Announcing: BahaiPrayers.net


More Books by Compilações

A Assembléia Epiritual Nacional - The National Spiritual Assembly
A Assembléia Espiritual Local - The Local Spiritual Assembly
A Fonte de Todo Bem - The Source of All Good
A Importância da Oração e da Meditação
A Importância da Oração Obrigatória e do Jejum
A Importância das artes na promoção da Fé
A Instituição dos Conselheiros
A Lampada que Guia - Bahá'í Consultation
A Questão mais desafiadora
Aquisição de Sabedoria
Arte e Assuntos Correlatos
Assembléia Espiritual Local - Suplemento
Captando a Centelha da Fé - The Importance of Mass Teaching
Casamento Bahá'í
Conservação dos Recursos da Terra - Conservation of the Earth's Resources
Contribuição aos Fundos
Crise e Vitória
Desencorajando o Divórcio
Educação Bahai - Uma Compilação
Em busca da Luz do Reino - Excellence in all Things
Fidedignidade
Funeral Bahá'í
Huqúqu'lláh - O Direito de Deus
Juventude
Liberando o Poder da Ação Individual - Unlocking The Power of Action
Mulher
No Limiar da Paz - At the Dawn of Peace
O Aprofundamento, o Conhecimento e a Compreensão da Fé
O Convênio
O Indivíduo e o Ensino - Raising the Divine Call
Oposição da Fé
OraçSes Bahá'ís
Padrão de Vida Bahá'í
Por amor à Causa - Pionneiring
Preservando casamentos Bahá'ís
Revelação Bahá'í, A
Sabeísmo
Saúde, Higiene e Cura
Uma Conquista Especial - Proeminent People
Uma Nova Raça de Homens - A New Race of Men
Uma onda de ternura - Family Life
Uma Vida Casta e Santa
Viver a vida - Living the Life
Free Interfaith Software

Web - Windows - iPhone








Compilações : O Aprofundamento, o Conhecimento e a Compreensão da Fé

O Aprofundamento, O Conhecimento e a Compreensão da Fé

Compilação feita pelo Departamento de Pequisa da Casa Universal de Justiça

Editora Bahá'í
Traduzido do inglês por Peiman Milani
PREFÁCIO
A CASA UNIVERSAL DE JUSTIÇA
Centro Mundial Bahá'í
Departamento de Secretariado
13 de janeiro de 1983
A todas as Assembléias Espirituais Nacionais,
Queridos amigos bahá'ís,

A pedido da Casa Universal de Justiça e com o propósito de Cumprir a meta determinada a todas as Assembléias Nacionais de esforçarem-se por criar um programa de enriquecimento espiritual destinado a servir de fonte de inspiração e esclarecimento aos amigos com respeito ao modo de vida bahá'í, o Departamento de Pesquisa preparou uma compilação das Escrituras de Bahá'u'lláh, 'Abdu'l-Bahá e Shoghi Effendi versando sobre a importância de aprofundarmos nosso conhecimento e nossa compreensão da Fé.

Espera-se que as amorosas exortações e orientações contidas nessas passagens venham a acender nos corações dos crentes uma centelha que neles desperte o desejo ardente de penetrarem mais profundamente na rica mina das escrituras da Fé. Indubitavelmente, tais esforços serão recompensados de forma abundante à medida que os amigos lograrem atingir um grau maior de espiritu7alidade compreensão tomarem por alvo alcançar um maior grau de perfeição, ficarem mais próximos de atrair o beneplácito de seu Senhor e procurarem tornar-se mais eficazes promotores da Causa de Deus...

Com amorosas saudações bahá'ís,
Pelo Departamento de Secretariado
Excertos dos Escritos de Bahá'u'lláh

(Todas as passagens são excertos traduzidos de Epístolas ainda não vertidas ou novas traduções de textos já publicados, a menos que seja dada referência da publicação fonte)

1. Recitai os versículos de Deus a cada manhã e anoitecer. Quem não os recita não é fiel ao Convênio de Deus e a Seu Testamento, e quem neste Dia se afasta destes versículos sagrados é dos que por toda a eternidade se afastaram de Deus. Temei vós todos a Deus, ó Meus servos!

Kitáb-i-Aqdas

2. Fosse algum homem saborear a doçura das palavras que os lábios do Todo-Misericordioso, determinaram pronunciar, ainda que ele possuísse os tesouros da terra, renunciaria a todos eles, a fim de vindicar a verdade de apenas um só de Seus mandamentos que se irradiam acima do alvorecer de Seu generoso cuidado e Sua benevolência.

ASC, p. 12

3. Quem tiver inalado a doce fragrância do Todo-Misericordioso e reconhecido a Origem destas palavras, dará boa acolhida, com os próprios olhos, aos dardos do inimigo, a fim de que possa estabelecer a verdade das leis de Deus entre os homens. Feliz aquele que a isso se haja volvido e que tenha apreendido a significação de Seu decreto decisivo

SEB, p.207

4. Imergi-vos no oceano de Minhas palavras, para que possais desvendar-lhe os segredos e descobrir todas as pérolas de sabedoria que jazem ocultas em suas profundezas. Guardai-vos de vacilar em vossa determinação de abraçar a verdade desta Causa - uma Causa através da qual se revelaram as potencialidades da grandeza de Deus e se estabeleceu Sua soberania. Com face radiante de júbilo, apressai-vos a Ele. Esta é a imutável Fé Divina, eterna no passado, eterna no futuro. Quem buscar, que a atinja; e quanto àquele que se recusou a buscá-la - verdadeiramente, Deus é suficiente por Si Próprio, acima de qualquer necessidade de Suas criaturas.

SEB, p. 91-92

5. Lede com toda a atenção diariamente, os versículos por revelados por Deus. Bem-aventurado aquele que os recita e sobre eles medita. Em verdade ele é daqueles que estarão bem.

6. Reuni-vos com maior júbilo e camaradagem e recitais os versículos revelados pelo misericordioso Senhor. Através disto abrir-se-ão em vossos íntimos as portas que conduzem aos verdadeiro conhecimento, e então sentireis vossas almas plenas de constância e vossos corações repletos de radiante alegria.

7. Lede atentamente Meus versículos com júbilo e radiância. Verdadeiramente através deles sereis atraídos a deus e podereis desprender-vos de tudo salvo dEle. Deste modo tendes sido exortados pela Escritura Sagrada de Deus e nesta resplandecente Epístola.

8. Quem tiver tentado penetrar nas profundidades dos oceanos que jazem ocultos dentro destas palavras excelsas, e lhes sondar o significado, terá descoberto, podemos dizer, um vislumbre da indizível glória com a qual foi dotada esta poderosa, sublime e sacratíssima Revelação.

SEB, p. 19

9. Sabe tu que - de acordo com aquilo que teu Senhor, o Senhor de todos os homens, decretou em Seu Livro - os favores concedidos por Ele ao gênero humano têm sido e para sempre haverão de permanecer ilimitados em seu âmbito. O primeiro e proeminente entre estes favores que o Todo-Poderoso conferiu ao homem, é o dom da compreensão. Seu desígnio em conferir tal dádiva não é outro, senão o de capacitar Sua criatura a conhecer e aceitar o Deus Uno e Verdadeiro - exaltada seja Sua glória. Esse dom concede ao homem o poder de discernir a verdade em todas as coisas, conduze-o àquilo que é direito e o ajuda a descobrir os segredos da criação.

SEB, p. 125-126

10. Incumbe a todo homem de percepção e compreensão esforçar-se por traduzir para a realidade e ação aquilo que foi escrito...

SEB, p. 158

11. A cada coisa criada, confiou Ele um sinal de Seu conhecimento, proveniente do manancial excelso e da essência de Seu favor e generosidade, de modo que nenhuma de Suas criaturas fosse privada do quinhão que lhe cabia em expressar - cada uma de acordo com a capacidade e o grau - esse conhecimento. Este sinal é o espelho de Sua beleza no mundo da criação. Quanto maior o esforço que se fizer para o polimento desse sublime e nobre espelho, mas fielmente se poderá fazê-lo refletir a glória dos nomes e atributos de Deus e revelar as maravilhas de Seus sinais e Seu conhecimento. A toda coisa criada se possibilitará (tão grande é esse poder de refletir) revelar as potencialidades de seu grau preordenado; cada coisa reconhecerá sua capacidade e suas limitações e atestará a verdade de que "Ele, verdadeiramente, é Deus; não há outro Deus além dEle."...

Sem a menor dúvida, em conseqüência dos esforços que todo homem pode fazer, conscientemente, e como resultado do exercício de suas próprias faculdades espirituais, esse espelho pode a tal ponto se livrar da escória das contaminações terrenas e se purificar das fantasias satânicas, que venha a aproximar-se dos prados da santidade eterna e atingir as cortes da perene amizade.

SEB, 165, 166

12. Entoa, ó Meu servo, os versículos de Deus por ti recebidos, assim como os entoam os que d'Ele se aproximaram, a fim de que a doçura de tua melodia possa acender tua própria alma e atrair os corações de todos os homens. Se alguém, recluso em seu aposento, recitar os versículos revelados por Deus, os anjos do Todo-Poderoso, dispersando-se, difundirão por toda parte a fragrância das palavras emanadas de seus lábios, o que fará vibrar o coração de todo homem justo. Embora esse efeito lhe permaneça, a princípio, despercebido, cedo ou tarde, no entanto, a virtude da graça a ele concedida, deverá exercer influência sobre sua alma. Assim os mistérios da Revelação de Deus foram decretados segundo a Vontade d'Aquele que é a Fonte de poder e sabedoria.

SEB, p. 185

13. Ó Meus servos! Minha sagrada Revelação, divinamente ordenada, se pode comparar a um oceano em cujas profundidades se ocultam inúmeras pérolas de grande preço, de brilho inexcedível. É dever de cada um que busca, despertar e envidar esforços para atingir as orlas deste oceano, de modo que possa, em proporção ao ardor de sua busca e aos esforços por ele despendidos, participar de tais benefícios como foram preordenados nas ocultas e irrevogáveis Epístolas de Deus.

SEB, p.202

14. Ó Meus servos! Através da grandeza de Deus e de Seu poder, Eu tirei do tesouro de Seu conhecimento e sabedoria e a vós revelei, as pérolas que jaziam ocultas nas profundidades de Seu sempiterno oceano. Convoquei as Donzelas do Céu para emergirem de trás do véu da ocultação e as adornei com estas palavras Minhas - palavras de consumado poder e sabedoria. Tenho, ainda, com a mão do poder divino, deslacrado o vinho escolhido de Minha Revelação e difundido sua fragrância santa, oculta, imbuída de almíscar, sobre todas as coisas criadas. Quem, a não ser vós mesmos, deverá ser culpado, se preferirdes permanecer privados de tão grande emanação da transcendente graça de Deus - graça essa que a tudo abrange - de tão brilhante revelação de Sua mercê esplendorosa?...

SEB, p. 203-204

15. Fosse qualquer homem ponderar no coração o que a Pena do Altíssimo revelou, e fosse lhe saborear a doçura, ele, certamente, se veria vazio e livre de seus próprios desejos e completamente submisso à Vontade do Todo-Poderoso. Feliz o homem que atingiu esse tão alto grau e não se privou de tão abundante graça.

SEB, p. 212

16. Este é o momento para te purificares nas águas do desapego que fluíram da Pena Suprema e ponderares, em nome de Deus, aquilo que repetidas vezes foi enviado ou manifestado, e então lutares, tanto quanto te for possível, para dominar, através do poder da sabedoria e da força de tua elocução, o fogo da inimizade e do ódio que arde latente no coração dos povos do mundo. Os Mensageiros Divinos foram enviados, e revelados seus Livros, com o propósito de promover o conhecimento de Deus e ampliar a unidade e solidariedade entre os homens

ESW, p. 12

17. Sabe tu que o verdadeiro erudito é aquele que reconheceu Minha Revelação, sorveu do Oceano de Meu conhecimento, elevou-se na atmosfera de Meu amor, renunciou a tudo o mais exceto a Mim, e segurou-se firmemente àquilo que foi enviado do Reino de Minha admirável elocução. Tal homem, em verdade, é como um olho para a humanidade, e como o espírito da vida para o corpo de toda a criação. Glorificado seja o Todo-Misericordioso que o esclareceu e o fez erguer-se para servir Sua grande e poderosa Causa. Em verdade, tal homem é abençoado pela Assembléia no alto e por aqueles que habitam o Tabernáculo da Grandeza, que beberam de Meu Vinho seleto em Meu Nome, o Onipotente, o Todo-Poderoso.

ESW, p. 83

18. Inclinai ou ouvidos às palavras deste Iletrado, com as quais Ele vos chama a Deus, o Sempiterno. Isso vos é melhor do que todos os tesouros da terra - se apenas o pudésseis compreender.

ESW, p. 129

19. Com olhar fixo e constante, oriundo dos olhos infalíveis de Deus, contemplai detidamente o horizonte do Conhecimento Divino e considerai aquelas palavras de perfeição que o Eterno revelou, a fim de que talvez se vos tornem manifestos os mistérios da divina sabedoria, os quais se ocultaram, até agora, debaixo do véu da glória e estavam entesourados no tabernáculo da Sua graça.

KI, p.15

20. Já que se tornou claro que só aqueles iniciados nos mistérios divinos podem compreender as melodias cantadas pela Ave do Céu, incumbe, pois, a cada um recorrer aos iluminados de coração e aos Tesouros dos mistérios divinos em busca de esclarecimento sobre os pontos intrincados da Fé Divina e as alusões abstrusas nas palavras proferidas pelas Auroras da Santidade. Assim se desvendarão estes mistérios, não por meio da erudição adquirida, mas tão-somente pela ajuda de Deus através das emanações de Sua graça. "Perguntai, portanto, àqueles que são os guardiões das Escrituras, se não o sabeis."

KI, p. 118

21. A capacidade para entender Suas palavras e a compreensão das entoações das Aves do Céu, de modo algum dependem da erudição humana. Dependem tão somente da pureza de coração, da castidade de alma e da liberdade de espírito

KI, p. 129

22. Ó irmão, devemos abrir os olhos, meditar sobre Sua Palavra e buscar abrigo à sombra protetora dos Manifestantes de Deus, para que talvez sejamos advertidos pelos conselhos inequívocos do Livro e atendamos às admoestações registradas nas santas Epístolas; para que não zombemos do Revelador dos versículos; para que nos resignemos inteiramente à Sua Causa e abracemos, de todo coração, a Sua lei, de modo que possamos entrar, porventura, na corte de Sua misericórdia e habitar nas plagas de Sua graça. Ele, em verdade, é misericordioso e clemente para com Seus servos.

KI, p. 133

23. Deve-se sorver o vinho da renúncia, atingir as sublimes alturas do desprendimento e fazer a meditação à qual se referem as palavras: "Uma hora de reflexão é preferível a setenta anos de adoração piedosa", de modo a descobrir o segredo da miserável conduta do povo - deste povo que, a despeito do amor e do ardente desejo que professa ter pela verdade, amaldiçoa aqueles que seguem a Verdade, após Ele se haver manifestado - fato esse atestado pela tradição que acabamos de mencionar.

24. Medita sobre aquilo que tem emanado do céu da Vontade de teu Senhor, d'Aquele que é a Fonte de toda a graça, a fim de poderes compreender o significado que se tem em vista, o qual se encerra nas sagradas profundezas das Santas Escrituras.

TB, p. 143

25. As almas santificadas devem ponderar e meditar em seus corações sobre os métodos de ensino. Dos textos das admiráveis Escrituras celestiais devem memorizar frases e passagens que tratam de várias instâncias, de modo que, no decorrer de seu discurso, possam recitar versículos divinos sempre que a ocasião exija, pois esses santos versículos são o mais potente elixir, o maior e mais poderoso talismã. Tão potente é sua influência que o ouvinte nenhuma causa terá para vacilação. Afirmo por Minha vida! Esta Revelação é dotada de tal poder que agirá como ímã para todas as nações e raças da terra. Fosse alguém parar para meditar atentamente, reconheceria que nenhum lugar há, nem pode haver, para onde se possa fugir.

TB, p. 200

26. Inspira então minh'alma, ó meu Deus, com Tua maravilhosa lembrança, a fim de que eu possa glorificar Teu nome. Não me incluas no número dos que lêem Tuas palavras e falham em encontrar Tua dádiva oculta, a qual segundo teu decreto está nelas encerrada, e que vivifica as almas de Tuas criaturas e os corações de Teus servos.

PM, p. 83
II
Excertos dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá

(Todas as passagens são excertos traduzidos de Epístolas ainda não vertidas ou novas traduções de textos já publicados, a menos que se forneça a referência da publicação fonte.)

1. E dentre todas as criaturas, Ele escolheu o homem para lhe conceder a Sua maravilhosa dádiva, e fez com que ele alcançasse as bênçãos da Companhia no alto. A mais preciosa dádiva é atingir Sua guia infalível, de modo que a mais íntima realidade da humanidade venha a ser como um nicho para guardar esta lâmpada; e, quando os esplendores desta luz incidem sobre o brilhante cristal do coração, a pureza do coração faz com que os raios cintilem ainda mais intensamente do que antes e resplandeçam gloriosamente nas mentes e nas almas dos homens.

A obtenção da suprema orientação está na dependência do conhecimento e da sabedoria, e em estar-se informado quanto aos mistérios das Palavras Sagradas. Por este motivo devem os amados de Deus, sejam eles jovens ou idosos, homens ou mulheres, cada qual seguindo suas aptidões, empenharem-se na aquisição dos vários ramos do conhecimento e ampliarem a sua compreensão dos mistérios dos Livros Sagrados e sua habilidade em dominar as provas e evidências divinas.

EBC, p. 24

2. Quando vossos corações estiverem inteiramente atraídos ao Deus Uno e Verdadeiro, havereis de adquirir conhecimento divino, e vireis atentar as provas e testemunhos e memorizar as boas-novas concernentes à Manifestação da Beleza do Todo-Misericordioso, como mencionada nas escrituras celestiais. Então percebereis quão maravilhosas são suas confirmações e quão benévolo é Seu amparo.

3. Constitui necessidade imperiosa adquirir o conhecimento de provas e evidências divinas e familiarizar-se com testemunhos convincentes que demonstrem a revelação da Luz resplandecente de Deus. O grupo de estudo que tudo organizaste trouxe enorme júbilo e felicidade ao coração de 'Abdu'l-Bahá. Cumpre a ti esforçares com extremo empenho e manifestares perseverança e constância, a fim de que, com a graça de Deus, almas possam ser a tal grau educadas, por meio dos sopros ressuscitadores de Sua mercê; que venham a ser velas radiantes cintilando na assembléia a compreensão e do conhecimento divinos. Esta questão é de elevada importância; é um dever que pesa sobre os ombros de todos e tem de ser considerada uma obrigação.

4. Verdadeiramente, estás agora prestando um grande serviço às bases fundamentais da Causa de Deus, uma vez que a pedra angular de sua estrutura é a promoção de sua Fé, o despertar das pessoas, a difusão dos ensinamentos divinos e a educação do gênero humano; e tudo isso está condicionado a instruir os amigos no tocante ao trabalho do ensino. Minha súplica a Deus é que possas, num curto espaço de tempo, familiarizar os filhos do paraíso de Abhá com os mistérios e as verdades divinas e romper em pedaços os véus das vãs imaginações, para que cada qual possa vir a ser um fluente orador, capaz de guiar muitos outros à Causa de Deus. Então as efusões das graças celestiais far-se-ão manifestas e as invisíveis hostes do Reino, armadas com provas e evidências concludentes, haverão de conquistar os reinos das realidades interiores e os domínios dos corações humanos, do mesmo modo que uma simples semente dando origem a sete espigas.

5. Neste dia, não há nada que supere em importância a instrução e o estudo de provas claras e argumentos convincentes e celestiais pois nisso reside a fonte da vida e a senda da salvação.

6. O método de instrução que idealizaste, a saber, principiar provando a existência e a unicidade de Deus, o Senhor da Eternidade, estabelecendo então a validade da missão proclamada pelos profetas e mensageiros e, por fim, explicando os sinais, prodígios e maravilhas do universo é altamente plausível, e deves assim proceder. Confirmações do Senhor da Glória seguramente serão concedidas. Memorizar os textos das sagradas epístolas e de palavras e asserções perspícuas é altamente digno de louvor. Deves envidar o máximo esforço em tuas diligentes atividades de educar, explanar e instruir.

7. Qualquer reunião que seja realizada com o propósito de glorificar a lembrança da Beleza de Abhá e dar ouvidos à recitação das palavras divinas é verdadeiramente um jardim de rosas do Reino. Tal assembléia é fortalecida pelos ressuscitadores sopros de santidade que emanam do mundo invisível, porquanto as efusões da graça divina são a luz de tal reunião e nela os fulgurantes esplendores de Sua mercê tornam-se manifestos. Possam esses semblantes radiantes - suplico a Deus - fulgurar resplandecente na assembléia dói reino da santidade, e que esses seres extasiados possam reunir-se do céu de Sua mercê, a fim de entoarem os versículos da unidade divina entre a assembléia celestial, cantarem a melodia de Seu louvor e Sua glorificação no Reino de Abhá e erguerem, a voz de júbilo no reino nas alturas e o clamor do regozijo e êxtase no Paraíso de Abhá.

8. Ó tu, alvo do amor de 'Abdu'l-Bahá! Não há dúvida de que estás diligentemente empenhado em servir à Causa, proferindo eloqüentes palestras nas reuniões dos amigos e elucidando mistérios divinos. Tais esforços farão descerem as efusões de Sua invisível ajuda e tal qual um imã haverão de atrair graças divinas. Minha fervorosa esperança é que, através do sopro vivificador do Espírito Santo possas ser fortalecido a cada dia e ser capacitado a pronunciar mais eloqüentes discursos.

9. Sua Santidade o Báb disse: "Neste dia, se uma pequenina formiga desejasse possuir um poder tal que lhe permitisse desvendar as mais abstrusas e desnorteantes passagens do Alcorão, seu desejo seria, sem dúvida, satisfeito, pois o mistério do poder eterno vibra no íntimo de todas as coisas criadas! "Se uma criatura tão insignificante pode ser dotada de uma capacidade tão sutil, quão mais eficaz deve ser o poder liberado pelas abundantes efusões da graça de Bahá'u'lláh!

Por esse motivo, ó vós jovens iluminados esforçai-vos noite e dia para desvendar os mistérios da mente e do espírito e para compreender os segredos do Dia de Deus. Informai-vos das evidências do aparecimento do Nome Supremo.

EBC, p. 75.

10. Caso fosse possível que, em cada cidade, alguns dos despertos pudessem realizar uma reunião, quando houvesse oportunidade, ali apresentando habitualmente as provas e argumentos de Deus, isto teria grande efeito em ampliar a consciência dos homens; contanto, porém que a conversação se mantivesse em torno deste único tema.

CBM

11. A cada um e a todos, cumpre recitar, dia e noite, tanto a parte persa como a árabe das Palavras Ocultas e orar para que sejamos capacitados a conduzir-nos de acordo com esses conselhos divinos. Essas sagradas Palavras não foram reveladas com o fito de serem ouvidas mas sim, praticadas .

12. Cumpre-nos memorizar "As Palavras Ocultas", seguir as exortações do Incomparável Senhor e conduzir-nos de um modo condizente com nossa servitude ao limiar do Deus Uno e Verdadeiro.

13. Assegura-te intimamente de que se possuíres uma conduta verdadeiramente de acordo com "As Palavras Ocultas" reveladas em persa e em árabe, virá a ser uma tocha do fogo do amor de Deus e uma personificação da humildade, da submissão, da evanescência e do desprendimento.

14. "As Palavras Ocultas" são um tesouro de mistérios divinos. Quando ponderares sobre seu conteúdo, as portas dos mistérios descerrar-se-ão.

15. Rende louvores a Deus por haveres afinal obtido, no mais alto grau, através dos ensinamentos divinos, tanto a visão exterior como a interior, e por te teres arraigado firmemente na fé e na certeza.

SWA, P. 32

16. Lede As Palavras Ocultas, ponderai sobre seus significados interiores e agi de acordo com isso. Lede com atenção concentrada as Epístolas de Tarázát (Adornos), Kalimát (Palavras do Paraíso), Tajallíyyát (Fulgores), Ishráqát (Esplendores) e Bishárát (Boas Novas), e levantai-vos como vos é ordenado nos ensinamentos celestiais. Assim pode cada um de vós ser como vela que emite luz, e centro de atração onde quer que pessoas se reúnam; assim, como de canteiro de flores, podem emanar de vós doces fragrâncias.

SWA, p. 35-36

17. Dirige tua atenção às sagradas Epístolas; lê o Ishráqát, o Tajallíyyát, as Palavras do Paraíso, as Boas Novas, o Tarázát, o Mais Sagrado Livro. Então verás que esses Ensinamentos celestiais são hoje o remédio para o mundo enfermo, sofredor, e bálsamo curador para as feridas no corpo da humanidade. São o espírito da vida, a arca da salvação, o ímã para atrair glória eterna, o poder dinâmico para motivar a realidade íntima do homem.

SWA, p. 61

18. Soubemos que as Epístolas de Ishráqát (Esplendores), Tarázát (Adornos), Bishárát (Boas Novas), Tajallíyyát (Fulgores) e Kalimát (Palavras do Paraíso) foram traduzidas e publicadas em vossa região. Nessas Epístolas tendes modelo de como deveis ser e como deveis viver.

SWA, P. 79

19. Toda reunião que é preparada com extremo amor, e na qual os presentes volvem as faces para o Reino de Deus, e onde a conversa é sobre os Ensinamentos de Deus, e cujo efeito é o progresso dos participantes - essa reunião é do Senhor, e essa mesa festiva desceu do céu.

SWA, p. 89

20. Sempre que um grupo de pessoas se reunir em determinado local, ocupadas da glorificação de Deus e conversar sobre os mistérios de Deus, sem a menor dúvida os sopros do Espírito Santo manarão suavemente sobre elas, e cada uma há de receber disso um quinhão.

SWA, p. 94

21. Ó tu, amigo verdadeiro! Lê, na escola de Deus, as lições do espírito, e do Mestre do amor aprende as mais profundas verdades. Busca os segredos do Céu, e fala da graça e do favor abundantes de Deus.

SWA, p. 110

22. Há certos pilares que foram estabelecidos como os inabaláveis sustentáculos da Fé de Deus. O mais poderoso deles é o conhecimento e o uso da mente, a expansão da consciência e a percepção das realidades do universo e dos mistérios ocultos de Deus Onipotente.

SWA, p. 126

23. Indagaste acerca da aquisição de conhecimento: lê tu os Livros e Epístolas de Deus, bem como os ensaios redigidos com o fito de demonstrar a verdade desta Fé. Incluem-se entre estes o Íqán - já vertido ao inglês -, as obras de Mírzá Abu'l-Fadl, e as de alguns outros dentre os crentes. Nos dias vindouros, um grande número de santas Epístolas e outras sagradas escrituras haverá de ser traduzido, e cumpre a ti lê-las também. Do mesmo modo, pede a Deus que o ímã de Seu amor atraia a ti o conhecimento dEle. Quando a alma se torna santa em todos os sentidos, vindo a ser purificada e santificada, as portas do conhecimento de Deus descerram-se inteiramente ante seus olhos.*

SWA, p. 190-191

24. Incumbe-vos ponderar e meditar em vossos corações sobre Suas palavras, e humildemente invocá-Lo, e pôr de lado o ego em Sua Causa celestial. Isso é o que vos tornará sinais de guia para toda a humanidade, estrelas brilhantes no horizonte supremo e árvores alterosas no Paraíso de Abhá.

SWA, p. 241

25. Ó Servo de Deus! Entoa as Palavras de Deus e, ponderando seu significado, traduze-as em ações! Peço a Deus que faça com que atinjas uma elevada posição no Reino da Vida, para todo o sempre.

TAB, p. 85

26. Realizai reuniões, lede e entoai os ensinamentos divinos, a fim de que essa cidade seja iluminada pela luz da realidade e esse país venha a ser um verdadeiro paraíso, através do poder do Espírito Santo, pois este ciclo é o ciclo do Glorioso Senhor, e a melodia da unidade e da solidariedade do muno humano deve atingir os ouvidos do Oriente e do Ocidente.

TAB, p. 631
III
Excertos das Palestras de
'Abdu'l-Bahá

1. Não só antes de abandonar esta forma material, mas também depois de o fazer, há progresso, aperfeiçoamento, embora não seja em estado. No homem perfeito os seres encontram sua consumação. Não existe criatura superior ao homem perfeito. Quando atinge esse estado, o homem pode ainda progredir no sentido de se aperfeiçoar, embora não em estado, pois não há estágio superior ao do homem perfeito para o qual possa ser transferido. Ele progride somente dentro do estado humano, sendo infinitas as perfeições humanas. Assim por mais sábio que seja um homem, ainda é possível imaginarmos um outro mais sábio.

EV, p. 195

2. Os princípios dos Ensinamentos de Bahá'u'lláh devem ser cuidadosamente estudados, um por um, até que sejam conhecidos e compreendidos pela mente e pelo coração; assim tornar-vos-eis fortes seguidores da luz, verdadeiramente espirituais, celestiais soldados de Deus, atingindo e propagando a verdadeira civilização na Pérsia, na Europa e no mundo inteiro.

PAP, p. 21

3. O Espírito, soprando através das Escrituras Sagradas, é alimento para todos os que têm fome. Deus, Que tem concedido a revelação aos Seus Profetas, certamente dará de Sua abundância o pão de cada dia a todos aqueles que O procuram fielmente.

PAP, p. 48

4. Deus enviou Seus Profetas ao mundo para ensinarem e iluminarem o homem, para lhe explicarem o mistério do Poder do Espírito Santo, para habilitarem-se a refletir a luz e, por sua vez, ser a fonte de orientação ao próximo.

Os Livros Celestiais -- a Bíblia, o Alcorão e os demais Escritos Sagrados, foram concedidos por Deus como guias nas sendas da virtude Divina, do amor, da justiça e da paz.

Conseqüentemente, eu vos digo que vos esforceis para seguirdes os conselhos desses Livros Abençoados e de tal modo ordenardes vossas vidas, que possais, seguindo os exemplos que vos foram demonstrados, tornar-vos vós próprios, os santos do Altíssimo.

PAP, p. 51

5. Buscai, com todas as vossas energias, esta Luz Celestial, para que tenhais a capacidade de compreender as realidades, possais conhecer as coisas secretas de Deus, e assim os caminhos ocultos se tornem claros diante dos vossos olhos.

Esta Luz pode ser comparada a um espelho, pois como o espelho reflete tudo que está diante dele, assim esta Luz mostra aos olhos dos nossos espíritos tudo que existe no Reino de Deus e faz visíveis as realidades das coisas. Com a ajuda desta Luz resplandecente, tornou-se clara toda a interpretação espiritual dos Escritos Sagrados, as coisas ocultas do Universo de Deus tornaram-se manifestas e tivemos a faculdade de compreender os propósitos Divinos para o homem.

Eu peço a Deus que, em Sua misericórdia, ilumine os vossos corações e almas com Sua gloriosa Luz, e então cada um de vós brilhará qual uma estrela radiante nos lugares sombrios do mundo.

PAP, p. 58

6. Aconselho-vos a estudardes diligentemente os ensinamentos de Bahá'u'lláh, a fim de que, com a ajuda de Deus, possais, de fato e em verdade, tornar-vos bahá'ís.

PAP, p. 78

7. Bahá'u'lláh disse que há um sinal (oriundo de Deus) em todos os fenômenos: o sinal do intelecto é a meditação e o sinal da meditação é o silêncio, porque é impossível ao homem fazer duas coisas a um só tempo -- ele não pode falar e meditar simultaneamente.

Não podemos aplicar o nome de "homem" a alguém destituído dessa faculdade meditativa; sem ela, seria ele simples animal, até inferior aos animais.

Através da faculdade de meditação, o homem alcança a vida eterna; por seu intermédio, recebe o sopro do Espírito Santo -- a graça do Espírito é obtida em reflexão e meditação.

Meditação é a chave que abre as portas dos mistérios. Nesse estado, o homem abstrai-se de si mesmo, afasta-se de si mesmo, afasta-se de todos os objetos exteriores; nesse estado subjetivo, imerge no oceano da vida espiritual e pode descobrir os segredos do íntimo das coisas.

PAP, p. 139-140

8. Louvado seja Deus, por haverdes ouvido o chamado do Reino! Vossos olhos estão abertos e vos tendes volvido a deus. Vosso objeto é o beneplácito de Deus, a compreensão dos mistérios do coração e a investigação das realidades. Cumpre-vos envidar esforços dia e noite, a fim de poderdes chegar aos significados do reino celestial, perceber os sinais da deidade, adquirir a certeza do conhecimento e compreender claramente que este mundo tem um criador, um vivificador, um provedor e um arquiteto, sabendo isto por meio das provas e evidências, e não através de suscetibilidades; não antes, através de argumentos concludentes e verdadeira visão, isto é, visualiza-lo de um modo tão claro quanto os olhos exteriores percebem nitidamente o sol. Que desta forma possais vós contemplar a presença de Deus e atingir o conhecimento dos santos e divinos manifestantes.

FWU, p. 65

9. Fui informado de que o propósito de vossa classe é o estudo dos significados e mistérios das Sagradas Escrituras e a compreensão do sentido dos Testamentos divinos. É motivo de grande alegria para mim que estejais volvidos para o Reino de Deus, que desejeis vos aproximar da presença de Deus e vos informar das realidades e preceitos de Deus. É minha esperança que possais envidar vossos mais sinceros esforços para atingir este fim, que investigueis e estudeis as Escrituras Sagradas palavra por palavra para que possais conhecer os mistérios nelas ocultos. Não vos satisfaçais com palavras, mas procurai entender os significados espirituais ocultos no coração das palavras.

PUP, p. 458-459

10. Que vossas almas sejam iluminadas pela luz das Palavras de Deus e vos torneis repositórios dos mistérios de Deus, pois não há conforto maior, nem felicidade mais doce do que a compreensão espiritual dos ensinamentos divinos. Se alguém entender o verdadeiro significado dos versos de um poeta, tais como os de Shakespeare, ele se deleita e regozija. Quão maior será seu júbilo e prazer em perceber a realidade das Sagradas Escrituras e se informar dos mistérios do Reino!

Oro para que dia a dia as divinas bênçãos possam descer sobre vós, que vossos corações possam ser abertos para perceber os significados interiores da Palavra de Deus.

PUP, p. 460

11. Os assuntos divinos são demasiadamente profundos para serem expressos em palavras comuns. Os ensinamentos celestiais são expressos em parábolas para serem preservados de era em era. Quando os de disposição espiritual mergulham profundamente no oceano de seus significados, trazem à superfície as pérolas de seus significados interiores. Não há prazer maior do que estudar a Palavra de Deus com disposição espiritual.

ABL, p. 78

12. É muito aconselhável memorizar os pontos lógicos e as provas dos Livros Sagrados, ou seja, aquelas provas e testemunhos que estabelecem o fato de que em Bahá'u'lláh se cumprem as promessas dos Livros Sagrados. Tais provas, dêem ser reunidas e memorizadas. Assim, tão logo alguém te inquira: "Quais são tuas provas?" - poderás clamar com toda força de teus pulmões:"Eis-la, aqui!"

SW, Vol. 3, n.º 11, p. 4

13. Vive tu de acordo com os ensinamentos de Bahá'u'lláh. Não te limites a lê-los. Há uma vasta diferença entre a alma que meramente lê as palavras de Bahá'u'lláh e aquela que se esforça por vivê-la. Lê as Palavras Ocultas, pondera sobre sus significados e incorpora as injunções em tua vida.

SW, Vol. 7, n.º 18, p. 178

14. A Causa de Deus assemelha-se a uma escola, e os crentes, os alunos. A fundação da escola dá-se a bem da aquisição de conhecimento da ciência, das artes e da literatura. Se as ciência aí não estiverem presentes e os estudantes não forem instruídos, o objetivo da escola não terá sido atingido. Cabe aos estudantes demonstrarem os resultados de seu estudo em sua conduta e em seus atos; pois de outro modo, terão desperdiçado suas vidas. Cumpre aos amigos, agora, de tal modo viverem e conduzirem - que possam trazer resultados e glória maiores à religião de Deus. A Causa de Deus deve ser para eles uma força dinâmica a metamorfosear as vidas dos homens, e não uma questão de reuniões, comitês, discussões fúteis, debates desnecessários e uso de influência política.

SW, Vol. 7, n.º 18, p. 178

15. A primeira coisa para se fazer é adquirir uma sede de espiritualidade, e então, viver a vida! Viver a vida! Viver a vida! O caminho para se adquirir esta sede é a meditação sobre a vida vindoura. Estudai as Palavras Sagradas de Bahá'u'lláh. Quanto à meditação, dedicai-lhes muito tempo. Então conhecereis essa Grande Sede, e somente então podereis principiar a viver a vida!

SW, Vol. 19, n.º 3, p. 69

16. Conhecimento é amor. Estudai, daí ouvido às exortações e meditai, esforçando-vos por compreender a sabedoria e a grandeza de Deus. Deve-se fertilizar o solo antes que as sementes sejam lançadas.

SW, Vol. 20, n.º 10, p. 314
IV
Excertos de Cartas Escritas
Por Shoghi Effendi

(Os seguintes textos são excertos de cartas a crentes individuais, salvo a indicação do contrário).

1. Louvado seja Deus por haver o espírito das Sagradas Escrituras e Epístolas revelado nesta estupenda Dispensação, relativos a questões de maior ou menor importância quer essenciais ou não, relacionadas às ciências e artes, à filosofia natural, à literatura, à política ou à economia; de tal modo permeado o mundo que, desde o encetamento deste, no curso das Dispensações de antanho e das eras prístinas, nada semelhante jamais foi visto ou ouvido. Na verdade, se um seguidor declarado de Bahá'u'lláh se imergir no oceano desses ensinamentos celestiais, e sondar-lhe as profundezas, deduzindo de cada um deles, com maior zelo e atenção, os mistérios velados e a consumada sabedoria neles entesourados, sua ida, tanto no aspecto material como no intelectual e espiritual, estará salvo de fainas e infortúnios e não será afetada por reveses e perigo, nem por qualquer pesar ou abatimento.

Traduzido de uma carta de 13 de janeiro de 1923 dirigida aos amigos em Ádhirbáyján.

2. Seguramente agora, ou jamais, é o tempo para que nós, os escolhidos de Bahá'u'lláh e os portadores de Sua Mensagem ao mundo, envidemos esforços dia e noite a fim de aprofundarmos, primeiramente, o Espírito de Sua Causa em nossas próprias vidas individuais, e então labutarmos, labutarmos incessantemente para exemplificar em todas as nossas relações com nossos semelhantes aquele nobre espírito do qual eu amado filho 'Abdu'l-Bahá foi, por todos os dias de Sua vida, um expoente verdadeiro e ímpar...

Com o coração puro, humildade e zelo volvamos novamente a Seus conselhos e exortações e busquemos daquela Fonte de Poder Celestial toda a guia, o espírito e o poder de que necessitamos para o cumprimento de nossa missão nesta vida.

Março de 1923, aos bahá'ís da América, Grã-Bretanha, Alemanha, França, Suíça, Itália, Japão e Austrália

3. O que determinastes realizar sob a guia e orientação daquele intrépido e infatigável servo do Limiar de Abhá, meu bem-amado irmão dr. Bagdali, é altamente louvável e de suprema importância. Jamais recueis em vosso grandioso empreendimento. Aprofundai vosso conhecimento da Causa. Esforçai-vos com todo empenho, a fim de ampliardes o âmbito de vossas atividades, e buscai compreender e promover a harmonia que deve existir entre a verdadeira ciência e a Revelação Divina. Jamais deixarei de orar por vós. Nutro grandes esperanças quanto ao vosso triunfo final na tarefa que se vos apresenta.

23 de janeiro de 1924, à Juventude Bahá'í de Chicago, EUA.

4. Se leres as palavras de Bahá'u'lláh e 'Abdu'l-Bahá com espírito abnegado e desvelado, e te concentrares nelas, haverás de desvendar verdades anteriormente desconhecidas a ti, e obterás uma visão esclarecedora dos problemas que têm perplexado os grandes pensadores do mundo. Deus, em Sua essência, não pode ser compreendido, nem tampouco assumir uma forma corpórea. É somente através do conhecimento de Suas Manifestações que podemos dEle nos aproximar. Oro para que possas sorver profusamente do manancial de Seus Ensinamentos Sagrados. Asseguro-te de minhas orações por teu restabelecimento e sucesso.

30 de janeiro de 1925

5. Cumpre instruir aos jovens bahá'ís sobre como ensinar a Causa de Deus. Seu conhecimento dos fundamentos da Fé deve ser fundado e o padrão de sua educação na ciência e na literatura deve experimentar elevação. É imperioso que se tornem completamente familiarizados com a linguagem utilizada e o exemplo dado por 'Abdu'l-Bahá em Suas palestras públicas por todo o Ocidente. Eles devem, outrossim, ser familiarizados com aqueles pré-requisitos essenciais do ensino conforme registrados nos Livros e Epístolas Sagrados.

Traduzido de uma carta datada de
9 de junho de 1925 à
Assembléia Espiritual do Oriente.

6. Exorto-te enfaticamente a devotares, enquanto prossegues teus estudos, tanto quanto for-te possível a um meticuloso estudo da história da Causa. Tal estudo constituí o pré-requisito para uma futura carreira de serviço a Fé Bahá'í plena de sucesso, na qual, espero e oro por isso, haverás de alcançar distinção nos dias vindouros.

18 de maio de 1926

7. Orarei por ti, para que sejas inspirado a fazer o que for Sua vontade e Seu beneplácito, para que tua visão seja esclarecida, teu coração seja esvaziado de todo desejo vão e tua mente seja purificada de tudo aquilo que seja um obstáculo a impedir-te de captar as verdades fundamentais da Fé. Estudo os ensinamentos profundamente, a fim de que a luz da Guia Divina possa iluminar tua vereda e dela remover todos os obstáculos.

26 de abril de 1927

8. As pessoas jovens e entusiasmadas que trabalham pela Causa...habitam um lugar terno em meu coração. Lembrar-me-ei de suas esperanças, seus planos e suas atividades em meus momentos de oração no Sagrado Santuário Insto-os a estudarem profundamente os pronunciamentos revelados de Bahá'u'lláh e os discursos de 'Abdu'l-Bahá e não confiarem demasiadamente na representação e interpretação dos Ensinamentos dados por oradores e instrutores bahá'ís. Que o Todo Poderoso te sustente e guie em teu trabalho

20 de março de 1929

9. Cabe-nos o dever de ponderarmos sobre isto [atos de opressão contra a Fé] em nosso coração, nos esforçarmos diligentemente para alargarmos nossa visão, aprofundarmos nossa compreensão desta Causa e levantarmos-nos de modo resoluto e sem reservas, a fim de desempenharmos nosso papel, por menor que seja neste drama maior da história espiritual do mundo.

21 de março de 1930
aos bahaís do Oriente.
WOB, p. 26

10. Minha exortação enfática a ti seria no sentido de utilizares, na maior extensão possível, a abundância de material autêntico coligido na comovente Narrativa de Nabíl e encorajares os jovens a conhecerem profundamente e assimilarem os fatos relatados nesse livro, como uma base para seu futuro trabalho no campo de ensino e como u esteio para sua vida espiritual e suas atividades no serviço à Causa.

9 de novembro de 1932

11. A Narrativa de Nabíl, ou "The Dawn Breakers" (Os Rompedores da Alvorada) é uma obra que relata a estupenda história dos primórdios da Fé Bábí, a vida do Báb e os feitos heróicos de seus primeiros seguidores. Seu autor é Mulláh Muhammad-i-Zarandi, intitulado por Bahá'u'lláh de Nabíl-i-'Azam (o de suprema nobreza" - N.T.)

Aconselho-te, indubitavelmente, a te concentrares, no ano vindouro, no livro "The Dawn Breakers" bem como nas necessidades, princípios e no propósito da administração bahá'í. Em tua terra, a Causa ainda se encontra em seu período formativo e necessita pois, de homens e mulheres de visão, capacidade e compreensão. Que tua recém-fundada escola possa render inestimáveis serviços tanto neste como em outros campos de atividade. Orarei por teus sublimes esforços no recôndito de meu coração. Assegura-te disto e sê perseverante.

25 de setembro de 1933

12. É minha convicção inalterável que todo fiel adepto deve ter, como sua primeira obrigação e o objeto de seu constante esforço, adquirir um conhecimento mais adequado do significado da estupenda Revelação de Bahá'u'lláh. Uma compreensão exata e completa de tão vasto sistema, de tão sublime revelação, de tão sagrada incumbência, está, por óbvias razões, fora do alcance de nossas mentes limitadas. Contudo podemos - e é nosso dever incontestável, enquanto trabalhamos na propagação de Sua Fé - procurar derivar nova inspiração e maior apoio, mediante um conceito mais nítido das verdades que essa Fé encerra, e dos princípios em que se baseia.

Fevereiro de 1934, aos bahá'ís do Ocidente, DOB,
p.8, WOB, p. 100

13. Estou pesaroso em tomar conhecimento da situação engendrada pela desarmonia entre os crentes. Todos os membros devem, com crescente força e determinação, ater-se aos princípios fundamentais da Ordem Administrativa conforme se encontram explanados no livro intitulado "Bahá'í Administration". Quanto a qualquer questão sobre a qual não seja encontrada orientação, referi-vos a vossa Assembléia Nacional. Sob todas as circunstâncias, a decisão da maioria tem de ser apoiada e executada. Sede perseverantes e jamais permitais que o ânimo e a coragem vos abandonem.

9 de Maio de 1934, à Assembléia Nacional dos Bahá'ís da Índia.

14. Minha recomendação instante a ti seria a de concentrares doravante nos princípios fundamentais da crença bahá'í e nas características distintas da Ordem Administrativa, empenhando-te em ensinar essas verdades a qualquer alma que te pareça receptiva. Isso constituiria um magnífico ato de serviço em tua longa relação de devotados esforços em prol desta gloriosa Causa.

31 de julho de 1934

15. Os que participam de tal campanha - quer seja em capacidade de organizadores ou como trabalhadores a cujo cuidado foi entregue a execução da própria tarefa - devem, como preliminar essencial ao desempenho de seus deveres, familiarizar-se completamente com os vários aspectos da história e dos ensinamentos de sua Fé. Em seus esforços para realizarem este objetivo, devem estudar por si próprios, conscienciosa e meticulosamente, a literatura de sua Fé, aprofundarem-se em seus ensinamentos, assimilarem suas leis e seus princípios, ponderarem suas admoestações, doutrinas e finalidades, decorarem certas de suas exortações e preces, assenhorearem-se dos essenciais de sua administração e conservarem-se a par de seus problemas correntes e de seus mais recentes desenvolvimentos.

Dezembro de 1938, aos bahá'ís
dos Estados Unidos e Canadá, AJD, p. 75

16. À medida que os processos que estão a impelir uma Ordem em rápido desenvolvimento na estrada de seu destino multiplica-se e ganham impulso, deve-se dirigir atenção de forma crescente à necessidade vital de assegurar por todo os meios possíveis, o aprofundamento da Fé, da compreensão e da vida espiritual daqueles que, na qualidade de membros privilegiados desta comunidade, são convocados a tomarem parte neste glorioso desenvolvimento e estão prestando seu apoio a essa histórica evolução. Um profundo estudo da Fé que esposaram, de sua história, de seus princípios tanto espirituais quanto administrativos; uma completa compreensão do Convênio de Bahá'u'lláh e do Testamento de 'Abdu'l-Bahá; uma mais profunda e clara compreensão da implicação de tudo aquilo que os Fundadores da Fé asseveram; uma estrita aderência às leis e princípios por Eles estabelecidos; uma maior dedicação aos fundamentos e verdades entesourados em Seus ensinamentos, tudo isso constitui, estou convencido, a necessidade urgente dos membros desta comunidade em célere expansão; pois desta base espiritual deve depender a solidez das instituições por eles agora sendo erigidas de modo tão diligente. A cada investida em direção a novos campos, a cada multiplicação de instituições bahá'ís, deve corresponder um mais profundo ímpeto de penetração das raízes que sustentam a vida espiritual da comunidade e asseguram-lhe o desenvolvimento são. Cumpre jamais desviar-se a atenção desta vital e sempre presente necessidade; nem tão pouco se deve, sob quaisquer circunstância, negligenciá-la ou subordiná-la à não mesmo vital e urgente tarefa de assegurar-se a expansão exterior das instituições administrativas bahá'ís.

30 de dezembro de 1948
Assembléia Espiritual Nacional
Dos Bahá'ís da Austrália e Nova Zelândia

17. ...o dever preeminente de aprofundar-se a vida espiritual desses incipientes, desses preciosos e grandemente estimados colaboradores, e de esclarecer suas mentes quanto às verdades essenciais entesouradas em sua Fé, quanto a suas instituições fundamentais, sua história e sua gênese - os Convênios gêmeos de Bahá'u'lláh e 'Abdu'l-Bahá, a atual Ordem Administrativa, a futura Ordem Mundial, as Leis do Mais Sagrado Livro, as instituições inseparáveis da Guardiania e da Casa Universal de Justiça, os eventos marcantes das Eras Heróica e Formativa da Fé, sua relação com as Dispensações que precederam e sua atitude em relação às organizações sociais e políticas pelas quais se vêem rodeada, tal dever deve continuar a constituir o aspecto mais vital da grandiosa Cruzada espiritual lançada pelos campeões da Fé dentre os povos de suas repúblicas irmãs do Sul.

18 de agosto de 1949,
à Assembléia Espiritual Nacional
dos Bahá'ís dos Estados Unidos

18. O aprofundamento e o enriquecimento da vida espiritual de cada crente, sua crescente compreensão das verdades essenciais sobre as quais sua Fé se fundamenta, seu treinamento nos processos administrativos bahá'ís e seu entendimento dos fundamentos dos Convênios estabelecidos pelo Autor e pelo Intérprete autorizado dos ensinamentos da Causa - tais são sos objetivos que os representantes nacionais que ombreiam a responsabilidade da edificação, do progresso e da consolidação dessas comunidades deveriam ter por supremos.

1 de março de 1958, à
Assembléia Espiritual Nacional
dos Bahá'ís da Austrália e da Nova Zelândia

19. Tão pouco devem os representantes eleitos desta comunidade negligenciar sua suprema responsabilidade de salvaguardar a vida espiritual de seus membros, promover o contínuo aquecimento dessa vida por todos os meios possíveis, aprofunda-los na compreensão dos aspectos distintivos e nas verdades fundamentais da Fé de Bahá'u'lláh e encoraja-los e anima-los a refletirem seu espírito e seus preceitos em sua vida pessoal e sua conduta.

14 de junho de 1954, à
Assembléia Espiritual Nacional
dos Bahá'ís da América do Sul

20. À medida que o processo de expansão e consolidação interna ganha impulso, os representantes nacionais eleitos dessa comunidade não devem falhar em se consagrarem à tarefa não menos fundamental de promover o contínuo enriquecimento da vida espiritual de seus membros, aprofundar sua compreensão das verdades, princípios e preceitos essências sobre os quais sua Fé se baseia, requerer instantemente uma estrita observância de suas leis e estatutos e prover um exemplo a seus companheiros de Fé, através de um espelhamento mais pleno, em suas vidas pessoais e sua conduta, das empobrecedoras verdades que animam a Revelação de Bahá'u'lláh.

24 de julho de 1954, à
Assembléia Espiritual Nacional
dos bahá'ís da América Central

21. Acima de tudo, vossa Assembléia deveria envidar o máximo esforço a fim de familiarizar os novos crentes com as verdades fundamentais e espirituais da Fé, bem como com as origens, os escopos, os propósitos e os processos de uma Ordem Administrativa divinamente instituída, dando-lhes a conhecer de forma mais cabal a história da Fé; neles instilando uma compreensão mais profunda dos convênios tanto de Bahá'u'lláh como de 'Abdu'l-Bahá, enriquecendo-lhes a vida espiritual, estimulando-os a um mais grandioso esforço e a uma participação mais integral tanto no ensino da Fé como na administração de suas atividades e animando-os a fazerem os sacrifícios necessários à promoção de seus interesses vitais. Isto, porque, à medida que se observam uma ampliação do corpo dos defensores declarados da Fé, um alargamento da base da estrutura de sua Ordem Administrativa e uma vasta difusão do renome da comunidade que se ergue, um progresso paralelo deve ser alcançado se desejarmos que os frutos já obtidos perdurem na vivificação espiritual de seus membros e no aprofundamento de sua vida interior.

26 de junho de 1956, à
Assembléia Espiritual Nacional
dos Bahá'ís do Canadá

22. . . . uma apreensão mais sólida das verdades essenciais da Fé; um estudo mais profundo de sua história e uma compreensão mais cabal da gênese, da significação, do funcionamento, da atual condição e das realizações contemporâneas de sua embriônica Ordem Mundial e do Convênio ao qual esta deve seu nascimento e sua vitalidade, eis os seguintes requisitos fundamentais capazes de, independentemente de quaisquer outros, assegurar a inauguração e apressar o advento daquela venturosa era tão ansiosamente esperada por todo coração bahá'í britânico e cujas glórias, presentemente, não podem se mais que vagamente discernidas.

30 de agosto de 1957, à
Assembléia Espiritual Nacional
dos bahá'ís das Ilhas Britânicas
V
Excertos de Cartas Escritas
em Nome de Shoghi Effendi

(Os seguintes textos são extratos de cartas a crentes individuais,

salvo indicação do contrário)

1. Os livros sagrados estão repletos de alusões a esta nova dispensação. Bahá'u'lláh, no Kitáb-i-Íqán, provê a idéia fundamental e a explanação de algumas das passagens proeminentes, na esperança de que os amigos seguirão avante estudando os Livros Sagrados por si mesmos e desvendando os mistérios neles encerrados.

As pessoas, não logrando compreender o significado dos símbolos e a verdade dos Versículos Sagrados, passaram a tê-los por mitos e sonhos incompreensíveis. É dever dos amigos dotados que foram por Bahá'u'lláh do poder do discernimento, estudar esses Livros Sagrados, ponderar sobre suas passagens e dar o conhecimento dos tesouros de Sabedoria que eles encerram às pessoas desalentadas da Terra.

11 de março de 1923

2. Se a geração bahá'í mais jovem, na qual Shoghi Effendi deposita grandes esperanças, esforçar-se diligentemente por estudar a Causa, profunda e minuciosamente, lendo sua história, captando seus princípios fundamentais e tornando-se bem instruída e dinamicamente ativa, com certeza será capaz de realizar muitíssimo. É sobre seus ombros que o Mestre deixou o formidável trabalho de ensino. Seus membros são aqueles que têm a tarefa de erguerem o chamado do Reino e despertarem as pessoas da letargia; se deixarem de faze-lo, a Causa estará condenada à estagnação.

26 de abril de 1923, à Assembléia
Nacional dos Bahá'ís da Índia.

3. Aprofundar-se na Causa significa ler os escritos de Bahá'u'lláh e do Mestre tão profundamente a ponto a estar capacitado a transmiti-los em sua forma pura. Muitos não têm mais que uma idéia superficial de que a Causa representa e, conseqüentemente, apresentam-na juntamente com toda a sorte de idéias próprias.

Como a Causa encontra-se ainda em seus primeiros dias, temos de exercer o máximo cuidado a fim de não incorrermos neste erro e causarmos dano ao Movimento que tanto adoramos.

Não há limites para se estudar a Causa. Quanto mais lermos as escrituras, mais verdades podemos descobrir nelas e tanto mais perceberemos o caráter errôneo de nossas noções anteriores.

25 de agosto de 1926

4. Shoghi Effendi está especialmente encantado em tomar conhecimento de eu os mais jovens estão levando a cabo um estudo da Última Vontade e Testamento, porquanto esse documento é imprescindível para alcançar uma completa compreensão do espírito da missão e da futura condição da Causa Bahá'í. Seria aconselhável que certas passagens lhe fossem explanadas por um dos amigos que esteja apto por fazê-lo.

28 de fevereiro de 1928

5. Shoghi Effendi não tem dúvidas de que quanto mais estudares a Causa e seus ensinamentos, tanto mais compreenderás claramente que missão ela tem para com este mundo nos dias atuais. O dr. Jowett, de Balliol, afirmou com acerto que está é a maior luz já surgida no mundo desde o Cristianismo, que a geração contemporânea lhe está por demais próxima para avaliar sua importância e que somente no futuro sua significação far-se-á manifesta. Creio que nem mesmo os bahá'ís podem conceber a maravilhosa e fundamental metamorfose a ser engendrada pelos preceitos deste movimento e pelo espírito dos ensinamentos e da vida de seus Fundadores no coração e na mente tanto desta geração como das futuras.

17 de dezembro de 1928

6. O guardião nutre sinceras esperanças de que vosso grupo amplie em número dia a dia gradualmente principie a irradiar sua luz de guia às regiões vizinhas.

Contudo, na tes de se atingir tal estágio, deveis, envidar todos os vossos esforços em aprofundardes vosso conhecimento dos ensinamentos e da literatura da Causa. Os Escritos de Bahá'u'lláh e do Mestre assemelham-se a vastos oceanos; quanto mais profundamente neles vos imergirdes, mais tesouros inestimáveis havereis de descobrir. E não podemos aspirar a compartilhar tais tesouros com os demais antes de a eles chegarmos.

4 de março de 1931, aos bahá'ís
de Columbus, Ohio, E.U.A

7. Shoghi Effendi espera que venhais a envidar todos os vossos esforços em aprofundardes, primeiramente, vosso próprio conhecimento dos ensinamentos, e que então vos empenheis diligentemente em atrair outras pessoas. Cumpre-vos formar grupos de estudo e ler os livros importantes que foram publicados especialmente o Íqán, livro esse que encerra os princípios fundamentais da Fé. Aquele que ponderar sobre tal livro e apreender sua plena significação haverá de obter uma perspícua e esclarecedora visão das escrituras de outrora e uma perfeita compreensão da verdadeira missão do Báb e de Bahá'u'lláh.

27 de março de 1931, à
Assembléia Espiritual Local
dos Bahá'ís de Saint Louis
Missouri, E.U.A.

8. Como um bahá'í certamente que estás cônscio do fato de que Bahá'u'lláh atribui à educação o peso de um dos mais fundamentais fatores da verdadeira civilização. Para ser adequada e frutífera, todavia, tal educação deveria ser de natureza abrangente, levando em consideração não apenas o lado físico e intelectual do ser humano, mas também dos aspectos espirituais e éticos. Este deveria ser o programa da juventude bahá'í em todo o mundo.

9 de julho de 1931

9. No tocante à carreira (de estudos) que podes seguir, Shoghi Effendi prefere que descubras o assunto pelo qual tens mais gosto e para o qual tens maior aptidão especialmente após consultares tua mãe. A Causa é tal que podemos servi-la qualquer que seja nossa profissão, A única necessidade é que tenhamos uma mentalidade espiritual e não nos deixemos guiar por razões tão somente materiais. Também não devemos permitir que nossos estudos se tornem um obstáculos para que aprofundem os nossos conhecimentos da literatura da Causa.

9 de novembro de 1931

10. Shoghi Effendi sente que o verdadeiro propósito dessas Escolas de Verão é aprofundar o conhecimento dos amigos. As preleções são muito importantes, pois fornecem uma descrição; cabe aos amigos aprofundarem seu conhecimento, e isto pode ser conseguido se, juntamente com as preleções, houver classes de estudo e seminários dirigidos pelo mesmo palestrante.

O mundo está defrontando-se, indubitavelmente, com uma grande crise, e as condições sociais, econômicas e políticas estão crescendo em complexidade dia a dia. Se os amigos desejarem tomar iniciativa de reformar o mundo, devem dar o primeiro passo ensinando a si mesmos e compreendendo a verdadeira essência das dificuldades e problemas que causa perplexidade à mente do homem. É nessas Escolas de Verão que este treinamento deveria ser dado aos amigos.

27 de janeiro de 1932

11. Além disso, os amigos devem organizar classes de estudo apropriadas e aprofundar seu conhecimento dos ensinamentos. É somente através dessa compreensão cabal da literatura da Causa que podes avaliar a verdadeira mensagem que Bahá'u'lláh trouxe ao mundo e somente então pdoerás perceber quão incompleta e fútil é a obra das demais sociedades e movimentos existentes no mundo atual.

1 de fevereiro de 1932

12. Shoghi Effendi nutre esperanças de que envidarás o máximo esforço a fim de aprofundares teu conhecimento da literatura do Movimento, até que venhas a obter plena familiaridade com seu espírito e seus princípios. A menos que efetivamente adquiras uma tal compreensão sólida, jamais estará apto a ensinar aos demais e render verdadeiros serviços à disseminação da Fé. Reveste-se de especial importância o Livro do Íqán, o qual explica a posição da Causa em relação aos profetas de Deus e sua missão na história da sociedade. Além deste, temos "Respostas a Algumas Perguntas", do Mestre e "The Dawn Breakers", de Nabíl. Todo bahá'í deveria assenhorear-se do conteúdo destes livros e estar capacitado a expô-lo aos demais. Além de sua importância, elas são interessantes e extremamente cativantes.

9 de fevereiro de 1932

13. Indubitavelmente, o modo ideal de ensinar é provar nossas teses referindo-nos constantemente às palavras textuais de Bahá'u'lláh e do Mestre, pois assim procedendo haveremos de guardar a Causa a salvo de ser mal interpretada. O que essas divinas Luzes dizem é que é a verdade, e portanto Elas deveriam ser fontes dignas de crédito e de autoridade de nossas asserções.

Todavia isto não significa que nossa liberdade de expressão seja restrita. Sempre nos será possível encontrar novas formas de abordar essa verdade e explicar sua influência sobre nossa vida e condição. Quanto mais profundos forem nossos estudos mais estaremos capacitados a compreender o significado dos ensinamentos.

Na Causa, não podemos divorciar a letra do espírito das palavras. Como afirma Bahá'u'lláh, devemos apreender o significado exterior e sobrepor-lhe o interior. Um sem o outro é errôneo e imperfeito.

16 de fevereiro de 1932

14. Outro ponto essencial é que se deveria instar constantemente aos que abraçam a Fé a estudarem a literatura da Causa. Não é suficiente obtermos uma expansão numérica; necessitamos de pessoas cuja fé se fundamente numa rocha e permaneça inabalável diante de qualquer provação, pessoas que sucessivamente se levantem, levando a Mensagem a outros indivíduos e guiando outras almas.

13 de abril de 1932

15. Shoghi Effendi empreendeu traduzir o livro "The Drawn Breakers" somente após estar convicto de que sua publicação haveria de levantar os amigos para um maior auto-sacrifício e para que ensinassem de modo mais resoluto. Não fosse assim, ele não haveria dedicado tanto tempo a essa realização.

Ler sobre a vida e os feitos daquelas almas heróicas seguramente haverá de influenciar nosso modo de vida e a importância que atribuímos a nossos serviços à Causa. Portanto, o Guardião nutre esperanças de que os amigos virão a ler, ou antes, a estudar esse livro, e incentivar os jovens de suas comunidades a faze-lo também...

É de grande importância, outrossim, realizar reuniões regulares de estudo e aprofundar nos ensinamentos. Um grande dano é causado por se começar a ensinar sem que se esteja firmemente embasado na literatura. O adágio "Pouco conhecimento é perigoso" aplica-se plenamente ao trabalho de ensino. Cumpre aos amigos lerem as Escrituras e estarem capacitados a enunciar citações extraídas das Epístolas ao tratarem de assuntos pertinentes à Fé.

9 de maio de 1932

16. A idéia de realizar reuniões regulares de estudo conta com a plena aprovação do Guardião, pois quanto mais os amigos se aprofundarem em sua compreensão dos ensinamentos mais se tornarão firmes e constantes e inabaláveis em seu respaldo às instituições da Fé. Incumbe a todos os bahá'ís assenhorearem-se do conteúdo de livros como o "Íqán", "Respostas a Algumas Perguntas" e "Rompedores da Alvorada", cumprindo-lhes lerem e relerem nos repetidamente. Os dois primeiros livros, revelar-lhes-ão a significação desta Revelação divina, bem como a unidade de todos os profetas de antanho. Quanto à "Narrativa de Nabíl", ela mostrar-lhes-á como a Fé foi trazida à luz e como seus primeiro seguidores arrastaram heroicamente ao martírio e ao sofrimento em seu anelo de estabelecer a Causa em todo o mundo. A aquisição do conhecimento da vida daqueles heróis haverá de engendrar em nós o anseio de seguirmos seus passos e emularmos seus feitos.

9 de junho de 1932

17. Ele nutre sinceras esperanças de que cada um daqueles indivíduos que expressam o desejo de ingressar na Causa há de, gradualmente, tornar-se tão fortalecido que não importa a quantidade de provações e tribulações com as quais se defronte nada o impedirá de tomar parte no trabalho de disseminar a Fé por todo o mundo.

Antes que empreendam realizar uma tal tarefa, todavia, é necessário que eles aprofundem seu conhecimento dos ensinamentos. Cabe-lhes aprenderem a estudar as palavras por si mesmos, tanto apreendendo seu significado como imbuindo-se de seu espírito. A esperança de Shoghi Effendi é não apenas ampliar os números doa amigos mas também ter bahá'ís mais verdadeiros e dotados de maior compreensão. A tarefa dos instrutores é gerar tais servos ativos para nossa amada Fé.

18 de outubro de 1932

18. O Mestre costumava atribuir muita importância à memorização das Epístolas de Bahá'u'lláh e do Báb. Em seus dias, decorar as Epístolas era uma atividade costumeira das crianças de Seu lar. . .

19 de outubro de 1932

19. Livros tais o Íqán, Respostas a algumas Perguntas, as Epístolas de Bahá'u'lláh, a Narrativa de Nabíl, e o livro do Dr. Esslemont, deveriam ser lidos e repetidamente por toda alma que anseia por servir à Causa ou se considera um membro ativo do grupo.

9 de novembro de 1932

20. É necessário que sejam ministrados cursos definidos abrangendo as diferentes fases da Fé Bahá'í, e isto de um modo tal que estimule os estudantes a prosseguirem em seus estudos pessoalmente ao retornarem a seus lares, porquanto o período de alguns dias não é suficientemente para se aprender tudo. É imperioso para se aprender tudo. É imperioso ensinar-lhes o hábito de estudar a Causa constantemente, pois quanto mais lermos as Palavras, mais se nos desvelará a verdade nelas encerrada.

24 de novembro de 1932

21. É muito importante, entretanto, que esses neófitos estudem e familiarizem-se cabalmente com os ensinamentos; pois de outro modo, sua fé ter-se-á estabelecida sobre areia movediça e estará sujeita a ser facilmente solapada. As palavras de Bahá'u'lláh e do Mestre, porém, são dotadas de um poder criativo, e inevitavelmente despertam naquele que as lê o inextinguível fogo do amor a Deus.

17 de fevereiro de 1933

22. Não nos inta Ele a que o sigamos cegamente, como assevera em uma de Suas Epístolas, o homem foi dotado por Deus de uma mente para funcionar como uma tocha e guia-lo à verdade. Lê Suas palavras, reflete sobre Seus ensinamentos e pondere sua importância a luz dos problemas contemporâneos; assim, a verdade haverá de ser indubitavelmente revelada a ti.

26 de fevereiro de 1933

23. É necessário que sejam ministrados cursos definidos abrangendo as diferentes fases da Fé Bahá'í, e isto de um modo tal que estimule os estudantes a prosseguirem em seus estudos pessoalmente ao retornarem a seus lares, porquanto o período de alguns dias não é suficientemente para se aprender tudo. É imperioso para se aprender tudo. É imperioso ensinar-lhes o hábito de estudar a Causa constantemente, pois quanto mais lermos as Palavras, mais se nos desvelará a verdade nelas encerrada.

11 de março de 1933

24. O segundo ponto a que o Guardião deseja que dispenseis especial importância e tenhais sempre em mente é a necessidade de que cada membro fiel e ativo de vosso comitê concentre-se inteiramente no estudo e na compreensão cabais dos princípios espirituais e administrativos da Fé, considerando isso como um passo necessário para um ensino dinâmico e frutífero. Cumpre-vos primeiramente vos equipardes com a necessária quantidade de conhecimento sobre a Causa e então, e somente então, vos esforçardes por ensinar.

Agosto de 1933, ao Comitê
Da juventude bahá'í, citado
Em BW, Volume V, p. 372

25. Teu estudo cabal e contínuo dos ensinamentos, como demonstra tua disposição de estar em contato próximo e constante com todas as publicações bahá'ís é, de fato, notável. Pois além de aprofundar teu conhecimento dos princípios fundamentais da Fé e manter-te em contato íntimo com seus desenvolvimentos administrativos, tal estudo provê uma oportunidade de te preparares para o ensino da Causa. Estudar e ensinar, tais são as obrigações gêmeas e sagradas de todo seguidor ativo e responsável da Fé.

13 de agosto de 1933

26. Nestes dias obscuros, quando o mundo vê-se enleado no vórtice do agnosticismo e materialismo, o Guardião volveu seu olhar ansiosamente a tais crentes devotados e fervorosos, como tu, para que se ergam e proclamem a Sagrada Palavra de Deus, a qual constitui a incomparável e mais eficaz arca de salvação para o gênero humano. Nada senão isso será capaz de salvar nossa civilização de desabar num estado de caos e anarquia. É, portanto, responsabilidade sagrada de todo adepto fiel da Fé compreender clara e plenamente a estupenda tarefa de que é convocado a desincumbir-se e procurar tomar todas as providências que o capacitarem a contribuir com seu quinhão, por modesto que seja, ao progresso da Causa. Um tal escopo evidentemente, ser-nos-á inatingível, a menos que estejamos adequadamente imbuídos do espírito da Fé e instruídos quanto a seus princípios e ensinamentos básicos.

Por conseguinte, a imediata recomendação instante que o Guardião faria a ti seria de te familiarizares cada vez mais com a literatura da Causa, e estudares e perscrutares todos os seus aspectos - quer espirituais, sociais ou administrativos -, a fim de que possas, num futuro remoto, ocupar lugar nas fileiras dos insignes e proeminentes instrutores e expoentes do Movimento.

10 de setembro de 1933

27. Seu conselho fraternal a ti, bem como a todo fiel e fervoroso crente na flor da idade como tu, é que deves aprofundar teu conhecimento da história e dos preceitos da Fé, e isto não somente através de zeloso e cabal estudo, mas também por meio de uma participação ativa, devotada e constante em todas as atividades, quer administrativas ou não, de tua comunidade. A vida comunitária bahá'í proporciona a ti uma ambiência indispensável na qual tens a oportunidade de traduzir em ação viva e construtiva os princípios que assimilas dos ensinamentos. O fato de vires a ser uma verdadeira porção desse organismo vivente possibilitar-te-á captares o verdadeiro espírito que flui por todos os ensinamentos bahá'ís. Estudar os princípios e empenhar-se em viver de um modo com eles condizente constituem, portanto, os dois meios essenciais através dos quais podes assegurar o desenvolvimento e progresso tanto de tua vida espiritual interior como de tua existência exterior. Que Bahá'u'lláh te capacite a alcançar essa elevada posição e mantenha a tocha da fé eternamente flamejante em teu coração.

2 de novembro de 1933

28. A existência de tais fontes de discórdia e divergência deve-se, no caso de todas, à carência de uma compreensão maior das leis e princípios fundamentais da administração bahá'í por parte de muitos crentes. A despeito das reiteradas e enfáticas instruções e recomendações de nosso Guardião, no sentido de que os amigos, deveriam aprofundar seu conhecimento, tanto através do etudo como por meio da prática de todos os princípios administrativos da Fé, alguns, por uma razão ou outra, têm-se mostrado negligentes quanto a isso. O resultado tem sido que tais pessoas estão a laborar no escuro, sem saberem onde procurar a guia para todos esses assuntos.

11 de novembro de 1933

29. Foi o motivo de alegria para o Guardião do progresso de teus estudos acadêmicos, bem como de teus planos futuros de estudo e ensino da Causa. É verdadeiramente notável o espírito que está a impulsionar-te e prover-te alento no serviço à Fé, e por seu intermédio há de ser impelido, indubitavelmente, a render grandiosos e imperecedouros serviços à Causa de Bahá'u'lláh. A instrução universitária que hoje recebes haverá de servir-te de imenso auxílio em teus esforços por apresentar a Mensagem nos círculos intelectuais. Nestes dias, quando as pessoas estão tão impregnadas de ceticismo em relação à religião e olham com tanto desdém para organizações e movimentos religiosos, parece haver mais necessidade que nunca de que nossos jovens bahá'ís estejam bem preparados intelectualmente, a fim de que possam estar em condições de apresentar a Mensagem de um modo apropriado e de uma forma capaz de persuadir todo observador imparcial da eficácia e do poder dos ensinamentos.

Face a isso, Shoghi Effendi exorta-te a perseverares em teus estudos, e ele confia que , como corolário, será imensamente auxiliado em tuas atividades de ensino.

5 de maio de 1934

30. O Guardião exorta instantemente todos os membros da Assembléia Espiritual Nacional, sem exceção, a examinarem esmeradamente todas as suas missivas que versam sobre o tema da origem, natureza e fundamento hodierno da Ordem Administrativa da Fé, ponderando serenamente tanto sua significação exterior como seu espírito interior. Uma compilação de tais cartas foi publicada recentemente nos Estados Unidos sob o título de "Bahá'í Administration", e um completo conhecimento desse livro parece ser verdadeiramente essencial para lidar-se corretamente com os problemas administrativos com os quais vossa Assembléia Espiritual Nacional presentemente se defronta.

9 de maio de 1934, à Assembléia
Espiritual Nacional dos Bahá'ís da Índia

31. Trouxe alegria outrossim a Shoghi Effendi tomar conhecimento da reação despertada em tua comunidade por sua mais recente comunicação geral ("A Dispensação de Bahá'u'lláh") dirigida aos amigos do Ocidente. Nutre ela a esperança de que os crentes, através de zeloso e contínuo estudo dessa importante mensagem, haverão de obter uma nova visão da Causa, sendo então estimulados a redobrarem seus esforços em prol da expansão e consolidação de seu trabalho pela Fé.

11 de maio de 1934

32. Shoghi Effendi deseja, outrossim, que eu exprima sua profunda apreciação por teu intento de empreenderes um estudo do Alcorão. O conhecimento desse sagrado Livro revelado é, de fato, imprescindível a todo bahá'í que deseja obter uma compreensão adequada das Escrituras de Bahá'u'lláh, e é em vista disso que o Guardião tem continuamente encorajado os amigos a levarem a cabo um estudo tão completo quanto possível desse Livro, especialmente em suas Escolas de Verão. Conquanto a tradução feita por Sale seja a mais erudita disponível, a versão de Rodwell reveste-se de melhor estilo literário, sendo, conseqüentemente, de mais fácil leitura.

23 de novembro de 1934

33. Crê ele, de fato, que é chegado o momento dos crentes alemães adquirirem um conhecimento maior, bem como uma plena compreensão, de Epístolas importantes como "O Livro de Meu Convênio" *, de Bahá'u'lláh e a Última Vontade e Testamento de 'Abdu'l-Bahá, obras essas que constituem o próprio alicerce sobre o qual toda a ordem administrativa da Fé tem sido erigida e estabelecida. Quanto a "A Dispensação de Bahá'u'lláh", tal livro também constitui um suplemento inestimável às Epístolas supramencionadas.

10 de janeiro de 1935

*Tal obra (em árabe, "Kitáb-i-'Ahd") encontra-se publicada em português no livro "Epístolas de Bahá'u'lláh". N. T.

34. Sente ele ser a atenção especial que dispensas ao estudo da Administração extremamente oportuna e de vital importância pr´tica, porquanto se resta a consolidar e direcionar a um objetivo definido, teu trabalho geral de ensino. Sem o estudo e a aplicação da Administração, o ensino da Causa não apenas se torna desprovido de significado bem como também sobre perda em eficiência e escopo.

31 de maio de 1935

35. No que tange ao programa da escola para o próximo verão, o Guardião certamente aconselharia e mesmo exortaria os amigos a empreenderem um estudo completo do Alcorão, porquanto o conhecimento desse Livro Sagrado é absolutamente indispensável a todo crente que alimenta o desejo de compreender adequadamente e ler de forma compreensiva os Escritos de Bahá'u'lláh. Conquanto seja extremamente reduzido o número de nossos bahá'ís ocidentais capazes de ministrarem um tal curso de modo profundo e erudito, a mera carência de tais instrutores competentes deveria encorajar e estimular os crentes a familiarizarem-se melhor com as escrituras sagradas do Islã. Assim, gradualmente haverão de vir a lume alguns insignes bahá'ís tão bem versados nos ensinamentos islâmicos que serão capazes de guiar os crentes em seu estudo dessa religião.

2 de dezembro de 1935

36. O Guardião aprecia de modo especial a ênfase conferida por teu Comitê Nacional de Juventude ao estudo de "Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh" tal livro, ao seu ver, deveria ser o guia e companheiro de sempre de todos os crentes, particularmente aqueles ativamente empenhados no ensino da Fé.

É sua ardorosa esperança que esse livro venha a acender no coração da totalidade dos amigos uma nova luz, por meio da qual lhes será concedida uma guia mais plena e um maior grau de inspiração em seus esforços em prol da Causa.

28 de janeiro de 1936

37. Agradece-lhe de modo especial a ele perceber nitidamente ser o livro "Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh" manancial de tão estupenda inspiração aos jovens bahá'ís e o fato de estarem todos eles empreendendo um zeloso estudo de seu conteúdo com o fito de se prepararem para um correto trabalho de ensino. Sua esperança é que esse volume venha a permitir-lhes obterem uma consciência mais plena de suas funções e responsabilidades e capacita-los a levantarem-se e proverem o exemplo aos demais crentes, não somente no campo do ensino como também em outras áreas de atividade bahá'í. Fervorosamente está ele suplicando a Bahá'u'lláh em teu favor e a bem de todos os jovens bahá'ís por todos os recantos dos Estados Unidos, e especialmente em favor do Comitê Nacional da Juventude, para que te sejam concedidas a inspiração, o conhecimento e a guia para prosseguires vigorosamente num serviço eficiente e fiel.

2 de fevereiro de 1936

38. Cumpre esforçar-se por elevar o nível dos estudos, de modo a prover ao bahá'í que está estudando a Fé um conhecimento maior da Causa - conhecimento esse que o capacitaria a expô-la apropriadamente às pessoas cultas.

8 de novembro de 1937

39. Em particular, ele observou com sincera satisfação as recomendações expedidas pelo Comitê Nacional de Juventude a nossos jovens bahá'ís, no sentido de empreenderem um estudo mais profundo do Testamento do Mestre e a ponderarem mais atentamente sobre suas implicações múltiplas e de vasto alcance. Espera ele que nas Conferências Regionais da Juventude hajam dedicado deste tema de suma importância, dispensando-lhe a plena ênfase de que é digno. Elevará ele orações para que os resultados obtidos sejam tais que proporcionem a todos os participantes tanto uma visão clara e mais ampla das incumbências, responsabilidades e obrigações de que serão convocados a desincumbir-se no correr do presente ano, com um renovado estímulo a que contribuam com plena medida de seu quinhão ao sucesso e completo cumprimento do Plano de Sete Anos.

O conselho do Guardião aos crentes jovens seria que, em seus estudos da Última Vontade e Testamento de 'Abdu'l-Bahá , lancem mão do livro "A Dispensação e Bahá'u'lláh, o qual sem dúvida haverá de auxilia-los consideravelmente a compreenderem as plenas implicações desse sagrado e histórico Documento por ele descrito como a Carta da Nova Ordem Mundial.

9 de janeiro de 1939

40. Sua fervorosa esperança e a ardorosa prece de seu coração são que te aprofundes cada vez mais em tua fé e continuamente faças progressos em tua compreensão e apreciação dos ensinamentos, manifestando tal zelo e perseverança em teus estudos bahá'ís que te possibilitem adquirir gradativamente, o pleno conhecimento, treinamento e experiência necessários a um futuro serviço à Fé que seja ativo e eficaz.

Conquanto ainda na flor da idade, cumpre a ti esforçares desde agora, mediante uma íntima associação com teus correligionários e através de tua perseverante aplicação aos estudos da Fé, prepares para aquele dia no qual, na qualidade de membro amadurecido e responsável da Comunidade universal criada por Bahá'u'lláh.

Agradou verdadeiramente ao Guardião observar que já começastes a ler alguns livros bahá'ís, e ele aconselhar-te-ia especialmente a te esforçares por memorizar certas passagens das Escrituras de Bahá'u'lláh, e em particular algumas de Suas orações. Indubitavelmente, tal adestramento ser-te-ia extremamente útil em teus futuros estudos da Causa, prestando-se, outrossim, a aprofundar e enriquecer consideravelmente tua própria vida espiritual no presente.

10 de abril de 1939

41. Merecedores de estudo e meditação sérios são aqueles padrões de conduta bahá'í por ele próprio apresentados em sua mais recente epístola geral, "O Advento da Justiça Divina" - padrões esse que estão a reclamar seja o preeminente dever de todo crente fiel e cônscio empenhar-se por apóia-los e promovê-los...

Os princípios e métodos estabelecidos pelo Guardião em "O Advento da Justiça Divina" concernentes a esse tema vital da ética bahá'í deveriam, de fato, revelar-se fontes de inestimável inspiração e guia a todos os estudiosos e amigos que participam das preleções da Escola de Verão, preparando-os, deste modo, para melhor apreciarem os privilégios e mais adequadamente se desincumbirem das responsabilidades devido à sua condição de cidadãos da Ordem Mundial de Bahá'u'lláh.

20 de maio de 1939

42. Indubitavelmente, os crentes, não importa quão qualificados sejam, quer como instrutores ou como administradores, e por mais elevados que sejam seus méritos intelectuais e espirituais, jamais deveriam ser considerados um padrão por meio do qual se possam avaliar e estimar a missão e a autoridade divinas da Fé. É aos próprios ensinamentos, bem como às vidas dos Fundadores da Causa, que os crentes deveriam volver-se a fim de obterem guia e inspiração, e não podem eles nutrir esperanças de estabelecer sua fidelidade a Bahá'u'lláh sobre um alicerce duradouro e inexpugnável senão procedendo absolutamente de acordo com tal correta atitude. Cabe a ti, portanto, te animares, e com vigilância infatigável e esforço incessante diligenciares desempenhar plenamente teu quinhão no desdobramento gradual desta divina Ordem Mundial.

23 de agosto de 1939

43. Seu conselho a ti é que prossigas a aprofundar teu conhecimento e tua compreensão desta Revelação, tanto por meio de um estudo paciente e pleno das escrituras bahá'ís, como através de uma ativa associação com teus companheiros de fé e uma plena participação nas atividades de tua comunidade local bahá'í.

12 de fevereiro de 1940

44. É assaz grandiosa a responsabilidade que pesa sobre os ombros dos crentes jovens, visto terem eles de se preparar para herdar o trabalho dos bahá'ís mais antigos e levarem avante os assuntos da Causa em geral; e, além disso levando em conta que o mundo que se lhes encontra à frente, como prometeu Bahá'u'lláh, será um mundo purificado por seus sofrimentos, pronto a dar ouvidos à Sua Mensagem Divina, afinal - um caráter extremamente elevado, em conseqüência, será considerado dever moral dos expoentes de tal religião. Cumpre a todo bahá'ís na flor da idade ter com seus deveres preeminentes aprofundar seu conhecimento e aperfeiçoar-se nos padrões bahá'ís de virtude e conduta íntegra.

6 de junho de 1941, à
Juventude Bahá'í de Bombaim, Índia.

45. Vós, infantes e jovens bahá'ís à vossa frente, a um tempo, grandes privilégios e grandes obrigações, porquanto é à vossa geração que caberá auxiliar na construção de um mundo novo, melhor e mais belo, após haverem expirado os anos sombrios desta guerra. Cumpre a vós vos preparardes para o desempenho desta grandiosa tarefa buscando compreender a verdadeira significação dos ensinamentos, e não apenas o aceitando meramente como algo que vos é ensinado. Assemelham-se eles a um novo e maravilhoso mundo de idéias, cuja exploração mal principiara e já podemos obter ainda assim, perfeita consciência de que Bahá'u'lláh proveu princípios e leis para o milênio vindouro, e nos é possível perceber de imediato que cada nova geração poderá desvelar alguma significação mais profunda nos ensinamentos que o lograram as precedentes.

14 de outubro de 1942

46. Com respeito a tua indagação relativa a teus estudos: sendo esta uma questão de natureza inteiramente pessoal que concerne a teu próprio futuro, sente o Guardião que deves chegar a uma decisão por ti mesmo, em consulta com teus pais. Todavia, ele exorta-te a te devotares tanto quanto possível ao estudo e à disseminação dos ensinamentos bahá'ís, quaisquer que sejam teus demais afazeres.

26 de maio de 1943

47. O que a Causa necessita é de mais bahá'ís eruditos, ou seja, pessoas que não apenas lhe sejam devotadas nela creiam e anseiem por transmiti-la aos demais, senão também que possuam uma profunda compreensão dos ensinamentos e de sua significação e sejam capazes de correlacionar sua crenças com os pensamentos e problemas contemporâneos da humanidade.

A Causa possui o remédio para todos os males do mundo. Se mais pessoas não a aceitam isto se deve ao fato de que nem sempre os bahá'ís são capazes de lhes apresentarem-na de um modo que satisfaça as necessidades imediatas de suas mentes. Incumbe aos jovens bahá'ís, como tu, prepararem-se a fim de realmente levarem a Mensagem a sua própria geração, a qual dele carece tão desesperadamente e é capaz de compreender tão bem a linguagem.

Dentre outros livros, ele te aconselha a estudares as Palestras de 'Abdu'l-Bahá, pois Seu modo de atingir a mente do público é insuperável.

21 de outubro de 1943

48. O Guardião nutre esperanças de que, concomitamente com quaisquer outros estudos que empreendas, venhas a estudar de forma contínua os ensinamentos e se esforce por obter um profundo conhecimento deles. É impossível atribuir uma ênfase excessiva à importância de os jovens bahá'ís assenhorearem-se plenamente em cada ramos dos ensinamentos, porquanto têm eles diante de si grandiosas tarefas de ensino por levarem a cabo.

24 de dezembro de 1943

49. Os integrantes da Fé na flor da idade têm de ser profundos e cônscios eruditos em seus preceitos, a fim de que estejam aptos a ensinar de um modo capaz de persuadir as pessoas de que já um remédio para todos os problemas com os quais se defrontam. Incumbe-lhes compreenderem a Administração, para que possam administrar sábia e eficientemente os sempre crescentes assuntos da Causa; e é imperativo que sejam exemplos do modo de vida bahá'í. Alcançar tudo isso não é fácil; contudo, o Guardião se sente sempre grandemente encorajado em ver o espírito que anima tais crentes jovens como tu e ele deposita sublimes esperanças naquilo que tua geração haverá de realizar.

12 de maio de 1944

50. Ele tem a impressão de que, em teu contato com os crentes, bem como ao ensinar novas almas, deverias auxiliá-los a obterem um pleno conhecimento e compreensão do Convênio e da Última Vontade e Testamento. Isto lhes proverá forças para que enfrentem todas as provações e compreendam a natureza da enfermidade espiritual que aflige os que se rebelam contra as instituições da Fé. Estamos de fato, numa época de provações e tribulações, tanto para o mundo inteiro como para os crentes também.

15 de agosto de 1945

51. Ele está inteiramente de acordo com tua opinião de que os bahá'ís necessitam se aprofundar nos ensinamentos; nesse sentido, um curso de estudos para adultos - quer por correspondência ou através de preleções, seria excelente, desde que pudesse ser levado a termo e contasse com a participação doa amigos. Conquanto conheçam bem os princípios, a administração e os fundamentos da Fé, carecem eles imensamente de estudar as obras mais profundas, as quais lhes seriam fonte de maturidade espiritual num grau mais elevado ou engendrariam unidade em sua vida comunitária e capacitá-los-iam a melhor serem exemplos do modo de vida bahá'í; noutras palavras, a "viverem a vida".

24 de fevereiro de 1946

52. O que o Guardião deseja exprimir para promover os interesses vitais das instituições da Fé é, entre outros pontos, que devemos ajudar nossas assembléias elegendo membros sábios e capazes, apoiando suas decisões, formulando, nas Festas, sugestões relativas às atividades e consultando corretamente sobre os assuntos da Causa; e ainda, contribuindo ao fundo, aprofundando nosso conhecimento da Ordem Administrativa, etc.

18 de março de 1946

53. O Guardião tem a impressão de que um conhecimento sólido de História, inclusive História da Religião, bem como de assuntos sociais e econômicos, é imensamente útil ao ensino da Causa a indivíduos inteligentes. Quanto à questão de em quais assuntos dentro da Fé deves concentrar-te ele considera que aos jovens bahá'ís cumpre assenhoreassem-se do conteúdo dos livros tais como "Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh", "Rompedores da Alvorada", "Kitáb-i-Íqán", "Respostas a algumas Perguntas" e as "Epístolas de Bahá'u'lláh" mais proeminentes. Todos os aspectos da Fé devem ser profundamente estudados...

4 de maio de 1946

54. Não há qualquer objeção a que os amigos memorizem orações; ao contrário, é excelente que o façam.

6 de setembro de 1946

55. Grandiosas tarefas permanecerem à frente: não somente tem de ser realizado o trabalho outorgado pelo Mestre, em Sua Mercê, aos amigos da América do Norte, mas também um espírito mais profundo de amor e unidade tem de ser cultivado pelos crentes no interior de suas próprias comunidades. Os amigos em si ainda são, em muitos aspectos, espiritualmente imaturos; incumbe-lhes estudarem os ensinamentos mais profundamente e aprenderem a agir como almas verdadeiramente maduras em todos os seus relacionamentos, tanto dentro da Causa como com todos os seus semelhantes.

5 de fevereiro de 1947, à

Assembléia Espiritual Local Dos Bahá'ís de Teaneck,

Nova Jérsei, E.U. A

56. Parece-lhes que muitas das perplexidades que surgem em tua mente poderiam ser dissipadas se concebesses sempre os ensinamentos com um todo, grandioso e uno, dotado de inúmeras facetas. A verdade, ao abranger questões distintas, pode afigurar-se paradoxal; contudo, toda ela é uma, desde que leves a cabo o pensamento até seu remate. . . Ele nutre esperanças de que haverás de... assegurar-te intimamente de que, em geral, há uma explanação verdadeiramente simples e razoável para essas questões cuja compreensão, às vezes, aparenta ser obscura.

24 de fevereiro de 1947

57. O que ele quer dizer por "verdades da Fé" são os grandes ensinamentos e princípios fundamentais entesourados em nossa literatura bahá'í; podemos descobri-las lendo os livros, estudando sob a orientação de eruditos bahá'ís em Escolas de Verão e reuniões de estudo, e mediante o auxílio de guias de estudo.

19 de abril de 1947

58. Há anos Shoghi Effendi tem exortado os bahá'ís, tanto os que solicitaram seu conselho, como todos em geral, a estudarem História, Economia, Sociologia, etc., a fim de estarem inteiramente a par de todos os movimentos e pensamentos progressistas que brotam hoje, e de modo a poderem correlacioná-los aos ensinamentos bahá'ís. O que ele deseja dos bahá'ís é que estudem mais, e não que estudem menos. Quanto mais conhecimento gerais, científicos ou não, possuírem, melhor. Outrossim, está ele a exorta-los constantemente a verdadeiramente estudarem os ensinamentos bahá'ís de modo mais profundo. Poder-se-ia assemelhar os preceitos de Bahá'u'lláh a um globo; há pontos diametralmente opostos, e entre eles os pensamentos e doutrinas que os unem.

5 de julho de 1947

59. Agrada-lhes deveras, ter ciência de que o livro "Orações e Meditações", de Bahá'u'lláh, foi lançado a tempo de permitir aos amigos sua leitura durante o período de jejum, e ele está extremamente esperançoso de que a leitura atenta de tão precioso volume ajudará, mais que qualquer outra publicação, a aprofundar o espírito de devoção e fé dos amigos, imbuindo-os, desse modo, de todo o poder espiritual de que necessitam para o cumprimento de seus formidáveis deveres para a Causa.

Citado em "Bahá'ís News"
Outubro de 1948, V. 212, p.1.

60. Ele tem a impressão de que o que os bahá'ís alemães mais necessitam - e é imperioso possuí-la - primordial e vital, é uma compreensão muito mais profunda dos Convênios dd Bahá'u'lláh e do Mestre. Essa é a pedra angular sem a qual nenhuma superestrutura sólida pode ser erigida. Nem a administração, nem o trabalho geral de ensino na Alemanha haverão de progredir ou ser capazes de realizar algo, a menos que os crentes sejam bahá'ís unicamente firmes, profundos e espiritualmente convictos. Um compreensão intelectual dos ensinamentos é inteiramente superficial; ao defrontarem-se com a primeira verdadeira provação, tais crentes são abalados em sua fé! Todavia, uma vez que o bahá'í possua a profunda convicção da autoridade oriunda de Deus, outorgada ao Profeta, transmitida ao Mestre, e por Ele aos Guardiões - autoridades essa que emana através das assembléias e requer ordem baseada em obediência; uma vez que um bahá'í possua isso, nada poderá abalá-lo.

11 de abril de 1949

61. Conforme expressou em seu telegrama de há poucos dias à Assembléia Espiritual Nacional, ele tem a impressão de que as dificuldades surgidas. . .devem-se essencialmente ao fato de que os crentes carece de ser aprofundados em seu conhecimento e sua apreciação dos Convênios de Bahá'u'lláh e 'Abdu'l-Bahá. Esse é o baluarte da fé de todo bahá'í, que o capacita a resistir a todas as provações e aos ataques dos inimigos exteriores à Fé, bem como aos muito mais perigosos indivíduos insidiosos e tíbios, interiores da Fé, que nenhuma fidelidade verdadeira ao Convênio devotam apoiando conseqüentemente o aspecto intelectual dos ensinamentos e concomitantemente solapando a base espiritual sobre a qual se fundamenta toda a Causa de Deus.

15 de abril de 1949

62. Aparentemente, o que necessitamos no momento é de conhecimentos relativos à Fé, resultantes de estudo e pesquisa, mais profundos e coordenados, a fim de atrair pessoas como as que estás contatando. Atualmente, o mundo - ao menos o mundo pensante - já se pôs em dia em relação aos grandiosos princípios universais enunciados há mais de setenta anos por Bahá'u'lláh, de modo eu estes obviamente, não lhes soam "novos". Não obstante, sabemos que os ensinamentos mais profundos e a capacidade da ordem mundial por Ele arquitetada para recriar a sociedade são novos e dinâmicos. São esses os pontos que temos de aprender a apresentar de forma inteligente e atraente a tais homens.

3 de julho de 1949

63. Se os bahá'ís desejam ser realmente eficazes no ensino da Causa, devem ser muito melhor instruídos e capazes de discutir inteligente e racionalmente a presente situação do mundo e seus problemas. Necessitamos de bahá'ís eruditos e ilustrados, ou seja, pessoas não apenas de longe muito mais profundamente cônscias do que nossos ensinamentos verdadeiramente são, senão também de vasta bagagem de leitura e bem instruídas, capazes de correlacioná-los às idéias contemporâneas dos líderes da sociedade.

Em outras palavras, nós bahá'ís devemos armar nossas mentes com conhecimento, a fim de melhor demonstrarmos, especialmente às classes cultas, as verdades entesouradas em nossa Fé.

5 de junho de 1949

64. Causou-lhe pesar tomar conhecimento de alguns dos fatos que descreves. Deles se observam grande imaturidade espiritual por parte de alguns bahá'ís e uma assombrosa carência de compreensão e estudo dos ensinamentos.

Tu não deves cometer o grave equívoco de julgar nossa Fé por uma única comunidade que, obviamente, necessita estudar e obedecer aos ensinamentos bahá'ís. As debilidades e singularidades humanas podem constituir uma grande provação. No entanto, o único modo ou quiçá melhor dizendo, o primeiro e melhor modo de remediar tais situações é se fazer o que é correto. Uma só alma pode sr a causa da iluminação espiritual de um continente. Agora que observaste e remediaste uma grande falha em tua própria vida, agora que percebes mais nitidamente o que está faltando em tua própria comunidade, nenhum obstáculo há de te impedir de te ergueres e mostrares tal exemplo, tal amor e espírito de serviço que incendeiem os corações de teus irmãos bahá'ís.

Ele exorta-te a empreenderes profundo estudo dos ensinamentos, ensinares os demais, estudares em conjunto com os bahá'ís que anseiam fazê-lo e, através de exemplo, esforço e oração, irás provocar uma transformação.

30 de setembro de 1949

65. Há carência de instrutores maduros em tantas localidades! Infelizmente não há suficientes para irem a todos os lugares e executarem todo o trabalho por ser feito! Eis porque é de tamanha relevância que os novos bahá'ís europeus, como tu, estudem profundamente os ensinamentos e se qualifiquem para assumir a obra iniciada por seus irmãos norte-americanos, a fim de liberar esses pioneiros para servirem em áreas onde a necessidade é maior.

Uma só alma consciente, dotada de compreensão espiritual e profundo conhecimento da Fé, é capaz de conflagrar todo um país - tão grandioso é o poder da Causa para operar através de um canal puro e desprendido de si mesmo.

6 de novembro de 1949

66. . . . ao mesmo tempo que ensinam ativamente, os próprios amigos têm de ser ensinados e aprofundados no espírito da Fé, o eu dá origem ao amor e a unidade.

17 de julho de 1951

67. Agradou-lhe sobretudo tomar conhecimento de que tens servido à Causa proferido inúmeros discursos; esse é um campo de serviço assaz importante, ao qual deves dedicar tanto tempo quanto possível. É imperioso seja o grande público informado acerca da Fé, e cumpre idear novas formas e meios de chamar a atenção do público à Causa. Aconselha-te ele, outrossim, a estudares os próprios ensinamentos mais profundamente. Há de fato, maior necessidade de erudição e conhecimento relativos à Fé que erudição e conhecimento mundanos, pois aqueles são espirituais, enquanto estes são mais ou menos efêmeros. Há uma verdadeira carência na Causa, de indivíduos que conheçam cabalmente os ensinamentos, em especial as verdades mais profundas nele encerradas, e que conseqüentemente estejam aptos a ensinar as almas de modo correto e assentar um alicerce permanente, que permaneça incólume e inabalável diante de provações e tribulações.

27 de agosto de 1951

68. Quando uma pessoa torna-se bahá'í, o que realmente acontece é que a semente do espírito principia a germinar na alma humana. Tal semente tem de ser regada pelas efusões do Espírito Santo. Essas dádivas do espírito são recebidas através da oração, meditação, estudo das palavras sagradas e serviço a Causa de Deus.

. . . Naturalmente, haverá períodos de sofrimentos e dificuldades e mesmo de sérias provas; entretanto, se tal pessoa volve-se em direção à Manifestação divina, estuda cuidadosamente seus ensinamentos espirituais e recebe as graças do Espírito Santo, ela descobrirá que na verdade estas provas e dificuldades foram dádivas de Deus para torná-la capas de crescer e desenvolver-se.

6 de outubro de 1954

69. É preferível ter um bahá'í que compreenda os Ensinamentos e esteja sinceramente convicto de sua verdade, a possuir vários deles não inteiramente conhecedores da Causa nem profundamente arraigados no Convênio.

22 de janeiro de 1955

70. Ele está assaz feliz por esta oportunidade de dar-te as boas-vindas por ocasião de teu ingresso no serviço a nossa gloriosa Fé, e ele exorta-te a leres serena e constantemente os ensinamentos, pois deste modo estarás preparando-te para ensinar a outrem, e desta forma, aprofundando tua própria compreensão e estabelecendo em tua alma e teu caráter um alicerce inabalável e indestrutível, a despeito de quantas provações e tribulações que venha a lhe assediar.

28 de abril de 1955

71. Quando os amigos meditarem sobre os ensinamentos, suplicarem fervorosamente por confirmações divinas, para sua labuta, estudarem os ensinamentos a fim de transmitirem seu espírito àqueles que buscam, e então, lançarem-se à ação, acima de tudo nela perseverando; aí então seus esforços na frente doméstica serão coroados de êxito. Quando estes passos forem seguidos, e o trabalho de ensino for levado avante com espírito de sacrifício e entusiasmo devotado, a Fé haverá de disseminar-se celeremente.

25 de março de 1956

72. Há uma necessidade extrema de que os próprios bahá'ís se aprofundem e sua própria fé. Eles não estudam suficientemente os ensinamentos; em conseqüência, não agem com a devoção própria que os bahá'ís como eles deveriam demonstrar e tão pouco colhem a força espiritual da Fé proporcionada pelo estudo, oração e meditação.

26 de março de 1956

73. Depreende-se das cartas e relatos recebidos que alguns crentes mais jovens dão a impressão de carecer de um embasamento sólido em assuntos como a Ùltima Vontade e Testamento e os ensinamentos espirituais mais profundos da Fé. Sempre que a compreensão destes pontos essenciais é deficiente, é quase inevitável que os amigos dispensem atenção indevida a procedimentos secundários, discutem sutilmente sobre os detalhes, se percam em personalismos e naufraguem num mar de desnecessária desarmonia. Isto nada tem a ver com sua devoção, sua fidelidade, seu zelo entusiástico e seu anseio de servir. Trata-se meramente de uma questão de não haverem recebido - quiçá em função da carência de instrutores suficientes para levarem avante a atividade sumamente relevante de aprofundar os amigos em sua própria fé - uma instrução suficientemente sólida no Convênio antes que as incumbências e responsabilidades da Ordem Administrativa recaíssem sobre seus ombros.

26 de junho de 1956, à
Assembléia Nacional dos Bahá'ís do Canadá

74. É evidente que um dos motivos pelos quais o trabalho na frente doméstica dos Estados Unidos está progredindo com tão grave morosidade é que os próprios bahá'ís, conquanto indubitavelmente devotados, fiéis e cônscios, nem sempre estão mui profundamente alicerçados nos fundamentos espirituais de sua Fé. Isso gera um desajustamento, por assim dizer, na natureza de seu serviço à Causa; e somente por meio de uma compreensão mais profunda da Fé, e da força espiritual interior proporcionada por essa compreensão mais profunda de sua Fé, e da força espiritual interior proporcionada por essa compreensão, é que eles serão capazes de se revigorarem para o cumprimento de suas tarefas e para alcançarem o regozijo de desincumbirem-se de seus deveres e apossarem-se de seus privilégios.

19 de julho de 1956,
à Assembléia Espiritual Nacional
dos Bahá'ís dos Estados Unidos.

75. Os amigos necessitam tão somente ler as Escrituras, pois as respostas encontram-se todas nelas; não temos clérigos nesta Fé para servirem de intérpretes ou proverem as respostas a nós.

23 de abril de 1957

76. Não basta fazer com que as pessoas ingressem na Fé, após sua declaração, cumpre educá-las e aprofundá-las no amor pela Causa e no conhecimento de seus ensinamentos. Como os bahá'ís especialmente os instrutores ativos, são numericamente escassos, e como há um enorme trabalho por se fazer, a instrução desses recém ingressados é, com freqüência, deploravelmente negligenciada, produzindo então resultados como as defecções recentemente havidas em vossa área. A essa máxima ajuda aos amigos, bahá'ís novos e antigos igualmente, porquanto neles têm eles a oportunidade de estudar e deleitar-se com o sentimento de camaradagem bahá'í do qual, é de se lastimar, sua comunidades mães geralmente carecem, em função da escassez de seus membros.

18 de julho de 1957

à Assembléia Espiritual Nacional dos Bahá'ís do Canadá

REFERÊNCIAS USADAS NESTA COMPILAÇÃO

ABL 'Abdu'l-Bahá. 'Abdu'l-Bahá in London. (Chicago: Bahá'í Publishing Society, 1921)

AJD Shoghi Effendi. O Advento da Justiça Divina. (Rio de Janeiro: Editora Bahá'í do Brasil - Brasil, 1970)

ASC The Universal House of Justice. A Synopsis and Codification of the Laws of the Kitáb-I-Aqdas. (Haifa: Bahá'í World Centre, 1973)

BA Shoghi Effendi. Bahá'í Administration. (Wilmette: Bahá'í Publishing Trust, 1974)

BW The Bahá'í World, 1932-1934 (New York: Bahá'í Publishing Committee, 1936)

CBM Compilation on Bahá'í Meeting. (Haifa: Bahá'í World Centre, 1976)

CF Shoghi Effendi. Citadel of Faith - Messages to America / 1947-1957. (Wilmette: Bahá'í Publishing Trust, 1980)

DOB Shoghi Effendi. Dispensation of Bahá'u'lláh. (London: Bahá'í Publishing Trust, 1981)

EB Bahá'u'lláh. Epístolas de Bahá'u'lláh. (Rio de Janeiro: Editora Bahá'í do Brasil - Brasil, 1981)

ESW Bahá'u'lláh. Epistle of the Son of the Wolf. (Wilmette: Bahá'í Publishing Trust, 1979)

EV 'Abdu'l-Bahá. O Esplendor da Verdade. (Rio de Janeiro: Editora Bahá'í do Brasil - Brasil, 1979)

FWU 'Abdu'l-Bahá. Foundations of World Unity. (Wilmette: Bahá'í Publishing Trust, 1979)

KI Bahá'u'lláh. Kitáb-i-Íqán - O Livro da Certeza. (Rio de Janeiro: Editora Bahá'í - Brasil, 1979)

PAP 'Abdu'l-Bahá. Palestras de 'Abdu'l-Bahá em Paris 1911. (Rio de Janeiro: Editora Bahá'í - Brasil, 1979)

PM Bahá'u'lláh. Prayer and Meditations by Bahá'u'lláh. (Wilmette: Bahá'í Publishing Trust, 1979)

PUP Promulgation of Universal Peace (2nd ed. Wilmette: Bahá'í Publishing Trust, 1982)

SEB Bahá'u'lláh. Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh. (Rio de Janeiro: Editora Bahá'í - Brasil, 1977.)

SW Star of the West. The Bahá'í Magazine. Published from 1910 to 1933 from Chicago an Washington, D. C., by official Bahá'í agencies.

SWA 'Abdu'l-Bahá. Selection from the Writings of 'Abdu'l-Bahá. (Haifa: Bahá'í World Centre, 1978)

TAB 'Abdu'l-Bahá. Tablets of 'Abdu'l-Bahá 'Abbás. (Chicago: Bahá'í Publishing Society, 3 vols., 1909-1916)

WOB Shoghi Effendi. The World Order of Bahá'u'lláh. (Wilmette: Bahá'í Publishing Trust, 1980)

* Referência ao Kitáb-i-Íqán, o Livro da Certeza, revelado por Bahá'u'lláh em 1862, em Bagdá, e referido pelo Guardião "uma obra de proeminência inexcedível dentre os escritos do Autor da Revelação Bahá'í" N.T.


Table of Contents: Albanian :Arabic :Belarusian :Bulgarian :Chinese_Simplified :Chinese_Traditional :Danish :Dutch :English :French :German :Hungarian :Italian :Japanese :Korean :Latvian :Norwegian :Persian :Polish :Portuguese :Romanian :Russian :Spanish :Swedish :Turkish :Ukrainian :