Announcing: BahaiPrayers.net


More Books by Ridvan

Ridvan 121 1964
Ridvan 134 1977
Ridvan 137 1980
Ridvan 138 1981
Ridvan 139 1982
Ridvan 140 1983
Ridvan 141 1984
Ridvan 143 1986
Ridvan 144 1987
Ridvan 145 1988
Ridvan 146 1989
Ridvan 147 1990
Ridvan 148 1991
Ridvan 149 1992
Ridvan 150 1993
Ridvan 151 1994
Ridvan 152 1995
Ridvan 153 1996
Ridvan 153-I 1996
Ridvan 154 1997
Ridvan 155 1998
Ridvan 156 1999
Ridvan 157 2000
Ridvan 158 2001
Ridvan 159 2002
Ridvan 160 2003
Ridvan 161 2004
Ridvan 162 2005
Ridvan 163 2006
Ridvan 164 2007
Ridvan 165 2008
Ridvan 166 2009
Ridvan 167 2010
Ridvan 168 2011
Ridvan 169 2012
Ridvan 170 2013
Free Interfaith Software

Web - Windows - iPhone








Ridvan : Ridvan 121 1964

O processo divinamente impulsionado, descrito pelo nosso querido Guardião em tão majestosas palavras, que começou há seis mil anos nos albores do ciclo adâmico e que está destinado a culminar “na fase em que a luz da Fé triunfante de Deus, brilhando com todo seu poder e glória, terá permeado e engolfado a todo planeta”, está agora entrando na sua décima e última parte.

A cruzada de Dez Anos, concluída recentemente com clarinadas de vitória e de júbilo, constituiu toda a nona parte desse processo. Ela testemunhou o avanço vertiginoso da Causa de Deus num poderoso esforço de uma década a um ponto em que foram alicerçadas as bases da Ordem Administrativa em todo mundo, preparando assim o caminho para o despertar das multidões que deverá ser a característica do progresso futuro da Fé.

Desde o início desta Dispensação, os apelos mais urgentes do Verbo de Deus, proclamados sucessivamente pelo Báb e por Bahá’u’lláh, foram para que se ensinasse a Causa.. ‘Abdu’l-Bahá, em Suas próprias palavras, “passou os Seus dias e noites na promoção da Causa e exortando as pessoas a servirem”. Shoghi Effendi, no desempenho da sagrada missão que lhe foi conferida, erigiu a Ordem Administrativa da Fé, que já estava Incrustada nas Sagradas Escrituras e a forjou em um instrumento de ensino para executar todo Plano Divino de ‘Abdu’l-Bahá através de sucessivos planos nacionais, internacionais e globais. Ele previu com nitidez, que na “tremendamente longa” décima parte do processo já referido, uma série de planos serão lançados pela Casa Universal de Justiça e que se estenderão por “épocas sucessivas tanto da Era Formativa, como da Era Áurea da Fé”.

O primeiro destes planos está agora diante de nós. Começando com o Ridván de 1964, enquanto a memória do glorioso Jubileu de 1963 ainda está viva nos nossos corações, ele deve produzir, durante os seus nove anos de duração, uma expansão enorme da Causa de Deus e uma participação universal de todos os crentes na vida dessa Causa.

No Centro Mundial da Fé as tarefas do Plano incluirão:

a publicação de um extrato e uma codificação do Kitáb-i-Aqdas, o Mais Sagrado Livro;

a formulação da constituição da Casa Universal de Justiça;

o desenvolvimento da instituição das Mãos da Causa de Deus, em consulta com o conjunto das Mãos da Causa, com o objetivo de ampliar para o futuro a sua função específica de proteção e de propagação;

a continuação da colheita e da classificação das Sagradas Escrituras Bahá’ís como também dos escritos de Shoghi Effendi;

esforços continuados para a emancipação da Fé de doutrinas religiosas e para seu reconhecimento como religião independente;

a preparação de um plano para desenvolvimento adequado e embelezamento de toda área de propriedades Bahá’ís que circundam os Santos Sepulcros;

ampliação dos jardins existentes no Monte Carmelo;

desenvolvimento das relações entre a Comunidade Bahá’í e as Nações Unidas;

a realização de Conferências Oceânicas e Inter-Continentais;

1) a coordenação de planos mundiais para comemorar em 1967/68 o centenário da Proclamação de Bahá’u’lláh aos reis e governantes que girou em torno de Sua revelação do Suriy-i-Muluk em Adrianópolis.

Para a Comunidade Mundial o Plano prevê

1) a abertura de setenta territórios virgens e a re-fixação de vinte e quatro;

2) a elevação do número de Assembléias Espirituais Nacionais, os pilares que sustentam a Casa Universal de Justiça, para cento e oito, nove vezes o número daquelas eu inauguraram a primeira histórica Cruzada Mundial em 1953;

3) o aumento do número de Assembléias Espirituais Locais para mais de treze mil e setecentos, espalhadas pelos territórios e ilhas do mundo, sendo que pelo menos um mil e setecentas devem estar legalmente registradas;

4) o número de localidades, onde residem Bahá’ís deve ultrapassar de cinqüenta e quatro mil;

5) a construção de mais dois Mashriqu’l-Adhkárs, um na Ásia e um na América Latina;

6) a aquisição de trinta e dois Institutos de Ensino, cinqüenta e dois Házíratu’l-Quds, cinqüenta e quatro propriedades nacionais e terrenos para sessenta e dois futuros Templos;

7) reconhecimento amplo dos Dias Sagrados Bahá’ís e do Matrimônio Bahá’í pelas autoridades civis;

8) a tradução de literatura em mais cento e trinta e três línguas e o aumento de literatura nos idiomas mais importantes nos quais já se fizeram traduções;

9) o estabelecimento de quatro novas Editoras Bahá’ís e

10) um incremento substancial nos recursos financeiros da Fé

O vigoroso desenvolvimento da Causa requer que esta grande expansão seja acompanhada dos dedicados esforços de cada crente no ensino da Fé, no modo Bahá’í de viver, na contribuição aos Fundos e particularmente num contínuo esforço para compreender cada vez mais a significação da Revelação de Bahá’u’lláh. Nas palavras de nosso amado Guardião: “Uma coisa e exclusivamente essa assegurará infalivelmente o triunfo certo desta sagrada Causa e esta é a extensão pela qual nós estivermos espelhando com a nossa vida íntima e com o nosso próprio caráter os múltiplos aspectos do esplendor que emana dos princípios eternos que foram proclamados por Bahá’u’lláh.

Expansão e participação universal são os objetivos gêmeos desta fase inicial da Segunda época do Plano Divino e todas as metas estabelecidas para as sessenta e nove Comunidades Nacionais servem a esses dois propósitos. O processo da cooperação entre Assembléias Espirituais Nacionais, já iniciado pelo amado Guardião, será aplicado durante este Plano em mais de duzentos projetos específicos e reforçará ainda mais essa cooperação que tenderá a Ter importância proeminente nos estágios futuros da Era Formativa.

Mais uma vez, queridos amigos, nós estamos entrando na luta, mas com forças incomparavelmente maiores do que aquelas que começaram a Cruzada Mundial em 1953. A àquele pequeno contingente de doze comunidades nacionais, agora batalhadoras veteranas, foram adicionadas cinqüenta e sete novas legiões, cada uma sob o comando de uma Assembléia Espiritual Nacional, cada uma destinada a tornar-se veterana desta e de futuras campanhas. Aquela Cruzada começou com pouco mais de seiscentas Assembléias Espirituais Locais, das quais a maioria estava localizada na Pérsia, na América do Norte e na Europa. Agora as frentes domésticas compreendem quase quatro mil e seiscentas Assembléias Espirituais Locais espalhadas por todos os continentes e ilhas do mundo. Nós estamos começando este Plano com um impulso tremendo, exemplificado pela adição desde o último Ridván de mais de quatro mil centros novos e treze Assembléias Espirituais Nacionais e com o início, em vários países, de alistamento de contigentes inteiros na Causa de Deus, profetizado por ‘Abud’l-Bahá e tão ansiosamente antecipado por Ele.

Os Porta-Estandartes deste Plano de Nove Anos são aquelas mesmas almas, divinamente escolhidas, experimentadas e vitoriosas que também levaram os estandartes da Cruzada Mundial, as Mãos da Causa de Deus, cujo conselho e cuja cooperação foi de valor inestimável na elaboração deste Plano de Nove Anos. Ajudados pelos seus “representantes, assistentes e conselheiros”, os membros dos Corpos Auxiliares, eles inspirarão e protegerão o exército de Deus, o conduzirão através de cada brecha até os limites dos recursos disponíveis e sustentarão aquelas comunidades que precisam se movimentar por caminhos adversos e cheios de obstáculos, para que em 1973, as celebrações do centenário da Revelação do Mais Sagrado Livro possam ser executadas adequadamente por uma comunidade mundial vitoriosa, firmemente estabelecida e organicamente unida e que esteja dedicada ao serviço de Deus e ao triunfo final de Sua Causa.

Que cada uma das sessenta e nove comunidades, portanto, assuma a sua responsabilidade, de saída pondere sobre o modo melhor de realizar a tarefa dentro do tempo indicado, faça com que se levantem os seus pioneiros, que se consagre ao trabalho ininterrupto e que se dedique à sua missão. Esta é agora a oportunidade de ouro. Sejam quais forem as convulsões e sofrimentos que uma era materialista e agastada de Deus ainda possa provocar neste mundo, por mais trágicos que sejam os efeitos que provem do encerramento da ordem presente, segundo os planos e esforços da comunidade do Mais Sagrado Nome, nós precisamos aproveitar as oportunidades desta hora e avançar confiantes em que todas as coisas estão na Sua poderosa mão e que, se nós apenas nos dedicarmos à parte que nos toca, a vitória total e incondicional será inevitavelmente nossa.


Table of Contents: Albanian :Arabic :Belarusian :Bulgarian :Chinese_Simplified :Chinese_Traditional :Danish :Dutch :English :French :German :Hungarian :Italian :Japanese :Korean :Latvian :Norwegian :Persian :Polish :Portuguese :Romanian :Russian :Spanish :Swedish :Turkish :Ukrainian :