se apartarem do serviço da Causa, devem incentivá-los a um maior empenho e uma participação mais ativa na privilegiada tarefa de resolver os problemas com os quais se defronta a comunidade bahá'í.

Somente em casos em que crentes, sem qualquer motivo válido, deliberadamente rejeitam as repetidas exortações, apelos e advertências que lhes são dirigidas pelas suas Assembléias, providências devem ser tomadas para removê-los da lista de votação. Esta é uma medida cujo propósito é apoiar as instituições da Fé na época atual e assegurar que as habilidades e talentos de seus apoiadores, por ora pouco numerosos, sejam apropriadamente consagrados ao seu serviço.

Por amor à Causa, ora no seu período de infância, os crentes devem aceitar seus deveres num espírito de auto-sacrifício, devem ser animados pelo desejo de apoiar o veredicto do eleitorado e, por mais difíceis que sejam as circunstâncias, dar seu quinhão de assistência para a efetiva administração dos afazeres da Fé.

A mesma sanção deve ser aplicada àqueles que, com persistência, se recusam a se afastar de atividades políticas e eclesiásticas. Este é um princípio geral que está sendo preservado por todo o mundo Bahá'í."

82. CONDIÇÃO DO INDIVÍDUO PRIVADO DO DIREITO DE VOTO

"Quanto à sua pergunta referente à condição daqueles indivíduos a quem a Assembléia Local ou a Assembléia Espiritual Nacional tenha considerado necessário privar do direito de voto e suspender de encontros e reuniões locais; esta ação que as Assembléias Locais e Nacionais foram autorizadas a exercer contra tais indivíduos recalcitrantes, embora justificada e não importa quão severa, de nenhum modo deve ser considerada como uma completa expulsão do indivíduo em questão da Causa. A suspensão do voto e de outros direitos administrativos de um indivíduo, sempre condicional e portanto temporária, jamais pode ter implicações tão profundas, uma vez que constitui uma sanção meramente administrativa; ao passo que sua expulsão ou excomunhão da Fé, que só pode ser efetivada pelo Guardião em sua capacidade de chefe espiritual supremo da comunidade, tem implicações espirituais profundas que afetam a própria alma daquele crente. A primeira, conforme já foi dito, é uma sanção administrativa, enquanto a última é essencialmente espiritual, envolvendo não somente a relação particular de um crente com sua Assembléia Local ou Nacional, mas sua própria existência espiritual na Causa. Segue-se, portanto, que um crente pode continuar se chamando bahá'í mesmo que deixe de ser um membro votante da comunidade. Mas caso seja excluído do corpo da Causa pela ação do Guardião, ele deixa de ser um crente e não pode sequer se identificar, nem mesmo nominalmente, com a Fé."

83. DIREITO DE VOTO, O

"Acho que devo reafirmar a vital importância e necessidade do direito de voto - uma responsabilidade sagrada da qual nenhum crente adulto reconhecido deve ser privado, a não ser que faça parte de uma comunidade que ainda não chegou à posição de estabelecer uma Assembléia Local. Este direito distintivo que o crente possui, no entanto, não acarreta nem implica na sua obrigação de votar, se ele sentir que as circunstâncias nas quais ele vive não justificam nem lhe permitem exercer esse direito de modo inteligente e com discernimento. Este é um assunto que deve ser deixado ao indivíduo decidir de acordo com sua própria consciência e critério."

84. ELEIÇÃO DE ASSEMBLÉIAS NACIONAIS

"Com relação às suas perguntas referentes à conveniência de mudar o princípio fundamental da eleição da Assembléia Nacional e confiná-la ao corpo de delegados ou limitar o período de seu funcionamento: ele acha que, como quaisquer mudanças deste tipo são de natureza radical e devem, portanto, ser aplicadas às Assembléias Espirituais Nacionais de outros países, elas são desaconselháveis e prematuras, por esta razão e também devido à sua própria natureza.

O que se faz necessário é que a administração, em sua forma atual, funcione com maior eficiência e ao mesmo tempo forme um mais elevado senso de responsabilidade entre o corpo de crentes. Eles devem ser encorajados a pensar mais, não somente sobre as qualificações de seus corpos eleitos, mas também sobre coisas como as que tu mencionas, a lei das médias, a idade e a indisposição de alguns membros, etc.

Quando olhamos para trás e vemos o que a administração realizou em vinte e poucos anos, na verdade o que ela fez nos últimos sete anos, observamos que progressos foram feitos. Tarefas muito maiores se encontram adiante, mas o Guardião não acha que o modo de enfrentá-las seja mudar o presente sistema, mas sim aperfeiçoá-lo educando os crentes e treinando-os, realizando mais conferências, publicando mais noticiosos para os bahá'ís, obtendo mais pessoas ativas."

85. ELEIÇÕES BAHÁ'ÍS PARA CARGOS ADMINISTRATIVOS

"Em princípio, não há qualquer objeção para uma Assembléia ser reeleita, seja no todo ou em parte, desde que seus membros sejam considerados bem qualificados para o cargo. É o valor individual que conta. Inovação, ou o mero ato de renovar nas eleições, são considerações puramente secundárias. Mudanças nos membros da Assembléia são bem-vindas na medida em que não prejudiquem a qualificação de membro. Uma vez encerradas as eleições da Assembléia, o resultado deve ser consciencioso e inquestionavelmente aceito por todo o corpo de crentes, não necessariamente porque eles representem a Voz da Verdade ou a Vontade de Bahá'u'lláh, mas pelo supremo propósito de manter a unidade e a harmonia na comunidade."

86. NÃO INFLUENCIAR A OPINIÃO DOS OUTROS

"Sinto que referência a personalidades antes da eleição motivaria mal-entendidos e divergências. O que os amigos devem fazer é se conhecerem bem uns aos outros, trocarem opiniões, associarem-se livremente e discutirem entre si os requisitos e qualificações de membro, sem nenhuma referência ou alusão, por indireta que seja, a indivíduos em particular. Devemos abster-nos de influenciar a opinião dos outros, de solicitar votos para qualquer indivíduo, devemos, sim, enfatizar a necessidade de ficarmos plenamente familiarizados com as qualificações de membro referidas nas Epístolas de nosso Bem-Amado e de conhecermos melhor uns aos outros através de experiência pessoal direta e não pelos comentários e opiniões de nossos amigos."

87. O CARÁTER DAS ELEIÇÕES BAHÁ'ÍS

"Recordemos Sua explícita e muitas vezes repetida promessa de que toda Assembléia eleita naquela refinada atmosfera de abnegação e desprendimento é, em verdade, nomeada por Deus, que seu veredicto é realmente inspirado, que cada um e todos devem, de modo irrestrito e com satisfação, submeter-se à sua decisão... o eleitor... deve votar somente naqueles que a prece e a reflexão o inspirarem a apoiar... Incumbe, pois, aos delegados eleitos considerarem, sem o mínimo traço de paixão e preconceito, e independentes de qualquer consideração material, os nomes de somente aqueles que melhor possam combinar as necessárias qualidades de lealdade inquestionável, abnegada devoção, de uma mente bem-treinada, de capacidade reconhecida e experiência madura... Nada a não ser o poder de Sua orientação e amor, que tudo abrange e tudo penetra, pode capacitar esta recém-abarcada ordem a reunir força e florescer em meio à tempestade e tensão de uma era turbulenta, e na plenitude do tempo defender sua elevada reivindicação de ser universalmente reconhecida como o único Refúgio de felicidade e paz permanentes."

88. VOTAÇÃO DA ASSEMBLÉIA

"Com estas Assembléias, tanto locais como nacionais, funcionando harmoniosa, vigorosa e eficientemente por todo o mundo Bahá'í, terá sido assegurado o único meio para o estabelecimento da Suprema Casa de Justiça. E quando este Corpo Supremo tiver sido apropriadamente estabelecido, terá que considerar novamente a situação toda e declarar o princípio que irá orientar os afazeres da Causa por quanto tempo julgar necessário.

Até o estabelecimento, e para assegurar uniformidade por todo o Oriente e por todo o Ocidente, todas as Assembléias Locais terão de ser reeleitas uma vez por ano, durante o primeiro dia do Ridván, e, se possível, o resultado da eleição ser anunciado nesse mesmo dia."

Enfermidade
89. CÂNCER

"O câncer é um terrível flagelo no mundo hoje! Mas quando os crentes são obrigados a passar por tão amargas provações, eles têm a Fé para aliviá-los, o amor de seus amigos bahá'ís para confortá-los e as gloriosas palavras de Bahá'u'lláh a respeito da imortalidade para lhes dar confiança e coragem. Abençoados somos nós, de fato, mesmo em meio às nossas maiores aflições."

90. ENFERMIDADE

"Tais obstáculos (i.e. enfermidade e outras dificuldades), não importa quão severos e insuperáveis possam parecer a princípio, podem e devem efetivamente ser superados através da combinação e manutenção do poder da oração e de determinado e contínuo esforço."

91. ENFERMIDADE MENTAL

"Com relação a pessoas cujas condições não foram definidas pelas autoridades civis depois de diagnóstico médico, a Assembléia da localidade deve investigar cada caso que surge e, após consulta com peritos, pronunciar sua decisão. Tal decisão, no entanto, em casos importantes, deve ser precedida por consulta com a Assembléia Espiritual Nacional. Sem dúvida, o poder da oração é muito grande, contudo, consulta com peritos é ordenada por Bahá'u'lláh. Se esses peritos acreditarem que existe um caso anormal, é justificável reter o direito de voto."

Ensino Bahá'í
92. A ASSEMBLÉIA SUPREMA

"Os invisíveis batalhões da Assembléia Suprema estão alinhados em fileiras apinhadas, prontas para lançarem seus reforços em auxílio da frente dos cruzados de Bahá'u'lláh na hora de suas maiores necessidades, e em antecipação à Suprema Paz, aquele maravilhoso Jubileu de cuja alegria tanto o céu como a terra participarão."

93. A ÚNICA PANACÉIA DA ORDEM MUNDIAL DIVINA

"Em relação ao seu trabalho de ensino: O que o Guardião deseja que você enfatize especialmente em todas as suas palestras é a suprema necessidade que há neste dia de todos os indivíduos e nações adotarem integralmente o programa social dado por Bahá'u'lláh para a reconstrução da vida religiosa, econômica e política do gênero humano. Ele deseja que explique e analise os elementos que ajudam a erguer esta Ordem Mundial Divina à luz dos acontecimentos e condições atuais do mundo. Ele acha que ênfase especial deve ser dada à iminente necessidade de estabelecer um estado soberano mundial, supranacional, como o descrito por Bahá'u'lláh. Com o mundo se tornando cada vez mais sujeito a tumultos e convulsões nunca antes conhecidos, a percepção de tal necessidade está penetrando não somente na consciência dos sábios e eruditos, mas também na de pessoas comuns. Os crentes devem, portanto, aproveitar esta oportunidade para fazer um supremo esforço para apresentar, em linguagem convincente e eloqüente, aqueles ensinamentos sociais e humanitários da Fé que acreditamos constituir a única panacéia para os inumeráveis males que afligem nosso mundo atual."

94. AMOR E UNIDADE

"O mais importante para os crentes é evidentemente serem unidos e realmente amarem uns aos outros por amor a Deus (De outro modo não é possível amar quem quer que seja). No entanto, se as comunidades esperarem até que amor e completa harmonia sejam estabelecidos antes de ensinarem, o trabalho de ensino será paralisado. Ambos os aspectos devem ser cultivados; enquanto ensinam ativamente, os próprios amigos devem ser ensinados e aprofundados no espírito da Fé, o qual trás amor e unidade."

95. AMOR POR BAHÁ'U'LLÁH

"... Sem o espírito de verdadeiro amor por Bahá'u'lláh, por Sua Fé e suas Instituições, e dos crentes uns pelos outros, a Causa jamais poderá realmente trazer para si grande número de pessoas. Pois ela não está pregando quaisquer regras que o mundo queira, mas amor e ação..."

96. CONCENTRAÇÃO NO ENSINO - FONTE DE JÚBILO E CONSOLO

"Nós todos temos nossos insignificantes obstáculos materiais nesta vida. Não podemos nos livrar completamente deles. O melhor a fazer, depois que todos os nossos esforços falharem em nos libertar, é concentrar-nos naquilo que sozinho pode trazer verdadeira felicidade e paz aos nossos corações. E deveis agradecer a Deus por vos ter capacitado a reconhecer e aceitar Sua Fé. Pois isto é seguramente a única fonte de júbilo e consolo que podeis ter em vossos momentos de sofrimento. Há algo pelo qual valha mais a pena trabalhar do que o Ensino da Mensagem?"

97. DAR A MENSAGEM

"Os crentes têm o dever de dar a mensagem mesmo àqueles que não parecem preparados para ela, pois eles nunca podem julgar até que ponto a Palavra de Deus pode influenciar os corações e as mentes das pessoas, mesmo daquelas que parecem destituídas de qualquer capacidade receptiva aos ensinamentos."

98. DESCRIMINAÇÃO AO ENSINAR

"Com respeito ao ensino, segundo repetida e enfaticamente afirmado, especialmente em seu O Advento da Justiça Divina, o Guardião não deseja que os crentes façam a mínima discriminação, ainda que isto possa provocar oposição ou crítica por parte de qualquer indivíduo, classe ou instituição. Sendo universal o chamado de Bahá'u'lláh, deve ser dirigido com igual força a todos os povos, classes e nações do mundo, sem considerar qualquer distinção ou diferença religiosa, racial, política ou de classe..."

99. DEVER DE TODO CRENTE

"De fato, levar esta mensagem à humanidade, em sua mais sombria hora de necessidade, é o dever supremo de todo crente. Toda a agonia, sofrimento, privação e cegueira espiritual que hoje afligem as pessoas em todos os lugares do mundo, em maior ou menor grau, são devidos ao fato de elas estarem inconscientes ou indiferentes ao remédio que Deus lhes enviou. Somente aqueles que o conhecem podem levar sua sabedoria curadora a outros, de modo que cada bahá'í tem um inescapável e sagrado dever para cumprir."

100. ENSINANDO A FÉ BAHÁ'Í É O QUE A CAUSA PRECISA AGORA

"O que a Causa precisa agora não é tanto um grupo de pessoas altamente cultas e intelectuais que possam apresentar seus Ensinamentos adequadamente, mas sim de uma quantidade de apoiadores devotados, sinceros e leais, os quais, desconsiderando completamente suas próprias fraquezas e limitações, e com corações incendiados com o amor de Deus, renunciam tudo pela difusão e estabelecimento de Sua Fé. Em outras palavras, o que é mais necessário nos dias atuais é o pioneiro bahá'í e não tanto o bahá'í filósofo ou erudito. Pois a Causa não é um sistema de filosofia; ela é essencialmente um modo de vida, uma fé religiosa que procura unir todas as pessoas numa base comum de mútuo entendimento e amor, e numa devoção comum a Deus.

Sem dúvida, eruditos e escritores bahá'ís surgirão gradativamente e, conforme prometido por Bahá'u'lláh, prestarão um auxílio ímpar à Fé. Mas, neste meio tempo, não devemos retardar ou relaxar nossos esforços."

101. ENSINAR A TODOS SEM DISTINÇÃO

"Com respeito ao modo de ensinar a Fé no sul, como um todo, o Guardião acha que, embora a máxima consideração deva ser mostrada aos sentimentos das pessoas brancas do sul às quais estamos ensinando, de modo algum devemos discriminar em favor deles, considerá-los mais valorosos à Causa do que seus companheiros negros do sul ou isolá-los para que a Mensagem lhes seja apresentada primeiro. Seguir tal orientação, embora superficialmente possa parecer necessária e até mesmo desejável, seria comprometer o verdadeiro espírito de nossa Fé, que não nos permite fazer qualquer distinção em oferecer seus princípios ao mundo. A Mensagem de Bahá'u'lláh deve ser oferecida simultaneamente, numa base eqüitativa, às raças negra e branca. Deve-se permitir que ricos ou pobres, conhecidos ou anônimos, possam ouvir sobre esta Sagrada Fé nesta hora de maior carência da humanidade.

Isto não significa que devamos ir contra as leis do estado, seguir um caminho radical que incite aborrecimento e cause desentendimento... Mesmo nos lugares do sul em que as duas raças possam se reunir, ele acha que em certos casos seria preferível ensiná-los separadamente até que estejam plenamente confirmados e depois então reuni-los..."

102. ENSINO DIRETO

"Ele aprova seu desejo de ensinar os princípios da Fé através de rádio. Mas ele o insta a fazer tudo que puder, por menor que seja a referência que for capaz de fazer, para sempre identificar claramente ou associar o que estiver anunciando com Bahá'u'lláh. Agora o tempo é demasiadamente curto para que nós bahá'ís possamos primeiro educar a humanidade e depois lhe dizer que a fonte é esta nova Fé Mundial. Para sua própria proteção, as pessoas devem ouvir o nome Bahá'í - então, se eles cegamente se afastarem não poderão se desculpar dizendo que nunca souberam sequer que ele existia! Pois dias sombrios parecem ainda estar diante do mundo, e fora deste divino refúgio, cremos firmemente, as pessoas não encontrarão certeza interior, paz e segurança. Assim, eles têm o direito de ao menos ouvir a respeito da Causa como tal."

103. ESTUDAR A HISTÓRIA DOS PRIMÓRDIOS E OS PRINCÍPIOS DA FÉ

"Desejo enfatizar a necessidade de, na sua próxima reunião de verão, concentrarem-se no estudo sistemático da história dos primórdios e dos princípios da Fé, em palestras públicas, e numa discussão minuciosa, tanto formal como informal, sobre vários aspectos da Causa. Estes, eu considero como preliminares essenciais para uma futura campanha intensiva de ensino na qual a geração nascente deverá se engajar, se é para assegurar a difusão da Causa naquele país."

104. EXPANSÃO DA FÉ

"A Causa de Deus está se desenvolvendo rapidamente em áreas virgens da Cruzada; mas parece que na frente doméstica não somos tão bem sucedidos. Sem dúvida, isto é devido ao fato de que os amigos na sua terra natal não estão aproveitando diligentemente toda oportunidade de ensino como fazem os pioneiros em terras estrangeiras. O sucesso coroará os esforços dos amigos na frente doméstica quando eles meditarem sobre o ensino, orarem fervorosamente por confirmações divinas pelo seu trabalho, estudarem os ensinamentos de modo a poderem levar o espírito ao buscador, e então agirem - e acima de tudo perseverarem na ação. Quando estes passos forem seguidos, e o trabalho de ensino for levado avante com sacrifício e devotado entusiasmo, a Fé se expandirá rapidamente."

105. INFORMAR A ASSEMBLÉIA ESPIRITUAL LOCAL

"Shoghi Effendi urge todo bahá'í que sente o ímpeto de exercer seu direito de ensinar a Causa extra-oficialmente a se manter intimamente ligado à Assembléia Espiritual Local da localidade em que trabalha. A Assembléia Espiritual Local, embora reserve para si o direito de controlar tais atividades dos indivíduos bahá'ís, deve fazer o máximo para encorajar tais instrutores e colocar à sua disposição quaisquer facilidades que possam precisar em tais circunstâncias. Se surgirem quaisquer divergências, a Assembléia Espiritual Nacional naturalmente deve intervir e acertar as coisas."

106. INSTRUTORES BAHÁ'ÍS

"Quanto ao princípio de que não se deve deixar a Causa se centralizar em torno de qualquer personalidade bahá'í, o Guardião deseja deixar claro que jamais quis dizer que instrutores bem qualificados não deveriam receber das Assembléias todo encorajamento e facilidades para falarem em público. O que o Guardião quis dizer foi que jamais se deve deixar a personalidade e a popularidade de tal orador eclipsarem a autoridade ou depreciar a influência do corpo dos representantes eleitos em cada comunidade local. Tal indivíduo não só deve buscar a aprovação, o conselho e a assistência do corpo que representa a Causa em sua localidade, mas também esforçar-se em atribuir qualquer prestígio que possa obter à sabedoria e capacidade coletivas da assembléia sob cuja jurisdição ele executa seus serviços. São as Assembléias, e não os indivíduos, que constituem o fundamento sobre o qual a Administração é erigida. Tudo mais deve se subordinar, e ser feito para servir e promover os melhores interesses desses protetores e promotores das leis de Bahá'u'lláh."

107. INSTRUTORES COM LEALDADE INCONDICIONAL

"Em relação aos problemas enfrentados pelos amigos em seu trabalho de ensino, o Guardião está plenamente consciente de que estes não são, de maneira alguma, fáceis de superar, especialmente em vista do limitado número e recursos dos crentes. Mas, conforme a história da Causa demonstra abundantemente, no campo do serviço bahá'í não há obstáculo que se possa dizer insuperável. Toda dificuldade será resolvida no devido tempo. Mas é necessário também esforço contínuo e coletivo. O instrutor bahá'í não deve ficar desencorajado diante da percepção de suas limitações interiores ou exteriores. Deve, ao contrário, perseverar e estar confiante de que não importa quão numerosas e desconcertantes possam parecer as dificuldades que o confrontam, ele é continuamente auxiliado e guiado pelas confirmações divinas. Ele deve se considerar como mero instrumento nas mãos de Deus e, portanto, deve deixar de dar atenção aos seus próprios méritos.

A primeira e mais importante qualificação de um instrutor bahá'í é, de fato, lealdade incondicional e dedicação à Causa. Evidentemente conhecimento é essencial; mas, comparado à devoção, ele é de importância secundária."

108. INSTRUTORES E ADMINISTRADORES PODEM SERVIR EM AMBAS AS FRENTES

"Com relação à declaração feita pelo Guardião... referente ao fato de que os crentes podem servir tanto como instrutores quanto como administradores. Shoghi Effendi aprova que sua Assembléia torne este fato conhecido a todos os amigos. Pois embora seja essencial aos crentes manterem sempre uma clara distinção entre ensino e deveres e funções administrativas, ainda assim devem ter o cuidado de não serem levados a pensar que estes dois tipos de atividades bahá'ís sejam de naturezas mutuamente excludentes e que, como tais, não possam ser exercidas pela mesma pessoa. Na verdade, os amigos devem ser encorajados a servir tanto no campo de ensino como no campo administrativo do serviço bahá'í. Mas como sempre há alguém que é mais especialmente dotado para uma dessas duas linhas de atividade, parece mais desejável que concentrem seus esforços na aquisição de completo treinamento naquele tipo de trabalho para o qual são mais adequados por natureza. Tal especialização tem a vantagem de poupar tempo e levar a uma maior eficiência, especialmente neste estágio inicial de nosso desenvolvimento. O grande perigo, entretanto, reside no fato de que, deste modo, os amigos possam tender a desenvolver uma espécie de consciência de classe, que é fundamentalmente contrária tanto ao espírito como aos próprios ensinamentos da Fé.

É precisamente para superar tal perigo que o Guardião acha aconselhável que os amigos sejam encorajados a servir periodicamente tanto no campo de ensino como no da administração do trabalho bahá'í, mas somente quando se sentirem aptos a assim proceder."

109. MAIOR UNIDADE ENTRE OS AMIGOS

"Quanto à sua pergunta relativa à necessidade de maior unidade entre os amigos, não há dúvida que é assim, e o Guardião acha que um dos principais instrumentos para promovê-la é ensinar aos próprios bahá'ís, em cursos ou através de preceitos, que o amor a Deus, e conseqüentemente aos homens, é a base essencial de toda religião, incluindo a nossa própria. Uma maior medida de amor produzirá uma unidade maior, pois capacita as pessoas a serem tolerantes umas com as outras, a serem pacientes e prontas a perdoar."

110. MÉTODOS DE ENSINO

"O mesmo ocorre com métodos de ensino; não existe qualquer sistema para os instrutores praticarem. Mas, obviamente, quanto mais as pessoas conhecerem sobre os ensinamentos e a Causa, melhores condições terão para apresentar o assunto. Se algumas pessoas acharem que orar e pôr toda a sua confiança em Deus libera nelas uma torrente de inspiração, devem ter a liberdade para seguirem esse método se ele produz resultados.

A inspiração recebida através da meditação é de tal natureza que ninguém pode mensurar ou determinar. Deus pode inspirar nossas mentes com coisas que desconhecíamos anteriormente, se Ele assim o desejar.

Não podemos distinguir claramente entre desejo pessoal e orientação, mas se o caminho se abrir enquanto procuramos orientação, podemos presumir que Deus está nos ajudando."

111. O MÁXIMO ESFORÇO AO ENSINO

"Não posso deixar de acrescentar algumas palavras para renovar e reafirmar meu fervoroso apelo a vocês, e através de vocês a cada membro da Comunidade Bahá'í americana, de dedicarem o máximo esforço para promover a Causa do Ensino por todo o continente americano. Toda assistência possível, seja moral, financeira ou administrativa, deve ser contínua, generosa e sistematicamente oferecida a esta mais urgente, esta mais sagrada e meritória Causa. Meu coração anseia saber de qualquer rápida e efetiva ação que os valorosos membros daquela comunidade decidam realizar, quer coletiva ou individualmente. As invisíveis hostes do Reino de Abhá estão enfileiradas e prontas para avançar e assegurar o triunfo de todo arauto valente e perseverante da Fé de Bahá'u'lláh."

Escolas Bahá'ís de Verão
112. ATMOSFERA BAHÁ'Í NAS ESCOLAS DE VERÃO

"Ele (o Guardião) acha que, quanto menos tempo se gastar em assuntos como 'Acontecimentos Correntes à Luz da Fé Bahá'í' e 'A Fé Bahá'í e a Ciência Moderna', melhor. Não há qualquer prejuízo em se ter uma noite de palestras proferidas por um orador qualificado sobre cada um desses assuntos, mas ele certamente não acha que muito tempo deva ser despendido com eles, pela simples razão de que há tão pouco para ser dito sobre estes assuntos.

Os bahá'ís devem entender que pertencem a uma Ordem de âmbito mundial e não a uma civilização americana. Eles devem experimentar e introduzir a atmosfera bahá'í de vida e pensamento em suas Escolas de Verão em vez de fazer das Escolas de Verão um episódio e um prazeroso período de férias durante o qual aprendem um pouco mais sobre a Fé."

113. CURRÍCULO DAS ESCOLAS BAHÁ'ÍS DE VERÃO

"Determinados cursos devem ser ministrados ao longo de diferentes fases da Fé Bahá'í e de uma maneira que estimule os estudantes a prosseguirem em seus estudos individualmente ao retornarem para suas casas, pois o período de poucos dias não é suficiente para aprender tudo. Deve-se ensinar-lhes o hábito de estudar a Causa constantemente, pois quanto mais lermos as Palavras, mais as verdades que elas contêm nos serão reveladas."

114. IMPORTÂNCIA DAS ESCOLAS BAHÁ'ÍS DE VERÃO

"Ele fervorosamente espera que, através de zelosos e constantes esforços de seu comitê, este encontro anual adquirirá importância crescente aos olhos do público, e constituirá um meio efetivo para a difusão dos Ensinamentos. Ele acha que nos seus próximos encontros de verão constante ênfase deve ser dada ao ensino da administração, especialmente em sua relação com o mundo exterior, de modo a comover os não-bahá'ís que participam da escola com a natureza, o caráter e a importância mundial da Ordem Mundial de Bahá'u'lláh."

115. PROPÓSITO DAS ESCOLAS BAHÁ'ÍS DE VERÃO

"O propósito fundamental de todas as Escolas Bahá'ís de Verão, seja no Oriente ou no Ocidente, é dar aos crentes a oportunidade de se familiarizarem, não somente através de mero estudo, mas através de devotada e ativa colaboração nas várias atividades bahá'ís com os princípios essenciais da administração, e deste modo capacitá-los a se tornarem eficientes e hábeis promotores da Causa. O ensino da administração é, portanto, um aspecto indispensável de toda Escola Bahá'í de Verão, e seu significado especial pode ser melhor entendido se percebermos a grande necessidade atual de cada crente de uma compreensão mais adequada dos princípios e leis sociais da Fé.

Como seria maravilhoso se todos os amigos pudessem se organizar para dedicar pelo menos alguns dias em uma dessas escolas de verão e tomar parte ativa em seu desenvolvimento. Esses centros podem atrair muitas almas se forem apropriadamente organizados e tornados interessantes; os não-bahá'ís que os visitarem terão algum tempo para penetrar no espírito do local e fazer um estudo da Causa... Nós constantemente recebemos cartas de pessoas que se tornaram bahá'ís visitando um desses centros e neles recebendo a Mensagem."

Escritos Sagrados Bahá'ís
116. A Expressão "Sua Santidade"

"Em persa, é desrespeitoso deixar de usar a palavra Hadrat antes do nome do Profeta, de modo que rigorosamente falando, uma tradução apropriada sempre deve ter 'Sua Santidade Moisés', etc.; no entanto, como isto parece esquisito em inglês, e não é do melhor uso na nossa língua, ele acha que ela pode ser dispensada. Pronomes referentes ao Manifestante, ou ao Mestre, no entanto, devem ser invariavelmente em maiúsculas."

117. AS HOSTES DE SEU TESTAMENTO

" 'As Hostes de Seu Testamento' refere-se àqueles que são firmes na Última Vontade e Testamento de Bahá'u'lláh, e que o defendem e apóiam."

118. AS PALAVRAS OCULTAS (EM ÁRABE)

"Quanto à passagem no 13 das Palavras Ocultas, em árabe: aquilo que Bahá'u'lláh declara que podemos encontrar dentro de nós é o poder do Espírito Divino, o reflexo da luz de Sua Revelação. Este reflexo do Espírito Divino, no entanto, de modo algum pode ser comparado à Revelação que Deus expõe aos Seus Profetas e Mensageiros. A semelhança na terminologia não deve embaraçar esta distinção que é extremamente fundamental."

119. NOTAS DE PEREGRINOS

"Com relação às notas tomadas por peregrinos em Haifa. O Guardião declarou que reluta em assinar as notas de qualquer peregrino, a fim de que a literatura consultada pelos crentes não seja indevidamente extensa... Isto significa que as notas de peregrinos não possuem a autoridade existente nas cartas do Guardião que levam sua própria assinatura. Por outro lado, cada peregrino traz consigo informações e sugestões do mais precioso caráter, e é o privilégio de todos os amigos participarem dos resultados espirituais dessas visitas."

120. ORAÇÕES E MEDITAÇÕES DE BAHÁ'U'LLÁH

"Ele está realmente satisfeito em saber que o Livro de Orações e Meditações de Bahá'u'lláh foi publicado a tempo de os amigos poderem lê-lo durante o Jejum, e tem toda esperança de que a leitura atenta de tão precioso volume ajudará, mais que qualquer outra publicação, a aprofundar o espírito de devoção e fé nos amigos, imbuindo-os desse modo, de todo o poder espiritual que necessitam para o cumprimento de seus enormes deveres para com a Causa..."

121. ORAÇÃO DE BAHÁ'U'LLÁH

"Os nomes citados na Oração de Bahá'u'lláh em Dispensação são perfeitamente corretos conforme você os apresentou (Abraão, Moisés, José, João o Batista, Cristo, Muhammad, Imame Husayn, o Báb e Bahá'u'lláh).

Os Profetas 'considerados como uma e mesma pessoa' incluem também os Profetas Menores, e não somente aqueles que trazem um 'Livro'. A posição é diferente, mas Eles são Profetas e portanto Sua natureza é diferente da nossa.

Na oração acima mencionada, Bahá'u'lláh identifica a Si próprio com o Imame Husayn. Isto não faz dele um Profeta, mas sua posição foi muito singular, e nós sabemos que Bahá'u'lláh afirma ser o 'retorno' do Imame Husayn. Em outras palavras, Ele identifica Seu Espírito com essas Almas Santas que O precederam, o que, evidentemente, de modo algum faz dEle sua reencarnação. Nem significa que todos eles foram Profetas."

122. O LIVRO CARMESIM

"Infelizmente, parece que o conhecimento 'que em grande parte eliminaria o medo' não foi revelado ou identificado por Bahá'u'lláh e, por essa razão, não sabemos qual é.

No entanto, o que Bahá'u'lláh não elaborou, mas que quis dizer com o 'mundo' registrado no Livro Carmesim foi o poder do Convênio.

O Livro Carmesim refere-se ao Livro de Seu Convênio e a referência acima significa o poder de unidade que o Convênio possui e irradia. Nas páginas 324 e 325 de A Presença de Deus tu encontrarás a referência cruzada ao Livro Carmesim e à Epístola ao Filho do Lobo."

123. SETE VELAS DA UNIDADE

"As sete velas da unidade não virão necessariamente na ordem dada. O resultado da segunda bem pode ser a cultura universal."

124. SIGNIFICADO DE CORDA

"A palavra 'corda' tantas vezes mencionada nos Ensinamentos significa tanto a própria Fé como também o poder da Fé que sustenta aqueles que se apegam a ela."

125. SUA ALTEZA EMANUEL

"Quanto à sua pergunta relativa à referência feita por 'Abdu'l-Bahá a 'Sua Alteza Emanuel' no vol. III de Suas Epístolas*, obviamente se refere ao Báb, conforme o texto o mostra claramente, e de nenhum modo se refere a Swedenborg."

*Tablets of 'Abdu'l-Bahá. n.e.

126. TABLETS OF 'ABDU'L-BAHÁ - 3 VOLUMES (Epístolas de 'Abdu'l-Bahá)

"O trabalho de compilar e publicar as Epístolas é um dos mais importantes deveres que esta geração tem a empreender pois dele depende nossa verdadeira compreensão da Causa e seus princípios. Somente Epístolas com a assinatura do Mestre e em sua língua original devem ser reconhecidas. Quaisquer traduções ou cópias delas deixam de ter verdadeira autoridade. Isto mostra a importância de compilar as Epístolas originais que levam a assinatura do Mestre."

127. TRANSLITERAÇÃO DE TERMOS BAHÁ'ÍS

"... a ortografia fiel pela qual se evitará confusão por parte de todos os amigos ocidentais no futuro, e neste sentido se assegurará uma uniformidade muito necessária no momento atual em toda a literatura bahá'í... Eu me sinto confiante que doravante todos os amigos seguirão este sistema e aderirão cuidadosa e constantemente a este código em todos os seus escritos.

A preparação de artigos bahá'ís, relatórios de comitês, etc., devem, portanto, utilizar o sistema de transliteração que o Guardião proveu."

Evolução do Homem
128. EVOLUÇÃO DO HOMEM

"Tu perguntaste acerca do ponto da evolução do homem no qual ele se tornou consciente do si mesmo. Esta consciência de si mesmo no homem é um processo gradual e não começa num determinado ponto. Ela cresce nele neste mundo e continua no futuro mundo espiritual.

O homem pode certamente recordar as experiências passadas de sua evolução, e até mesmo quando sua alma deixa este mundo ainda rememora o passado."

Família
129. LAÇOS DE FAMÍLIA VERSUS LAÇOS ESPIRITUAIS

"Profundos como são os laços de família, devemos sempre lembrar que os laços espirituais são muito mais profundos; eles são perpétuos e sobrevivem à morte, ao passo que laços físicos, a menos que sejam amparados por vínculos espirituais, são confinados a esta vida. Tu deves fazer tudo o que fores capaz, através da oração e do exemplo, para abrir os olhos de sua família para a Fé Bahá'í, mas não te aflijas tanto por causa de suas ações. Volve-te aos teus irmãos e irmãs bahá'ís que estão vivendo contigo na Luz do Reino.

De fato, os crentes ainda não aprenderam plenamente a contar com o vigor e o conforto uns dos outros em tempo de necessidade. A Causa de Deus é dotada de tremendos poderes e o motivo pelo qual os crentes não tiram maior proveito dela é porque não aprenderam a contar completamente com estas forças de amor, fortaleza e harmonia geradas pela Fé."

Festa de Dezenove Dias

130. DATA DE CELEBRAÇÃO DAS FESTAS DE DEZENOVE DIAS

"O dia bahá'í inicia e termina ao pôr-do-sol, e conseqüentemente a data da celebração das Festas Bahá'ís deve ser arranjada de modo a se harmonizar com o horário do calendário bahá'í..."

131. DATA DA COMEMORAÇÃO DAS FESTAS DE DEZENOVE DIAS, ELEIÇÕES E DIAS SAGRADOS

"Em relação à data da comemoração das Festas de Dezenove Dias e das eleições, o Guardião aconselha sua Assembléia a estimular os amigos a realizarem tais reuniões na data determinada antes do pôr-do-sol. Caso seja impossível, então é permissível realizá-las no dia anterior. Em relação aos nove dias sagrados, no entanto, os amigos devem considerar obrigatório celebrá-los no dia predeterminado antes do pôr-do-sol."

132. NATUREZA DA FESTA

"Quanto à natureza da Festa de Dezenove Dias, no Aqdas, Bahá'u'lláh revelou claramente o caráter espiritual e social desta Instituição. Sua importância administrativa, no entanto, foi enfatizada pelo Guardião em resposta direta às crescentes necessidades da Comunidade Bahá'í no período formativo da era bahá'í para melhor aprendizado nos princípios e na prática da Administração Bahá'í."

133. PARTICIPAÇÃO NAS FESTAS DE DEZENOVE DIAS

"A participação nas Festas de Dezenove Dias não é obrigatória mas muito importante, e todo crente deve considerar um dever e um privilégio estar presente em tais ocasiões."

Fundos Bahá'ís
134. A OBRIGAÇÃO SAGRADA

"E como o progresso e a expansão das atividades espirituais dependem e são condicionados a meios materiais, é absolutamente necessário que imediatamente após o estabelecimento de Assembléias Espirituais Locais, bem como Nacionais, seja estabelecido um Fundo Bahá'í sob o exclusivo comando da Assembléia Espiritual. Todas as doações e contribuições devem ser ofertadas ao tesoureiro da Assembléia, para o explícito propósito de promover os interesses da Causa por toda a extensão da localidade ou país. É a obrigação sagrada de todo servo consciente e fiel de Bahá'u'lláh que deseja ver avançar a Sua Causa, contribuir livre e generosamente para o crescimento deste fundo..."

135. CONTRIBUIÇÃO

"Quanto à idéia de 'dar aquilo de que se pode dispor', de modo algum coloca um limite ou mesmo exclui a possibilidade de auto-sacrifício. Não pode haver qualquer limite à contribuição de uma pessoa ao fundo nacional. Quanto mais uma pessoa pode dar, melhor, especialmente quando tais ofertas exigem o sacrifício de outros desejos e necessidades por parte do doador. Quanto mais severo o sacrifício, evidentemente mais meritório será aos olhos de Deus. Pois afinal o que importa não é tanto a quantia que se oferece, mas muito mais a medida de privação que tal oferta acarreta."

136. CONTRIBUIÇÕES SÃO VOLUNTÁRIAS

"Com relação à instituição do Fundo Nacional e o sistema orçamentário anunciado nas atas da Assembléia Espiritual Nacional, sinto-me impelido a lembrar-lhes a necessidade de sempre ter em mente o princípio cardeal de que todas as contribuições para o Fundo devem ser de caráter pura e estritamente voluntário. Deve-se deixar claro e evidente a cada um que toda forma de compulsão, por mais leve e indireta que seja, ataca o próprio princípio fundamental subjacente à formação do Fundo desde seu início. Embora apelos de caráter geral, cuidadosamente expressos, num tom comovente e digno, sejam bem-vindos em todas as situações, deve-se deixar inteiramente ao critério de cada crente consciencioso decidir sobre a natureza, a quantia e o propósito de sua contribuição para a propagação da Causa."

137. COMO TODO CRENTE PODE TESTAR A MEDIDA DE SUA FÉ

"Ele deseja que você particularmente sensibilize os crentes com a necessidade de manterem o fluxo de suas contribuições ao Templo, e também enfatizar a importância da Instituição do Fundo Nacional Bahá'í que, nestes primeiros tempos do desenvolvimento administrativo da Fé, é o meio indispensável para o crescimento e expansão do movimento. As contribuições a este fundo constituem, além disso, um modo prático e efetivo através do qual todo crente pode testar a medida e o caráter de sua fé, e provar por atos a intensidade de sua devoção e afeição à Causa."

138. DEVEMOS SER COMO A FONTE

"Devemos ser como a fonte ou manancial que está continuamente se esvaziando de tudo o que tem e continuamente sendo realimentado por uma fonte invisível. Dar continuamente para o bem de nossos semelhantes, sem medo de pobreza e confiantes na infalível generosidade da Fonte de toda riqueza e todo bem - este é o segredo do bem viver."

139. O SANGUE VITAL DESTAS INSTITUIÇÕES NASCENTES

"À medida que as atividades da Comunidade Bahá'í americana se expandem, e correspondentemente cresce seu prestígio de âmbito mundial, a Instituição do Fundo Nacional, o fundamento sobre o qual todas as outras instituições devem necessariamente repousar e se estabelecer, adquire importância adicional e deve ser crescentemente apoiado por todo o corpo de crentes, tanto na sua capacidade individual como em seus esforços coletivos, estejam eles organizados em grupos ou como Assembléias Locais. A provisão de fundos, em apoio ao Tesouro Nacional, constitui, no tempo atual, o sangue vital das nascentes instituições que vocês estão trabalhando para construir. Sua importância jamais poderá ser superestimada. Sem dúvida, bênçãos indizíveis irão coroar todo esforço dedicado a este fim."

140. OBRIGAÇÃO PRINCIPAL AO FUNDO NACIONAL

"Quanto às suas contribuições especiais ao Fundo de Ensino, ele acha que é um assunto a ser deixado inteiramente ao critério da Assembléia Espiritual Nacional. Ele considera que o contínuo dispêndio de uma considerável soma para despesas de viagem de instrutores que têm necessidade constitui, nos dias atuais, a principal obrigação do Fundo Nacional. Deve ser feito um esforço para facilitar, tanto quanto for possível, a expansão do trabalho de ensino ajudando aqueles que são financeiramente incapazes de chegarem ao seu destino, e uma vez que estejam lá encorajá-los a se estabelecerem e ganharem seus meios de subsistência."

141. REMOVENDO O PESO DA MISÉRIA DO GÊNERO HUMANO

"... Em primeiro lugar, cada crente está livre para seguir os ditames de sua própria consciência quanto à maneira de gastar seu próprio dinheiro. Em segundo lugar, devemos sempre ter em mente de que há tão poucos bahá'ís no mundo, em relação à população mundial, e tanta gente necessitada que, mesmo que todos nós déssemos tudo que possuímos, isto não aliviaria mais do que uma infinitésima parte do sofrimento. Isto não significa que não devemos ajudar os necessitados, devemos; mas nossas contribuições à Fé são o modo mais seguro de remover de uma vez e para sempre a sobrecarga de fome e miséria da humanidade, pois é somente por intermédio do Sistema de Bahá'u'lláh - de origem divina - que o mundo pode se manter sobre seus pés e eliminar necessidade, medo, fome, guerra, etc. Não-bahá'ís não podem contribuir para a nossa obra ou fazê-la por nós; assim, realmente, nossa primeira obrigação é apoiar nosso próprio trabalho de ensino, pois isto levará ao restabelecimento das nações."

Funeral Bahá'í
142. DOAÇÃO DE CORPOS À CIÊNCIA MÉDICA

"Não há nada nos Ensinamentos contra doar nossos corpos à ciência médica. A única coisa que devemos especificar é que não desejamos ser cremados, pois é contra a Lei Bahá'í.

Como muitas pessoas planejam doar seus corpos à ciência médica para pesquisa, ele sugere que se informe, seja com um amigo advogado ou através de um hospital, como você pode fazer isso e então fazer as necessárias provisões em seu testamento, especificando que deseja que, na morte, seu corpo sirva à humanidade, e que, sendo bahá'í, você pede que seus restos não sejam cremados e que não sejam levados a uma distância maior que uma hora do lugar em que você morrer.

O espírito não tem mais conexão com o corpo depois da morte, mas como anteriormente o corpo foi o templo do espírito, nós bahá'ís somos ensinados que ele deve ser tratado com respeito."

143. ESTRELA DE NOVE PONTAS PARA PEDRA TUMULAR
"Aprova estrela para túmulos."*
*Cabograma de 22 de outubro de 1954.

144. LÁPIDE, SÍMBOLO BAHÁ'Í NA ESTRELA DE NOVE PONTAS PARA PEDRA TUMULAR

"Em relação à sua pergunta referente ao uso do Máximo Nome em lápides de bahá'ís, o Guardião o considera demasiadamente sagrado para ser colocado indistintamente nessa posição, e os amigos não deveriam usá-lo em suas lápides. Podem usar citações dos Ensinamentos, se desejarem, mas não o Máximo Nome. Naturalmente, se alguém já o tiver usado, não importa."

145. LEITURA DA ORAÇÃO DE FINADOS

"Não há qualquer objeção a que não-bahá'ís estejam presentes quando a oração longa para os mortos é lida, conquanto que respeitem nossa maneira de lê-la, levantando e ficando de pé da maneira como os bahá'ís o fazem nesta ocasião. Nem, na realidade, há qualquer objeção a que não-bahá'ís estejam presentes durante a leitura de qualquer oração pelos mortos.

Uma cerimônia fúnebre oficial bahá'í deve ser realizada somente para um crente, no entanto, não há objeção à leitura de orações bahá'ís ou, de fato, a um bahá'í oficiar o serviço fúnebre de um não-bahá'í, se isto houver sido solicitado."

146. PEDRAS DE ANÉIS E LÁPIDES PARA TÚMULOS

"Com relação ao uso de pedras de anéis e lápides para túmulos, atualmente o Guardião deixa esta questão inteiramente a critério dos crentes e não tem qualquer objeção que sua Assembléia proporcione facilidades para que estas sejam adquiridas pelos crentes. Quando O Kitáb-i-Aqdas for publicado, as necessárias instruções serão dadas a respeito deste assunto."

147. SIMPLICIDADE E FLEXIBILIDADE NO FUNERAL BAHÁ'Í

"Com respeito ao serviço fúnebre bahá'í: é extremamente simples, visto consistir somente de uma oração congregacional a ser lida antes do sepultamento. Esta oração estará disponível aos amigos quando o Aqdas for traduzido e publicado. Entrementes, sua Assembléia Espiritual Nacional deve ter muito cuidado para que neste assunto não seja adotado ou se imponha aos amigos qualquer procedimento ou ritual uniforme. O perigo nisto, assim como em alguns outros casos concernentes à forma de adoração bahá'í, é que seja desenvolvido entre os crentes um sistema definitivo ou rituais e práticas rígidas. A máxima simplicidade e flexibilidade deve ser observada, e, no tempo atual, uma seleção dos Escritos Sagrados Bahá'ís servirá a este propósito, desde que essa seleção não seja adotada de forma rígida e uniforme para todas as ocasiões semelhantes."

Guardião
148. GUIA DIVINA DO GUARDIÃO

"Ele acha que se... ponderar mais profundamente sobre os fundamentos da Revelação Divina, ela entenderá também a guardiania. Uma vez que a mente e o coração tenham compreendido o fato de que Deus guia os homens por intermédio de um Porta-voz, um ser humano, um Profeta, infalível e perfeito, aceitar também a posição de 'Abdu'l-Bahá e dos Guardiões é apenas uma projeção lógica desta aceitação. Os Guardiões são a evidência da maturidade do gênero humano no sentido de que finalmente os homens progrediram ao ponto de terem um mundo e de necessitarem uma administração mundial para os afazeres humanos. No domínio espiritual também eles atingiram o ponto em que, conforme o Mestre afirma em Seu Testamento, Deus pode deixar em mãos humanas (i.e. os Guardiões), guiadas diretamente pelo Báb e por Bahá'u'lláh, os assuntos de Sua Fé para esta Dispensação. É este o significado de 'este é o dia que não será seguido pela noite'. Nesta Dispensação, após a ascensão do Profeta, a guia divina emana sobre nós neste mundo primeiramente por intermédio do Mestre e depois dos Guardiões. Se uma pessoa pode aceitar a função de Bahá'u'lláh, não pode haver qualquer dificuldade para ela aceitar, também, aquilo que Ele ordenou em um indivíduo divinamente guiado em assuntos pertinentes à Fé."

149. INFALIBILIDADE DO GUARDIÃO

"A infalibilidade do Guardião se limita a assuntos estritamente relacionados à Causa e interpretação dos ensinamentos, ele não é uma autoridade infalível em outros assuntos, tais como economia, ciência, etc. Quando ele acha que algo é essencial para a proteção da Causa, mesmo que seja algo que afete um indivíduo pessoalmente, ele deve ser obedecido, mas quando ele dá um parecer, tal como ele lhe deu numa carta anterior a respeito de seu futuro, não é obrigatório; você está livre para segui-lo ou não, conforme lhe aprouver."

Herança
150. DIVISÃO DA HERANÇA

"Para dividir a herança conforme prescrito por Bahá'u'lláh temos que dividi-la em 2520 partes. Mas podemos também dividi-la em 42 partes. Então cada um dos beneficiários terá uma porção dessas partes. Estes números constituem como um máximo denominador para as diferentes frações que representam as partes dos diferentes indivíduos que beneficiarão em caso de falta de testamento. Em caso de inexistência de uma categoria de herdeiros, o Aqdas menciona como ela deve ser dividida. Como regra geral, uma parte vai para a Casa de Justiça e uma parte, para as crianças."

Heroísmo
151. HEROÍSMO É NECESSÁRIO

"Estes são de fato os dias em que o heroísmo é necessário da parte dos crentes. Abnegação, coragem, esperança e confiança invencíveis são características que eles devem mostrar, pois estes mesmos atributos não podem senão prender a atenção do público e levá-lo a perguntar o que é que, num mundo tão desesperadamente caótico e desnorteado, faz estas pessoas serem tão seguras, tão confiantes, tão cheias de devoção? À medida que o tempo passa, cada vez mais as características dos bahá'ís serão aquilo que prende a atenção de seus concidadãos. Eles devem mostrar seu desinteresse pelo ódio e recriminação que estão dilacerando os corações da humanidade, e demonstrarem por atos e palavras sua profunda crença na futura unificação pacífica de toda a raça humana."

Idioma Internacional
152. ESPERANTO

"Com relação ao tema 'esperanto', deve-se deixar bem claro aos crentes que, embora o ensino daquela língua tenha sido repetidamente encorajado por 'Abdu'l-Bahá, não há qualquer referência, seja dEle ou de Bahá'u'lláh, que possa nos fazer crer que ela necessariamente evoluirá para a língua internacional auxiliar do futuro. Em Seus Escritos, Bahá'u'lláh especificou que tal língua deverá ser escolhida entre as existentes ou ser criada uma inteiramente nova para servir como um meio de intercâmbio entre as nações e povos do mundo. Enquanto se aguarda esta escolha final, os bahá'ís são aconselhados a estudar esperanto apenas em consideração ao fato de que o aprendizado dessa língua pode facilitar consideravelmente a intercomunicação entre indivíduos, grupos e Assembléias por todo o mundo Bahá'í no presente estágio de evolução da Fé.

153. LÍNGUA INTERNACIONAL

"Com relação à questão de uma língua internacional, como um todo, e sua relação à Fé: Nós, como bahá'ís, estamos muito ansiosos para ver, o mais rápido possível, a adoção de uma língua auxiliar universal; não somos defensores de qualquer língua para preencher este posto. Se os governos do mundo concordarem com uma língua existente, ou uma nova língua criada, nós entusiasticamente a apoiaremos, pois desejamos ver este passo dado na unificação da raça humana o quanto antes.

O esperanto tem sido amplamente usado, mais do que qualquer língua semelhante, em todo o mundo, e os bahá'ís foram encorajados, tanto pelo Mestre como pelo Guardião, a aprendê-la e para ela traduzir a literatura bahá'í. Não podemos ter a certeza de que ela será a língua eleita do futuro; mas uma vez que é a que mais se difundiu, tanto no Oriente como no Ocidente, certamente continuaremos a cooperar com seus membros para aprender a falá-la e para ela traduzir a literatura bahá'í."

Islã
154. ISLÃ

"O Islã atingiu uma posição espiritual muito elevada, mas os eruditos ocidentais tendem a julgá-lo pelos padrões cristãos. Não se pode chamar uma Fé Mundial superior a outra, pois todas provêm de Deus; são progressivas, cada uma apropriada a certas necessidades da época."

Jejum
155. O JEJUM

"Quanto à sua pergunta a respeito do Jejum: Viajante são isentos de jejuar, mas se desejarem jejuar enquanto viajam, têm a liberdade de assim fazer. A pessoa está isenta durante todo o período de sua viagem, não somente nas horas que passa num trem ou carro, etc. Se a pessoa come involuntariamente durante as horas do jejum, isto não é quebrar o Jejum, uma vez que é um acidente. A idade limite é 70 anos, mas se a pessoa deseja jejuar após a passagem da idade limite, e estiver suficientemente forte, é livre para assim proceder. Se durante o período do Jejum uma pessoa adoecer e ficar incapaz de jejuar, porém se recuperar antes do término do período do Jejum, ela poderá começar a jejuar novamente e prosseguir até o final. Como você sabe, evidentemente o jejum só pode ser observado durante o mês reservado para este propósito."

156. O MANDAMENTO DO JEJUM

"Quanto ao jejum, ele constitui, juntamente com a oração obrigatória, os dois pilares que sustentam a revelada Lei de Deus. Eles agem como estimulantes para a alma, fortalecem, reavivam e purificam-na, e assim asseguram seu constante desenvolvimento.

O mandamento do jejum, assim como acontece com as três orações (obrigatórias), é uma obrigação espiritual e vital ordenada por Bahá'u'lláh a cada crente que atingiu a idade de quinze anos. No Aqdas, Ele assim escreve:

'Nós vos ordenamos orar e jejuar desde o início da maturidade. É esse o mandamento de Deus, vosso Senhor e Senhor de vossos antepassados. Por dádiva Sua, Ele disso isentou os debilitados por doença ou idade. Ele é o Perdoador, o Generoso.'

E em outra passagem, Ele diz:

'Nós vos ordenamos jejuar durante breve período, e vos destinamos ao seu término o Naw-Rúz como uma festa... Nem o viajante, nem o enfermo, nem a mulher grávida ou a que amamenta são obrigados a guardar o Jejum... Abstende-vos de alimento e de bebida do nascer ao pôr-do-sol, e acautelai-vos para que o desejo não vos prive dessa graça prescrita no Livro.'

Ainda em Perguntas e Respostas, que constitui um apêndice ao Aqdas, Bahá'u'lláh revela o seguinte:

'Em verdade, digo que a oração obrigatória e o jejum ocupam uma posição excelsa aos olhos de Deus. Entretanto, é numa condição de saúde que a sua virtude se pode manifestar. Em tempos de saúde abalada não é permissível observar tais obrigações.'

Com relação à idade da maturidade, Ele revela no apêndice do mesmo Livro:

'A idade da maturidade é quinze anos tanto para homens como para mulheres.'

Quanto ao caráter vital e importância das ordenanças e leis divinas, e a necessidade de completa obediência a elas por parte dos crentes, lemos o seguinte no Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh, p. 135:

'Deveis saber, verdadeiramente, que a essência da justiça e sua origem se incorporam ambas nas leis prescritas por Aquele que é a Manifestação do próprio Deus entre os homens - se sois dos que reconhecem esta verdade. Ele, verdadeiramente, encarna o mais elevado e o infalível padrão da justiça para toda a criação. Se sua lei fosse tal que incutisse terror nos corações de todos os que estão no céu e na terra, essa lei seria apenas justiça manifesta. Os receios e o tumulto que a revelação dessa lei provoca nos corações dos homens devem ser comparados, realmente, ao choro da criancinha ao lhe ser tirado o leite materno - se sois dos que percebem...'

O período do jejum, que dura dezenove dias, começando, via de regra, no segundo dia de março de cada ano e terminando no vigésimo dia do mesmo mês, implica completa abstinência de alimento e bebida desde o alvorecer até o pôr-do-sol. É essencialmente um período de meditação e prece, de recuperação espiritual, durante o qual o crente deve se esforçar para fazer os necessários reajustes em sua vida interior, e reanimar e revigorar as forças espirituais latentes em sua alma. Sua significância e propósito são, portanto, de caráter fundamentalmente espiritual. O jejum é simbólico e um lembrete da abstinência de desejos egoístas e carnais."

157. PERMISSÃO NECESSÁRIA PARA JEJUM

"Com relação à solicitação de teu filho, de conselho a respeito da observância do jejum bahá'í, por mais que o Guardião perceba a dificuldade que um crente de sua condição, freqüentando uma escola militar, há de encontrar caso queira seguir os regulamentos do jejum, ele o aconselha a fazer todo esforço para obter das autoridades escolares a necessária permissão. Em caso de seu pedido ser negado, sua única alternativa é obedecer a seu superior."

Juventude
158. EDUCAÇÃO

"Nunca é demasiado enfatizar a importância de os jovens bahá'ís se imergirem completamente em todos os aspectos dos ensinamentos, pois eles têm à frente grandes tarefas de ensino a realizar."

159. JUVENTUDE - 1

"Ele concorda plenamente que os perigos que confrontam a juventude moderna estão se tornando cada vez mais graves e requerem solução imediata. Mas, como a experiência mostra claramente, o remédio para esta situação triste e desconcertante não será encontrado na religião tradicional e eclesiástica. O dogmatismo da Igreja já foi definitivamente descartado. O que pode controlar a juventude e salvá-la das armadilhas do materialismo crasso da época é o poder de uma Fé genuína, construtiva e viva como a que foi revelada ao mundo por Bahá'u'lláh. Como no passado, a religião continua a ser a única esperança, mas não aquela forma de religião que nossos líderes eclesiásticos em vão se esforçam por pregar. Divorciada da verdadeira religião, a moralidade perdeu sua efetividade e deixou de guiar e controlar a vida individual e social do ser humano. Mas quando a verdadeira religião é combinada com a verdadeira ética, então o progresso moral se torna uma possibilidade e não um mero ideal.

A nossa juventude moderna tem necessidade de um tipo de ética baseada na fé religiosa pura. A não ser que estas duas sejam corretamente combinadas e colocadas em plena ação, não poderá haver qualquer esperança para o futuro da raça."

160. JUVENTUDE - 2

"O mundo que se encontra diante de nós depois desta guerra estará numa terrível condição, e se os crentes forem cumprir seu dever e apresentarem a Solução Divina à humanidade, devem se preparar para as grandes tarefas que virão. Isto se aplica especialmente à juventude bahá'í. Jovens homens e mulheres na Fé devem ser estudiosos profundos e atentos de seus ensinamentos, de modo que possam ensinar de uma maneira que convencerá as pessoas de que todos os problemas que os confrontam têm um remédio. Devem entender a Administração, de modo a poderem administrar sábia e eficientemente os afazeres cada vez mais abundantes da Causa; e devem exemplificar o modo de vida bahá'í. Tudo isto não é fácil - mas o Guardião está sempre imensamente encorajado a ver o espírito que anima jovens crentes como você mesmo. Ele tem grandes esperanças naquilo que sua geração irá realizar."

161. JUVENTUDE BAHÁ'Í NA ESCOLA

"O problema com o qual você se defronta é um que preocupa e causa séria perplexidade a muitos de nossos jovens de hoje. Como adquirir espiritualidade é, de fato, uma questão para a qual cada jovem, moço ou moça, deve, cedo ou tarde, se esforçar por achar uma resposta satisfatória. É precisamente porque não se tem dado ou achado uma resposta assim satisfatória, que a juventude moderna se vê confusa e, em conseqüência, está sendo levada pelas forças materialistas que estão solapando, tão poderosamente, os alicerces da vida moral e espiritual do homem.

De fato, a causa principal dos males que atualmente grassam na sociedade é a falta de espiritualidade. A civilização materialista de nossa era tem a tal ponto absorvido a energia e o interesse do gênero humano que o povo em geral não mais sente a necessidade de se elevar acima das forças e condições de sua existência material diária. Não há procura suficiente pelas coisas que denominamos espirituais, para diferenciá-las das necessidades e exigências de nossa existência física.

A crise universal que afeta a humanidade é, pois, essencialmente espiritual em suas causas. O espírito da época, tomado como um todo, é irreligioso. A atitude do homem perante a vida é demasiado rude e materialista para capacitá-lo a elevar-se até os mais altos domínios do espírito.

É essa condição, tão lamentavelmente mórbida, na qual a sociedade tem caído, que a religião procura melhorar e transformar. Pois a essência da fé religiosa é aquele senso místico que une o homem com Deus. Esse estado de comunhão espiritual pode ser alcançado e mantido por meio da meditação e da prece. E é por isso que Bahá'u'lláh tanto acentuou a importância da adoração. Não basta que o crente apenas venha a aceitar e observar os ensinamentos. Ele deve, além disso, cultivar o senso de espiritualidade que pode ser adquirido principalmente por meio da oração. A Fé Bahá'í, assim como as outras religiões divinas, é, pois, fundamentalmente mística em caráter. Seu objetivo primaz é o desenvolvimento do indivíduo e da sociedade através da aquisição de virtudes e poderes espirituais. É a alma do homem que primeiro tem de ser alimentada. E o que melhor pode prover esse alimento espiritual é a oração.

Leis e instituições, assim como vistas por Bahá'u'lláh, poderão tornar-se realmente efetivas somente quando nossa vida espiritual interior tiver sido aperfeiçoada e transformada. De outro modo, a religião degenerará em uma simples organização e se tornará uma coisa morta. Os crentes, os jovens em especial, devem compreender plenamente, portanto, a necessidade de orar. Pois a oração é absolutamente indispensável a seu desenvolvimento interior espiritual e este, como já se explicou, é a própria base e propósito da religião de Deus."

162. PIONEIRISMO

"Esta Causa, embora admita com a mesma estima pessoas de todas as idades, tem uma mensagem e uma missão especial para os jovens de sua geração. É o alvará para seu futuro, sua esperança, sua garantia de dias melhores no futuro. Por isso, o Guardião está especialmente feliz que os jovens bahá'ís estejam ativos no trabalho de pioneiro."

163. SERVIR EM COMITÊS

"Jovens bahá'ís abaixo de vinte e um anos podem servir em comitês.

A questão de jovens bahá'ís poderem servir em outros comitês além do Comitê de Juventude foi levantada em várias cartas recentemente e, ao considerar o assunto, ele achou que os jovens bahá'ís abaixo de vinte e um anos não devem ser privados do privilégio do trabalho de comitês. Embora não possam ser membros votantes das comunidades bahá'ís (ou exercerem qualquer direito eleitoral até atingirem aquela idade), e embora não possam igualmente ser eleitos para Assembléias, não há qualquer razão para não poderem servir a Causa em vários comitês, uma vez que todos os comitês, nacionais ou locais, são subordinados a Assembléias e seus membros não são eleitos, mas nomeados pelas Assembléias. Temos muitos crentes jovens devotados e talentosos que podem ser de grande ajuda à Causa mesmo que ainda não estejam legalmente em idade."

164. SOBRE A IDADE DE QUINZE ANOS

"Quanto à idade de quinze anos fixada por Bahá'u'lláh: isto se relaciona apenas a funções e obrigações puramente espirituais e não à medida de capacidade e aptidão administrativa, que é algo totalmente diferente e que atualmente está fixada em vinte e um anos."

Kitáb-i-Aqdas, O
165. LEIS DO AQDAS

"Em vista da importância de tal afirmação, ele sente que é seu dever explicar que as Leis reveladas por Bahá'u'lláh no Aqdas, sempre que praticáveis e não em conflito direto com as leis civis do país, são absolutamente obrigatórias a todo crente ou instituição bahá'í, seja no Oriente ou no Ocidente. Certas leis, tais como o jejum, orações obrigatórias, o consentimento dos pais antes do casamento, abstinência de bebidas alcoólicas, monogamia, devem ser consideradas por todos os crentes como universal e vitalmente aplicáveis no tempo atual. Outras foram formuladas em antecipação a um estado de sociedade destinado a emergir das condições caóticas hoje prevalecentes.

Quando o Aqdas for publicado, este assunto será melhor explicado e elucidado. Aquilo que não foi formulado no Aqdas, além das questões de minúcia e de importância secundária que surgirem a partir da aplicação das leis já formuladas por Bahá'u'lláh, deverá ser ordenado pela Casa Universal de Justiça. Este corpo pode suplementar mas jamais invalidar ou modificar no mínimo grau aquilo que já foi formulado por Bahá'u'lláh. E o Guardião não tem qualquer direito de reduzir os efeitos unificadores, muito menos ab-rogar as provisões de um Livro tão fundamental e sagrado..."

Letras da Vida
166. OS VINTE E QUATRO ANCIÃOS

"Com relação aos vinte e quatro anciãos: numa Epístola, o Mestre declarou que eram eles o Báb, as dezoito Letras do Vivente e outros cinco que serão conhecidos no futuro. Por enquanto não sabemos quem são esses cinco outros."*

*Um destes cinco anciãos foi designado por 'Abdu'l-Bahá: Hájí Mírzá Muhammad-Taqí, intitulado Vakílu'd-Dawlih, um primo do Báb e filho de Hájí Siyyid Muhammad (a quem Bahá'u'lláh revelou O Kitáb-i-Íqán). Vide "A Revelação de Bahá'u'lláh", vol. 1, 2001, pp. 234-8. n.t.

Manifestantes

167. A IMPORTÂNCIA DOS RESTOS MORTAIS DOS PROFETAS - 1

"Não há qualquer valor físico especial nos restos mortais dos Profetas ou nas relíquias de Suas Pessoas. Mas há um profundo valor espiritual no sentido de que Seu pó foi o espelho físico da grandeza de Deus. Em outras palavras, nós conhecemos Deus através de Seus Profetas, Os quais têm corpos; estes corpos - Seu próprio pó - são preciosos por associação. É natural que as pessoas sejam tocadas por uma mecha de cabelo ou alguma lembrança de alguém que eles amaram; quanto mais devemos estimar e nos sentir comovidos por uma relíquia do Bem-Amado de Deus?

O Báb nos disse para cobrirmos os mortos com seda (se possível) em caixões de cristal. Por quê? Porque o corpo, embora agora seja pó, anteriormente foi enaltecido pela alma imortal do homem! Deve-se considerar um privilégio inestimável e uma bênção contemplar o retrato do Báb, pois as gerações passadas foram privadas de vislumbrar a face do Manifestante depois de Seu passamento."

168. A IMPORTÂNCIA DOS RESTOS MORTAIS DOS PROFETAS - 2

"Os átomos dos Profetas são apenas átomos, como todos os outros, mas a associação deste grande poder espiritual com Eles deixa uma atmosfera espiritual no lugar em que Eles repousam, se é que se pode usar esta expressão. Eles são, sem dúvida, dotados de uma tremenda influência espiritual e penetrante poder. Mas a natureza física de Seus átomos não é diferente da de outras pessoas, não mais do que Seus corpos e funções físicas são diferentes."

169. MANIFESTANTE - EM 1.000 ANOS

"Quanto ao significado da passagem "Meus receios são para Aquele que vos será enviado após Mim", refere-se ao Manifestante que deverá vir após mil anos ou mais, que como todos os Mensageiros de Deus anteriores será sujeitado a perseguições, mas finalmente triunfará sobre elas. Pois pessoas malignas sempre existiram e continuarão a existir neste mundo, a menos que o gênero humano atinja um estado de completa e absoluta perfeição - uma condição que não somente é improvável mas realmente impossível de ser alcançada. A diferença fundamental, no entanto, entre esta Dispensação e todas as anteriores é que nesta Revelação a possibilidade de cisma duradoura entre os seguidores do Profeta foi prevenida através de instruções diretas e explícitas provendo os necessários instrumentos destinados a manter a unidade orgânica do corpo de fiéis."

170. MUITOS PROFETAS APARECERÃO

"Depois de Bahá'u'lláh, sem dúvida, muitos Profetas surgirão mas eles estarão à Sua sombra. Embora eles possam ab-rogar as leis desta Dispensação de acordo com as necessidades e exigências da época em que eles aparecem, no entanto obtêm sua força espiritual desta grandiosa Revelação. A Fé de Bahá'u'lláh constitui, de fato, o estágio de maturidade no desenvolvimento do gênero humano. Seu surgimento liberou tamanhas forças espirituais que continuarão a animar o desenvolvimento do mundo durante muitos anos por vir. Qualquer que seja o progresso alcançado, em épocas posteriores, depois de se conquistar a unificação de toda a raça humana, será apenas a melhora na maquinaria do mundo. Pois a maquinaria em si já foi criada por Bahá'u'lláh. A tarefa de continuamente melhorar e aperfeiçoar esta maquinaria é a que caberá aos Profetas posteriores cumprirem. Conseqüentemente, eles se moverão e trabalharão na órbita do Ciclo Bahá'í."

171. POSIÇÃO DOS MANIFESTANTES

"Os Manifestantes, sem dúvida, tiveram alguma consciência de Sua posição, mas qual a natureza dessa consciência nós não sabemos."

172. RETORNO DAS QUALIDADES DOS MANIFESTANTES

"O reflexo das qualidades das almas santas pode ocorrer a qualquer tempo; não se confina ao período em que o Manifestante se encontra sobre a terra."

Mãos da Causa
173. POSIÇÃO E FUNÇÃO DAS MÃOS DA CAUSA

"O grau e a posição das Mãos da Causa são superiores à posição das Assembléias Nacionais. Portanto, ao se escrever sobre as Mãos, quando há referência às Instituições da Fé, depois do Guardião devem ser mencionadas as Mãos e então os Corpos Nacionais..."

Medicina
174. CURANDEIRISMO

"O Guardião nada sabe a respeito deste tipo de cura... Mas, para sua orientação, ele pode formular certos princípios gerais: Não há nada como curandeiros bahá'ís ou um tipo de cura bahá'í. Em Seu Livro Sacratíssimo (o Aqdas) Bahá'u'lláh diz para consultar os melhores médicos, em outras palavras, médicos que tenham estudado um sistema científico de medicina; Ele nunca nos levou a crer que Ele próprio nos curaria por intermédio de 'curandeiros', mas sim por intermédio da oração e da assistência da medicina e de tratamentos comprovados. Ora, contanto que sua cura não esteja em oposição a estes princípios, contanto que você não tente nem tome o lugar de um médico autorizado na tentativa de curar outros, mas apenas lhes dê seu tipo de auxílio através de sugestão construtiva - ou o que quer que seja - e não associe este auxílio como sendo um canal da graça direta de Bahá'u'lláh, o Guardião não vê qualquer dano em que você continue sua assistência a outros. Mas você deve decidir conscienciosamente se, em vista do acima exposto, você realmente se permite continuar. Ele orará por sua orientação e felicidade."

175. PSIQUIATRIA

"Não há nada em nossos ensinamentos a respeito de Freud e seu método. Tratamento psiquiátrico de modo geral é, sem dúvida, uma importante contribuição à medicina, mas devemos crer que ela ainda está em desenvolvimento e não é uma ciência aperfeiçoada. Como Bahá'u'lláh nos aconselhou a nos beneficiarmos da assistência de bons médicos, certamente os bahá'ís não somente estão livres para recorrerem à ajuda psiquiátrica, mas devem fazê-lo sempre que for útil. Isto não significa que psiquiatras são sempre sábios ou estão sempre certos; significa que estamos livres para nos valer do melhor que a medicina tem para nos oferecer."

176. VACINAÇÃO
"Quanto à sua pergunta a respeito de vacinação:

"Estes são assuntos técnicos que não foram especificamente mencionados nos Ensinamentos e, conseqüentemente, o Guardião não pode fazer qualquer afirmação a respeito deles. Não há dúvida de que a ciência médica progredirá tremendamente à medida que o tempo passar e o tratamento das enfermidades se tornará mais perfeito."

Meditação
177. GUIA INDIVIDUAL

"As perguntas que você faz em sua carta a respeito de guia individual, pode-se dizer, possuem dois aspectos. É bom que as pessoas se volvam a Deus e supliquem Seu auxílio na resolução de seus problemas e na orientação de seus atos, todos os dias de suas vidas, se sentirem o desejo de assim fazer. Mas certamente não podem impor aquilo que eles sentem como sendo sua guia a quem quer que seja, sem falar em Assembléias ou Comitês, pois Bahá'u'lláh expressamente estabeleceu a lei da consulta e nunca indicou qualquer outra coisa para substituí-la.

Quanto à meditação: Este também é um campo em que o indivíduo é livre. Não há qualquer forma determinada de meditação prescrita nos ensinamentos, nenhum plano como tal, para o desenvolvimento interior. Os amigos são estimulados - mais ainda, ordenados - a orar, e devem também meditar, mas a maneira de fazer a última é deixada inteiramente a critério do indivíduo."

178. MEDITAÇÃO

"Através da meditação portas de conhecimento e inspiração mais profundos podem ser abertos. Naturalmente, se alguém medita como um bahá'í ele está conectado com a Fonte;... Meditação é muito importante e o Guardião não vê qualquer razão pela qual os amigos não devam ser ensinados a meditar, mas eles devem se manter afastados de superstições ou idéias tolas que nela se arrastam."

179. QUESTÃO DA ORIENTAÇÃO

"A questão da Orientação é muito sutil. Não podemos afirmar que um ímpeto ou um sonho seja orientação. Podemos buscar, através de fervorosa oração e anelo, a orientação de Deus para sinceramente cumprir Sua vontade. Podemos tentar, como você diz, emular o Mestre e sempre viver à altura dos ensinamentos, mas não podemos ter a certeza de que, ao fazer estas coisas, não cometemos quaisquer erros e somos perfeitamente orientados. Estas coisas nos ajudam a não cometer tantos erros e a receber mais diretamente a orientação que Deus procura nos dar."

Munírih Khánum
180. MUNÍRIH KHÁNUM

"Com respeito ao relato de Munírih Khánum sobre sua vida, relativo a certas questões que foram levantadas por um dos crentes; aquilo que foi escrito pela própria Munírih Khánum nesse relato e também as referências que Nabíl fez ao assunto em sua Narrativa devem ser considerados como o padrão acurado e não aquilo que foi relatado no livro do dr. Esslemont."

Música
181. MÚSICA

"A música, como uma das artes, é um desenvolvimento cultural natural, e o Guardião não acha que deva haver qualquer dedicação a mais à 'música bahá'í' do que aquela que estamos tentando desenvolver para uma escola bahá'í de pintura ou escrita. Os crentes são livres para pintar, escrever ou compor da maneira que seus talentos os guiarem. Se a música é escrita incorporando os Escritos Sagrados, os amigos são livres para fazer uso dela, porém jamais se deve considerar uma exigência ter-se tal música nas reuniões bahá'ís. Quanto mais distantes os amigos se mantiverem de quaisquer formas determinadas melhor, pois devem atentar para o fato de que a Causa é absolutamente universal, e o que pode parecer um bonito acréscimo ao seu modo de celebrar uma Festa, etc., soaria, talvez, em ouvidos de pessoas de outro país, como sons desagradáveis - e vice-versa. Desde que tenham a música para seu próprio benefício, está tudo bem, porém não devem considerá-la 'música bahá'í'."

Não-Bahá'ís
182. ALMAS PURAS

"Aqueles que nunca tiveram a oportunidade de ouvir sobre a Fé, mas que viveram uma vida virtuosa, sem dúvida serão tratados com o maior amor e misericórdia no mundo vindouro, e terão sua plena recompensa."

Número Nove
183. NÚMERO NOVE - 1

"O número nove, que é em si mesmo o número da perfeição, é considerado sagrado pelos bahá'ís, porque é símbolo da perfeição da Revelação Bahá'í que constitui a nona na seqüência das religiões existentes, a última e a mais completa Revelação que a humanidade jamais conheceu. A oitava é a religião do Báb e as sete restantes são: Hinduísmo, Budismo, Zoroastrismo, Judaísmo, Cristianismo, Islamismo e a religião dos sabeus. Estas religiões não são as únicas religiões verdadeiras que apareceram no mundo, mas são as únicas que ainda existem. Sempre houve Profetas e Mensageiros divinos, muitos dos quais são referidos no Alcorão. Mas as únicas existentes são as acima mencionadas."

184. NÚMERO NOVE - 2

"O Guardião acha que a questão de quais são exatamente as nove religiões existentes é controversa entre os intelectuais e estudiosos da religião, e seria melhor evitá-la. Ele não quer que os amigos sejam rígidos nestes assuntos, mas que usem seu julgamento e tato, algumas vezes uma afirmativa é exatamente a correta para um tipo de mente e equivocada para outro.

Rigorosamente falando, a estrela de cinco pontas é o símbolo de nossa Fé, conforme usada pelo Báb e explicada por Ele. Mas o Guardião não acha sábio ou necessário complicar nossas explanações sobre o Templo, acrescentando isto.

O nove é o maior dos dígitos, simbolizando por isso abrangência e culminação; além disso, a razão pela qual é usada na forma do Templo é que 9 tem o exato valor numérico de 'Bahá'í (na numerologia relacionada ao alfabeto árabe) e 'Bahá'í é o nome do Revelador de nossa Fé, Bahá'u'lláh. A estrela de nove pontas não é parte dos ensinamentos de nossa Fé, mas é apenas usada como um emblema representando '9'. Ao falarmos às pessoas a respeito das 9 religiões do mundo, isto é, as religiões existentes, não devemos dizer que esta é a razão pela qual o Templo tem nove lados. Isto pode ter sido uma idéia do arquiteto, e uma idéia muito aprazível, a qual pode ser mencionada de passagem, mas o Templo tem 9 lados por causa da relação de nove com perfeição, unidade e 'Bahá'."

Oposição à Fé
185. ATAQUES DE MISSIONÁRIOS DE IGREJAS

"O Guardião leu com muito cuidado as cartas que sua Assembléia recebeu das Assembléias Espirituais de Urbana e Chicago, relatando críticas feitas pelo reverendo John Elder, um missionário do Irã. Ao mesmo tempo em que ele está certo de que no futuro tais ataques de missionários de igrejas estão destinados a aumentar em número e força, ele sente que atualmente elas não constituem um desafio tão grave e amplo que justifique qualquer ação enérgica da parte de sua Assembléia. Mais tarde, quando o próprio progresso da Causa de um lado e o correspondente declínio das organizações eclesiásticas do outro inevitavelmente incitarem os líderes eclesiásticos cristãos a se oporem veementemente e minarem a Fé, os crentes terão então a verdadeira chance de defender e vindicar a Causa. Nas condições atuais seria desaconselhável à comunidade americana atribuir demasiada notoriedade a tais assuntos."

Oração
186. CITAÇÃO DE ORAÇÕES

"Ao citar orações, qualquer parte pode ser usada, mas deve ser citada como é, por mais curta que seja."

187. ENTOAR ORAÇÕES NO TEMPLO

"Com relação à entoação de Epístolas no Templo, Shoghi Effendi deseja enfatizar que os amigos evitem toda forma de rigidez e uniformidade em questões de adoração. Não há qualquer objeção em recitar ou entoar orações na língua ocidental, mas também não há obrigação alguma em se adotar tal forma de oração em qualquer serviço devocional no auditório do Templo. Não deve ser exigido, nem proibido. A coisa importante que sempre se deve ter em mente é que, com exceção de certas orações obrigatórias específicas, Bahá'u'lláh não nos deu quaisquer regulamentos rigorosos ou específicos em matéria de adoração, seja no Templo ou outro lugar. A oração é essencialmente uma comunhão entre o homem e Deus e, como tal, transcende todas as formas e fórmulas ritualísticas."

188. CINCO PASSOS DA ORAÇÃO

"Com relação aos cinco passos da oração esboçados pelo Guardião e registrados pela sra. Moffett em seu livreto 'Call to Prayer' (Convite à Oração), ele deseja que eu explique que estes são meras sugestões pessoais e, portanto, não precisam ser estrita e universalmente adotados pelos crentes."

189. ORAÇÕES

"Você perguntou se nossas orações vão além de Bahá'u'lláh; isto depende de se nós oramos diretamente a Ele ou a Deus através dEle. Podemos fazer ambas as coisas e podemos ainda orar diretamente a Deus, mas nossas orações certamente serão mais efetivas e iluminadoras se forem dirigidas a Ele através de Seu Manifestante Bahá'u'lláh.

Em nenhuma circunstância, no entanto, podemos inserir o nome de Bahá'u'lláh onde é usada a palavra 'Deus' quando recitamos as orações. Isto seria equivalente a blasfêmia."

190. ORAÇÕES DE CURA

"As orações de cura reveladas por Bahá'u'lláh podem ser efetivas mesmo que usadas por não-bahá'ís. Mas é claro que sua efetividade é maior no caso daqueles que aceitam plenamente a Revelação."

191. ORAÇÕES DEVEM SER LIDAS CONFORME REVELADAS

"Com respeito à sua pergunta quanto à mudança de pronomes nas orações bahá'ís: o Guardião não aprova tais alterações, seja nas orações específicas ou em quaisquer outras. Elas devem ser lidas conforme impressas sem mudar uma única palavra."

192. ORAÇÕES DIÁRIAS

"As orações diárias são para serem recitadas individualmente, em voz alta ou em silêncio, não faz diferença. Não há oração congregacional a não ser a oração para os mortos. Lemos orações de cura e outras orações em nossas reuniões, mas a oração diária é uma obrigação pessoal, assim, outra pessoa recitá-la não é a mesma coisa que recitá-la você mesmo.

Se achar que precisa visualizar alguém quando ora, pense no Mestre. Através dEle você pode se dirigir a Bahá'u'lláh. Aos poucos tente pensar nas qualidades do Manifestante, e desse modo a forma mentalizada desaparecerá, pois afinal não é o corpo que importa, Seu Espírito se encontra lá e é o elemento essencial e eterno."

193. ORAÇÕES OBRIGATÓRIAS DIÁRIAS

"As orações obrigatórias diárias são três em número. A mais curta consiste num só versículo que deve ser recitado uma vez a cada vinte e quatro horas ao meio-dia. A (oração) média, que começa com as palavras: 'Deus atesta que não há outro Deus salvo Ele', deve ser recitada três vezes ao dia, pela manhã, ao meio-dia e ao anoitecer. A oração longa, que é a mais elaborada das três, deve ser recitada uma vez a cada vinte e quatro horas, e a qualquer hora que a pessoa se sentir inclinada a fazê-lo.

O bahá'í tem inteira liberdade para escolher qualquer das três orações, mas tem a obrigação de recitar uma delas, e em conformidade com quaisquer instruções específicas que as acompanhem.

Estas orações obrigatórias diárias, juntamente com algumas outras específicas, tais como a Oração para Cura e a Epístola de Ahmad, foram investidas por Bahá'u'lláh de especial potência e significado, e deveriam, portanto, ser aceitas como tal e recitadas pelos crentes com fé e confiança inquestionáveis, para que possam através delas entrar numa comunhão muito íntima com Deus e se identificar mais completamente com Suas leis e Seus preceitos."

194. ROSÁRIOS DE ORAÇÃO

"No que se refere ao uso e distribuição de rosários de oração, neste e em outros assuntos de importância secundária, ele não deseja que quaisquer regras fixas e rígidas sejam estabelecidas. Não se deve exigir que os crentes usem rosários de oração, nem devem ser impedidos de assim fazer, pois os Ensinamentos não contêm quaisquer instruções específicas a este respeito."

Orientais
195. ASSOCIAÇÃO COM ORIENTAIS

"Em relação a isto, o Guardião deseja chamar mais uma vez a sua atenção à enorme importância de suas instruções aos crentes ocidentais referentes à associação com orientais. Os amigos do Ocidente devem estar completamente atentos e extremamente cautelosos ao lidarem com orientais, especialmente com aqueles que em nome da Causa desejam satisfazer seus próprios desejos e ambições. O primeiro passo que devem dar para se protegerem desses desordeiros é insistir que eles devem obter credenciais apropriadas da Assembléia da localidade em que vivem. Ele acha que esta medida é absolutamente essencial e não pode haver qualquer exceção a isto."

196. ORIENTAIS

"Quanto àqueles persas ou orientais que não são crentes e que se tornaram genuinamente interessados pela Causa na América, eles podem ser admitidos às classes de estudo, mas todo cuidado deve ser tomado pelas Assembléias para testarem plenamente sua sinceridade e a autenticidade de seu desejo de se unirem à comunidade antes de lhes serem dadas as necessárias facilidades que finalmente os capacitarão a ser considerados membros votantes da Fé."

Pacifismo
197. PONTO DE VISTA BAHÁ'Í SOBRE PACIFISMO

"Com relação a pacifistas extremistas, ou opositores conscienciosos da guerra; do ponto de vista bahá'í, sua atitude é completamente anti-social e, devido à sua exaltação da consciência individual, conduz inevitavelmente à desordem e caos na sociedade. Pacifistas extremistas são, por isso, muito semelhantes a anarquistas, no sentido de que ambos os grupos dão uma ênfase indevida aos direitos e méritos individuais. A concepção bahá'í de vida social é essencialmente baseada na submissão da vontade do indivíduo à da sociedade. Não suprime o indivíduo nem o exalta a ponto de o tornar uma criatura anti-social, uma ameaça à sociedade. Como em tudo, ela segue o 'meio termo'. A única maneira pela qual a sociedade pode funcionar é que a minoria siga a vontade da maioria.

A outra objeção principal aos opositores conscienciosos é que seu método de estabelecer a paz é demasiadamente negativo. A não-cooperação é uma filosofia demasiadamente passiva para se tornar um modo efetivo de reconstrução social. Sua recusa em portar armas jamais pode estabelecer a paz. Primeiro deve haver uma revitalização espiritual, a qual de nenhum modo pode ser efetivamente trazida ao coração de cada homem senão através da Causa de Deus."

Paranormalidade
198. FENÔMENOS PSÍQUICOS

"Com relação a fenômenos psíquicos referidos em sua carta; eles são, na maioria dos casos, uma indicação de profunda perturbação psicológica. Os amigos devem, tanto quanto possível, evitar dar importância indevida a tais assuntos."

199. PROFECIAS DAS PIRÂMIDES

"Nada temos nos nossos Escritos Bahá'ís a respeito das assim chamadas Profecias das Pirâmides; assim, ele (o Guardião) não acha que você precise lhes atribuir qualquer importância."

200. VISÕES

"Há uma diferença fundamental entre Revelação Divina, concedida por Deus a Seus Profetas, e as experiências e visões espirituais que indivíduos podem ter. Estas últimas de modo algum podem ser interpretadas como sendo uma fonte infalível de guia, nem mesmo pela pessoa que as experiências."

Participação Bahá'í em Conferências Internacionais

201. SOBRE A PARTICIPAÇÃO BAHÁ'Í EM CONFERÊNCIAS INTERNACIONAIS

"Ele acha que a afirmação que sua Assembléia fez em sua carta a ele... sobre os bahá'ís cooperando com conferências de paz e unidade mundial abrange o assunto adequadamente. Não há qualquer razão para delinear uma linha demarcatória em relação a se o tipo de federação mundial sendo promovido por uma determinada sociedade envolve governos ou povos. O ponto é que, se não estiver aliada a qualquer facção política em particular e não for oriental nem ocidental em seus projetos, os bahá'ís podem tomar parte em sua plataforma como oradores e lhe dar apoio moral."

Paz
202. PAZ

"... Poderia acrescentar que ele não acredita que quaisquer irradiações de pensamento ou cura, de qualquer grupo, irá trazer paz. Oração, sem dúvida, ajudará o mundo, mas o que ele precisa é aceitar o sistema de Bahá'u'lláh de modo a construir a Ordem Mundial sobre uma nova fundação, uma fundação divina!"

Perda dos Direitos Administrativos
203. DESTITUIÇÃO DE CRENTES

"No que diz respeito à destituição de crentes, acho que um assunto de tão vital importância deve ser seriamente ponderado e preferivelmente referido à Assembléia Nacional para maiores considerações e decisão final. Devemos ser lentos em aceitar e relutantes em destituir. Eu aprovo integralmente e apoio entusiasticamente, e sem reservas, o princípio a que vocês se referem de que não se devem fazer de personalidades centros em torno dos quais a comunidade circule, mas eles devem, em todas as condições e independentemente de quão grande possa ser seu mérito, subordinar-se às Assembléias devidamente constituídas. Você e seus colaboradores jamais devem super-estimar ou super-enfatizar este princípio cardeal da Administração Bahá'í."

Pioneirismo
204. PIONEIRISMO - 1

"... Algumas vezes as pessoas se esforçam durante toda a sua vida para prestarem destacados serviços. Eis a época e a oportunidade de prestar serviços históricos; de fato, a mais singular na história, auxiliando no cumprimento das profecias de Daniel sobre o Dia do Juízo, e os 1335 dias, quando os homens seriam abençoados pela Glória do Senhor, a cobrir todo o globo - que é a verdadeira meta da Cruzada de Dez Anos.

Em outras palavras, quando completarmos a Cruzada de Dez Anos teremos cumprido a grande profecia de Daniel de 'Bem-aventurado aquele que espera e chega aos 1335 dias'. O que pode ser mais maravilhoso do que tomar parte no cumprimento de uma profecia religiosa de mais de três mil anos!

Os próprios pioneiros devem compreender que não somente estão realizando os desejos de Bahá'u'lláh e fazendo aquilo que o próprio Mestre ansiava fazer; isto é, ir, se necessário a pé, e levar a Mensagem de Seu Pai a todas as regiões da terra; mas estão elevando o prestígio da Fé a um grau notável aos olhos do público e especialmente aos olhos das autoridades. Não há dúvida de que a rápida marcha da Fé recentemente atraiu uma atenção bem maior da parte de pessoas ponderadas, pessoas de posição na sociedade e em campos educacionais do que durante quase cem anos."

205. PIONEIRISMO - 2

"Por isso, cada pioneiro deve sentir sua responsabilidade muito seriamente e entender que sua vocação está bem acima do serviço comum; e seu dever de permanecer em seu posto, é realmente muito urgente."

Política
206. A RESPEITO DE ELEIÇÕES

"O Guardião escreveu à Assembléia Nacional em minúcias e deu-lhe o princípio sobre o qual gostaria de vê-la agir. Ele lhe pediu para aconselhar os amigos adequadamente e também expor os princípios a serem aplicados às condições locais na América.

Para facilitar os assuntos e evitar mal-entendidos, ele prefere reportá-lo e cada um dos amigos a ela (A Assembléia Nacional). Ele está certo de que obtereis completa satisfação ao expor a questão a ela. Ao assim fazer, o propósito do Guardião não é evitar o problema mas apenas facilitar os assuntos e eliminar mal-entendidos. Em todas as questões deste tipo os amigos devem primeiro recorrer à Assembléia Local, depois à Assembléia Nacional e somente em caso de não encontrarem satisfação devem recorrer ao Guardião para tais assuntos. Deste modo muitas dificuldades serão evitadas."

207. CARTAS AOS CHEFES GOVERNAMENTAIS

"O Guardião acha que qualquer comunicação dirigida a figuras internacionais desta natureza, especialmente relacionadas a propostas políticas de qualquer grupo em particular, não devem ser escritas a menos que sejam aprovadas por ele. Ele acha assuntos deste tipo tão importantes que não deseja que tais comunicações sejam enviadas sem sua prévia consideração e aprovação. Isto pode levar a situações extremamente difíceis e embaraçosas, especialmente quando as cartas são levadas ao público..."

208. EVITAR POLÍTICA COMO A PESTE

"O princípio cardeal que devemos seguir... é obediência ao governo que vigora em qualquer nação em que residimos...

Notamos, portanto, que devemos fazer duas coisas - evitar a política como a peste e obedecer ao governo que está no comando no lugar em que residimos... Devemos obedecer em todos os casos, exceto quando um princípio espiritual está envolvido, tal como renegar nossa Fé. Por estes princípios espirituais devemos estar prontos para morrer. O que nós bahá'ís devemos encarar é o fato de que a sociedade está se desintegrando tão rapidamente que questões morais que eram claras há meio século agora estão irreparavelmente confusas e ainda mais, completamente embaralhadas com interesses políticos conflitantes. É por isso que os bahá'ís devem dirigir todas as suas forças aos meios de construção da Causa Bahá'í e sua Administração. Não podem mudar nem ajudar o mundo de qualquer outra maneira na atualidade. Se eles se envolverem em questões nas quais os governos do mundo se empenham, estarão perdidos. Mas se erigirem o padrão bahá'í, poderão oferecê-lo como um remédio quando tudo mais tiver falhado."

209. LEALDADE À ORDEM MUNDIAL DE BAHÁ'U'LLÁH

"Lealdade (à) Ordem Mundial de Bahá'u'lláh, segurança de suas instituições básicas, ambas categoricamente exigem que todos os seus reconhecidos apoiadores... nestes dias em que sinistras forças incontroláveis estão penetrando (os) desunidos povos, nações, credos (e) classes, a despeito (da) pressão (da) opinião pública em rápida cristalização, decidam abster-se individual e coletivamente, em palavras (e) ações, informalmente bem como em pronunciamentos oficiais e publicações, de censurar, tomar partido, mesmo que indiretamente, nas recorrentes crises políticas que ora agitam (e) no final das contas subjugam a sociedade humana. Séria preocupação de que efeitos cumulativos (de) tais concessões desintegrem (a) estrutura, obstruam (o) canal da graça que sustenta (o) sistema da ordem divina essencialmente supranacional, supranatural tão laboriosamente desenvolvida e tão recentemente estabelecida."

210. NÃO-INTERFERÊNCIA EM POLÍTICA

"A atitude dos bahá'ís deve ser dupla: completa obediência ao governo do país em que residem e nenhuma interferência de espécie alguma em assuntos ou questões políticas. O que a declaração do Mestre realmente quer dizer é obediência a um governo devidamente constituído, qualquer que seja a forma desse governo. Não somos nós que, como indivíduos bahá'ís, julgamos nosso governo como justo ou injusto - pois cada crente certamente iria apoiar um ponto de vista diferente, e dentro do nosso próprio rebanho bahá'í surgiria uma base de dissensão e destruiria nossa unidade. Nós devemos edificar nosso próprio sistema bahá'í e deixar que os sistemas defeituosos do mundo sigam seu caminho. Nós não podemos mudá-los envolvendo-nos com eles; ao contrário, eles nos destruirão."

211. O CARÁTER APOLÍTICO DA FÉ BAHÁ'Í

"O Guardião deseja que por seu intermédio eu chame a atenção dos amigos de que eles devem ser muito cautelosos em seus pronunciamentos públicos para não mencionarem quaisquer figuras políticas... seja para tomar partido deles ou denunciá-los. Esta é a primeira coisa a ter em mente. Senão eles envolverão os amigos em assuntos políticos, o que é definitivamente perigoso para a Causa."

212. PERMANECER AFASTADO DE ASSUNTOS POLÍTICOS

"Devemos - cada um de nós - manter-nos afastados, de coração e mente, em palavras e ações, de assuntos políticos e de disputas de nações e governos. Devemos nos manter longe de tais pensamentos. Não devemos ter relação política alguma com qualquer um dos partidos nem nos afiliar a qualquer facção destas várias e divergentes seitas.

Absoluta imparcialidade em questões de partidos políticos deve ser demonstrada por palavras e atos, e o amor a toda a humanidade, seja a um governo ou uma nação, que é o ensinamento básico de Bahá'u'lláh, também deve ser mostrado por palavras e atos...

De acordo com as exortações da Pena Suprema e as explanações confirmatórias do Convênio de Deus, de nenhum modo os bahá'ís são permitidos a entrar em assuntos políticos sob qualquer pretexto; uma vez que tal ato produz resultados desastrosos e acaba prejudicando a Causa de Deus e seus amigos íntimos."

213. VOTAÇÃO CIVIL

"Os amigos podem votar, se puderem fazê-lo, sem se identificar com um partido ou outro. Entrar na arena da política partidária é certamente pernicioso aos melhores interesses da Fé e prejudicará a Causa. Cabe aos indivíduos usarem seu direito ao voto bem como se manterem afastados de política partidária, e sempre terem em mente que estão votando nos méritos do indivíduo, não porque ele pertence a um ou outro partido. Deve-se deixar o assunto bem claro aos indivíduos, os quais terão a liberdade para usarem seu critério e julgamento. Mas se uma certa pessoa entra num partido político e trabalha pelo predomínio de um partido sobre outro, e continua a agir contra os explícitos apelos e advertências da Assembléia, então a Assembléia tem o direito de lhe recusar o direito de voto nas eleições bahá'ís."

214. VOTAÇÃO EM ELEIÇÕES CIVIS - 1

"... Nenhum voto bahá'í a favor de um oficial, nenhuma participação bahá'í nos afazeres da República, implicará na aceitação de um programa ou política que se oponha a qualquer princípio vital, espiritual ou social da Fé.

215. VOTAÇÃO EM ELEIÇÕES CIVIS - 2

"... Nenhum voto dado, ou gabinete assumido, por um bahá'í deve necessariamente constituir a completa aceitação do programa de qualquer partido político por parte do votante ou do detentor do gabinete. Nenhum bahá'í pode ser considerado como republicano ou democrata. Ele é acima de tudo o defensor dos princípios enunciados por Bahá'u'lláh, e estou convencido de que o programa de nenhum partido político está em completa harmonia com os mesmos."

Preconceitos Raciais
216. PRECONCEITOS RACIAIS

"Com relação à solução do problema racial; os crentes devem evidentemente entender que o princípio da unicidade do gênero humano, que é a pedra fundamental da mensagem de Bahá'u'lláh, é completamente incompatível com todas as formas de preconceito racial. A lealdade a este princípio fundamental da Fé é o dever supremo de todo crente e deve ser, portanto, sincera e absoluta. Para um bahá'í, o preconceito racial, em todas as suas formas, é simplesmente uma negação da Fé, uma atitude totalmente incompatível com o próprio espírito e os verdadeiros ensinamentos da Causa.

Porém, embora os amigos devam apoiar fiel e corajosamente este princípio bahá'í da unidade essencial de toda a raça humana, ainda assim, nos métodos que adotam para sua aplicação e posterior realização no plano social, eles devem agir com tato, sabedoria e moderação. Estas duas atitudes de maneira alguma são excludentes. Os bahá'ís não crêem que a difusão da Causa e seus princípios e ensinamentos possa ser efetuada através de métodos radicais e violentos. Ao mesmo tempo em que são leais a todos esses princípios, eles crêem na necessidade de recorrer a meios pacíficos e amistosos para realizar seus objetivos.

Quanto ao significado da passagem da página 145 do Seleção*, é uma ênfase que Bahá'u'lláh dá à importância de manter as diferentes posições e classes na sociedade e não se refere à questão racial."

*Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh, 2ª ed., 2001.

Pré-Jovens
217. PRÉ-JOVENS REALIZAM GRANDES OBRAS - 1

"Ele os insta a decidirem realizar grandes, grandes obras para a Fé; a situação do mundo está constantemente piorando e sua geração deve prover os santos, heróis, mártires e administradores dos anos vindouros. Com dedicação e força de vontade vocês podem se elevar a grandes alturas!"

218. PRÉ-JOVENS REALIZAM GRANDES OBRAS - 2

"Ele aprecia muito o espírito devotado e determinado com o qual você está encarando o futuro e toda a responsabilidade bahá'í que crescentemente ele lhe trará. O papel da juventude é muito importante; você tem a oportunidade de realmente decidir exemplificar em palavras e atos os Ensinamentos de Bahá'u'lláh e mostrar à sua geração que a Nova Ordem Mundial que Ele trouxe é uma realidade tangível nas vidas de Seus seguidores."

Recém-Declarados
219. ACEITAR A CAUSA SEM RESTRIÇÕES

"Os crentes, e particularmente aqueles que não tiveram suficiente experiência no ensino, devem ser muito cuidadosos no modo como apresentam os ensinamentos da Causa. Sinceridade, devoção e fé não são as únicas condições de um ensino bem sucedido. Tato, extremo cuidado e sabedoria são igualmente importantes. Não devemos ser apressados quando anunciamos a mensagem ao público e devemos ser cautelosos em apresentar os ensinamentos em sua inteireza e não alterá-los por causa dos outros. Fidelidade à Fé não pode ser parcial e pouco entusiasmada. Devemos aceitar a Causa sem qualquer restrição ou parar de nos chamar de bahá'ís. Deve-se fazer com que os novos crentes percebam que, para se identificarem completamente com a Fé e se tornarem seguidores ativos, não é suficiente aceitarem alguns aspectos dos ensinamentos e rejeitarem aqueles que não podem se ajustar à sua mentalidade. Deste modo, toda sorte de mal-entendidos se desvanecerão e a unidade orgânica da Causa será resguardada."

220. AO ACEITAR BAHÁ'U'LLÁH

"Ao aceitares Bahá'u'lláh, tu aceitaste Cristo em Seu aparecimento como o Pai, conforme Ele próprio predisse tão claramente. A Igreja Católica não crê nisso; ao contrário, continua a esperar a volta de Cristo. Se tu, para seres sepultada junto ao teu querido esposo, decidires retornar à Igreja, deverás de boa fé negar Bahá'u'lláh ou estarás apenas usando a Igreja como um meio de satisfazer teu próprio desejo, o que certamente não será algo correto e consciencioso a ser feito.

Quando tu pensas que agora a alma de teu esposo está livre das limitações deste mundo e que sem dúvida está começando a ver a verdade religiosa à sua verdadeira luz e perceber a posição de Bahá'u'lláh, deves perguntar a ti própria se ele desejaria que tu abandonasses a verdade para este dia e ingressasses novamente na Igreja somente para que teu pó ficasse junto com o dele. Teu espírito, quando de teu passamento, estará próximo ao dele; qual é então a importância do corpo? Ele orará por tua orientação neste assunto."

221. OS "DOIS EXTREMOS" EM ACEITAR NOVOS BAHÁ'ÍS

"Os crentes devem fazer distinção entre os dois extremos de trazer pessoas à Causa antes que elas tenham compreendido plenamente seus princípios básicos e de dificultar isso para elas, esperando demasiadamente delas, antes que elas os tenham aceitado. Isto requer um julgamento realmente aguçado, pois as pessoas não consideram correto serem admitidas num movimento cujo verdadeiro significado não entenderam perfeitamente. É igualmente incorreto esperar que elas sejam bahá'ís perfeitos antes de poderem entrar na Fé. Muitos problemas de ensino surgem desses dois extremos..."

222. SOBRE A APRESENTAÇÃO DO TESTAMENTO DO MESTRE A NOVOS CRENTES

"Com relação ao melhor método de apresentar o Testamento do Mestre a novos aderentes, Shoghi Effendi é da opinião de que a Assembléia Espiritual Nacional deve primeiro fazer uma apropriada seleção de trechos do Testamento e enviá-la a todas as Assembléias Locais para seu uso, a fim de que haja completa unidade na difusão das cláusulas do Testamento entre os crentes. A questão da seleção de tais trechos é inteiramente deixada ao critério da Assembléia Espiritual Nacional. O principal, conforme o parecer do Guardião, é que a plenitude das posições do Báb, de Bahá'u'lláh e de 'Abdu'l-Bahá seja claramente explicada e a origem, a natureza e o funcionamento da Ordem Administrativa da Fé, claramente expostos. As completas implicações de tal reconhecimento estão evidentemente além da compreensão de qualquer novo crente. Tal conhecimento pode ser adquirido gradualmente e somente quando os princípios básicos da Fé tiverem sido claramente reconhecidos e adequadamente compreendidos."

223. SOBRE ACEITAÇÃO DE NOVOS CRENTES

"Ele observou cuidadosamente aquilo que lhe escreveste acerca da questão de aceitação de aderentes à Causa. Este é certamente um assunto que requer o máximo tato, sabedoria e consideração por parte das Assembléias Bahá'ís. Ao mesmo tempo em que, conforme ele mesmo repetidamente enfatizou, deve ser adotado e seguido um procedimento uniforme pelo qual se requeira que cada aderente expresse sua sincera e incondicional aceitação das verdades essenciais da Causa, deve ser tomado grande cuidado para não insistir em questões de importância secundária que por óbvias razões o recém-chegado não pode entender e apreender completamente no início. Uma vez que o aderente tenha sido admitido na comunidade com um claro entendimento dos deveres e responsabilidades, e as implicações essenciais que tal afiliação requer, não deverá haver qualquer dificuldade para ele ajustar gradualmente seu conjunto de idéias de acordo com os requisitos expostos nos Ensinamentos. O processo de se tornar bahá'í é necessariamente lento e gradual. O essencial não é que o iniciante tenha um conhecimento completo e detalhado da Causa, algo que é obviamente impossível na grande maioria dos casos, mas que, por um ato de sua própria vontade, disponha-se a apoiar e seguir a verdade e a orientação enunciadas nos Ensinamentos, e assim abrir seu coração e mente à realidade do Manifestante."

224. QUALIFICAÇÕES DE UM NOVO CRENTE

"Quando uma pessoa se torna bahá'í, ela renuncia o passado somente no sentido de que ela é parte de uma nova e viva Fé de Deus, e deve procurar se amoldar, em atos e pensamentos, aos desígnios delineados por Bahá'u'lláh. O fato de ela ser de origem judaica ou cristã, uma pessoa negra ou branca, deixa de ser importante, mas conforme você diz, confere brilho e encanto à comunidade bahá'í no sentido de que demonstra unidade na diversidade."

Reuniões Públicas

225. MUDANÇA DA DATA DE FESTAS E REUNIÕES PÚBLICAS

"Este é realmente um assunto de importância secundária, e deve ser decidido pela Assembléia. Reuniões que foram publicamente divulgadas para uma determinada data, obviamente não podem ser canceladas."

226. REUNIÕES BAHÁ'ÍS

"Com relação à sua pergunta sobre a conveniência de realizar reuniões bahá'ís num tempo coincidente com reuniões da igreja; o Guardião aconselharia os amigos a evitarem tal coincidência, pois de outro modo muitos freqüentadores de igreja podem se sentir ofendidos e isto pode levar a desentendimentos desnecessários e até mesmo perniciosos, e a desenvolvimentos que podem prejudicar a Causa e afetar seu prestígio aos olhos do público. Em todas as circunstâncias os amigos devem ser cuidadosos para não levantarem desnecessariamente qualquer sentimento de antagonismo religioso."

Rompedores do Convênio
227. EVITAR OS ROMPEDORES DO CONVÊNIO - 1

"... Bahá'u'lláh e o Mestre, em muitos lugares e enfaticamente, disseram-nos para evitarmos completamente todos os rompedores do Convênio, uma vez que eles são acometidos com aquilo que podemos provar e definir como um mal espiritual contagioso; porém, eles nos disseram também para orarmos por eles. Estas almas não estão perdidas para sempre. No Aqdas, Bahá'u'lláh diz que Deus perdoará Mírzá Yahyá se ele se arrepender. Segue-se, portanto, que Deus perdoará qualquer alma se ela se arrepender. Infelizmente a maioria delas não quer se arrepender. Se os líderes podem ser perdoados nem precisa dizer que seus seguidores também podem ser perdoados...

228. EVITAR OS ROMPEDORES DO CONVÊNIO - 2

"Também não tem nada a ver com unidade na Causa; se uma pessoa retira um câncer de seu corpo a fim de preservar sua saúde e a própria vida, ninguém pode insinuar que, por causa da unidade, ele deve ser reintroduzido no organismo que sem ele é saudável. Ao contrário, aquilo que algum dia fez parte dele mudou tão radicalmente a ponto de se tornar um veneno."

229. EXPULSÃO E REINTEGRAÇÃO DOS ROMPEDORES DO CONVÊNIO

"O Guardião, assim como o Mestre antes dele, não considerou aconselhável, até o momento, permitir que qualquer pessoa ou Assembléia expulse outra pessoa da Causa de Deus. Há uma nítida distinção entre privar um crente de seu direito de voto, que é uma severa medida disciplinar e não uma sanção espiritual, e declarar esse crente como sendo realmente uma alma espiritualmente enferma, uma alma na condição referida pelo Mestre, em Seu último cabograma à América antes de Sua ascensão, quando Ele disse: 'Aquele que se senta com um leproso contrai lepra.' Nos últimos anos, o Guardião tem considerado as Assembléias Nacionais suficientemente fortes para exercer a sanção no sentido de privar um bahá'í de seu direito de voto. Mas ninguém, a não ser ele próprio, pode declarar uma pessoa de estar naquela condição de enfermidade que chamamos 'Rompimento do Convênio' e ninguém senão ele pode reintegrar um rompedor do Convênio. A nenhuma Assembléia Nacional foi outorgado este direito e por isso ela não pode examinar a questão ou reintegrar qualquer um..."

Santuário Sagrado
230. CRENTES SE VOLVEM AO SANTUÁRIO SAGRADO

"Ele acha que a união dos corações, quando os crentes se volvem em direção ao Santuário Sagrado, produzirá maior amor e unidade entre os amigos, e atrairá as bênçãos de Bahá'u'lláh."

Saudação Bahá'í
231. ALLÁH'U'ABHÁ

"Os bahá'ís, ao se encontrarem, estão livres para saudarem uns aos outros com Alláh'u'Abhá, se assim o desejarem, mas devem evitar qualquer coisa que, num país ocidental, possa parecer como uma estranha senha oriental para os de fora. Nós devemos ser bem firmes nos princípios e leis, mas muito normais e naturais nos nossos modos, a fim de atrairmos as pessoas de fora."

Sede Bahá'í Local
232. FUNÇÕES DO HAZÍRATU'L-QUDS

"Embora o Escritório Nacional em Wilmette, designado pelo Guardião como Hazíratu'l-Quds, seja primariamente um centro administrativo, de modo algum sua utilização deve se confinar ao trabalho puramente administrativo, mas deve incluir atividades de caráter social e intelectual, tanto locais como nacionais, visto que melhor pode estabelecer seu caráter como o mais importante centro de ensino e de administração da Fé em todo o território dos Estados Unidos.

Como centro de ensino, onde palestras, conferências e reuniões bahá'ís, sejam locais, regionais ou nacionais, podem ser realizadas, o Hazíratu'l-Quds também pode vir a ser de inestimável auxílio, e a Assembléia Nacional deve de fato cuidar para que as necessárias facilidades sejam providas na construção para esse propósito. Mas combinando assim estes três aspectos, a saber, de ensino, administrativo e social, o Hazíratu'l-Quds pode melhor cumprir sua missão, como o símbolo visível da constantemente crescente Comunidade Bahá'í Nacional da América do Norte, e o principal centro de convocação para todas as suas atividades e planos em todo aquele continente."

Serviço à Causa
233. SERVIÇO À CAUSA

"Se os crentes pudessem avaliar apropriadamente o trabalho que estão realizando ficariam atônitos diante de sua importância, mas eles estão numa condição de incapacidade de ver a floresta pelas árvores; eles estão demasiadamente próximos a ela para perceberem sua verdadeira importância."

Serviço à Humanidade
234. SERVIÇO À HUMANIDADE

"Ele acha que, embora seu desejo de participar ativamente dos perigos e penúrias que afligem muitos milhões de pessoas hoje seja natural, e um nobre impulso, não pode haver nenhuma comparação entre o valor do trabalho bahá'í e qualquer outra forma de serviço à humanidade.

Se os bahá'ís pudessem avaliar seu trabalho adequadamente eles veriam que, enquanto outras formas de trabalho assistencial são de caráter superficial, na melhor das hipóteses aliviando os sofrimentos dos males dos homens por um curto período, o trabalho que eles estão realizando é preparar as fundações de uma nova Ordem Espiritual no mundo baseada na Palavra de Deus, operando de acordo com as Leis que Ele estabeleceu para esta época. Ninguém mais pode fazer este trabalho exceto aqueles que perceberam plenamente o significado da Mensagem de Bahá'u'lláh, ao passo que quase qualquer pessoa corajosa e sincera pode se dedicar ao trabalho assistencial, etc.

Os crentes estão construindo um refúgio para o gênero humano. Este é o seu supremo e sagrado dever e eles devem dedicar cada momento que puderem a esta tarefa."

Serviço Militar

235. POSIÇÃO DE UM BAHÁ'Í EM RELAÇÃO A OBRIGAÇÃO MILITAR

"Nenhuma mudança (na) posição (do) bahá'í (em) relação (ao) dever militar ativo. Nenhuma concessão possível (de) princípios espirituais (da) Fé, por mais tensa (a) situação, por mais inflamada opinião pública."

236. SERVIÇO MILITAR

"Como não há uma Força Policial Internacional, nem qualquer perspectiva de que uma venha a existir, os bahá'ís devem continuar a requerer, em todas as circunstâncias, a dispensa de quaisquer deveres militares que necessitem tirar vidas. Não há justificação alguma para qualquer mudança de atitude de nossa parte no tempo atual."

Sofrimento
237. OS SOFRIMENTOS DA PASSAGEM POR ESTE MUNDO

"Enquanto sofremos estes infortúnios devemos nos lembrar que os próprios Profetas de Deus não estavam imunes a essas coisas que os homens sofrem. Eles também conheceram aflição, enfermidade e dor. Eles superaram estas coisas por intermédio de Seus espíritos e é isso que nós devemos tentar fazer também quando em aflição. Os sofrimentos deste mundo passam e o que deixamos é aquilo que fazemos de nossas almas; portanto é a isto que devemos estar atentos - tornarmo-nos mais espirituais, aproximarmo-nos de Deus, não importa o que nossas mentes e corpos humanos sofram."

238. TESTES E PROBLEMAS

"No final das contas, toda a batalha da vida ocorre no interior do indivíduo. Nenhuma medida de organização pode resolver os problemas interiores ou, se for o caso, gerar ou impedir vitória ou derrota num momento crucial. Especialmente em tempos como este, os indivíduos são dilacerados por poderosas forças no mundo como um todo e vemos alguns fracos competentes, e fortes fracassados - nós apenas podemos, através de amoroso conselho, assim como fez seu comitê, fazer com que o crente aja do modo que seja mais benéfico para a Causa. Porque, obviamente, algo desfavorável para a Causa não pode ser o maior benefício para o indivíduo bahá'í."

Supremo Tribunal
239. SUPREMO TRIBUNAL

"O Supremo Tribunal é um aspecto de um superestado; atualmente não podemos prever a natureza exata de sua relação com aquele estado. A tradução correta é Supremo Tribunal; ele será um fator contribuinte no estabelecimento da Paz Menor. Não há qualquer afirmação nos ensinamentos indicando que a Paz Menor será definitivamente estabelecida em 1957 ou 1963."

Teatro
240. DRAMATIZAÇÃO DA FÉ

"Certamente a Fé pode ser dramatizada, mas duas coisas devem ser lembradas: nenhuma apresentação pessoal do Báb, de Bahá'u'lláh ou do Mestre; somente Suas Palavras podem ser usadas, mas nenhum personagem pode representá-Los; o princípio básico deve ser grande dignidade."

241. PROIBIÇÃO DA DRAMATIZAÇÃO DOS MANIFESTANTES

"Quanto à sua pergunta se as Figuras do Báb e Bahá'u'lláh podem ser apresentadas como personagens em obras dramáticas escritas pelos crentes, a opinião de Shoghi Effendi é que tal tentativa de dramatizar os Manifestantes seria altamente desrespeitosa, e por isso deve ser evitada pelos amigos, até mesmo no caso do Mestre. Além disso, seria praticamente impossível executar tal plano fielmente e de uma maneira digna e condizente."

Teocracia
242. TEOCRACIA

"O Guardião estava se referindo aos sistemas teocráticos, tal como a Igreja Católica e o Califado, os quais não são divinamente concedidos como sistemas, mas mandatos, e, mesmo tendo sido derivados parcialmente dos ensinamentos de Cristo e Muhammad, são em certo sentido teocracias. A teocracia bahá'í, ao contrário, é tanto divinamente ordenada como sistema, bem como evidentemente baseada nos ensinamentos do próprio Profeta... Teofania é usada no sentido de Dispensação..."

Trabalho

243. MANDAMENTO DE BAHÁ'U'LLÁH SOBRE TRABALHO DIÁRIO

"Com relação ao mandamento de Bahá'u'lláh a respeito da dedicação dos crentes a algum tipo de profissão; os ensinamentos são bastante enfáticos a este respeito, especialmente a instrução existente no Aqdas neste sentido que deixa bem claro que as pessoas indolentes que não desejam trabalhar não têm lugar na nova Ordem Mundial. Como corolário deste princípio, Bahá'u'lláh acrescenta que a mendicância não somente deve ser desencorajada mas completamente varrida da face da sociedade. É o dever daqueles que estão na posição da organização da sociedade darem a cada indivíduo a oportunidade de adquirir o necessário talento em algum tipo de profissão e também os meios de utilizar tal talento, tanto em benefício de si mesmo como para obter seus meios de subsistência. Todo indivíduo, não importa quão deficiente e limitado possa ser, tem a obrigação de se dedicar a algum trabalho ou profissão, pois o trabalho, especialmente quando executado em espírito de serviço, é, segundo Bahá'u'lláh, uma forma de adoração. Ele não somente tem um propósito utilitário, mas tem um valor em si mesmo, pois nos aproxima de Deus e nos capacita a entendermos melhor Seu propósito em relação a nós neste mundo. É óbvio, portanto, que a herança de riquezas não pode isentar ninguém do trabalho diário. Quanto à questão de aposentadoria para os indivíduos que atingiram uma certa idade, este é um assunto sobre o qual a Casa Universal de Justiça deverá legislar uma vez que não há no Aqdas provisões a respeito."

Vida Após a Morte
244. OFERENDAS EM MEMÓRIA

"Ele está seguro que esta oferenda, despendida em memória de seus entes queridos, regozijará seus espíritos e os ajudará a progredir no mundo do além."

245. VIDA APÓS A MORTE

"Aqueles que nunca tiveram alguma oportunidade de ouvir sobre a Fé mas que viveram uma vida de bem sem dúvida serão tratados com o maior amor e misericórdia no mundo vindouro e serão plenamente recompensados."

Yá-Bahá'u'l-Abhá
246. TRADUÇÃO DO NOME SUPREMO

"Ele deseja também informá-lo de que o símbolo do Nome Supremo representa uma invocação que pode ser traduzida seja como 'Ó Glória das Glórias' ou 'Ó Glória do Todo-Glorioso'. A palavra 'Glória' utilizada neste contexto é uma tradução do termo árabe 'Bahá'í o nome de Bahá'u'lláh."

REFERÊNCIAS
Explicação das marcas:
* Cartas a bahá'ís.
** Carta aos bahá'ís em Louhelen School.
*** Carta às A.E.L's de Evanston e Wilmette.

% Do Australian Bahá'í News, 18 de dezembro de 1949.

$ Carta à A.E.L de Atlanta, Georgia.

@ Carta ao Comitê Nacional de Ensino da América Central.

! Carta à A.E.N da Índia e Burma.
£ Carta à A.E.N das Ilhas Britânicas.
+ Carta à Assembléia de Racine.

†† Carta ao Comitê de Escolas de Verão dos Estados Centrais dos E.U.A.

££ Carta aos bahá'ís na Escola de Verão em Greenacre.

£££ Carta à Conferência de Pré-Jovens, 1951.
££££ Carta à Louhelen School.
1 89 1 1/35
2 265 4 3/53
3 96 1 12/35
4 81 5 2/34
5 89 1 1/35
6 * 105 1 2/37
7 * 161 2 3/43
8 114 3 2/38
9 ** 253 1 3/52
10* 112 3 8/36
11+ 124 6 4/39
12 134 2 3/40
13 116 1 6/38
14* 217 4 3/49
15$ 210 2 8/48
16 252 5 2/52
17 104 1 12/36
18 300 8 2/56
19* 241 2 3/51
20* 177 2 11/45
21 138 1 9/50
22 102 2 8/36
23 102 2 8/36
24 142 1 3/41
25*** 190 1 12/46
26 234 1 8/50
27 92 15 6/35
28* 246 2 8/51
29*** 190 1 12/46
30* 208 7 6/48
31 89 5 1/35
32 85 2 7/34
33 5 1 6/25
34 143 2 5/51
35 295 4 9/55
36* 175 3 6/45
37 93 1 7/35
38* 134 2 3/40
39 89 1 1/35
40 83 1 5/34
41 146 2 9/41
42* 241 2 3/51
43 257 4 7/52
44 118 1 8/38
45 261 4 11/52
46 103 1 10/36
47* 102 3 8/36
48* 210 3 8/48
49 173 3 2/45
50* 210 3 1/48
51 105 2 2/37
52££ 267 10 5/53
53 90 1 3/35
54 283 2 9/54
55 235 2 1/59
56 133 3 2/40
57 148 2 11/41
58* 230 1 4/50
59 152 2 4/42
60 133 2 2/40
61 204 1 2/48
62* 210 3 8/48
63* 80 5 1/34
64% 233 2 7/50
65* 245 2 7/51
66 247 2 9/51
67 233 4 7/50
68 138 1 9/40
69 236 3 10/50
70* 207 4 5/48
71* 102 2 8/36
72* 102 2 8/36
73 265 4 3/53
74 265 4 3/53
75 90 2 3/35
76 210 3 8/48
77 103 2 2/36
78* 102 3 8/36
79 73 7 5/33
80* 213 2 11/48
81 152 2 4/42
82* 134 2 3/40
83 93 1 7/35
84* 173 3 2/45
85 253 5 3/52
86 251 3 1/52
87 81 3 2/34
88 4 1 4/25
89* 231 1 5/50
90* 134 2 3/40
91 153 12 6/42
92 254 4 4/52
93* 103 2 2/36
94* 288 1 2/55
95* 230 1 4/50
96* 219 7 5/49
97* 118 2 8/38
98* 152 2 4/42
99 42 2 7/30
100* 102 2 8/36
101* 161 2 3/43
102* 226 1 12/49
103* 80 5 1/34
104* 304 13 6/56
105 132 2 11/40
106* 80 6 1/34
107* 102 2 8/36
108* 95 2 10/35
109* 173 3 2/45
110* 167 2 1/44
111 102 2 1/36
112 282 2 8/54
113 100 2 5/36
114†† 90 4 3/35
115 240 2 2/51
116 216 1 2/49
117* 171 2 11/44
118* 103 1 10/36
119 281 4 7/54
120 212 1 10/48
121* 228 4 2/50
122* 210 3 8/48
123 210 3 8/38
124* 171 2 11/44
125* 134 2 3/40
126 96 1 12/35
127 113 3 1/38
128* 118 2 8/38
129* 161 2 3/43
130 132 2 1/40
131 133 2 2/40
132 95 2 10/35
133* 207 4 5/48
134 208 6 6/48
135* 250 1 2/51
136 207 5 5/48
137 88 5 11/34
138 205 5 3/48
139 204 5 2/48
140 105 1 2/37
141* 210 3 8/48
142 43 3 8/30
143 286 1 12/54
144 283 2 9/54
145 234 1 8/50
146 89 1 1/35
147 98 8 3/36
148* 232 8 6/50
149* 177 2 11/45
150* 80 5 1/34
151* 157 1 11/42
152 109 1 7/37
153* 178 1 12/45
154* 210 3 8/48
155* 167 2 1/44
156 98 1 3/36
157* 134 2 3/40
158 173 3 2/45
159* 104 1 2/36
160* 175 3 6/45
161 102 3 8/36
162 161 1 3/43
163 174 1 4/55
164 138 1 9/40
165 95 1 10/35
166* 171 2 11/44
167* 210 2 8/48
168* 228 4 2/50
169 89 1 1/35
170* 102 3 8/36
171* 210 3 8/48
172* 228 4 2/50
173 318 1 8/57
174 237 2 11/50
175£ 236 4 10/50
176 173 3 2/45
177* 167 1 1/44
178 210 3 8/48
179* 177 2 11/45
180 133 2 2/40
181 188 2 10/46
182* 210 3 8/48
183* 105 2 2/37
184* 228 4 2/50
185 118 1 8/38
186* 118 2 8/38
187 93 1 7/35
188* 134 2 3/40
189* 210 3 8/48
190* 134 2 3/40
191 171 3 11/44
192* 222 2 8/49
193 247 1 9/51
194 137 3 7/40
195 92 15 6/35
196 118 2 8/38
197* 113 1 1/38
198* 118 2 8/38
199* 230 1 4/50
200* 152 2 4/42
201 245 4 7/51
202 237 2 11/50
203 73 5 5/33
204* 313 7 3/57
205* 283 1 9/54
206* 71 2 2/33
207* 293 2 7/55
208* 241 14 3/51
209 143 11 5/41
210@ 215 1 1/49
211 72 3 5/33
212† 140 2 12/40
213 105 4 2/37
214 261 4 11/52
215 261 4 11/52
216* 105 1 2/37
217£££ 253 1 3/52
218££££ 190 1 12/46
219* 80 5 1/34
220 286 1 12/54
221* 241 2 3/51
222 211 1 9/48
223* 213 2 11/48
224* 251 2 1/52
225 252 7 2/52
226* 111 1 10/37
227* 179 1 1/46
228* 179 1 1/46
229 220 2 6/49
230 250 1 10/51
231* 288 1 2/55
232 136 3 6/40
233* 171 2 11/42
234* 171 2 11/44
235 240 2 2/51
236 240 2 2/51
237* 231 1 5/50
238* 171 2 11/44
239* 210 3 8/48
240 253 1 3/52
241 90 1 3/35
242* 226 2 12/49
243 108 1 6/34
244* 253 1 3/52
245* 210 3 8/48
246 93 1 7/35

Table of Contents: Albanian :Arabic :Belarusian :Bulgarian :Chinese_Simplified :Chinese_Traditional :Danish :Dutch :English :French :German :Hungarian :Italian :Japanese :Korean :Latvian :Norwegian :Persian :Polish :Portuguese :Romanian :Russian :Spanish :Swedish :Turkish :Ukrainian :