Announcing: BahaiPrayers.net


More Books by Compilações

A Assembléia Epiritual Nacional - The National Spiritual Assembly
A Assembléia Espiritual Local - The Local Spiritual Assembly
A Fonte de Todo Bem - The Source of All Good
A Importância da Oração e da Meditação
A Importância da Oração Obrigatória e do Jejum
A Importância das artes na promoção da Fé
A Instituição dos Conselheiros
A Lampada que Guia - Bahá'í Consultation
A Questão mais desafiadora
Aquisição de Sabedoria
Arte e Assuntos Correlatos
Assembléia Espiritual Local - Suplemento
Captando a Centelha da Fé - The Importance of Mass Teaching
Casamento Bahá'í
Conservação dos Recursos da Terra - Conservation of the Earth's Resources
Contribuição aos Fundos
Crise e Vitória
Desencorajando o Divórcio
Educação Bahai - Uma Compilação
Em busca da Luz do Reino - Excellence in all Things
Fidedignidade
Funeral Bahá'í
Huqúqu'lláh - O Direito de Deus
Juventude
Liberando o Poder da Ação Individual - Unlocking The Power of Action
Mulher
No Limiar da Paz - At the Dawn of Peace
O Aprofundamento, o Conhecimento e a Compreensão da Fé
O Convênio
O Indivíduo e o Ensino - Raising the Divine Call
Oposição da Fé
OraçSes Bahá'ís
Padrão de Vida Bahá'í
Por amor à Causa - Pionneiring
Preservando casamentos Bahá'ís
Revelação Bahá'í, A
Sabeísmo
Saúde, Higiene e Cura
Uma Conquista Especial - Proeminent People
Uma Nova Raça de Homens - A New Race of Men
Uma onda de ternura - Family Life
Uma Vida Casta e Santa
Viver a vida - Living the Life
Free Interfaith Software

Web - Windows - iPhone








Compilações : Em busca da Luz do Reino - Excellence in all Things
EM BUSCA DA LUZ DO REINO

Compilações dos Escritos Sagrados Bahá'ís sobre Excelência em Todas as Coisas e

A Festa de Dezenove Dias
EDITORA BAHÁ'Í

Assembléia Espiritual Nacional dos Bahá'ís do Brasil

Tradutores:
Excelência em Todas as Coisas, Osmar Mendes
A Festa de Dezenove Dias, Rolf von Czékus
I
EXCELÊNCIA EM TODAS AS COISAS
EXTRATOS DOS ESCRITOS DE BAHÁ'U'LLÁH

1. ..."Dize: Guardai-vos, ó povo de Bahá, de andar nos caminhos daqueles cujas palavras diferem das ações. Esforçai-vos para que possais manifestar aos povos da terra os sinais de Deus e espelhar Seus mandamentos. Que vossos atos sirvam de guia para toda a humanidade, pois o que é professado pela maioria dos homens, sejam de alto grau ou humildes, difere de sua conduta. É pelas vossas ações que vos podeis distinguir dos outros. Por meio delas pode o brilho de vossa luz irradiar-se sobre toda a terra. Feliz o homem que atende a Meu conselho e observa os preceitos d'Aquele que é o Onisciente, a Suma Sabedoria."

("Seleção dos Escritos de Bahá'u'lláh, Edição 2001, CXXXIX, p. 226)

2. "...Que cada manhã seja melhor do que sua véspera, e cada novo dia mais rico do que o dia anterior. O mérito do homem está em serviço e servitude e não na ostentação de afluência e riqueza. ...Guardai-vos da ociosidade e da indolência e aderi àquilo que possa trazer proveito aos seres humanos, quer sejam jovens ou velhos, quer sejam grandes ou humildes."

(Epístolas de Bahá'u'lláh reveladas após o Kitáb-i-aqdas, Edição 1983, p. 154)

3. "Os companheiros de Deus são, neste dia, o fermento que há de levedar os povos do mundo. Devem manifestar tal fidedignidade, tal veracidade e perseverança, tais ações e tal caráter, que todo o gênero humano possa ser beneficiado pelo seu exemplo."

(Citado em "O Advento da Justiça Divina, Edição 1977, p. 37)

4. "Diga-lhe: ninguém neste mundo pode pretender relação alguma Comigo, salvo aqueles que em todos os seus atos, em sua conduta, sigam Meu exemplo, de tal modo que os povos da terra sejam impotentes para impedi-los de fazer e dizer o que é apropriado e digno."

(Citado em "A Presença de Deus, Edição 1981, p. 193)

5. "Empregai toda energia para adquirirdes tanto perfeições interiores quanto exteriores, pois o fruto da árvore humana tem sempre sido, e sempre será, perfeições internas e externas. Não é desejável que um homem seja deixado sem conhecimento ou habilidades, pois será, então, nada mais que uma árvore estéril. Assim, tanto quanto o permitam vossa capacidade e aptidão, deveis adornar a árvore do ser com frutos tais como a sabedoria, o conhecimento, a percepção espiritual e a fala eloqüente."

(Educação Bahá'í - uma compilação, Edição 1981, p. 15-16)

6. "Incumbe às crianças esforçarem-se ao máximo na aquisição da arte de ler e escrever. Um domínio da escrita que satisfaça as necessidades mais urgentes será suficiente para algumas; e, então, é melhor e mais adequado que dispendam o seu tempo estudando aqueles ramos do conhecimento que são de utilidade.

Quando ao que a Pena Suprema previamente prescreveu, sua razão é que, em toda a arte e oficio, Deus ama a mais elevada perfeição.

(Educação Bahá'í - uma compilação, Edição 1981, p. 18)

EXTRATOS DOS ESCRITOS DE 'ABDU'L-BAHÁ

1. Dentre toda a humanidade, Ele vos escolheu, e vossos olhos foram abertos para a luz que guia, e vossos ouvidos harmonizaram-se com a música da Companhia no alto; vossos corações e almas, abençoados por graça abundante, nasceram para nova vida. Rendei graças e louvores a Deus por haver a mão de infinitas dádivas colocado em vossas cabeças essa coroa ornada de jóias - coroa cujas gemas brilhantes haverão de reluzir e cintilar para sempre, por toda a extensão do tempo.

A fim de Lhe agradecerdes por isso, empenhai extraordinário esforço, e escolhei para vós próprios uma meta nobre. Através do poder da fé, obedecei aos ensinamentos de Deus e harmonizai todos os vossos atos com Suas leis.

(Seleção dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, Edição 1993, p. 32)

2. "Ó exército de Deus! Através da proteção e ajuda concedidas pela Abençoada Beleza - seja minha vida um sacrifício aos Seus bem-amados deveis vos comportar de tal maneira que sobressaís, distintos e brilhantes como o sol entre as outras almas. Fosse qualquer um de vós entrar numa cidade, ele se deveria tornar um centro de atração por causa de sua sinceridade, sua fidelidade e seu amor, sua honestidade, veracidade e benevolência para com todos os povos do mundo, de modo que os habitantes dessa cidade exclamem, dizendo: - Esse homem é bahá'í, inquestionavelmente, pois seus modos, sua conduta, sua moral, sua natureza e temperamento refletem os atributos dos bahá'ís. - Antes de atingirdes este grau, não podereis ser considerados fiéis ao Convênio e Testamento de Deus."

(Citado em "O Advento da Justiça Divina, Edição 1977, p. 41

3. Ó verdadeiros companheiros! Todos os seres humanos são como crianças numa escola, e os Pontos Onde Alvorece a Luz, as Fontes da Revelação Divina, são os professores, maravilhosos e sem igual. Na escola das realidades, eles educam esses filhos e filhas em conformidade com os ensinamentos de Deus, nutrindo-os do seio da graça, a fim de que se possam desenvolver-se em todos os sentidos, e manifestem as excelentes dádivas e bênçãos do Senhor, e reúnam em si as perfeições humanas; para que possam progredir em todos os aspectos da conquista humana - quer exteriores, quer interiores, ocultos ou visíveis, materiais ou espirituais - até transformarem este mundo mortal num grande espelho que reflita aquele outro mundo que não fenece.

(Seleção dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, Edição 1993, p. 115)

4. Portanto, ó bem-amados de Deus! Envidai vigoroso esforço até que vós próprios simbolizeis esse progresso e todas essas confirmações, e vos torneis centros focais das bênçãos de Deus, auroras da luz de Sua unidade, promotores das dádivas e graças da vida civilizada. Sede nessa terra as vanguardas das perfeições da humanidade; levai avante os vários ramos do conhecimento; sede ativos e progressistas no campo das invenções e das artes. Esforçai-vos por retificar a conduta dos homens, e procurai exceder o mundo inteiro quanto à virtude do caráter. Enquanto as crianças estão ainda na infância, alimentai-as no seio da graça celestial, nutri-as no berço de toda excelência, criai-as nos braços da bondade. Proporcionai-lhes a vantagem de toda a espécie de conhecimento útil. Deixai-as partilhar de cada um dos novos, admiráveis e maravilhosos ofícios e artes. Estimulai-as ao trabalho e ao empenho, e acostumai-as a dificuldades. Ensinai-as a dedicar as vidas para assuntos de grande importância e inspirai-as a empreender estudos que beneficiem a humanidade.

(Seleção dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, Edição 1993, p. 116)

5. Devem ser constantemente encorajadas e incentivadas a ansiar pela conquista de todos os cumes das realizações humanas, de forma que, desde os primeiros anos, sejam ensinadas a ter elevados ideais, a comportar-se bem, a ser castas, puras, e sem mácula - e aprendam a ter determinação firme e propósito inabalável em todas as coisas.

(Seleção dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, Edição 1993, p. 121)

6. Incumbe às crianças bahá'ís superarem as demais crianças na aquisição das ciências e artes, pois elas foram embaladas na graça de Deus.

O que as outras crianças aprendem num ano, que as crianças bahá'ís aprendam num mês. O coração de 'Abdu'l-Bahá, em seu amor, anseia por perceber que todos os jovens bahá'ís, sem exceção, são conhecidos no mundo inteiro por seu desenvolvimento intelectual. Inquestionavelmente ele envidarão todos os esforços, energias e brio a fim de adquirirem as ciências e artes.

(Seleção dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, Edição 1993, p. 126-127)

7. A instrução dessas crianças é assim como o trabalho de um jardineiro afetuoso, que cuida de suas jovens plantas nos campos floridos do Todo-Glorioso. Sem a menor dúvida, isso produzirá os resultados desejados; isto é especialmente verdade no que se refere ao ensino da conduta e das obrigações bahá'ís, pois as pequenas crianças devem ser conscientizadas, no coração e na alma, que bahá'í não é apenas um nome, mas uma verdade. Toda criança tem de ser treinada nas coisas do espírito, para que venha a personificar todas as virtudes e tornar-se fonte de glória para a Causa de Deus. De outro modo, a mera palavra "bahá'í", se não produzir frutos, perderá seu significado.

Esforça-te, pois, o mais que puderes, para que essas criancinhas venham a saber que um bahá'í é quem incorpora todas as perfeições, que ele tem de brilhar como círio aceso - e não ser treva sobre treva e ainda assim ser portador do nome "bahá'í".

(Seleção dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, Edição 1993, p. 128-129)

8. Compete aos artífices do mundo a cada minuto ofertarem mil sinais de gratidão no Limiar Sagrado, e esforçarem-se com o máximo empenho, e diligentemente seguir em suas profissões, para que seus esforços possam criar a maior beleza e perfeição ante os olhos de todos os homens.

(Seleção dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, Edição 1993, p. 130-131)

9. Fazei, pois, um grande esforço, para que a pureza e a santidade, que 'Abdu'l-Bahá estima acima de tudo mais, venham a distinguir o povo de Bahá; que em toda espécie de excelência o povo de Deus supere a todos os demais seres humanos; que tanto exterior quanto interiormente provem ser superiores aos demais; que sejam líderes na vanguarda daqueles que têm conhecimento, devido à sua pureza, imaculabilidade, refinamento e preservação da saúde. Que sejam os primeiros entre os puros, os livres e os sábios por estarem livres de escravização e por causa de seu conhecimento e seu auto-controle.

(Seleção dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, Edição 1993, p. 135)

10. Que os amados de Deus - todos, sem exceção - sejam a essência da pureza e a própria vitalidade da santidade, de modo a celebrizarem-se, em todas as plagas, por sua independência de espírito, brandura e santidade. Rejubilem-se eles com sorvos do cálice eterno do amor de Deus, e exultem ao beber das adegas do Céu. Que contemplem a Abençoada Beleza, sintam a flama e o enlevo de tal comunhão e emudeçam, possuídos de pasmo e arrebatamento. Eis a condição dos sinceros; esta é a senda dos fiéis; tal é o esplendor que brilha nas faces daqueles que sorvem da proximidade de Deus.

(Seleção dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, Edição 1993, p. 184)

11. Incumbe agora aos amados levantar-se entre todos os povos do mundo, com corações idênticos ao sol, com forte determinação interior, com frontes fúlgidas, hálitos almiscarados, línguas continuamente falando de Deus, com exposição cristalina, determinação intrépida e um poder oriundo do céu, com caracteres espirituais e uma confirmação em todo divina. Que todos, sem exceção, se tornem esplendores no horizonte do céu e estrelas deslumbrantes no firmamento, e sejam árvores frutíferas nos jardins celestiais e flores docemente perfumadas nos vergéis divinos; que sejam versículos de perfeição na página da criação, palavras de unidade no Livro da Vida. Esta é a idade primeira, estes são os primórdios da aurora da dispensação da Suprema Luz, conseqüentemente, neste século, devem-se adquirir virtudes, e qualidades santas devem ser aperfeiçoadas durante esta breve vida. Justamente nestes dias é que o Paraíso de Abhá deve erigir seus pavilhões nas planícies do mundo. As luzes da realidade devem agora ser reveladas; os segredos das dádivas de Deus devem agora ser divulgados; esta é a hora em que a graça antiga deve resplandecer e este mundo transformar-se no Éden do Céu, no jardim de Deus. E através de corações puros e favores celestiais, todas as perfeições, qualidades e atributos da Deidade devem agora fazer-se manifestos.

(Seleção dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, Edição 1993, p. 211-212)

12. "Rogo-Lhe que verta Suas confirmações sobre esses amados habitantes dessa terra pura e sagrada, e lhes propicie bom êxito em todas as coisas: que faça com que em seu caráter, sua conduta, suas palavras, seu modo de vida, em tudo o que são e fazem, atinjam distinção entre os homens; suplico-Lhe que os reúna à comunidade mundial, com os corações exuberantes de êxtase e fervor e amor ardente, com conhecimento e certeza, com as faces formosas e brilhantes."

(Seleção dos Escritos de 'Abdu'l-Bahá, Edição 1993, p. 211-212)

13. "...eles devem exemplificar em todos os aspectos de suas vidas aqueles atributos e virtudes que são originários de Deus, e devem destacar-se por sua conduta bondosa.

Devem justificar sua pretensão de serem bahá'ís pelos atos e não pelo nome. É verdadeiramente um bahá'í aquele que se esforça dia e noite para progredir e avançar no caminho das realizações humanas, aquele cujo desejo mais acariciado é viver e agir de tal forma que enriqueça e ilumine o mundo, seja fonte de inspiração é a essência da virtude divina, cujo objetivo na vida é conduzir-se para ser causa de progresso infinito.

Somente quando ele atinge tais dotes de perfeição pode dizer ser um bahá'í verdadeiro. Pois nesta Dispensação Sagrada, glória suprema de eras e ciclos passados, fé verdadeira não é a mera afirmação da Unidade de Deus, mas a vivência de uma vida que manifeste todas as perfeições e virtudes que tal crença implica."

("The Bahá'í World", vol. I, p. 12)

14. "Assim, ó amados de Deus, esforçai-vos de coração e alma para que possais ter como qualidades pessoais a moralidade e os atributos da Abençoada Perfeição e participar da generosidade de Sua Santidade; que possais vos tornar sinais de unidade e padrões de união; descobrir a essência da unicidade e entoar cânticos neste jardim divino, em misericordiosas melodias; que vos torneis como pássaros agradecidos; chilreando uma canção no roseiral da existência, que possa deixar atônitos mentes e sentidos; que possais içar uma bandeira no cume do universo, que tremule aos ventos do favor, e plantar uma árvore no campo do mundo visível que possa dar frutos, os mais deliciosos e refrescantes."

("Tablets of 'Abdu'l-Bahá", p. 374)

15. "Ó vós amigos de Deus! Esforçai-vos de tal forma que todas as nações e comunidades do mundo, até mesmo os inimigos, depositem em vós sua confiança, sua segurança e sua esperança; que se uma pessoa errar cem mil vezes, possa ela voltar sua face para vós, esperançosa de eu vós perdoareis seus pecados; pois ela não deve ficar desesperada, nem pesarosa ou desanimada. Esta é a conduta e a maneira de ser do povo de Bahá. Esta é a base do caminho mais elevado. Que vossas maneiras e vossa conduta estejam de acordo com os conselhos de 'Abdu'l-Bahá.

("Tablets of 'Abdu'l-Bahá", p. 374)

16. "Saiba, então, que o povo de Bahá deve distinguir-se dos outros em todos os sentidos, até que se torne as lâmpadas do Ser Verdadeiro entre as criaturas, e as estrelas guias brilhando do Concurso Supremo."

("Tablets of 'Abdu'l-Bahá", p. 682)

17. "O dever mais vital, neste dia é a purificação de vossos caráteres, a correção de vossos modos e a melhora de vossa conduta. Os bem-amados do Misericordioso devem manifestar tal caráter e conduta entre Suas criaturas que a fragrância de sua santidade se difunda sobre o mundo inteiro e ressuscite os mortos, desde que o propósito do Manifestante de Deus e do alvorecer das luzes ilimitadas do Invisível seja a educação das almas dos homens e a refinação do caráter de todo homem vivente..."

(Citado em "O Advento da Justiça Divina, Edição 1977, p. 41-42

18. "Nestes dias, do mesmo modo, peço intensamente que os amigos de Deus envidem todo esforço, na medida de suas capacidades, nesta direção. Quanto mais arduamente lutarem por ampliar a extensão de seu conhecimento, melhor e mais gratificante será o resultado. Que os amados de Deus, sejam eles jovens ou idosos; homens ou mulheres, cada qual de acordo com suas aptidões, se levantem e não poupem esforços na aquisição dos vários ramos existentes do conhecimento, tanto espirituais como seculares, e das artes. Sempre que se reunirem em seus encontros, que a sua conversação se restrinja a assuntos eruditos e à informação sobre o conhecimento e as ciências da atualidade.

Se assim o fizerem, inundarão o mundo com a Luz Manifesta e transformarão esta terra de pó em jardins do Reino da Glória."

("Educação Bahá'í: uma compilação", p. 25)

19. "É claro que o conhecimento é a maior dádiva de Deus; que o conhecimento, e a sua aquisição, é uma bênção do Céu. Por esta razão, impõe-se aos amigos de Deus envidarem tal esforço e empenharem-se com tamanho entusiasmo na promoção do conhecimento divino, da cultura e das ciências, que, em breve, aqueles que hoje são crianças de escola tornar-se-ão os mais eruditos de todos os sábios. Este é um serviço que se presta ao próprio Deus e um dos Seus inevitáveis mandamento."

("Educação Bahá'í: uma compilação", p. 57)

20. "Ó amigos afetuosos! Exercei todos os esforços para adquirirdes os vários ramos do conhecimento e a verdadeira compreensão. Empregai toda energia para alcançardes tanto realizações materiais como espirituais.

Encorajai as crianças desde os primeiros anos, a dominar toda espécie de conhecimento, e fazei-as ansiosas por se tornarem hábeis em todas as artes com o propósito de que, através da graça favorecida de Deus, o coração de cada uma se torne como um espelho revelando os segredos do universo, penetrando na mais íntima realidade de todas as coisas; e que cada uma obtenha fama mundial em todos os ramos do conhecimento, da ciência e das artes."

("Educação Bahá'í: uma compilação", p. 43-44)

21. "Utilizai todos os meios para fazer desta Escola um jardim do Todo-Misericordioso, de onde as luzes do conhecimento irradiem seus raios, e no qual as crianças, bahá'ís ou não, sejam educadas a um tal grau que se tornem dádivas de Deus para os homens e o orgulho da raça humana. Que elas façam o maior progresso bem os olhos e descubram as realidades interiores de todas as coisas, tornem-se proficientes em todas as artes e ofícios e aprendam a compreender os segredos de todas as coisas tais como são - esta habilidade sendo um dos efeitos mais claramente evidentes da servitude ao Sagrado Limiar."

("Educação Bahá'í: uma compilação", p. 56)
EXTRATOS DE PRONUNCIAMENTOS DE
'ABDU'L-BAHÁ
1. "Eu vos dou meu conselho, que é o seguinte:

Treinai essas crianças com as exortações divinas. Desde sua infância, colocai em seus corações o amor de Deus, de forma a que manifestem em suas vidas o temor de Deus e tenham confiança nas dádivas do Criador. Ensinai-as a se libertarem das imperfeições humanas e a adquirirem as perfeições divinas latentes no coração do homem. A vida do homem é útil se ele alcança as perfeições humanas. Se ele se tornar o centro das imperfeições do mundo da humanidade, a morte é melhor que a vida, e a não existência melhor que a existência. Portanto, esforçai-vos para que estas crianças sejam treinadas corretamente e educadas, para que cada uma delas alcance a perfeição do mundo da humanidade. Saibam o valor dessas crianças, pois elas todas são minhas crianças."

("The Promulgation of Universal Peace", p. 51)

2. "Desejo distinção para vós! Os bahá'ís devem distinguir-se dos outros seres humanos. Mas essa distinção não deve depender de riqueza ou que se tornem mais opulentos do que os outros. Não desejo para vós distinção financeira. Não é uma distinção comum que desejo; nem cientifica, comercial ou industrial. Eu desejo para vós uma distinção espiritual; Isto é, deveis vos tornar eminentes e destacados em moral. Em amor a Deus vos deveis distinguir de todos os demais. Distingui-vos pelo vosso amor à humanidade; por união e concórdia; por amor e justiça. Em suma, deveis distinguir-vos em todas as virtudes do mundo humano; por fidelidade e sinceridade; por justiça e confiança; por firmeza e tenacidade; em obras filantrópicas e serviço ao mundo humano; por amor a todo ser humano; por união e concórdia com todos os povos; por remover os preconceitos e promover a paz internacional. Enfim, vós vos deveis distinguir por iluminação celestial e pela aquisição das dádivas de Deus. Desejo para vós esta distinção. Este deve ser o ponto de distinção entre vós."

("Padrão de Vida Bahia", p. 62-63)

3. Portanto, eu digo que o homem deve trilhar o caminho de Deus. Dia a dia deve esforçar-se para melhorar, sua fé deve aumentar e tornar-se mais firme, suas boas qualidades e sua devoção a Deus devem ser maiores, o fogo de seu amor deve flamejar mais fortemente. Então, dia a dia fará progresso, pois parar de progredir é uma forma de retroceder. O pássaro quando voa sobe cada vez mais alto, e quando deixa de voar, cairá. Cada dia, de manhã ao levantar, você deve comparar o dia de hoje com o de ontem e ver em que condição está. Se observar que sua fé é mais forte e seu coração está mais ocupado com Deus, seu amor aumentou e seu desapego do mundo é maior, então agradeça a Deus e peça para que essas qualidades aumentem. Você deve começar a orar e se arrepender de tudo o que tenha feito de errado e deve implorar a ajuda e assistência para que você se torne melhor do que ontem e para possa continuar a fazer progresso."

(Citado no "Star of the West", vol. 8, p. 68).

4. "Espero que enquanto estiver estudando nesse colégio, você possa sobrepujar todos os outros estudantes nos vários ramos do conhecimento que lá são ensinados, para que todos testemunhem que os estudantes bahá'ís têm outro poder, são inspirados por outro esforço, estão imbuídos de uma ambição maior, são estimulados por motivos mais elevados e fazem maiores e mais profundos esforços que os outros.

Se você não sobrepujar os outros, então que distinção restaria para você? Portanto, você deve esforçar-se para ser superior a eles, de forma a que todos possam dar testemunho deste fato.

Vocês devem tornar-se velas iluminadas, de preceitos morais e de ideais espirituais, e ser o meio de iluminação dos outros. Adornem seus corpos com o manto das virtudes. Adotem as características do povo da moralidade divina. Evitem todas as formas de vícios, como evitariam uma cobra venenosa, ou um leproso. Façam com que o corpo de professores e os estudantes fiquem impressionados com a pureza e a santidade de suas vidas, de forma a que eles vejam em vocês modelos de dignidade, exemplos de nobreza de natureza, cumpridores das leis morais, que mantém o elemento inferior do ser subordinado ao elemento superior, os conquistadores do "eu", os mestres da sanidade e das forças vitais em todos os caminhos da vida.

Esforcem-se sempre para se manterem à frente de suas classes, através do estudo e do mérito verdadeiro. Mantenham-se sempre em um estado de oração e saibam apreciar o valor de tudo. Nutram elevados ideais e estimulem suas forças intelectuais e construtivas.

Espero que através do favor e bondade da Abençoada Beleza, de Sua Santidade o Báb, e das bênçãos inefáveis que consagram este Santuário Sagrado - os estudantes estavam visitando o Túmulo do Báb - as confirmações do Reino de Abhá possam cercar vocês, e que vocês se caracterizem pelas qualidades iluminadas e brilhantes atributos da vida bahá'í.

Que sua moralidade se torne mais definida dia a dia!

Que sua atração ao Reino de Abhá se intensifique dia a dia!

Que sua realizações nas Ciências e nas artes se tornem dia a dia mais universais!

E, Deus o permitindo, que vocês possam tornar-se perfeitos e realizados, sob todos os pontos de vista, e ser os meios de iluminação da Pérsia."

(Seleções citadas em "Star of the West", vol. 9, p. 98-100)

EXTRATOS DOS ESCRITOS DE
SHOGHI EFFENDI

1. "Que cada crente, desejoso de testemunhar o progresso rápido e sadio da Causa de Deus, se dê conta do processo duplo de seu trabalho. Que ele, primeiro, volte seus olhos para dentro de si mesmo e pesquise seu próprio coração e verifique se, em suas relações com seus iramos de Fé, independentemente de cor ou classe, está provando ser cada vez mais leal ao espírito de sua amada Fé.

Seguro e contente de que está exercendo o máximo de seus esforços, numa atitude consciente de se aproximar cada vez mais, diariamente, da elevada posição a que seu benévolo Mestre o convoca, que ele se volte, então, para sua segunda tarefa e, com apropriada confiança e vigor, tome conta do poder devastador daquelas forças que em seu próprio coração já conseguiu subjugar.

Integralmente consciente da eficácia inquestionável do poder de Bahá'u'lláh, e armado dos instrumentos essenciais de sábio auto-domínio e decisão inabalável, que ele inicie a luta constante contra as tendências inatas, os instintos corrompidos, as modas flutuantes e as falsas afirmativas da sociedade na qual vive e se move."

(Bahá'í Administration, p. 130)

2. "Podemos provar sermos dignos de nossa Causa se em nossa conduta individual e vida social imitarmos o exemplo de nosso Amado Mestre, ao qual os terrores da tirania, as tempestades do abuso incessante, a opressão da humilhação, nunca fizeram com que ele se desviasse sequer pela grossura de um fio de cabelo da Lei revelada de Bahá'u'lláh.

Tal é o caminho da servitude, tal é o caminho da santidade que Ele escolheu para trilhar até o fim de Sua vida. Nada a não ser a integral dedicação ao Seu glorioso exemplo, pode seguramente guiar nosso rumo entre as armadilhas desta época perigosa, e levar-nos a cumprir nosso alto destino."

(Bahá'í Administration, p. 132)

3. Tal retidão de conduta deve manifestar-se, com potência cada vez maior, em todos os veredictos que os representantes eleitos da Comunidade Bahá'í, em qualquer capacidade em que se encontrem, possam ter de pronunciar. Deve ser constantemente refletida nas transações comerciais de todos os seus membros, em suas vidas domésticas, em toda espécie de emprego e em qualquer serviço que possam prestar futuramente a seu governo ou seu povo. Deve ser exemplificada na conduta de todos os eleitores bahá'ís quando caracterizar a atitude de todo seguidor leal da Fé no que diz respeito à sua obrigação de não aceitar encargos políticos, nem se identificar com qualquer partido político, nem participar de controvérsias políticas, e de não se afiliar a organizações políticas ou instituições eclesiásticas. Deve revelar-se na aderência incondicional de todos, sejam moços ou velhos, aos princípios fundamentais claramente enunciados e estabelecidos por 'Abdu'l-Bahá em Seus discursos, e às leis e preceitos revelados por Bahá'u'lláh em Seu Sacratíssimo Livro. E essa retidão deve ser demonstrada pela imparcialidade de qualquer um que defenda a Fé contra seus inimigos, pela sua eqüidade em reconhecer quaisquer méritos que o inimigo talvez possua e pela sua honradez em cumprir qualquer obrigação que possa ter para com ele. Deve constituir o mais brilhante ornamento da vida, das atividades, dos esforços e das palavras de todo instrutor bahá'í, esteja ele trabalhando em sua terra natal ou no estrangeiro, quer na vanguarda das fileiras de instrutores, ou ocupando um posto de menos ação e responsabilidade. Deve-se fazê-la o distintivo daquele corpo dos representantes eleitos de cada comunidade bahá'í, numericamente pequeno mas intensamente dinâmico e altamente responsável, o qual constitui o sustentáculo e o instrumento único, em cada comunidade, para a eleição daquela Casa Universal cujo próprio nome e título, segundo determinação de Bahá'u'lláh, simbolizam aquela retidão de conduta que é sua mais alta missão salvaguardar e executar.

(Citado em "O Advento da Justiça Divina, Edição 1977, p. 42-43

4. Uma vida casta e santa deve vir a ser o princípio que guie a conduta de todos os bahá'ís, tanto em suas relações com os membros de sua própria comunidade, como em seu contato com o mundo afora. Deve adorar e reforçar a incessante faina e os esforços meritórios daqueles cuja invejável missão é difundir a Mensagem da Fé instituída por Bahá'u'lláh e administrar os seus assuntos. Deve ser mantida, em toda a sua integridade e todas as suas implicações, em cada fase da vida dos que preenchem as fileiras desta Fé, quer seja em seus lares ou suas viagens, em seus clubes, sociedades, diversões, escolas ou universidades. Devemos dar a isto especial consideração ao dirigirmos as atividades sociais de todas as escolas de verão bahá'ís e em qualquer outra ocasião em que a vida de comunidade bahá'í seja organizada e promovida. Isto deve ser íntima e continuamente identificado com a missão da Juventude Bahá'í, quer seja como elemento na vida da Comunidade Bahá'í ou como fator no futuro progresso e orientação da juventude de seu próprio país.

(Citado em "O Advento da Justiça Divina, Edição 1977, p. 47

5. "Uma coisa diminuiria apreciavelmente a carga que pesa sobre meu coração e sobre minha mente, e esta é a extensão na qual os bahá'ís ajustem sua vida privada e seu caráter ao elevado código estabelecido por Bahá'u'lláh. É um padrão infinitamente alto e qualquer coisa fora dele provará ser, aos olhos daqueles que realmente contam, lastimavelmente negligente e totalmente fútil."

(De uma carta a um crente individual, em 12/10/1924)

6. "Em empreendimentos filantrópicos e atos de caridade, na promoção do bem-estar geral e melhoria do bem público, incluindo aquele de todo e qualquer grupo, sem qualquer exceção, que os amados de Deus atraiam a atenção favorável de todos e liderem todos os demais."

(Traduzido de uma carta datada de 09/01/1929 aos amigos do Oriente)

7. "O trabalho no qual vocês estão empenhados é benquisto e está junto do meu coração, e constitui um dos aspectos vitais das inúmeras atividades de nossa amada Fé. Os mais elevados padrões de pureza, de integridade, de desapego e sacrifício, devem ser mantidos pelos membros de seu grupo, a fim de preparar vocês para exercerem uma parte decisiva na expansão e consolidação da Fé.

Uma responsabilidade tremenda foi colocada em suas mãos e nada a não ser uma vida verdadeiramente exemplar, pura, virtuosa e ativa, possibilitará a vocês cumprirem seu alto destino."

(De uma carta datada de 06/09/1934, aos bahá'ís participantes da Louhelen Summer School)

EXTRATOS DE CARTAS ESCRITAS EM
NOME DE SHOGHI EFFENDI

1. "A responsabilidade dos crentes jovens é muito grande, pois eles devem não somente adaptar-se para herdarem o trabalho dos bahá'ís mias velhos, e levar avante os assuntos da Causa em geral, mas ter em mente que o mundo que se encontra à frente deles - como Bahá'u'lláh prometeu - será um mundo castigado por sofrimentos, finalmente pronto para ouvir a Sua Mensagem Divina e, conseqüentemente, um caráter muito elevado será esperado dos expositores de tal religião.

Aprofundar seu conhecimento, aperfeiçoar-se nos padrões bahá'ís da virtude e conduta reta, deve ser o mais elevado dever de todo jovem bahá'í."

(De uma carta datada de 06/06/1941, a um jovem bahá'í de Bombay, Índia)

2. "O Guardião ficou feliz em saber de seu jovem grupo. As crianças que são treinadas nos ensinamentos mundiais de Bahá'u'lláh com certeza crescerão para se tornarem verdadeiramente uma nova raça de homens.

Ele espera que esses jovens se preparem para a grande tarefa que os espera no futuro, ou seja, a de ajudar a reconstruir o mundo com a aplicação e inspiração dos ensinamentos bahá'ís."

(De uma carta datada de 25/12/1941, a Hobarth, Grupo Bahá'í na Austrália)

3. "Se pudéssemos perceber a verdadeira realidade das coisas, veríamos que a maior de todas as batalhas que ocorrem no mundo de hoje é a batalha espiritual. Se os crentes como você, jovem e cheio de vida, desejarem obter lauréis por um verdadeiro e permanente heroísmo, então eles participariam da batalha espiritual - qualquer que seja sua ocupação física - que envolve a própria alma do homem.

A mais difícil e nobre tarefa no mundo hoje é a de ser verdadeiro bahá'í; isto exige que derrotemos não somente os males prevalecentes em todas as partes do mundo, como também a fraqueza, os apegos ao passado, os preconceitos e o egoísmo, que podem ser herdados ou adquiridos, em nossos caráteres; que manifestemos um exemplo iluminado e incorruptível aos nossos concidadãos."

(De uma carta escrita a um crente individual, em 05/04/1942)

4. "Ele espera que vocês se tornem bahá'ís tanto no caráter como em seu modo de ser. O inteiro propósito de Bahá'u'lláh é que nos tornemos uma nova espécie de gente, pessoas que são honradas, bondosas, inteligentes, responsáveis e honestas, e que vivem de acordo com as Suas grandes leis, determinadas para esta nova época do desenvolvimento do ser humano.

Não é suficiente chamarmo-nos de bahá'ís, nosso ser mais íntimo deve tornar-se enobrecido e iluminado através da vivência de uma vida bahá'í."

(De uma carta datada de 25/08/1944, para os bahá'ís participantes da Louhelen Summer School)

5. "Na verdade, se os amigos tentassem e se esforçassem para serem 100% bahá'ís, eles veriam quão grande seria aumentada sua influência sobre os outros, e quão rapidamente a Causa se espalharia. O mundo está buscando não um comprometimento, mas a integração num alto e iluminado ideal. Quanto mais os amigos viverem de acordo com nossos ensinamentos, em todos os aspectos de suas vidas, nos negócios, em seu relacionamento social, maior será a atração que exercerão sobre os corações dos outros."

(De uma carta datada de 23/01/1945 para um crente individual)

6. "Os crentes, como todos sabemos, devem esforçar-se para serem exemplares em suas vidas pessoais e em sua conduta, de forma a fazer com que os outros sintam-se impelidos a abraçarem uma Fé que reforma o caráter humano.

No entanto, infelizmente, nem todos alcançam com facilidade e rapidez a vitória sobre si mesmo. O que todo crente, jovem ou idoso, deve entender, é que a Causa tem o poder espiritual de corrigir-nos, se nós fizermos o esforço para permitir que aquele poder exerça sua influência sobre nós. E a maior ajuda nesse sentido é a ORAÇÃO. Devemos suplicar a Bahá'u'lláh que nos ajude a superarmos as fraquezas de nosso caráter, e devemos também exercer nossa força de vontade para nos dominarmos."

(De uma carta datada de 27/01/1945, a um crente individual)

7. "Sua constante esperança é que os crentes conduzir-se-ão, individualmente e em suas vidas na comunidade bahá'í, de tal forma a atrair a atenção dos outros para a Causa. O mundo está não somente faminto de elevados princípios e ideais mas está, acima de tudo, faminto de exemplos iluminados, os quais os bahá'ís podem e devem prover."

(De uma carta datada de 22/02/1945, a um crente individual)

8. "...Os jovens bahá'ís em todas as cidades devem insistir em manter contato com atividades juvenis e clubes, e esforçarem-se para tornar seus pontos de vistas conhecidos para tantos jovens e de tantas maneiras quando lhes seja possível.

Acima de tudo, devem dar um alto exemplo para eles; castidade, cortesia. Amizade, hospitalidade, otimismo contagiante com relação à futura felicidade e bem-estar da humanidade; devem distinguir-se e atrair o amor e a admiração de seus jovens companheiros. Aquilo que mais se faz necessário na vida moderna é um elevado padrão de conduta e um bom caráter. Os jovens bahá'ís devem demonstrar ambos, se esperam seriamente trazer para a Fé os membros de sua própria geração, tão profundamente desiludidos e contaminados pela lassidão que a guerra provoca."

(De uma carta datada de 30/10/1945, ao Comitê da Juventude dos Estados Unidos)

9. "Devemos ser pacientes com as deficiências dos outros e sempre nos esforçarmos para criar amor e unidade entre os crentes, os quais, afinal de contas, são ainda imaturos em muitos aspectos e longe estão de serem perfeitos. A Fé mesma é que é grande e os bahá'ís devem procurar tornarem-se instrumentos cada vez mais perfeitos para Bahá'u'lláh usá-los e através deles realizar Seus propósitos."

(De uma carta datada de 26/05/1946, a um crente individual)

10. "O Guardião tem sempre insistido que a necessidade maior da juventude bahá'í é exemplificar os Ensinamentos, mais particularmente o aspecto moral deles. Se eles não se distinguirem por sua elevada conduta, não poderão esperar que outros jovens tomem a Causa com toda seriedade."

(De uma carta datada de 06/09/1946 a um crente individual)

11. "Ele sente que os jovens, em particular, devem esforçar-se constante e determinadamente por exemplificar a vida bahá'í.

No mundo que nos cerca vemos a decaída da moral, a promiscuidade, a indecência, a vulgaridade, os maus-modos - os jovens bahá'ís devem ser o oposto dessas coisas, e, por sua castidade, sua retidão, sua decência, sua consideração e boas-maneiras, atrair aos outros, velhos e jovens, para a Fé.

O mundo está cansado de palavras; deseja exemplos, e está a cargo da juventude bahá'í fornece-los.

(De uma carta datada de 19/09/1946, aos jovens participantes da Escola de Verão, de Green Acre, USA)

12. "...Os olhos dos povos do mundo estão começando a se focalizarem sobre nós; e à medida que o dilema da humanidade vai de ruim para pior, nós seremos observados ainda mais intensamente pelos não-bahá'ís, para verem se estamos apoiando nossas próprias instituições de todo o coração e de forma integral; se somos o povo da nova criação ou não; se vivemos à altura de nossas crenças, princípios e leis, em atos como em palavras.

Não podemos ser demasiadamente cuidadosos. Não podemos ser demasiadamente exemplares."

(De uma carta datada de 05/08/1955, para a Assembléia Espiritual Nacional dos Bahá'ís das Ilhas Britânicas")

II
A FESTA DE DEZENOE DIAS
I. DOS ESCRITOS DE BAHÁ'U'LLÁH

1. "Em verdade, impõe-se a vós oferecer uma festa a cada mês, mesmo que sirvais somente água, pois Deus decidiu unir os corações, ainda que sejam necessários tanto os meios terrenos como os celestes."

(Kitáb-i-Aqdas, Edição 1995, p. 33)
II. DOS ESCRITOS DE 'ABDU'L-BAHÁ

1. "Ó vós, servos leais da Beleza Antiga: Em todo Ciclo e Dispensação, a Festa tem sido favorecida e amada, e pôr alimentos à mesa para os amantes de Deus tem sido considerado um ato louvável. Este é o caso especialmente hoje em dia, nesta Dispensação incomparável, esta, de todas as idades mais generosa, quando é altamente aplaudida, pois ela é, em verdade, contada entre tais reuniões como as realizadas para adorar e glorificar a Deus. Nela são entoadas os versículos sagrados, as odes celestiais e os louvores, e o coração é vivificado e desprendido de si mesmo.

A intenção fundamental é a de inflamar estas sensações do espírito, porém é muito natural que simultaneamente aqueles presentes compartilhem de alimento, de modo que o mundo corpóreo possa espelhar o mundo espiritual e a carne adquira as qualidades da alma; e, assim também estejam os deleites materiais.

Felizes sois vós, por observardes esta regra, com todos os seus significados místicos, mantendo assim os amigos de Deus alerta e atentos e levando-lhes paz de espírito e alegria."

(De uma Epístola de 'Abdu'l-Bahá a um grupo de crentes individuais, recentemente traduzida)

2. "Suplico a Deus, por Suas inesgotáveis generosidades, que muitas reuniões como estas sejam realizadas e que a festividade dos Dezenove Dias também seja celebrada, de modo que os crentes - homens e mulheres - se ocupem em fazer menção de Deus, louvando e glorificando a Ele e guiando o povo corretamente."

(De uma Epístola de 'Abdu'l-Bahá, recentemente traduzida)

3. "Escreveste a respeito daquela reunião realizada na área onde se encontra a porta da cidade de... Não a chames de uma reunião! Denomine-a um confluência de almas santas; uma convocação daqueles que amam o Senhor; um refúgio para o povo do Todo-Misericordioso; um saguão palaciano para todos os que cantam Seu louvor. Pois os participantes daquela reunião são, cada um, uma vela acesa e aquele conselho, uma mansão da lua e das estrelas. Foi abençoada pelo Senhor de toda a humanidade e estabeleceu a atual Festa, como exposta no Livro Mais Sagrado."

(De uma Epístola de 'Abdu'l-Bahá a um crente individual, recentemente traduzida)

4. "Perguntastes a respeito da Festa em cada mês bahá'í. A Festa é realizada para promover camaradagem e amor, para recordar a Deus e suplicar a Ele com os corações benevolentes.

Isto é, nela os amigos devem concentrar-se em Deus e glorifica-Lo, ler as orações e os versículos sagrados e se tratarem uns aos outros com a máxima afeição e amor."

(De uma Epístola de 'Abdu'l-Bahá, recentemente traduzida)

5. "Quanto à Festa de Dezenove Dias, ela regozija a mente e o coração. Se esta Festa for realizada da maneira correta, os amigos, uma vez em cada dezenove dias, se sentirão espiritualmente revigorados e dotados de um poder que não é deste mundo."

(De uma Epístola de 'Abdu'l-Bahá a um crente individual, recentemente traduzida)

6. "Escrevestes a sua excelência... a respeito da Festa.

A Festa foi estabelecida por Sua Alteza, o Báb, para ocorrer uma vez em cada dezenove dias. Igualmente, a Abençoada Perfeição (Bahá'u'lláh) a ordenou, encorajou e reafirmou. Conseqüentemente, tem a máxima importância. Indubitavelmente, deveis dar a maior atenção a seu estabelecimento e elevá-la ao mais alto ponto de importância, de modo a que se possa tornar contínua e constante. Os crentes de Deus devem se reunir e se associar uns com os outros com o máximo de amor, alegria e fragrância. Devem comportar-se (nestas Festas) com a maior dignidade e consideração, entoar versículos divinos, ler com atenção artigos instrutivos, ler as Epistolas de 'Abdu'l-Bahá, encorajar e inspirar-se uns aos outros com amor por toda a raça humana, invocar a Deus com perfeita alegria e fragrância; cantar os versículos, glorificações e louvores ao Senhor, o que subsiste por Si Próprio, e discursar eloqüentemente. O dono da cada deve servir pessoalmente aos amados. Deve preocupar-se com o conforto de todos e com a máxima humildade deve demonstrar bondade a todos. Se a Festa é organizada desta maneira e no modo mencionado, esta ceia é a "Ceia do Senhor", pois o resultado é o mesmo e o efeito é o mesmo efeito."

(Epístolas de 'Abdu'l-Bahá, p. 468-469)

7. "Quanto à Festa de Dezenove Dias, deveis dar-lhe vossa atenção mais cuidadosa e estabelece-la firmemente. Pois esta Festa traz bem-aventurança, unidade e amor aos amantes de Deus.

(De uma Epístola de 'Abdu'l-Bahá a um crente individual, recentemente traduzida)

8. "Tua carta foi recebida. Escrevestes sobre a Festa de Dezenove Dias e isto alegrou meu coração. Estas reuniões motivam a descida da mesa celestial do Paraíso e atraem as confirmações do Todo-Misericordioso. Minha esperança é que as brisas do Espírito Santo sejam sopradas sobre elas e que cada um presente, com uma língua eloqüente e um coração inundado com o amor de Deus, em grandes assembléias, ponha-se a saudar calorosamente a ascensão do Sol da Verdade, a aurora do Sol que ilumina o mundo inteiro."

(De uma Epístola de 'Abdu'l-Bahá a um crente individual recentemente traduzida)

9. "Escreveste a respeito das festividades dos Dezenove Dias. Esta Festa é uma portadora de alegria. É a base de concórdia e unidade. É a chave para a afeição de camaradagem. Difunde a unidade do gênero humano."

(De uma Epístola de 'Abdu'l-Bahá a um crente individual, recentemente traduzida)

10. "Dai grande importância às reuniões de Dezenove Dias, de modo que nestas ocasiões os amados do Senhor e as servas do Misericordioso possam volver suas faces em direção ao Reino, entoar louvores à comunhão, suplicar a ajuda de Deus, tornarem-se alegremente enamorados uns dos outros; crescerem em pureza e santidade, no temor a Deus, e na resistência à paixão e ao ego. Deste modo separar-se-ão deste mundo elementar e imergir-se-ão nos ardores do espírito."

(De uma Epístola de 'Abdu'l-Bahá à Assembléia Espiritual Nacional de Spokane, Washington, EUA, recentemente traduzida)

11. "Deveis continuar a observar a Festa de Dezenove Dias. É muito importante; é muito benéfico. Porém ao vos apresentardes às reuniões, antes de entrar, libertai-vos de tudo que tendes em vossos corações, libertai vossos pensamentos e vossas mentes de tudo o mais, salvo Deus, e animai-vos. Possam todos transformá-la em uma reunião de amor, fazê-la a causa de iluminação, faze-la uma reunião de atração dos corações; circundai esta reunião com as Luzes do Concurso Supremo, de modo que possais estar reunidos com o máximo amor.

Ó Deus! Dispersa todos aqueles elementos causadores de discórdia e prepara para nós tudo aquilo que cause unidade e concórdia.

Ó Deus! Faze descer sobre nós a Fragrância Celestial e transforma esta reunião numa reunião do Paraíso. Dá-nos todos os benefícios e alimentos. Prepara para nós o Alimento do Amor! Dá-nos o Alimento do amor! Dá-nos o Alimento do Conhecimento! Concede-nos o Alimento da Iluminação Divina!

Lembrai-vos destas coisas, em vossos corações, e então entrai na Festa de Unidade.

Cada um de vós deveis pensar em como tornar felizes e satisfeitos aos outros membros de vossa Assembléia e cada um deve considerar a todos aqueles que estão presentes como melhores e maiores que ele próprio, e cada um deve considerar-se menos que os demais. Reconhecei a posição dos demais como baixa. Se agirdes e viverdes de acordos com estas injunções, verdadeiramente sabei, com toda a certeza, que esta Festa é o Alimento Celestial. Esta Ceia é a 'Ceia do Senhor!' Eu sou o Servo desta reunião."

(Star of the West, Vol. IV, no 7, p. 120)

12. "A Festa de Dezenove Dias foi inaugurada pelo Báb e ratificada por Bahá'u'lláh em Seu livro mais sagrado, o Aqdas, para que as pessoas possam se reunir e visivelmente mostrarem companheirismo e amor, a fim de que os mistérios divinos possam ser revelados. A finalidade é a harmonia, de modo que através deste companheirismo os corações possam se tornar perfeitamente unidos e seja estabelecida a reciprocidade e prestimosidade mútua. Porque os membros do mundo da humanidade são incapazes de existir sem se associarem, a cooperação e a prestimosidade mútua são a base da sociedade humana. Sem a realização destes dois grandes princípios, nenhum grande movimento é impulsionado avante...

Em poucas palavras, a minha esperança é esta: que a Festa dos Dezenove Dias se torne a causa de grande solidariedade espiritual entre os amigos, que possa levar os crentes ao compromisso da unidade, e então seremos tão unidos uns com os outros que o amor e a sabedoria se difundirão deste centro a todas as partes. Esta Festa é uma Festa divina. É uma ceia do Senhor. Atrai, como um imã, a configuração de Deus. É a causa de esclarecimento de corações.

Todos os dias estão sendo oferecidas grandes festas e banquetes com o objetivo de satisfação material e de se saborear comida. As pessoas compartilham de certas iguarias delicadas e águas de várias fontes, a fim de que se possam divertir. Seguem-se bailes e danças. Todas estas coisas são para o corpo; este companheirismo, porém, é para se ter prazer em Deus, para o compartilhar de alimento espiritual, para a elucidação de assuntos espirituais, para a discussão e interpretação dos ensinamentos e conselhos de Deus. É absoluta espiritualidade.

É minha esperança que a Festa de Dezenove Dias possa se tornar firmemente estabelecida e organizada, de modo que as santas realidades que estão no âmago desta reunião, possam deixar para trás todos os preconceitos e conflitos e fazer de seus corações um repositório de amor. Mesmo que haja o menor sentimento entre certas almas - uma falta de amor - deve-se fazer com que desapareça totalmente. Deve haver a máxima translucidez e pureza de intenção.

Devem apreciar o amor de Deus, adquirir o poder para a promoção da felicidade da humanidade e da Palavra de Deus. Com tão alta referência deve a Festa se tornar uma instituição estabelecida. Quando se congregam nesta reunião, todos os presentes devem volver suas faces em direção ao Reino de Abhá, e de seus corações suplicarem, invocarem e rogarem ao trono sublime, implorarem o perdão de Deus por todas as imperfeições, lerem os ensinamentos e levantarem-se em Seu serviço.

Em seguida servi o banquete e oferecei refrescos. Seguramente grandes resultados serão a conseqüência de tais reuniões. Benefícios materiais e espirituais serão assegurados. Todos os que estão presentes serão intoxicados com as brisas do Amor de Deus, e o Sopro do Espírito Santo, com tremendo poder, inspirará os corações.

13. Se esta reunião for estabelecida sobre tal rocha, converter-se-á em uma força que atrairá as confirmações celestiais, será o veículo para a revelação da Luz de Deus e a realidade de todo assunto será exposta. Esta reunião estará sob a proteção de Deus. É minha esperança que realizarão continuamente estas reuniões e que cada vez ela se tornará, mais e mais, o centro de todas as virtudes, o ponto para o resplendor de Deus.

Que vossos corações se esclareçam!
Que vossas faces se tornem radiantes!
Que vossos espíritos se iluminem!

Que vossos pensamentos encontrem uma visão mais ampla!

Que vossas suscetibilidades espirituais aumentem!

Que o reino de Deus os rodeie e que vossos corações se tornem os repositórios dos céus!

Esta é minha esperança!

(De uma palestra de 'Abdu'l-Bahá, proferida em uma Festa de Dezenove Dias em Londres, Inglaterra, em 29 de Dezembro de 1912, citada em Bahá'í News, nº 33, julho de 1929, p. 1-2

II. DOS ESCRITOS DE SHOGHI EFFENDI E
DE CARTAS ESCRITAS EM SEU NOME

1. "Ainda outros fatores que têm promovido o desenvolvimento dessa Ordem, e contribuído para sua consolidação, são a instituição sistemática da Festa de Dezenove Dias, que funciona na maioria das comunidades bahá'ís do Oriente e Ocidente, com sua tríplice ênfase nos aspectos devocional, administrativo e social da vida comunitária bahá'í..."

(A Presença de Deus, p. 460)

2. "O propósito principal das festas de Dezenove Dias é capacitar os crentes individuais a oferecerem qualquer sugestão à Assembléia Local, que, por sua vez, a transmitirá à Assembléia Espiritual Nacional. Portanto, a Assembléia Local é o meio correto através da qual as comunidades bahá'ís locais podem se comunicar com o corpo dos representantes nacionais. A Convenção deve ser considerada como uma reunião temporária, tendo certas funções específicas a desempenhar durante um período de tempo limitado. Seu status, portanto, é limitado pelo tempo das sessões da Convenção e, em todas as outras ocasiões, a função de consulta está investida na totalidade do corpo dos crentes através das Assembléias Espirituais Locais."

(De uma carta datada de 18 de Novembro de 1933, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos e Canadá)

3. "Quanto à sua pergunta a respeito de festas bahá'ís, Shoghi Effendi considera fortemente que em tais ocasiões os amigos devem enfatizar tanto o elemento espiritual como o administrativo. Pois estes são igualmente essenciais para o sucesso de todo festival bahá'í. Portanto, manter o equilíbrio correto entre eles é o dever e a responsabilidade de todo individuo bahá'í ou grupo. Até que os crentes aprendam a combinar os dois, não há esperança de que possam usufruir qualquer benefício real e permanente de tais celebrações religiosas. Uma boa parte da festa deve, naturalmente, ser devotada à leitura das Palavras Sagradas. Pois é através delas que os amigos podem conseguir a inspiração e a visão que necessitam para a realização com sucesso de seu trabalho para a Causa."

(De uma carta datada de 27 de Maio de 1934, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

4. "A respeito de sua pergunta referente às Festas de Dezenove Dias. Estas reuniões são, sem dúvida, de importância especial para os amigos, pois têm tanto um significado social como administrativo e, como tal, deveriam ter a participação regular de todos os crentes confirmados. Devem, também, ser comemoradas de acordo com o calendário bahá'í a cada dezenove dias."

(De uma carta datada de 12 de Abril de 1935, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

5. "Quanto à natureza das Festas de Dezenove Dias, o Guardião considera que a excelente declaração sobre sua natureza, função e propósito, publicada em uma das recentes edições da Carta Noticiosa, é tão compreensiva e fiel em sua apresentação que ele não considera necessário voltar a expor ou estender-se a respeito do assunto. Entretanto, ele não tem nenhuma objeção se sentem a necessidade de desenvolver o pensamento expresso naquela declaração, enfatizando particularmente os aspectos espiritual, administrativo e social desta vital instituição bahá'í."

(De uma carta datada de 6 de Setembro de 1933, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos e Canadá)

A DECLARAÇÃO MENCIONADA NO
EXCERTO ACIMA É A SEGUINTE:

6. "Esta instituição, estabelecida por Bahá'u'lláh, foi descrita pelo Guardião como a base da nova Ordem Mundial. A Assembléia Espiritual Nacional entende que incumbe a cada crente, salvo se doente ou ausente da cidade, de assistir a todas estas Festas.

Em uma carta geral, enviada há vários anos às Assembléias Espirituais Locais foi salientado que o Guardião instrui que a Festa de Dezenove Dias seja realizada de acordo com o seguinte programa: a primeira parte, de caráter totalmente espiritual, é dedicada à leitura das Escrituras Sagradas Bahá'ís; a segunda parte consiste de consulta geral a respeito dos assuntos da Causa, ocasião em que a Assembléia Espiritual Local relata suas atividades à comunidade, solicita por sugestões e consulta, e, também, transmite mensagens recebidas do Guardião e da Assembléia Nacional. A terceira parte é a festa material e o encontro social de todas os amigos. Somente crentes votantes são convidados a participar das Festas de Dezenove Dias, porém os jovens com menos de vinte e um anos de idade, que são crentes declarados, especialmente quando são membros de uma família bahá'í, também podem estar presentes.

Estas reuniões podem ser consideradas como o próprio coração de nossa vida comunitária bahá'í. Quando dirigidas corretamente e têm a participação de uma comunidade bahá'í que aprecia inteiramente e sua importância, as Festas de Dezenove Dias servem para renovar e aprofundar o nosso espírito de fé, aumentar a nossa capacidade para ação conjunta, remover os mal-entendidos e nos manter inteiramente informados de todas as atividades bahá'ís importantes, de escopo local, nacional e internacional."

(Declaração da Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos, Bahá'í Procedure, secção Primeira, Folha 6)

7. "Não há objeção de realizar-se reuniões ao ar livre, desde que sejam conduzidas com dignidade."

(De uma carta datada de 14 de Outubro de 1941, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

8. "A respeito das festas de Dezenove Dias, Shoghi Effendi é de opinião que os crentes devem estar conscientes da importância de participarem destas reuniões que, além de seu significado espiritual, constituem o meio vital para que os próprios crentes mantenham contato íntimo entre si, e também entre eles e o corpo dos representantes eleitos na Comunidade local.

Nenhuma ação radical, tal como a expulsão de qualquer crente da comunidade, entretanto, deve ser tomada caso alguém deixe de participar destas festas. Compete a todo crente individual conscientizar-se de que a Causa necessita dele neste assunto. Qualquer ameaça ou intimidação é inútil, a menos que seja baseada num apelo à consciência e responsabilidade individual."

(De uma carta datada de 22 de Dezembro de 1934, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

9. "A respeito de sua pergunta referente ao uso de música nas Festas de Dezenove Dias, ele deseja que se assegure a todos os amigos que não só ele aprova tal prática, mas considera até aconselhável que os crentes, em suas reuniões, façam uso de músicas compostas pelos próprios bahá'ís e também de tais músicas, poemas e canções que sejam baseadas nas Palavras Sagradas."

(De uma carta datada de 7 de Abril de 1935, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

10. "A respeito da Festa de Dezenove Dias; em uma carta anterior à A.E.N.,o Guardião tornou claro que, ainda que não seja um preceito obrigatório, esta Festa foi considerada por Bahá'u'lláh como altamente desejável e meritória. No Aqdas, Ele enfatizou especificamente o seu caráter espiritual e devocional e, também, sua importância social na comunidade bahá'í como um meio para ocasionar maior companheirismo e unidade entre os crentes. O significado administrativo desta Festa foi afirmado pelo Guardião em vista da necessidade crescente entre os amigos de um melhor treinamento nos princípios e métodos da Administração Bahá'í.

O significado da Festa de Dezenove Dias é, por conseguinte, triplo. É uma reunião de importância devocional, social e administrativa. Quando todos estes três aspectos são combinados, esta Festa pode e seguramente produzirá o melhor e máximo resultado. Entretanto, os amigos deveriam tomar cuidado a fim de não enfatizarem demasiadamente o significado desta instituição criada por Bahá'u'lláh. Também devem acautelar-se para não subestimar ou minimizar sua importância."

(De uma carta datada de 2 de Outubro de 1935, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos e Canadá)

11. "A respeito da natureza das Festas de Dezenove Dias. No Aqdas. Bahá'u'lláh claramente revelou o caráter espiritual e social dessa Instituição. Seu significado administrativo, entretanto, foi enfatizado pelo Guardião em resposta direta às crescentes necessidades da comunidade bahá'í neste período formativo da Era Bahá'í, para um melhor treinamento nos princípios e prática da administração bahá'í."

(De uma carta datada de 29 de Julho de 1935, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos e Canadá)

12. "...a respeito das Festas de Dezenove Dias; estas não são estritamente obrigatórias, mas os crentes devem esforçar-se para participar regularmente das mesmas, principalmente pelas duas razoes seguintes: primeiro, porque enfrentam o espírito de serviço e companheirismo na comunidade e, segundo, em vista o fato de que proporcionam aos crentes uma oportunidade esplendida para discutirem plenamente os assuntos da Causa e para encontrarem maneiras e meios de contínuo melhoramento na direção das atividades bahá'ís."

(De uma carta datada de 30 de Novembro de 1936, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

13. "Sua terceira pergunta concerne ao dia em que a Festa deve ser realizada em cada mês. Em resposta, o Guardião declarou que não foi fixado nenhum dia especial, mas que seria preferível e muito mias adequado se a reunião dos amigos fosse realizada no primeiro dia de cada mês."

(De uma carta recentemente traduzida, datada de 1o de Dezembro de 1936, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

14. "A principal oportunidade que os amigos têm para discutir as questões administrativas, é durante as festas de Dezenove Dias, oportunidade em que os membros da Assembléia Local podem encontrar-se com o corpo dos crentes e discutirem em conjunto os assuntos da Causa e sugerirem novos planos de ação e métodos. Entretanto, mesmo então, nenhuma referência a pessoas deveria ser feita."

(De uma carta datada de 27 de Março de 1938, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

15. "Quanto a sua pergunta referente à última Festa de Dezenove Dias, Shoghi Effendi não vê objeção se os amigos desejarem celebrá-la em um dos dias intercalares. Também podem celebrá-la durante o mês do jejum, desde que se abstenham de alimento."

(De uma carta datada de 2 de Agosto de 1939, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

16. "Agora com referência a sua última estimada carta na qual perguntou se os crentes têm o direito de abertamente expressarem sua crítica de qualquer ação ou plano de ação da Assembléia; não só é o direito, mas a responsabilidade vital de todo membro leal e inteligente da Comunidade de oferecer total e francamente, mas com o devido respeito e consideração à autoridade da Assembléia, qualquer sugestão, recomendação ou crítica, que ele conscientemente sente que deva, a fim de melhorar e remediar certas condições existentes ou tendências em sua comunidade local, e é o dever da Assembléia de também dar cuidadosa consideração a qualquer destes pontos de vista a ela submetidos por qualquer um dos crentes. A melhor ocasião escolhida para este propósito é a Festa de Dezenove Dias que, além de seus aspectos social e espiritual, preenche várias necessidades administrativas e exigências da Comunidade, sendo a principal entre elas a necessidade de crítica franca e construtiva e deliberação a respeito da situação dos assuntos dentro da Comunidade Bahá'í Local.

Novamente, entretanto, deve ser enfatizado que todas as críticas e discussões de caráter negativo, que podem resultar no solapar da autoridade da Assembléia como um corpo, devem ser estritamente evitadas. Pois, do contrário, a ordem da própria Causa será colocada em perigo, e confusão e discórdia reinarão na Comunidade."

(De uma carta datada de 13 Dezembro de 1939, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

17. "A respeito da época para realizar-se as Festas de Dezenove Dias e as eleições; o Guardião aconselharia sua Assembléia a urgir os amigos a realizarem tais reuniões no dia prescrito, antes do por do sol. Se impossível, então é permissível realizá-las no dia seguinte."

(De uma carta datada de 24 de Dezembro de 1939, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos e Canadá)

18. "Ele ficou muito feliz, em saber que estão realizando as Festas, já que elas formam um ponto da reunião para os amigos e ajuda a uni-los e aprofunda-los na Fé."

(De uma carta datada de 5 de Março de 1946, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

19. "A respeito da pergunta que lhe fizeram sobre os Sagrados Escritos Bahá'ís: estes devem ser considerados como os escritos do Báb, Bahá'u'lláh e 'Abdu'l-Bahá somente estes devem ser lidos durante a parte puramente devocional da Festa."

(De uma carta datada de 11 de Maio de 1948, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional da Austrália e Nova Zelândia)

20. "Quanto a sua pergunta a respeito das Festas de Dezenove Dias: realmente, isto é um assunto de importância secundária e deveria ser decidido pela Assembléia; reuniões que foram publicamente anunciadas para uma certa data, obviamente, não podem ser canceladas. Quanto à participação de não-bahá'ís: isto deveria ser evitado a todo custo, porém se um não-bahá'í vem a Festa de Dezenove Dias, não deveria ser solicitado a sair já que poderia magoar seus sentimentos."

(De uma carta datada de 21 de Setembro de 1946, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

21. "...A respeito de sua pergunta: A parte Devocional da Festa de Dezenove Dias significa a leitura de Orações de Bahá'u'lláh e do Mestre. Se, após isso, houver um período de leitura dos ensinamentos, seus (do Guardião) escritos poderão ser incluídos, no entanto, isso não faz parte do aspecto devocional da reunião."

(De uma carta datada de 15 de Dezembro de 1947, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

22. "Durante a parte devocional da Festa de Dezenove Dias qualquer parte dos escritos do Báb, Bahá'u'lláh e do Mestre pode ser lida, assim como da Bíblia e do Alcorão, já que todas estas são escrituras sagradas. Esta parte da reunião não necessita de ser limitada a orações, ainda que orações podem e devem ser lidas no seu decorrer."

(De uma carta datada de 18 de Outubro de 1948, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

23. "Os bahá'ís devem aprender a esquecer-se das personalidades e a sobreporem-se ao desejo - tão natural nas pessoas - de tomarem partido e lutarem por isso. Devem aprender a realmente fazer uso do grande princípio da consulta. Há um tempo determinado na Festa de Dezenove Dias para a comunidade expressar seus pontos de vista e fazer sugestões à sua Assembléia, a Assembléia e os crentes devem aguardar ansiosamente este período feliz de discussão e nem temê-lo, nem suprimi-lo. Da mesma forma, os membros da assembléia devem consultar amplamente e em suas decisões colocarem os interesses da Causa em primeiro lugar e não os personalismos, a vontade da maioria prevalecendo.

(De uma carta datada de 30 de Junho de 1949, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional da Alemanha e Áustria)

24. "A festa de Naw-Rúz deve ser realizada em 21 de março antes do por do sol e nada tem a ver com a Festa de Dezenove Dias. A Festa de Dezenove Dias é administrativa em sua função, enquanto que o Naw-Rúz é nosso Ano Novo, uma festa de hospitalidade e regozijo."

(De uma carta datada de 5 de Julho de 1950, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos)

25. "Toda cidade terá sua própria Assembléia Espiritual, não um certo número de distritais. Naturalmente, Festas de Dezenove Dias distritais podem ser realizadas onde existem um grande número de bahá'ís em uma cidade."

(De uma carta datada de 31 de Março de 1949, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

26. "A questão a respeito da parte devocional da Festa esteve obscura, porque uma vez ele usou o termo 'devocional' em um sentido exato, o qual, naturalmente, significa oração, e outra vez livremente, no sentido em que os bahá'ís geralmente o entendem, sendo isto o reunir-se e ler dos ensinamentos que precede o aspecto administrativo ou consultivo da Festa de Dezenove Dias. As duas declarações de modo algum mudam o método de realizar-se esta parte da Festa que, pelo menos no Oriente, é sempre iniciada com orações e em seguida podem ser lidas Epístolas e excertos dos escritos de Bahá'u'lláh, do Mestre e do Guardião ou, quanto a isso, citada a Bíblia ou o Alcorão."

(De uma carta datada de 11 de Abril de 1949, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos)

27. "O Guardião nunca ouviu falar de qualquer regra pela qual um crente que não participe de três Festas de Dezenove Dias consecutivas pode ser privado de seus direitos de voto. Ele não considera que tal ação seja de modo algum justificada. Toda a questão é se a pessoa se considera um bahá'í ou não, e se está disposta a aderir aos princípios da Fé e a aceitar a autoridade do Guardião e da Administração - se este indivíduo é capaz ou está sempre em condição psicológica de participar das Festas e reuniões bahá'ís, é um assunto totalmente diferente. Se as pessoas o tornam bem claro que não desejam ser considerados membros ativos da Comunidade Bahá'í ou lhe serem afiliados a exercerem seu direito de voto, então seus nomes devem ser retirados da lista de votantes; porém se uma pessoa, ele ou ela se considera bahá'í e por razoes várias não é capaz de ser ativa nos assuntos da Comunidade, então, certamente, não deveria ser removida da lista de votantes, muito menos no momento presente, quando o número da Comunidade Bahá'í é tão pequeno."

(De uma carta datada de 2 de Março de 1951, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional da Alemanha e Áustria)

28. "A música é permitida durante a parte espiritual - ou qualquer parte - da Festa de Dezenove Dias."

(De uma carta datada de 30 de Junho de 1952, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional dos Estados Unidos)

29. "Quanto às questões que levantou em sua carta:

Primeiro, ele sente que embora em princípio certamente não exista razão porque excertos de outras Escrituras Sagradas não devam ser lidas na parte espiritual de nossas Festas, como esta é particularmente uma ocasião quando os bahá'ís se reúnem para aprofundarem sua própria vida espiritual, é, falando de modo genérico, aconselhável que leiam de suas próprias Escrituras na parte espiritual da Festa.

A questão onde as Festa de Dezenove Dias devem ser realizadas, é, certamente, decisão da Assembléia Espiritual; o Hazíratu'l-Quds, porém, na maioria das ocasiões, parece o lugar lógico. Até que os amigos tenham um lugar de adoração... este edifício também será usado para reuniões devocionais, assim como para propósitos administrativos.

Se, sob certas circunstâncias, alguma Festa especial é oferecida na casa de um dos crentes, com a aprovação da Assembléia Espiritual, não pode haver objeção; mas, falando de modo genérico ele sente que é melhor usar o Hazíratu'l-Quds."

(De uma carta datada de 18 de Fevereiro de 1954, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

30. "O amado Guardião me instruiu para lhes escrever a respeito de uma ação tomada recentemente por sua Assembléia Nacional, como publicado em Bahá'í News de janeiro-fevereiro, de que não-bahá'ís podem participar de Festas de Dezenove Dias se 'a sinceridade de seu interesse na Fé, é testemunhado por um crente declarado.'

O Guardião deseja que eu chame sua atenção para o fato de que nenhuma das instituições da Fé, nem seus princípios fundamentais podem ser alterados sob quaisquer circunstâncias.

A Festa de Dezenove Dias é uma instituição da Causa, inicialmente estabelecida pelo Báb, posteriormente confirmada por Bahá'u'lláh e atualmente tornada uma parte proeminente da ordem administrativa da Fé. Estas Festas de Dezenove Dias são para os bahá'ís, e exclusivamente para os bahá'ís, e nenhuma variação deste princípio é permitido.

Assim o Guardião sente que deveriam rescindir a ação tomada por sua Assembléia, abrindo as Festas que 'quase bahá'ís', desde que não é consistente com o espírito da ordem administrativa que não-bahá'ís ou quase bahá'ís participarem de Festas de Dezenove Dias, particularmente a parte administrativa da Festa.

O Guardião está consciente do espírito que os animou ao fazer a proposta sugerida, a fim de que o trabalho de ensino possa avançar mais agressivamente; mas ele sente que a longo prazo seria prejudicial para a Fé e, portanto, deve ser rescindido como indicado acima."

(De uma carta datada de 28 de Maio de 1954, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional da Alemanha e Áustria)

31. "Os Escritos do Báb e de Bahá'u'lláh certamente podem ser lidos a qualquer tempo e em qualquer lugar; igualmente os Escritos de 'Abdu'l-Bahá são lidos livremente durante a parte espiritual da Festa. O Guardião instruiu que durante a parte espiritual da Festa, seus próprios escritos não devem ser lidos. Em outras palavras, durante a parte espiritual da Festa, as leituras devem ser limitadas aos Escritos do Báb, de Bahá'u'lláh, e em menor extensão aos do Mestre: porém, durante esta parte da Festa os escritos do Guardião não devem ser lidos. Durante o período de discussão administrativa da Festa, então os escritos do Guardião podem ser lidos. Naturalmente, durante a parte administrativa da Festa não pode haver objeção à leitura dos Escritos do Báb, de Bahá'u'lláh ou de 'Abdu'l-Bahá."

(De uma carta datada de 27 de Abril de 1956 escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual, publicada no Bahá'í Bulletin da Austrália e citado no Bahá'í News, nº 335, Janeiro de 1959, p. 5)

32. "Música instrumental pode ser usada nas Festas Bahá'ís.

Não há objeção a que se mostre apreciação batendo palmas.

Se um indivíduo tem um encontro de ensino na mesma noite da Festa de Dezenove Dias, fica a critério do indivíduo julgar qual é mais importante."

(De uma carta datada de 20 de agosto de 1956, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)

33. "É inconcebível e totalmente inadmissível que se permita a quaisquer bahá'ís em uma Comunidade de realizarem uma Festa em seus lares e recusarem admissão a outro crente; e sua Assembléia deve escrever, conseqüentemente, em termos muito veementes à Assembléia de ..., ressaltando que o Guardião não só está surpreso de tomar conhecimento desta situação, mas a desaprova nos termos mais fortes.

Qualquer bahá'í pode participar de uma Festa, um do lugar, um bahá'í de fora da cidade e certamente um bahá'í isolado da vizinhança."

(De uma carta datada de 27 de Maio de 1957, escrita em nome de Shoghi Effendi à Assembléia Espiritual Nacional das Ilhas Britânicas)

34. "A participação nas Festas de Dezenove Dias não é obrigatória, porém sumamente desejável, e esforço deve ser feito pelos amigos para não se privarem deste ponto de reunião espiritual e comunitária uma vez em cada mês bahá'í."

(De uma carta datada de 23 de Dezembro de 1948, escrita em nome de Shoghi Effendi a um crente individual)


Table of Contents: Albanian :Arabic :Belarusian :Bulgarian :Chinese_Simplified :Chinese_Traditional :Danish :Dutch :English :French :German :Hungarian :Italian :Japanese :Korean :Latvian :Norwegian :Persian :Polish :Portuguese :Romanian :Russian :Spanish :Swedish :Turkish :Ukrainian :