Announcing: BahaiPrayers.net


More Books by Compilações

A Assembléia Epiritual Nacional - The National Spiritual Assembly
A Assembléia Espiritual Local - The Local Spiritual Assembly
A Fonte de Todo Bem - The Source of All Good
A Importância da Oração e da Meditação
A Importância da Oração Obrigatória e do Jejum
A Importância das artes na promoção da Fé
A Instituição dos Conselheiros
A Lampada que Guia - Bahá'í Consultation
A Questão mais desafiadora
Aquisição de Sabedoria
Arte e Assuntos Correlatos
Assembléia Espiritual Local - Suplemento
Captando a Centelha da Fé - The Importance of Mass Teaching
Casamento Bahá'í
Conservação dos Recursos da Terra - Conservation of the Earth's Resources
Contribuição aos Fundos
Crise e Vitória
Desencorajando o Divórcio
Educação Bahai - Uma Compilação
Em busca da Luz do Reino - Excellence in all Things
Fidedignidade
Funeral Bahá'í
Huqúqu'lláh - O Direito de Deus
Juventude
Liberando o Poder da Ação Individual - Unlocking The Power of Action
Mulher
No Limiar da Paz - At the Dawn of Peace
O Aprofundamento, o Conhecimento e a Compreensão da Fé
O Convênio
O Indivíduo e o Ensino - Raising the Divine Call
Oposição da Fé
OraçSes Bahá'ís
Padrão de Vida Bahá'í
Por amor à Causa - Pionneiring
Preservando casamentos Bahá'ís
Revelação Bahá'í, A
Sabeísmo
Saúde, Higiene e Cura
Uma Conquista Especial - Proeminent People
Uma Nova Raça de Homens - A New Race of Men
Uma onda de ternura - Family Life
Uma Vida Casta e Santa
Viver a vida - Living the Life
Free Interfaith Software

Web - Windows - iPhone








Compilações : Fidedignidade
Fidedignidade

Titulo Original em inglês: Trustworthiness: A cardinal Bahá'í virtue

Editora Bahá'í do Brasil
Tradução: Rolf von Czékus

(Exceto trechos já publicados em língua portuguesa)

APRESENTAÇÃO

Bahá'u'lláh chama de fidedignidade "o supremo instrumento para a prosperidade do

mundo, e o horizonte da convicção a todos os seres".

Esta compilação de extratos das Escrituras Bahá'ís reconcilia – pela primeira vez

em português – de forma clara e poderosa a guia sobre esta importante virtude, que é

fundamental para o desenvolvimento do caráter do indivíduo bahá'í e da vida da

comunidade como um todo.

A Casa Universal de Justiça oferece a experiência bahá'í ao mundo como um

modelo de estudo em sua procura pela paz. Conforme mais e mais pessoas respondem a

esta oferta, é vital que apreciemos e tentemos preservar o padrão bahá'í de fidedignidade

em nossos lares, em nossas relações com os outros, tanto dentro como fora da Comunidade

Bahá'í.

A guia oferecida nesta compilação explica quais os modelos exigidos, porque e de

que forma alcançá-la.

A fidedignidade é especialmente importante em relação ao número crescente de

projetos socioeconômicos em expansão, sendo empreendidos ou gerenciados por bahá'ís ou

pelas instituições bahá'ís. O sucesso e integridade destes projetos dependerão grandemente

da habilidade de compreender e implementar os padrões bahá'ís de moralidade em tudo que

dizemos ou fazemos. A adesão para estes princípios e virtudes também demonstrarão a

verdade de nossa fé para um mundo cético e descrente, e nós somos impelidos a agir de tal

maneira, que toda a humanidade possa beneficiar-se com nosso exemplo.

Esta preciosa compilação provê uma fonte rica de dados para o aprofundamento

pessoal e estudo comunitário, que em sua maioria foi aqui publicado pela primeira vez.

Editora Bahá'í do Brasil
I
EXCERTOS DOS ESCRITOS DE BAHÁ'U'LLÁH

1. Ó povos! A mais formosa vestimenta aos olhos de Deus, neste dia, é a fidedignidade.

Toda generosidade e honra serão a recompensa da alma que se adornar com este, o

maior de todos os adornos.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

2. Considerai a fé como uma árvore. Seus frutos, folhas, ramos e galhos são, e sempre

foram, fidedignidade, veracidade, integridade e tolerância.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

3. As virtudes e qualidades pertencentes a Deus estão todas evidentes e manifestas e têm

sido mencionadas e descritas em todos os Livros celestiais. Entre elas se encontram a

fidedignidade, a veracidade, a pureza de coração enquanto se comunga com Deus, a

tolerância, a resignação a qualquer coisa que o Onipotente haja decretado, o

contentamento com as coisas que Sua Vontade providenciou, a paciência, ou, antes, a

gratidão, em meio às tribulações, e a completa confiança nEle, sob todas as

circunstâncias. Estas, segundo a estimativa de Deus, se incluem entre os mais elevados

e louváveis de todos os atos. Todos os outros atos lhes são e sempre haverão de

permanecer, secundários e subordinados...

Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh, CXXXIV, p.182

4. Embelezai vossas línguas com a veracidade, ó povo, e adornai vossas almas com o

ornamento da honestidade. Guardai-vos, ó povo, de tratar qualquer um de modo

traiçoeiro. Sede vós os portadores da incumbência de Deus entre Suas criaturas e os

emblemas de Sua generosidade entre Seu povo. Os que seguem seus desejos lascivos e

inclinações corruptas têm errado e dissipado seus esforços. São, de fato, dos perdidos...

Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh, CXXXVI, p. 186

5. O desígnio do Deus Uno e Verdadeiro ao manifestar-se, é convocar todos os homens

para a veracidade e a sinceridade, para serem piedosos e fidedignos, resignados e

submissos à Vontade de Deus, para mostrarem tolerância e bondade, retidão e

sabedoria. Seu objetivo é adornar todo homem com o manto de um caráter pio, com o

ornamento de belas e santas ações.

Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh, CXXXVII, p. 187

6. Dize: Sejam a veracidade e a cortesia vosso adorno. Não vos deixeis ser privados do

manto da tolerância e justiça, para que os doces sabores da santidade possam manar de

vossos corações sobre todas as coisas criadas. Dize: Guardai-vos, ó povo de Bahá, de

andar nos caminhos daqueles cujas palavras diferem das ações. Esforçai-vos para que

possais manifestar aos povos da terra os sinais de Deus e espelhar Seus mandamentos...

Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh, CXXXIX, p. 190

7. Pedimos a Deus, exaltada seja Sua glória, que confirme cada um dos amigos naquela

região na aquisição de características louváveis tais que venham a levar à difusão da

justiça e eqüidade entre os povos do mundo. O propósito primordial, fundamental, que

baseia toda a criação, sempre foi e continuará a ser, nada menos que o aparecimento de

fidedignidade e santidade, de sinceridade e boa vontade entre a humanidade, pois estas

qualidades são a causa de paz, segurança e tranqüilidade. Abençoados sejam aqueles

que possuem tais virtudes.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

8. Suplico-Te, ó meu Deus, por toda a glória transcendente de Teu Nome, que adornes

Teus amados com o manto da justiça e ilumines seus seres com a luz da fidedignidade.

Tu és Aquele que tem o poder de fazer o que Lhe apraz e que segura em Sua mão as

rédeas de todas as coisas, visíveis e invisíveis.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

9. Dize: ó povo de Deus! Ataviai vossos templos com o adorno da fidedignidade e da

piedade. Ajudai, então, a vosso Senhor, com as hostes de belas ações e de um caráter

louvável.

De Ishráquát, publicado em "Epístolas de Bahá'u'lláh", p. 133

10. Num dia dos dias, nos recolhemos à Nossa Ilha Verde. Ao chegarmos, vimos fluírem

seus rios, observamos suas árvores viçosas e a luz do sol que em seu meio cintilava.

Volvendo a face à direita, contemplamos o que a pena é impotente para descrever; nem

pode ela expor o que os olhos do Senhor da Humanidade presenciou nesse mais

sagrado, mais sublime Lugar, nesse Lugar bendito e excelso. Volvendo-nos, então, para

a esquerda, fitamos um dos belos Seres desse Mais Sublime Paraíso, que em um pilar

de luz, pousava e clamava, dizendo: "Ó habitantes da terra e do céu! Contemplai Minha

beleza, Meu esplendor, Minha revelação e Minha fulgência. Por Deus, o Verdadeiro!

Sou a Fidedignidade – sua revelação e sua formosura. Recompensarei a quem quer que

a Mim adira, que Me reconheça o grau e a posição e se segure à Minha orla. Sou o

maior ornamento do povo de Bahá, e a vestimenta da glória para todos os que estão no

reino da criação. Sou o instrumento supremo para a prosperidade do mundo e o

horizonte da certeza para todos os seres." Assim a ti temos feito descer o que faça os

homens se aproximarem do Senhor da criação.

De Ishráquát, publicado em "Epístolas de Bahá'u'lláh", pp. 134-135

11. O quarto Taráz concerne à fidedignidade. Verdadeiramente, é a porta da segurança para

todos os que habitam na terra e um sinal de glória da parte do Todo-Misericordioso.

Quem dela participa, tem participado, realmente, dos tesouros da riqueza e

prosperidade. A fidedignidade é o maior portal que conduz à tranqüilidade e segurança

dos povos. Dela a estabilidade de todo assunto tem, deveras, dependido e ainda

depende. Todos os domínios de poder, de grandeza e de riquezas são iluminados por

sua luz.

De Ishráquát, publicado em "Epístolas de Bahá'u'lláh", pp. 45-46

12. Fosse um homem neste dia se adornar com o manto da fidedignidade, isto, lhe seria

melhor, aos olhos de Deus, do que se viesse a viajar a pé em direção à santa corte e

viesse a ser abençoado por se encontrar com o Adorado e estar ante Seu Trono de

Glória. A fidedignidade é como uma fortaleza para a cidade da humanidade e como

olhos para o templo humano. Todo aquele que dela se privar, será contado, ante Seu

trono, como alguém destituído de visão.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

13. Recordamo-Nos de cada um dos amigos e os exortamos a prezarem a fidedignidade, a

qual é uma incumbência que Deus confiou à guarda de Seus servos; a justeza, a qual

Ele fez uma cidadela de força para Seus bem-parecidos, fiéis e humildes servos; e

àquelas virtudes que lhes conduzam à sua dignidade e honra entre todos os povos.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

14. Ó vós amados de Deus e Seus escolhidos em toda terra e região! Aquele que o mundo

injuriou lhes prescreve fidedignidade e retidão. Bem esteja com a cidade que é

iluminada pela luz destas qualidades que conferem distinção sobre a posição do homem

e abrem as portas da tranqüilidade e segurança perante todos aqueles que vivem no

mundo da criação. Abençoado seja o homem que nela se mantenha firme e apreende

sua virtude, e infortúnio sobrevenha àqueles que disputam seu mérito.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

15. Ó vós amigos de Deus em Suas cidades e Seus bem-amados em Suas terras! Este

Injustiçado ordena-vos a honestidade e a piedade. Abençoada a cidade que brilha pela

luz delas. Através delas, o homem é enaltecido e a porta da segurança é aberta diante

dos olhos de toda a criação. Bem-aventurado o homem que se mantém fortemente fiel a

elas e reconhece sua virtude; infeliz daquele que lhes nega a posição.

Epístola ao Filho do Lobo, pp.39-40

16. Sede manifestações da fidedignidade de Deus em todas as terras. Tão perfeitamente

deveis espelhar esta qualidade que mesmo que fosseis viajar por cidades cobertas de

ouro, vosso olhar não seria seduzido por um só momento pelo seu fascínio. Este é o

padrão que vos é exigido, ó assembléia de verdadeiros crentes. Apoiai vosso

misericordioso Senhor com vossas riquezas e bens para que em todos os mundos de

Deus Seus servos possam inalar de vós as doces fragrâncias do Deus Uno e Verdadeiro.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

17. Aquele é o verdadeiro servo de Deus que, neste dia, ainda que passasse por cidades de

prata e ouro, não se dignaria de olhar para elas, e cujo coração permaneceria puro, sem

ser contaminado por quaisquer coisas que possam ser vistas neste mundo, sejam seus

bens ou seus tesouros. Invoco o testemunho do Sol da Verdade! O sopro de tal homem

é dotado de potência e suas palavras, de atração.

Citado em, "O Advento da Justiça Divina", pp. 37-38

18. Dize: Ó portador de Meu Nome! Sobre ti estejam a Minha glória e Minha benevolência.

Sempre fostes adornado com o imaculado manto da fidedignidade e piedade. Estas

qualidades gêmeas são como dois companheiros para ti nos quais poderás encontrar

consolo. São como duas sentinelas que zelam por ti e dois guardiões que, com a

permissão de Deus, irão proteger-te de dano.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

19. Aderi à orla das vestes da virtude e segurai-vos firmemente à corda da piedade e

fidedignidade. Considerai o bem do mundo e não vossos próprios desejos egoístas. Ó

povo de Deus! Sois os pastores do mundo. Mantei vossos rebanhos sem se macularem

com a lama das más paixões e desejos, e adornai cada um com o ornamento do temor de

Deus. Este é o firme mando que neste dia procedeu da pena do Sempiterno. Juro pela

retidão de Deus! A espada da conduta reta e de um caráter virtuoso é mais afiada que as

lâminas de aço.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

20. Suplicamos a Deus cortesmente que, conceda a todos evidenciar uma tal retidão de

caráter, uma tal excelência de ação e uma tal benevolência de palavra para que possam

alcançar o Seu beneplácito. Foi decretado que as cidadelas dos corações dos homens

devam ser subjugadas por meio das hostes de um caráter nobre e ações louváveis.

Contenda, discórdia, luta e sedição, todas elas, foram proibidas no livro de Deus.

Suplicai ao Senhor que Ele não prive Seus domínios da luz efulgente do sol da

fidedignidade, nem lhes negue a radiância do sol da veracidade ou o esplendor do orbe

da justiça e eqüidade. Fidedignidade e piedade são como dois luminares brilhando

resplendentes acima do horizonte do céu da Epístola na qual estão inscritos os decretos

de Deus. Bem-aventurados os que as tenham discernido, e infortúnio sobrevenha aos

desatentos!
De uma Epístola não traduzida anteriormente

21. Aconselhamos a todas as pessoas, na linguagem mais clara e eloqüente, a que adornem

seus caráteres com fidedignidade e santidade, e com tais qualidades que sejam

conducentes à elevação da posição do homem no mundo da existência. Este injuriado

dá testemunho que o propósito para o qual os homens mortais entraram, vindos do

absoluto nada, nos reinos da existência, é que possam trabalhar para o melhoramento do

mundo e para viverem juntos em concórdia e harmonia. Desavença e contenda sempre

foram e permanecerão, rejeitadas por Deus. Os Livros, as Escrituras e os Escritos

Sagrados de épocas passadas tem proclamado as alegres boas novas de que o propósito

básico desta poderosíssima Revelação não é nenhum outro senão a reabilitação do

mundo e de suas nações; que porventura o poder da elocução possa prevalecer sobre o

poder das armas, e os assuntos do mundo possam ser administrados através da potência

do amor. Pedimos a Deus, o Verdadeiro, que envolva todos com o manto da

fidedignidade, pois esta é a mais bela vestimenta do mundo.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

22. Adere ao temor de Deus e a tudo o que tem sido revelado em Seu Livro: assim te

ordena Aquele que é a Palavra da Verdade e o Conhecedor das coisas invisíveis. Diz:

fidedignidade é o sol do céu de Meus mandamentos, veracidade a sua lua, e atributos

louváveis as suas estrelas. No entanto, as pessoas, em sua maioria, não o compreendem.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

23. Enviamos nossas saudações aos fiéis seguidores do Deus Uno e Verdadeiro, que

provaram das doces águas da benevolência e dirigiram os seus olhares em direção ao

Reino da Glória. Nós lhes prescrevemos a todos, para que ajam com fidedignidade e

retidão e para que levem vidas castas e virtuosas.

Ó amigos amados! Quem quer que adorne seu caráter com tais virtudes será contado

entre os verdadeiros servos de Deus e seu nome será comemorado pelo Concurso no

Alto; porém, aquele que disto se privar não será contado entre o seu número. Esforçai-

vos diligentemente para adquirir tais qualidades virtuosas e traços de caráter que sejam

a causa de salvação eterna. Não tornai as frutas da árvore da fidedignidade alvos para as

pedras da perfídia, nem lacerai seus ramos com os instrumentos da tirania e da

opressão. Veracidade e sinceridade sempre foram os ornamentos do caráter do homem e

para sempre continuarão a sê-lo.

Ó amigos! Que a fascinação ilusória deste mundo fugaz – a cuja impermanência

todas as coisas atestam – não vos aparte das dádivas duradouras de Deus, nem vos prive

de participar do alimento espiritual que Ele fez descer do céu de Sua generosidade.

Mantei vosso olhar fixado nAquele que é a Palavra Soberana da Verdade: colocai a

vossa inteira confiança Nele e suplicai a Ele para que vos destine o que seja

conveniente e apropriado. Confie vossos assuntos nas mãos de Deus, o Senhor da

criação. Recordai-vos dos povos de eras passadas: para onde se apressaram os

orgulhosos e vaidosos, os maquinadores de iniqüidade e injustiça? Onde estão seus

tesouros açambarcados, seus palácios, cidadelas e tronos? Refleti a respeito daqueles

dias passados, e as vicissitudes que lembram, e sede, assim, admoestados. A oração

deste Injustiçado é que Deus possa ajudar a todos a fazer o que possa alcançar Sua

graça e aceitação.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

24. Tu és muito querido para Nós; e, do mesmo modo como te amamos, assim também

amamos a todos nos quais possam ser percebidos os virtuosos adornos da fidedignidade

e retidão, e tais qualidades de virtude e integridade como foram prescritas aos homens

no Livro de Deus, o Senhor do Poderoso Trono. Feliz o destino da alma que percebeu

os fragrantes alentos da elocução divina e que deu ouvidos ao que foi revelado por

Deus, o Onisciente, O de tudo informado. Deus, verdadeiramente, quis que Sua Causa

devesse ser ajudada pelas hostes de ações virtuosas e um caráter reto. Abençoado,

portanto, seja o homem que perceber esta verdade e agir de conformidade; e ai daqueles

que a ignorem ou neguem!
De uma Epístola não traduzida anteriormente

25. Enviamos nossas saudações aos amigos e os exortamos a agirem com retidão,

fidedignidade, piedade, virtude e bondade – em suma, com todas aquelas qualidades

que servem para produzir a verdadeira posição do homem no mundo da existência.

Aquele que é a Verdade Eterna, exaltada seja a Sua glória, sempre amou fidelidade.

Bem-aventurado aquele que adorna seu templo com suas vestes e é honrado por esta, a

maior de todas as distinções.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

26. Fidedignidade, sabedoria e honestidade são, em verdade, os belos adornos de Deus para

Suas criaturas. Estes lindos trajes são uma vestimenta condigna para todo templo.

Felizes aqueles que compreendem e bem-aventurados os que adquirem tais virtudes.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

27. Aderi, em todas as ocasiões, à corda da fidedignidade e segurai firmemente à orla da

veste da veracidade: assim vos ordena Aquele que é o Verdadeiro, o Confiável. Deus é

minha testemunha, fidedignidade é uma luz que brilha refulgentemente dos céus e leva

à exaltação da Causa de Deus, o Onipotente, o Incomparável, o Todo-Louvado. Todo

aquele que permaneceu fiel ao Convênio tem sido constante em sua aderência à

fidedignidade, enquanto que aqueles que o repudiaram têm errado gravemente.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

28. Cumpre-vos a todos adornar vossos seres interiores e exteriores de tal modo que,

vestidos com fidedignidade, cingindo a integridade e adornados com veracidade e

retidão, possais vos tornar um meio para a exaltação da Causa e da educação da raça

humana.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

29. Os companheiros de Deus são, neste dia, o fermento que há de levedar os povos do

mundo. Devem manifestar tal fidedignidade, tal veracidade e perseverança, tais ações e

tal caráter, que todo o gênero humano possa ser beneficiado pelo seu exemplo.

Citado em "O Advento da Justiça Divina", p. 37

30. Os que habitam no Tabernáculo de Deus e estão estabelecidos nos assentos da glória

imperecível recusar-se-ão, ainda que estejam morrendo de fome, a estender as mãos e

tomar ilicitamente a propriedade de seu próximo, por mais abjeto e desprezível que este

seja. O propósito de Deus, Uno e Verdadeiro, em se manifestar, é convocar todo o

gênero humano à veracidade e sinceridade, à piedade e fidedignidade, à resignação e

submissão à Vontade de Deus, à tolerância e bondade, à integridade e sabedoria. É seu

objetivo adornar todo homem com o manto de um caráter santo e embelezá-lo com o

ornamento de boas e santas ações.
Citado em "O Advento da Justiça Divina", p. 38

31. Ó Meus amados! Nós vos incumbimos de vos conduzirdes com fidedignidade e retidão,

a fim de que por vosso intermédio os atributos de vosso Senhor possam ser

manifestados a Seus servos e as evidências de Sua exaltada santidade possam surgir em

todas as regiões. Ele, veramente, é o Ordenador, o Ancião dos Dias.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

32. Eu vos aconselho, ó amigos de Deus, a se comportarem com a máxima fidedignidade

em vossas transações com meus servos e meu povo. Com sua ajuda, a Causa de Deus

será promovida em todo o mundo e sua exaltada santidade se tornará manifesta para

toda a criação. Sede os depositários da confiança de todos os homens. Assim lhes temos

ordenado nas Epístolas. Teu Senhor é, veramente, o Onisciente, a Suprema Sabedoria.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

33. Ó amigos de Deus em todas as terras! Este Injuriado vos adjura pelo Mais Bem-Amado

do mundo, que chama em voz alta no reino da elocução, a não agirdes deslealmente

com os bens de vossos semelhantes. Sede os fideicomissários de Deus em seus

domínios e a personificação da veracidade em todas as partes de Seus reinos.

Abençoado o homem que presta atenção aos conselhos de Deus e observa Seus

preceitos.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

34. Prescrevemos a todos a se empenharem em algum tipo de comércio ou profissão e

considerarmos tal ocupação como sendo um ato de adoração. Antes de tudo o mais,

entretanto, deverás receber, como um sinal da aceitação de Deus, o manto da

fidedignidade das mãos do favor divino; pois fidedignidade é o principal meio para

atrair confirmações e prosperidade. Suplicamos a Deus para que a faça uma nuvem de

chuva, radiante e misericordiosamente derramando suas águas, que irá trazer sucesso e

bênçãos aos teus assuntos. Ele, em verdade, é o Todo-Generoso, o Benévolo.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

35. O comércio é como um céu, cujo sol é fidedignidade e cuja lua é veracidade. A mais

preciosa de todas as coisas, na estimativa dAquele que é a Verdade Suprema, é

fidedignidade: assim tem sido registrado no sagrado Pergaminho de Deus. Rogai ao

Deus Uno e Verdadeiro a que habilite toda a humanidade a alcançar esta mais nobre e

sublime posição.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

36. Com relação aos pedidos de pagamento a respeito dos quais escrevestes em tua carta, é

claramente evidente que qualquer pessoa que tenha a capacidade de saldar suas dívidas

e, no entanto, negligenciou de assim o fazer, não tem agido de acordo com o

beneplácito do Deus Uno e Verdadeiro. Aqueles que incorrem em dívidas deveriam se

empenhar em saldá-las com toda diligência e assiduidade. Os mandamentos

compromissivos com respeito à fidedignidade, integridade e quanto a honrar direitos,

têm sido registrados em linguagem clara e perspícua em todos os Livros sagrados,

Epístolas, Escrituras e Escritos santos. Bem-aventurado aquele a quem as fugazes

futilidades do mundo não privaram de um adorno permanente e a quem avareza e

negligência não excluíram da iluminação do sol da fidedignidade. Entretanto, estes

assuntos dependem da existência de capacidade, pois a feitura de uma demanda é

dependente da habilidade de se poder fazer frente a ela. Pelo Senhor do Livro, não é

permissível se fazer o primeiro na ausência do segundo. A isso dá testemunho o

Versículo: "Dá prorrogação a teu devedor até que encontre os meios para pagar."*

De uma Epístola não traduzida anteriormente

37. Na maioria de Nossas Epístolas nós aconselhamos os servos de Deus a serem

fidedignos e virtuosos, justos e retos. Nós lhes comandamos abster-se de iniqüidade e

maldade e lhes ordenamos praticar piedade e o temor a Deus. Os negligentes, no

entanto foram levados somente para crescente perdição. Verdadeiramente se as

criaturas de Deus tivessem agido conforme o desejo e vontade de Deus, exaltada seja

Sua glória, a terra inteira seria agora vista como um só país, uma terra abençoada de

beleza e luz.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

38. Dizei: Desisti de iniqüidade e transgressão e atei-vos a fidedignidade e piedade, candura

e sinceridade. Este é o mandamento de Deus, o Senhor do Dia do Juízo. Aquele a Quem

o mundo injuriou não fala impelido pelos desejos mundanos, mas de acordo com o que

tem sido revelado no Livro de Deus, o Ordenador, o Ancião dos Dias. Justeza de caráter

é o meio pelo qual as altas posições alcançáveis pelo homem no mundo da existência

podem se tornar evidentes: a isto testificam os honrados servos de Deus, aos quais os

sussurros malignos do povo não impediram que se levantassem para servir a seu

Senhor, o Rei do Poderoso Trono.
De uma Epístola não traduzida anteriormente
39. Sê tu do povo do inferno
mas não sejas um hipócrita.
Sê tu um infiel,
mas não sejas um intrigante.
Faze teu lar em tavernas,

mas não trilhes o caminho do fomentador de discórdia.

Teme tu a Deus,
mas não às pessoas.
Dá ao carrasco tua cabeça,
mas não teu coração.
Seja tua morada sob a pedra,
mas não procures o abrigo do clérigo.

Assim entoa o Cálamo Santo suas melodias e o Rouxinol do Paraíso gorjeia seu canto, a

fim de que Ele possa infundir vida eterna às formas mortais dos homens, aquinhoar aos

templos de pó a essência do Espírito Santo e da Luz celestial, e atrai o mundo transitório,

através da potência de uma única palavra, para o Reino Eterno.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

40. O Báb, um dia, pedira que lhe fosse comprado algum mel, mas o preço pago Lhe

parecia exorbitante. Recusou-o, dizendo: "Mel de qualidade superior poderia ter sido

comprado, sem dúvida, por um preço menor. Eu que sou vosso exemplo tenho sido

mercador de profissão. Incumbe-vos em todas as transações seguir Meu modo. Não

deveis fraudar vosso próximo, nem permitir que ele vos fraude. Tal foi o modo de vosso

Mestre. Os mais astutos e capazes dos homens não O puderam enganar, nem Ele por

Sua parte e dignava em agir de um modo pouco generoso para com as mais desprezíveis

e desamparadas das criaturas." Insistiu em que o servo que fizera a compra voltasse e

Lhe trouxesse um mel de qualidade superior e preço menos caro.

Os Rompedores da Alvorada , volume II , p.53

41. A veracidade é o fundamento de todas as virtudes humanas. Sem a veracidade, o

progresso e o êxito em todos os mundos de Deus são impossíveis para qualquer alma.

Quando este santo atributo for estabelecido no homem, todas as qualidades divinas

também serão adquiridas.
Citado em "O Advento da Justiça Divina", p. 42

42. Ó Sádiq*! Veracidade, retidão e integridade são os atributos dos justos e as marcas de

autenticidade dos puros. Veracidade é a mais excelente das qualidades pois abarca todas

as outras qualidades. Uma pessoa veraz será protegida de todas as aflições morais, será

avessa a toda ação maligna e será preservada de todo ato iníquo, porquanto todos os

vícios e má ações são a própria antítese da veracidade e um homem veraz terá repulsa a

todos eles.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

43. Ó alma pura! Segue tu nas pegadas dos verazes e trilha o caminho dos justos, de modo

que, por meio da veracidade, possas vir a ocupar um "Assento da Verdade"*, e, por

meio da retidão, possas alcançar honra permanente. Se o conjunto de todos os pecados

viesse a ser pesado na balança, a falsidade, por si só, o contrabalançaria; não, seus

malefícios até mesmo os excederiam em peso e seus danos provariam ser maiores.

Melhor seria para ti que fosses um blasfemador, porém que dissesses a verdade, do que

alguém que enunciasse os preceitos da fé e, no entanto, fosse um mentiroso. Estas

palavras evidentes são dirigidas aos povos do mundo como uma admoestação. Rende

graças a Deus por ter sido através de ti que este conselho tem sido dirigido a toda a

humanidade.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

44. Ó exército de Deus! Através da proteção e da ajuda concedidas pela Abençoada Beleza

– que minha vida seja sacrifício a Seus bem-amados – deveis comportar-vos de tal

maneira que possais, entre as almas, sobressair distintos e brilhantes como o Sol. Se

qualquer um de vós entrar numa cidade, deverá tornar-se centro de atração em virtude

de sua sinceridade, fidelidade e amor, de sua honestidade e lealdade, sua veracidade e

benevolência para com todos os ovos do mundo, de modo que o povo dessa cidade

exclame dizendo: "Este homem é inquestionavelmente um bahá'í, pois suas maneiras,

seu comportamento, sua conduta, sua moral, sua natureza e disposição refletem os

atributos dos bahá'ís." Até que atinjais esta condição, não se poderá dizer que tenhais

sido fiéis ao Convênio e Testamento de Deus. Pois Ele, por meio de textos irrefutáveis,

entrou em irrevogável Convênio com todos nós e demanda que nossas ações estejam de

acordo com Suas sagradas instruções e advertências.

Seleções dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, nº 35, p. 64

45. …nós e os amigos de Deus, por motivo algum, deveríamos minorar nossos esforços por

sermos leais, sinceros e homens de boa-vontade. Devemos, em todos os tempos,

manifestar veracidade e sinceridade, ou antes temos de ser constantes em nossa

fidelidade e fidedignidade e ocupar-nos em oferecer orações pelo bem de todos.

Seleções dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, nº 225, pp. 268-269

46. A característica primária de crentes verdadeiros é fidedignidade enquanto que a

característica primária dos rebeldes é deslealdade.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

47. Se um homem viesse a realizar todas as boas obras, e no entanto, falhasse em ser, ainda

que pela ínfima hesitação, totalmente fidedigno e honesto, suas boas obras viriam a ser

como um pavio seco e sua falha um fogo devorador da alma. Por outro lado, se em

todos os assuntos viesse a ser falho, e no entanto, agisse com fidedignidade e

honestidade, todos os seus defeitos, em última instância, seriam corrigidos, todas as

injúrias remediadas e todas as fraquezas curadas. O que desejamos dizer é que, aos

olhos de Deus, fidedignidade é a pedra fundamental de Sua Fé e a base de todas as

virtudes e perfeições. Um homem privado desta qualidade é carente de tudo. De que

proveito serão fé e piedade, se há carência de fidedignidade? Que resultado poderá ter?

Que benefício ou vantagem poderão outorgar? Portanto, 'Abdu'l-Bahá aconselha aos

amigos – não, mais exatamente lhes implora – a guardarem de modo tão vigilante a

santidade da Causa de Deus e de preservarem a sua própria dignidade como indivíduos,

de modo que todas as nações venham a conhecê-los e a honrá-los por sua fidedignidade

e integridade. Nenhum serviço maior que este podem eles prestar hoje em dia. Agir de

outro modo seria danificar a Causa de Deus nas próprias raízes – refugiamo-nos em

Deus de uma transgressão tão hedionda e suplicamos que Ele proteja Seus amados de

cometerem uma iniqüidade tão flagrante.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

48. Escrevestes a respeito da questão de como os amigos deveriam proceder nas suas

transações de negócios entre si. Esta é uma questão da maior importância e um assunto

que merece a mais vívida preocupação. Em relacionamentos desta natureza os amigos

de Deus deveriam agir com a máxima fidedignidade e integridade. Ser negligente nesta

área seria afastar-se dos conselhos da Abençoada Beleza e dos santos preceitos de Deus.

Se um homem, em seu próprio lar, não tratar seus parentes e amigos com total

fidedignidade e integridade, seus negócios com o mundo externo – não importa com

quanta fidedignidade e integridade os trate – provarão ser estéreis e improdutivos.

Primeiro, deve-se por em ordem seus próprios assuntos domésticos e então cuidar dos

negócios que se tem com o público. Certamente não se deve argumentar que os amigos

não necessitam ser tratados com cuidados excessivos, ou que é desnecessário darem

importância demasiada à prática de fidedignidade nos negócios um com o outro, mas

que é em suas relações com estranhos que um comportamento correto é essencial.

Conversa desse tipo é pura fantasia e levará a desabono e prejuízo. Abençoada a alma

que brilha com a luz da fidedignidade entre o povo e se torna um sinal de perfeição

entre todos os homens.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

49. Uma vez que o funcionamento ordeiro de sua associação depende da devoção,

integridade, imparcialidade e santidade de propósito manifestada pelos amigos de Deus,

deveriam eles demonstrar na administração dos assuntos da mesma, tal pureza, nobreza

e previdente sabedoria a ponto de se tornarem um modelo para outras sociedades e

todas as pessoas possam ser edificadas e iluminadas por seu exemplo. Deste modo os

bahá'ís se tornarão conhecidos por todos como pessoas das quais se pode depender e

que são honestos, virtuosos e esclarecidos, puros e refinados; que são diligentes e de

elevados princípios, de idéias avançadas e promotores da liberdade; cuja preocupação é

servir o bem comum e não promover seus próprios interesses, e cujo objetivo é

promover o bem-estar e prosperidade do povo e não o de fomentar o seu próprio

conforto.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

50. Seu critério deveria ser o de exercer suas atividades comerciais com tal justiça e

eqüidade de modo a ser a causa de orientação para outros. Os amigos de Deus

deveriam, por intermédio de seus negócios, guiar as pessoas ao caminho de Deus e

fazer com que fiquem tão admirados a ponto de exclamarem: "Quão grande é a sua

veracidade, quão nobre a sua fidedignidade e quão verdadeira a sua boa vontade!"

De uma Epístola não traduzida anteriormente

51. Todas as empresas comerciais deveriam ser estabelecidas com base em princípios

divinos. Suas bases deveriam ser fidedignidade, lealdade e veracidade a fim de proteger

os direitos das pessoas.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

52. O comércio, a agricultura e a indústria não deveriam ser, na verdade, um obstáculo para

servir ao Deus Uno e Verdadeiro. Na verdade, tais ocupações são instrumentos

potentíssimos e provas claras para a manifestação das evidências da devoção de uma

pessoa, da fidedignidade dela e das virtudes do Senhor Todo-Misericordioso.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

53. Vós que sois os que sinceramente desejam a felicidade do estado, que sois os súditos

conscienciosos e obedientes do governo, deveríeis vos ocupar em constante serviço.

Todo aquele que passou a trabalhar para o governo deveria manifestar em todos os seus

atos e ações o mais alto grau de retidão e santidade, de justiça e eqüidade. Se, Deus o

proíba, ele viesse a ser culpado do menor abuso de confiança, ou desincumbir-se de

seus deveres de uma forma negligente ou incoerente, ou extorquir até mesmo um

vintém da população, ou procurar promover seus próprios interesses egoístas e proveito

pessoal – então, certamente, ele será privado das emanações da graça de Deus.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

54. Na desincumbência das funções do cargo para o qual fostes indicado, tua conduta e

ações deveriam dar testemunho do mais alto padrão de fidedignidade e honestidade, de

um grau de sinceridade que esteja totalmente acima de suspeita, e de uma integridade

que esteja imune às sugestões de interesse pessoal. Assim, todos virão a saber que os

bahá'ís são a personificação da probidade e a própria essência da imaculada virtude. Se

aceitarem um cargo, o seu motivo é servir a toda a humanidade, não o de procurarem o

seu interesse pessoal; e seu objetivo é o de vindicar a causa da verdade, não o de se

entregarem à auto-indulgência e vil ingratidão.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

55. Quanto àqueles que estão empenhados em serviço governamental, deveriam

desincumbir-se de seus deveres com a máxima fidelidade, fidedignidade, retidão,

probidade, integridade e nobreza. Que não maculem sua boa reputação em virtude de

sua procura de vantagens pessoais, nem, no interesse de passageiros benefícios

mundanos, tornem-se objetos do ódio público e parias do Limiar da Grandeza.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

56. Aquelas pessoas que são escolhidas para servir o público, ou indicadas para posições

administrativas, devem desempenhar-se de seus deveres em espírito de verdadeira

servitude e pronta aquiescência. Isto é, devem distinguir-se por sua excelente disposição

e caráter virtuoso, satisfazerem-se com a remuneração que lhes é destinada, e agir com

fidedignidade em todas as suas realizações. Devem se manter afastadas de motivos

indignos e bem longe de propósitos gananciosos; pois retidão, probidade e justeza estão

entre os mais potentes meios para atrair a graça de Deus e assegurar tanto a

prosperidade do país como o bem-estar do povo. A glória e a honra do homem não se

encontram em fortunas e riquezas, muito menos ainda naquelas que foram acumuladas

de forma ilícita através da extorsão, desfalque e corrupção praticados às custas de uma

população explorada. Suprema honra, nobreza e grandeza no mundo humano, e

verdadeira felicidade nesta vida e na vida por vir – consistem todas em eqüidade e

probidade, santidade e desprendimento. Se um homem desejasse distinção, deveria ele

satisfazer-se com uma provisão frugal, procurar melhorar a sorte dos pobres do reino,

escolher o caminho da justiça e da imparcialidade, e trilhar o caminho do serviço com

nobreza de espírito. Alguém assim, ainda que seja necessitado, ganhará riquezas

imperecíveis e alcançará a honra eterna.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

57. Se qualquer um dos amigos entrar para o serviço do governo, eles deveriam fazer de sua

ocupação um meio para se aproximarem mais do Limiar Divino: devem agir com

probidade e integridade, rigorosamente evitar todas as formas de venalidade e

corrupção e se contentarem com os salários que estão recebendo, orgulhando-se, mais

exatamente, do grau de sagacidade, competência e capacidade crítica que podem aplicar

a seu trabalho. Se uma pessoa se contentar com um único pão, e desincumbir-se de seus

deveres com tanta justiça e imparcialidade quanto esteja em sua capacidade realizar,

será o príncipe dos mortais e o mais digno de louvor entre os homens. Nobre e distinto

será ele, não obstante sua bolsa vazia! Preeminente será ele entre os livres, ainda que

suas vestes sejam velhas e gastas! Para o homem, louvor e glória residem em

qualidades virtuosas e nobres; honra e distinção em proximidade ao Limiar divino. A

riqueza do mundo, é em contraste, o material de ilusão*.

Aqueles que a desejam ardentemente são os seguidores da calamidade e, em breve,

serão mergulhados em confusão e desespero. O que é melhor – que o homem seja

assim, ou que ele deva se comportar com devotamento e santidade de propósito e se

destacar conspicuamente por sua integridade, probidade e honestidade? Não, tais

qualidades são melhores que as riquezas de Korah†, e mais preciosas que todos os

tesouros da existência.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

58. Se um dos amigos... for indicado para uma alta posição administrativa, deve esforçar-se

diligentemente para se desincumbir dos deveres que lhe foram atribuídos com perfeita

honestidade, integridade, sinceridade, retidão e probidade. Se, entretanto, ele abusar de

sua posição através de conduta corrupta ou mercenária, será visto com aversão no

Limiar da Grandeza e incorrerá na ira da Beleza de Abhá – não somente isso, ele será

rejeitado pelo Deus Uno e Verdadeiro e todos que O adoram. Portanto, longe de agir

deste modo, deveria se contentar com seu salário e ajudas de custo, buscar o caminho

da honestidade e dedicar sua vida ao serviço do Estado e do povo. Assim deve ser a

conduta e o procedimento dos bahá'ís. Todo aquele que transgredir estes limites,

finalmente, cairá em evidente privação.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

59. Estas almas que são empregadas em departamentos governamentais deveriam acercar-

se de seus deveres com total desprendimento, integridade e independência de espírito, e

com completa consagração e santidade de propósito. Satisfeitos com os salários que

estão recebendo deveriam ter cuidado para não macular seu nobre caráter através de

atos de suborno e fraude. Fosse um dos amigos hoje em dia apropriar-se indevidamente

de apenas um único centavo, o sagrado manto da Causa de Deus seria maculado por sua

ação e a vergonha se associaria a toda a comunidade. Os céus o proíbam! Mais ainda,

sem dúvida, o governo e o povo deveriam vir a depositar tal confiança nos bahá'ís a

ponto de desejarem confiar todos os assuntos do estado, por todas as províncias, nas

castas, puras mãos dos bem-amados de Deus.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

60. Todos os funcionários do governo, quer de alta ou modesta posição, deveriam se

contentar, com perfeita integridade, probidade e retidão, com sua modesta remuneração

e ajuda de custo. Devem manter as suas mãos limpas e preservar o seu bom nome de ser

maculado... Se um homem agir deslealmente com um governo justo terá agido

deslealmente para com Deus; e se lhe prestar serviço leal terá prestado este serviço a

Deus.
De uma Epístola não traduzida anteriormente

61. Que prestem seus serviços com completa santidade e desprendimento, e de forma

alguma se maculem recebendo subornos, acalentando motivos impróprios ou

empenhando-se em práticas nocivas. Que se contentem com seus salários e procurem

distinção em veracidade, franqueza e na busca de virtude e excelência; pois ostentação

de riqueza não é digna de ninguém a não ser dos desprezíveis, e orgulho de possessões

só convém aos tolos. Para alcançar verdadeira glória e honra, o homem deve exercer a

justiça e a eqüidade, abster-se de agir de um modo opressivo, prestar serviço a seu

governo e trabalhar para o bem de seus concidadãos. Se buscasse qualquer outra coisa a

não ser esta, estaria, na verdade, em evidente perda.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

62. Quão tolo e ignorante deve um homem ser, e quão vil a argila da qual ele foi moldado,

se ele fosse se macular com a contaminação do suborno, da corrupção e da perfídia em

relação ao Estado! Verdadeiramente, os vermes da terra são preferíveis a tais pessoas!

De uma Epístola não traduzida anteriormente

63. Se viesse a acontecer que um dos amigos fosse chamado para servir seu país e povo em

alguma posição, deveria ele se empenhar em seu trabalho de corpo e alma e

desincumbir-se de seus deveres com perfeita honestidade, fidedignidade e santidade.

De uma Epístola não traduzida anteriormente

64. Estes são os dias para tornar a Causa divina vitoriosa e lhe prestar ajuda efetiva! A

vitória da Fé de Deus é dependente do ensino; e o ensino é condicionado a ações justas

e atos de conduta virtuosa. A pedra fundamental de uma vida vivida no caminho de

Deus é a procura de excelência moral e a aquisição de um caráter dotado de qualidades

que são benquistas a Seus olhos. Os bahá'ís devem se adornar com esta indumentária

sagrada; com esta poderosa espada devem conquistar as cidadelas dos corações dos

homens. As pessoas se tornaram cansadas e impacientes com retórica e discurso, com

pregações e sermões. Hoje em dia, a única coisa que pode libertar o mundo de seu

sofrimento e atrair os corações de seus povos, são ações, não palavras; exemplo, não

preceitos; virtudes santificadas, não declarações e decretos emitidos por governos e

nações sobre assuntos sócio-políticos. Em todos os assunto, grandes ou pequenos, a

palavra tem que ser o complemento da ação, e a ação companheira da palavra: cada

uma deve suplementar, apoiar e reforçar a outra. É neste aspecto que os bahá'ís têm que

buscar distinção acima de outras pessoas e nações, e que a Pena do Supremo tem

resumido nas seguintes palavras: "Suas palavras são o orgulho do mundo e suas ações a

vergonha das nações."

8 de dezembro de 1923, dirigida a uma comunidade bahá'í, traduzida do persa para

o inglês

65. O emprego que os bahá'ís aceitam, as tarefas e deveres que realizam, deveriam ser do

tipo cujos benefícios favoreçam a nação como um todo e não da espécie que são um

meio de lucro para um pequeno círculo de altos oficiais e uns poucos selecionados

indivíduos. Além disso, os amados amigos e membros das Assembléias deveriam

procurar demonstrar a seus concidadãos – por suas ações, por seu comportamento e

conduta, nas múltiplas circunstâncias de suas vidas e em suas multifárias negociações e

ocupações – a excelência desta sagrada Causa, vindicar sua verdade, e dar testemunho

vivo de sua potência e da sublimidade de seu espírito. Assim é que os amigos deveriam

proceder, não se limitando à entrega da mensagem, a explicações, exposições e

elucidações. 'Abdu'l-Bahá, o Principal Intérprete da Fé de Bahá'u'lláh, escreveu:

Portanto, incumbe a todos os bahá'ís a ponderarem esta questão muito delicada e

vital em seus corações que, de modo diverso de outras religiões, não podem se

contentar com o barulho, o clamor, o vazio da doutrina religiosa. Não, melhor seria

que exemplificassem em todos os aspectos de suas vidas aqueles atributos e virtudes

que surgem de Deus e que se levantassem para se distinguirem por seu excelente

comportamento. Deveriam justificar sua asserção de serem bahá'ís por ações e não

por nome.

É um verdadeiro bahá'í aquele que se esforça de dia e de noite a progredir e avançar

ao longo do caminho do empenho humano, cujo mais acalentado desejo é de viver e

agir de modo a enriquecer e iluminar o mundo, cuja fonte de inspiração é a essência

da Virtude Divina, cuja meta na vida é comportar-se de tal modo a ser a causa de

progresso infinito. Somente ao alcançar tais dádivas perfeitas pode-se dele dizer que

ele é um verdadeiro bahá'í. Pois nesta santa Dispensação, a glória final de eras e

ciclos passados, Fé verdadeira não é mero reconhecimento da Unidade de Deus,

porém, mais exatamente, o viver de uma vida que venha a manifestar todas as

perfeições e virtudes implícitas em tal crença.*

Vede quão firme e resoluta é a linguagem desta declaração de 'Abdu'l-Bahá e quão

exigente seus requisitos! Não obstante, é somente quando os bahá'ís são capazes,

completa e condignamente, de distinguirem seu caráter com o adorno destas virtudes

divinas que eles virão a aparecer ante os olhos do mundo de uma maneira digna e

apropriada e que o nome de Bahá'u'lláh irá por o universo em chamas.

30 de outubro de 1924, dirigida a uma Assembléia Espiritual Local, traduzida do persa para

o inglês

66. Nada, a não ser a abundância de nossas ações, nada, a não ser a pureza de nossas vidas

e a integridade de nossos caracteres, pode, em última instância, estabelecer a nossa

asserção de que o espírito bahá'í é, hoje em dia, a única agência que pode transladar um

há muito acalentado sonho em uma realização duradoura.

24 de novembro de 1924,

dirigido à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos e Canadá, publicada em

Bahá'í Administration, p. 68

67. Este é o dia para excelência de caráter e conduta. Deveríamos todos nos adornar com

estes ornamentos do Reino enquanto ainda neste mundo da existência, de modo a que

possamos prestar serviço digno ao Limiar do Mais Misericordioso.

Do próprio punho de Shoghi Effendi,

anexado a uma carta escrita em seu nome a um crente, de 24 de novembro de 1924

– traduzida do persa para o inglês

68. A continuidade e estabilidade alcançada por qualquer associação, grupo ou nação é o

resultado – e depende – da solidez e do valor dos princípios sobre os quais baseia o

funcionamento de seus assuntos e a direção de suas atividades. Os princípios que

norteiam os bahá'ís são: honestidade, amor, caridade e fidedignidade; a colocação do

bem comum acima do interesse particular; e a prática de santidade, virtude e

moderação. Finalmente, então, a sua preservação e felicidade estão asseguradas. Sejam

quais forem os infortúnios com que possam se deparar, levados a cabo pela astúcia do

maquinador e pelos que desejam o mal, passarão todos como ondas e depois dos

sofrimentos virá a alegria. Os amigos estão sob a proteção do poder irresistível e a

providência inescrutável de Deus.

Não há dúvida que toda alma abençoada que coloca sua vida em harmonia com este

poder que a tudo domina dará brilho a suas obras e ganhará ampla recompensa. As

ações daqueles que escolhem colocar-se contra isto não deveriam provocar antipatia de

nossa parte mas orações para que sejam guiados. Assim foi o modo de agir dos bahá'ís

no passado e assim deve ser agora e sempre.

18 de dezembro de 1925, dirigida a uma Assembléia Espiritual Nacional – traduzida do

persa para o inglês

69. As responsabilidades dos membros das Assembléias Espirituais que estão empenhadas

em ensinar a Causa de Deus nas terras orientais foram claramente estabelecidas nos

Textos sagrados.

Estes lhes ordenam a trabalhar com vistas ao melhoramento da moral e à difusão da

erudição; a se esforçar para erradicar a ignorância e a falta de cultura, a eliminar o

preconceito e a reforçar a base da verdadeira fé no coração e na mente das pessoas; a

procurar desenvolver a autoconfiança e a evitar a imitação cega; a ter como meta

intensificar a administração eficiente de seus assuntos e a observar pureza e refinamento

sob todas as circunstâncias; a demonstrar o seu compromisso para com a veracidade e a

honestidade e sua habilidade em se comportar com franqueza, coragem e resolução.

Similarmente, lhes prescrevem a dar o seu apoio ao desenvolvimento agrícola e

industrial, a consolidar as bases para ajuda mútua e cooperação; a promover a

emancipação e o progresso das mulheres e a apoiar a educação compulsória de ambos

os sexos; a encorajar a aplicação dos princípios da consulta entre todas as classes e a

aderir em todos os procedimentos a um padrão de escrupulosa integridade.

Além disso, lhes incutem o valor da fidedignidade e santidade, da pureza de motivo,

da generosidade e do desprendimento dos grilhões deste mundo material. Conclama-as

a se santificar a um ponto tal que se ergam acima das influências maléficas e corruptas

que exercem um domínio tão poderoso sobre o Mundo Ocidental e as incumbe de se

ater ao conselho da moderação em todos os momentos e sob todas as condições. Urge-

as a examinar detalhadamente os vários ramos do saber contemporâneo – artes e

ciências similarmente – e a concentrar sua atenção em servir o interesse generalizado do

povo; a se aprofundar através do estudo atento dos Textos sagrados e a aplicar a guia

divina neles contida às circunstâncias, necessidades e condições da sociedade atual; a se

abster de participar dos emaranhados assuntos dos partidos políticos e a não se

preocupar nem se envolver nas controvérsias dos políticos, nas disputas dos teólogos ou

qualquer das doentias teorias sociais cursivas entre os homens.

Finalmente, as exortam a ser sinceramente obedientes, tanto em pensamento como em

palavra, às leis devidamente decretadas pelo governo do domínio, e a se distanciar dos

métodos, conceitos e argumentos mal fundamentados tanto de tradicionalistas como

modernistas; a conferir honra, veneração e respeito aos expoentes das artes e ciências –

e endossar os seus esforços – e a estimar e reverenciar aqueles dotados de vasto

conhecimento e douta erudição; a apoiar o direito à liberdade de consciência e a se

abster de criticar e desprezar as maneiras, costumes e crenças de outros indivíduos,

povos e nações.

Estas estão entre as necessidades mais prementes das nações do Oriente. Estas são as

responsabilidades básicas compromissivas e inescapáveis dos fideicomissários do

Misericordioso, os representantes das comunidades bahá'ís, os membros das

Assembléias Espirituais.

30 de janeiro de 1926, dirigida às Assembléias Espirituais de todo o Oriente –

traduzida do persa para o inglês

70. O povo de Bahá, qualquer que seja o estado ou governo sob cuja jurisdição possam

estar residindo, deveriam se conduzir com honestidade e sinceridade, fidedignidade e

retidão. Deveriam se preocupar com os corações dos homens e se manter à parte das

flutuações e limitações do mundo contingente. Não estão eles nem sedentos por

proeminência, nem ávidos de poder; não são nem adeptos da dissimulação e da

hipocrisia, nem estão à procura de riqueza e influência; não anseiam nem pela pompa e

formalidade de altos cargos, nem anseiam pela glória de títulos e posições. São avessos

à afetação e ostentação e fogem do uso da força coerciva; cerram seus olhos a tudo

menos a Deus e almejam as firmes e incontrovertíveis promessas de seu Senhor;

romperam com os laços de expectativas e ligações terrenas e uniram suas vidas ao

Incomparável Bem-Amado. Esquecidos de si mesmos, empenharam suas energias

trabalhando para o bem da sociedade; e, firmemente aderindo aos bem fundados e

saudáveis princípios da Fé de Deus, voltaram suas costas às imaginações mórbidas, às

teorias incoerentes e idéias perniciosas das vítimas do capricho e da insensatez. Ao

mesmo tempo que cuidadosamente devem se recusar a aceitar postos políticos, devem

acolher entusiasticamente a oportunidade de assumir posições administrativas; pois o

propósito primário do povo de Bahá é de fomentar os interesses e promover o bem-estar

da nação, não o de promover os fins e desígnios desonestos dos depravados e

desavergonhados. Tal é o método dos bahá'ís; tal é a conduta de todas as almas

espiritualmente iluminadas; e tudo o mais é erro manifesto.

Fevereiro de 1927, aos crentes em todo o Oriente – traduzido do persa para o inglês

71. Em seus lares,... nos contatos diários de transações comerciais, ...a comunidade dos

seguidores de Bahá'u'lláh deveria assegurar-se que, aos olhos do mundo em geral e no

conceito de seu vigilante Mestre, são eles testemunhas vivas daquelas verdades que Ele

acalentava tão ternamente e que defendia incansavelmente até os Seus últimos dias.

12 de abril de 1927,

dirigido à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos e do Canadá,

publicado em "Bahá'í Administration", p. 130

72. A Pena do Altíssimo registrou: "O temor a Deus é o maior comandante que pode tornar

vitoriosa a Causa de Deus, e as hostes que melhor convêm a esse comandante sempre

foram e são um caráter íntegro e ações puras e belas."* O povo de Bahá, portanto,

deveria levar sua vida e conduzir seus assuntos com o mais alto grau de santidade e

piedade e, inflexivelmente, repudiar e se desassociarem das práticas ignominiosas, dos

deploráveis modos e costumes prevalecentes entre o povo do Ocidente. A piedade e a

devoção deveriam ser o objetivo de todos que se considerassem amantes dessa Causa e

o adorno de toda alma honrada; de outro modo, devagar porém com certeza, a

iluminação conferida à mais íntima realidade dos corações dos homens, em virtude do

mundo humano, irão oscilar, enfraquecer e fenecer, sendo sobrepujadas pela engolfante

escuridão do vício e da depravação. Cortesia e dignidade são o que traz nobreza e

prestígio a um homem; enquanto que frivolidade e facécia, irreverência e impudência

levarão a seu rebaixamento, degradação e humilhação. Os bahá'ís deveriam, na verdade

têm que, procurar se distinguir em todas as coisas, pois que outra diferença haveria

entre eles e as outras pessoas? Toda ação, portanto, que se destina a aviltar a dignidade

da posição do homem deve ser resolutamente evitada e dela devemos nos abster.

21 de janeiro de 1928, dirigida a um crente – traduzida do persa para o inglês

73. Que modelem suas vidas e regulem sua conduta de tal modo que nenhuma acusação de

segredo, fraude, suborno ou intimidação, por mais infundada que seja, possa ser

levantada contra eles.

21 de março de 1932, dirigida aos crentes de toda a América do Norte, publicada em The

World Order of Bahá'u'lláh, p. 64

74. Deve ser a retidão de conduta constantemente refletida nas transações comerciais de

todos os seus membros, em suas vidas domésticas, em toda espécie de emprego e em

qualquer serviço que possam prestar futuramente a seu governo ou povo.

25 de dezembro de 1938, aos crentes por toda a América do Norte, publicado em "O

Advento da Justiça Divina", p. 42

75. Levantastes a questão de demonstrar honestidade e fidedignidade quando ocupado no

serviço do Estado. Estas são qualidades que devem distinguir todas as atividades dos

amigos e cuja aquisição é uma obrigação religiosa que incumbe a todo crente. Que

alguns dos líderes aos quais servem possam ser pouco apreciativos ou falharem em

corretamente apreciar os seus serviços, não deveria ser motivo de surpresa. A razão

para tal conduta é o afastamento de tais homens da Origem Verdadeira da justiça,

eqüidade e imparcialidade. Devemos manter nossa visão centralizada em Deus e não

nos feitos de Suas criaturas. Toda ação imaculada, todo o intento sincero de nossa parte

conquistará a aprovação do Verdadeiro, será exaltada e magnificada por Ele e retribuída

com uma recompensa generosa.

8 de março de 1948, dirigida a um crente – traduzida do persa para o inglês

76. É realmente com profunda preocupação que ele soube das dificuldades com que se

deparou em seu negócio e ficou especialmente entristecido em ouvir a respeito da

severa concorrência que está tendo de... que parecem determinados a arruiná-lo e a

forçá-lo a sair dos negócios, apesar do fato de lhes haver mostrado bondade e de ter

recusado a tratá-los severamente. Embora o Guardião aconselhe a que continue

mantendo uma tal verdadeira atitude bahá'í de paciência, ele deseja que ao mesmo

tempo nem ceda e nem permita que nenhuma ameaça da parte deles o desencoraje ou

desmoralize. Por mais contrários à ética que sejam os métodos por eles empregados,

deve ser sua firme convicção que tais estratagemas maliciosos, no final das contas, não

podem ter sucesso e que a medida mais efetiva para neutralizá-los é manter, sem

reservas, aquele verdadeiro padrão de conduta comercial inculcado nos Ensinamentos.

31 de outubro de 1938

77. Permita-me, ao findar, também expressar sua satisfação pela melhoria das condições

dos negócios do Sr.... Ele continuará a orar para que o alto padrão de integridade que

ele manteve tão bem em suas transações comerciais, não só sirva para atrair sobre ele as

confirmações e bênçãos de Deus, mas, além disso, prove ser um meio efetivo para atrair

muitas almas à Fé.
4 de novembro de 1940

78. Quanto a seu comentário sobre a Fé ter necessidade de seguidores altruístas,

intoxicados pelo amor, de pessoas com destacados dons espirituais, de palestrantes

eloqüentes e convincentes, e de homens com talentos e recursos materiais para vindicar

a verdade de nossa amada Causa, o Guardião me instruiu a escrever:

"O que se necessita é excelência de caráter e conduta e aquiescência às leis reveladas

por Bahá'u'lláh – estes são os ímãs que atraem confirmação divina e os meios para

estabelecer a validade e a singularidade da Causa do Todo-Glorioso."

Além disso, ele me solicitou a escrever:

"A remoção de imperfeições é um processo gradual. Conselhos e admoestações

constantes são necessários de modo que, passo a passo, a comunidade possa reparar

as várias deficiências que a assediam e administrar seus assuntos numa base ordeira e

planejada."
12 de janeiro de 1946

79. O Guardião sente que sua atitude em relação às práticas corruptas de se aceitar

comissões de companheiros médicos e farmacêuticos é muitíssimo admirável. Quanto

mais corretos e nobres os bahá'ís forem em sua conduta, tanto mais impressionarão o

público com a vitalidade espiritual da Fé na qual crêem.

20 de outubro de 1953

80. Ele sente que vocês deveriam ambos considerar a administração competente de seu

negócio não somente uma obrigação moral em relação a quaisquer credores, mas

também a coisa sábia e correta a ser feita.
6 de junho de 1954

¨ Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh, Editora Bahá'í do Brasil, Rio de Janeiro, 1977, 1a

Edição.

¨ Epístolas de Bahá'u'lláh, Editora Bahá'í, Rio de Janeiro, 1983.

¨ Epístola ao Filho do Lobo, Editora Bahá'í do Brasil, São Paulo,1997.

¨ O Advento da Justiça Divina, Editora Bahá'í do Brasil, Rio de Janeiro, 1977.

¨ Os Rompedores da Alvorada "A Narrativa de Nabil", Editora Bahá'í do Brasil, Rio de

Janeiro 1990, volume II.

¨ Seleções dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, Editora Bahá'í do Brasil, Mogi Mirim, 1993.

¨ Bahá'í Administration: Selected Messages 1922-1932, ed. Revisada (Wilmette: Bahá'í

Publishing Trust, 1974.

¨ The World Order of Bahá'u'lláh – Selected Letters by Shoghi Effendi, ed. rev.,

Wilmette: Bahá'í Publishing Trust, 1974.

Table of Contents: Albanian :Arabic :Belarusian :Bulgarian :Chinese_Simplified :Chinese_Traditional :Danish :Dutch :English :French :German :Hungarian :Italian :Japanese :Korean :Latvian :Norwegian :Persian :Polish :Portuguese :Romanian :Russian :Spanish :Swedish :Turkish :Ukrainian :